Mês: março 2012



Eloir, Eloir. Será você?

Eloir, Eloir

dizem por aí

que é você, você?

quem vai nos trair

Recuar na Centronic

você não será capaz

já votou a favor

como fica agora, rapaz?

 

Valença, Valença

o que poderá alegar

para deixar de votar:

doença? Convalescença?

 

Eloir, Eloir…

 

E aquela vassoura

que levou ao plenário

cantando como um canário:

fora, xô corrupção?

 

Lembra-se disso,

nobre e digno edil

era real ou encenação,

mero golpe mercantil?

 

Eloir, Eloir…

 

Antes só refrega,

agora o acompanha

até em entrega

in nomine patris

de capela mortuária

 

Valença, Valença…

o que vou dizer

pode dar desavença,

você vai estremecer:

 

Terá tido simbolismo

ao lado dele, na capela

essa sua aparição?

Pois quem vende a alma

logo vira assombração

 

Eloir, Eloir

dizem por aí

que é você, você?

quem vai nos trair

 

Eloir…

Política
1 Comentário


Singela homenagem a um edil

O (por enquanto) prefeito de Londrina, Homero Barbosa, tem se safado de Comissões Processantes (CPs) por ter obtido na Justiça o aumento de 10 para 13 no quórum mínimo e por ter cooptado o número exato de vereadores para assegurar a continuidade do seu mandato.

Na semana passada ele perdeu um dos votos: Renato Lemes (PP) morreu.

O provável substituto será Antenor Ribeiro (PSC), que tem se manifestado escandalizado com os casos de corrupção dos quais o (por enquanto) prefeito é acusado.

Há uma Comissão Processante para ser aberta – da Centronic -, referente a pagamentos indevidos a esta empresa de segurança e à cessão de dois vigilantes, à custa do erário, para a rádio de propriedade do (por enquanto) prefeito.

Sem Lemes e com a entrada de Ribeiro, a matemática fulmina a pretensão de Homero Barbosa de chegar ao fim do seu tumultuado mandato.

Mas eis que Eloir Valença (PHS, ex-PT) começa a dar sinais de aproximação com o (por enquanto) chefe do Executivo.

O mais evidente é sua presença em solenidades oficiais – uma delas, a inauguração da capela mortuária da Zona Oeste, no dia 19. Dois antes antes, Homero Barbosa o elogiara em seu programa de rádio.

A suspeita de que Valença debandou para o lado de Homero é inevitável. E será submetida ao primeiro grande teste quando a Câmara votar se deve ou abrir uma CP para julgar o (por enquanto) prefeito no caso Centronic.

Valença votou favoravelmente ao relatório da Comissão de Investigação que incriminou o (por enquanto) prefeito.

Estarei impossibilitado de comparecer a este blog nos próximos dias. Aproveito para deixar este singela homenagem a Eloir Valença, esperançoso de que as suspeitas que recaem sobre ele não se confirmem.

Au revoir, monsieur Eloir.

 

Sem categoria
Comente aqui
 

A força do perdão

Um dos mais maravilhosos textos fúnebres da história desta seção do “Jornal de Londrina”.

Na edição de hoje, sobre a força do perdão:

Benedito voltou para se despedir

Benedito Correa Leite nasceu em Palmital (SP) e veio para Londrina ainda criança, com os pais. Aqui trabalhou como caminhoneiro e conheceu a esposa, com quem teve seis filhos.

Quando as crianças ainda eram pequenas, o casal se separou e Benedito foi embora para Ponta Grossa (PR). Vinha ver os filhos uma vez por ano, mas, às vezes, demorava mais de três anos para visitá-los.

Há seis meses, Benedito voltou para Londrina, para morar na casa de uma das filhas, que tinha apenas sete anos quando os pais se separaram. Foi um tempo de reconciliação e perdão, em que os filhos puderam “pegar amor” no pai que nunca fora presente.

Mesmo com 80 anos e doente, Benedito gostava de ir ao calçadão para conversar e ainda viajava sozinho de carro.

Apesar do pequeno tempo de convivência, era muito querido com os netos que só conheceu no fim da vida.

“Nós agradecemos a Deus, porque ele se arrependeu de tudo o que fez e foi em paz”, contou a filha que o acolheu nos últimos meses.

Benedito deixa 7 filhos, 15 netos e 2 bisnetos. Faleceu no último dia 6 e foi sepultado no Cemitério Jardim da Saudade.

