Fruet: sem mandato, sem cargo, mas com projeto

O deputado federal Gustavo Fruet, PSDB, um dos mais destacados congressistas brasileiros, que fez da ética sua principal bandeira, não se elegeu senador e recusou convite para compor o secretariado do governador Beto Richa.

Ele comunicou há pouco sua decisão, deixando nas entrelinhas do release enviado à imprensa que seu projeto é para 2012, quando estará em disputa a Prefeitura de Curitiba.

Eis o release:

UMA NOVA ETAPA

Concluo no próximo 31 de janeiro um ciclo de 14 anos de mandato no Legislativo: dois anos como vereador em Curitiba e 12 como deputado federal.

Este ano, abdiquei de ser candidato a deputado federal, aceitando no último prazo a convocação para compor a chapa da coligação Novo Paraná como candidato ao Senado, para ajudar na eleição de Beto Richa ao governo do Paraná e de José Serra para presidente.

Tive a honra de receber os votos de 2.502.805 eleitores do Paraná, apesar de ter realizado uma campanha curta e com pouca estrutura.

Agora, abro mão do convite para compor o secretariado de Beto Richa, por entender que o momento requer uma presença mais constante em Curitiba. A excepcional votação obtida na capital – 646.886 votos – reforça o desejo de ampliar o contato com a população local, após 12 anos em Brasília, e de ajudar a construir um projeto para a cidade.

A decisão não implica em abdicar da política, atividade à qual me dedico com uma paixão lúcida e com permanente crença em seu poder transformador da realidade. Mantenho a atividade política no dia-a-dia, em permanente contato com a população e com setores organizados da sociedade. No campo da política partidária, a próxima etapa é a convenção municipal do PSDB, em março de 2011.

Paralelamente, retomo a atividade profissional de advogado, no endereço de sempre, na Praça Rui Barbosa, além outros projetos, entre os quais o de dedicar mais tempo ao estudo.

Por fim, agradeço a atenção recebida ao longo do mandato por parte dos eleitores – não apenas pelo voto, mas por meio do acompanhamento constante, das sugestões e das críticas – e também por parte da imprensa paranaense, no papel essencial de monitorar o trabalho dos eleitos para representar a população do Estado.

Política

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.