(Quebrei o texto em vários parágrafos para facilitar a leitura. E subestimo a contradição da informação inicial de que ele teve seis filhos e, no fim, que os filhos foram sete. Ele pode ter tido mais um filho fora do casamento, esse danado do Benedito. Seja como for, eu os perdoo – o redator e o saudoso…)

Política
Comente aqui


Uma força-tarefa, urgente

O Ministério Público abriu procedimento para apurar se é legal, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, etc. a proposta do (por enquanto) prefeito de Londrina, Homero Barbosa, de perdoar R$ 70 milhões dos ex-controladores da Unopar, universidade que se projetou nacionalmente pelo ensino a distância e que doou R$ 30 mil para sua campanha.

Esse é o núcleo do projeto de lei que ele enviou à Câmara, embora a roupagem seja outra.

Pois bem, esta é a enésima investigação aberta pelo Ministério Público envolvendo as atividades do (por enquanto) prefeito e/ou seus auxiliares diletos.

Pelo ritmo das coisas, que tende a se acelerar com a proximidade das eleições e do fim do mandato do (por enquanto) prefeito, o Ministério Público tem de enviar – e com urgência – uma força-tarefa para dar conta do trabalho.

Política
1 Comentário


Mentira deslavada

“É por isso que eu gosto de governar também com a alma de prefeita, tocando os problemas com minhas próprias mãos. Ouvindo e conversando com as pessoas nas praças públicas. Recolhendo no contato direto com nossa gente a energia para seguir em frente, removendo obstáculos, vencendo incompreensões e, assim, reunir forças para fazer o bom combate”.

Trecho do discurso gravado da president@ Dilma para a abertura do I Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, que aconteceu ontem, em Brasília.

“Ouvindo e conversando com s pessoas nas praças públicas, etc.”: alguém já viu isso acontecer?

Mentira deslavada, como todo o resto do discurso! E de muitos outros discursos…

Política
Comente aqui
 

Sem graça e inútil

“Volta, Lula” é o nome da campanha que petistas pretendem desenvolver após as eleições deste ano, visando ao retorno dele à presidência.

Coisa mais sem graça e inútil: desde quando Lula partiu?

Faz lembrar o folclórico título de filme: “A volta dos que não foram”.

Lula não é presidente apenas pró forma. Dona Dilm@ é sua marionete.

PT saudações.

Política
2 Comentários


“Fuga dos Andes” nas bibliotecas mineiras

 

 

 

 

“Fuga dos Andes”, de minha autoria, foi incorporado ao acervo das bibliotecas públicas de Minas Gerais.
(http://www.cultura.mg.gov.br/files/bibliotecas/Material%20Incorporado%20ao%20acervo%20da%20Sub%20PDF%20-%20julho-2011.pdf)

Editado pela Record, em 2009, o romance é ambientado no Peru, tem como protagonistas um jornalista estrangeiro, uma estudante e o movimento guerrilheiro Sendero Luminoso, e como cenário as três regiões peruanas – litoral, serra e Amazônia (clicando sobre o mapa, ele aumentará).


É um romance de aventura, de muito suspense e de final surpreendente.

Sem categoria
Comente aqui


As suspeitas que comprometem o aumento salarial

O (por enquanto) prefeito de Londrina, Homero Barbosa, apresentou à Câmara, por seu interposto, vereador Sebastião dos Metalúrgicos, projeto de lei que aumenta seu salário, do vice e dos secretários.

O projeto foi apresentado depois que a Câmara, no final do ano passado, aumentou os salários dos vereadores mas refugou o aumento do pessoal do Executivo.

O projeto de Homero pede retroatividade para janeiro.O da câmara entra em vigor a partir da próxima legislatura.

Reunido ontem com seu secretariado – que está na 40ª e “x” edição, tantos foram as demissões e remanejamentos -, Homero Barbosa disse que “não abre mão” do aumento dos secretários. Para isso, está disposto ao sacrifício de dispensar o aumento para ele.

Confesso que quase chorei ao ler esta informação (“Folha de Londrina).

Mas aí a razão prevaleceu sobre a emoção.

Concordo que os secretários ganham mal. Cerca de R$ 6 mil.O trabalho é duro, e o chefe – as demissões anteriores dão testemunho – atropela qualquer um.

Mas uma equipe em que despontam Karin Sabec, Educação, e Marco Cito, governo, ao quais se juntou Fábio Reali, da Gestão Pública – todos enrolados com o MP por uma sucessão de coisas estranhas e procedimentos que causaram prejuízos aos cofres públicos – fica muito debilitada ao postular reajuste salarial.

(Tão ou mais enrolado que eles está André Nadai, presidente da CMTU – mas esta é uma empresa de economia mista, com autonomia para definir os salários de seus servidores.)

E as (por enquanto) seis ações por desvio de recursos que o (também por enquanto) prefeito responde dão um indício consistente de que ele não depende exclusivamente do salário para se manter.

Salário que é de 12 mil, e ele pretende aumentar para 19 mil.

Política
Comente aqui