Mês: outubro 2013



Gleisi teria deixado o Paraná à míngua?

 

Rogério Galindo

 

O repórter André Gonçalves revela na Gazeta do Povo desta quinta-feira que o Paraná foi o único estado a não receber empréstimos da União para enfrentar a crise. Não é pouca coisa. Sabe-se que a explicação do governo federal sempre foi a de que o estado estava em dívida e acima de limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, por isso ficava sem ajuda. Nenhum outro estado estava nesta condição?

Quando o Paraná emplacou três ministros no governo de Dilma Rousseff, inclusive a chefia da poderosa Casa Civil, houve comemoração por estas bandas. Isso porque há muita gente com a visão tortuosa de que um ministro deve “ajudar” o seu estado de origem mais do que os outros. Mentira: ministros devem trabalhar pelo conjunto da sociedade, não dando preferências a seus currais eleitorais. Isso é uma coisa. Outra é seu oposto.

O que parece se configurar, dada a notícia desta quinta, é que o governo federal estaria especificamente escolhendo o Paraná para não receber recursos. Alguém mais cínico poderia entender que a ministra Gleisi Hoffmann tem o interesse de manter à míngua a gestão de seu adversário, o tucano Beto Richa. Apostaria em deixá-lo sem recursos para que fizesse um governo frágil, o que o deixaria vulnerável em 2014.

Outra informação da Gazeta desta quinta reforça a impressão de que a decisão de dar ou não recursos para os estados (inclusive para o Paraná) é muito mais política do que técnica. Celso Nascimento afirma que o Paraná continua aparecendo como inadimplente nos registros oficiais de Brasília. No entanto, como agora Richa aceitou assinar um empréstimo que favorece o metrô de Curitiba (a única obra importante de Gustavo Fruet até o momento) isso teria sido devidamente esquecido. E as torneiras de Brasília se abriram para o Paraná.

A União tem obrigação de ser imparcial com os estados. Não pode dar ou deixar de dar dinheiro com base no partido do governante. Gleisi estaria errando se inundasse o estado de dinheiro só por ser paranaense. Caso tenha tido alguma influência na ausência de repasses, terá erado igualmente. O que, por óbvio, também não elimina a responsabilidade de Richa de ter torrado o dinheiro do orçamento e de precisar de dinheiro externo para quase tudo. Mas essa é outra história.

Rogério Galindo, o Caixa Zero, é colunista da Gazeta do Povo

Sem categoria
4 Comentários


Hasta la vista, Eike

SÃO PAULO – Em seu último dia como integrante do Ibovespa e de outros nove índices cotados na bolsa, a OGX terminou o pregão valendo R$ 0,13 – o fechamento mínimo do papel em sua história de mais de 5 anos na Bovespa. Ao longo do dia, chegou a valer ainda menos, R$ 0,11.

O Ibovespa, apesar da queda de 23,53% nos papéis da empresa de Eike Batista no dia, fechou em alta de 0,15%, aos 54.256 pontos. Em outubro, quarto mês seguido de ganhos, a bolsa valorizou-se 3,67%. No ano, no entanto, acumula 10,99% de perdas.

 

Até esta quinta-feira, dentre 73 empresa que compunham o Ibovespa, as ações ordinárias da OGX eram as de 6.º maior peso, atrás somente de Petrobrás, Vale, Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil. Em 45 anos de história, é a primeira vez que uma recuperação judicial, como a da OGX, causa uma recomposição de índice como esta.

 

Texto completo em http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,ogx-da-adeus-ao-ibovespa-valendo-r-013-,169058,0.htm

Sem categoria
Comente aqui


Richa reclama de pedido de crédito parado em Brasília

SÃO PAULO – O governador do Paraná, Beto Richa, disse na manhã desta quinta-feira, 31, que o Estado tem empréstimos “parados em Brasília há mais de um ano e meio”, sendo o único, segundo ele, que se encontra nesta situação. Por causa disso, Richa classificou como “surpreendente” a visita da presidente Dilma Rousseff ao Paraná nesta semana para anunciar parceria com o governo em investimento de R$ 4,5 bilhões para construção do metrô de Curitiba.

Do montante previsto para o metrô, haverá investimento por parte do governo federal da ordem de R$ 1,8 bilhão e empréstimo de aproximadamente R$ 1,4 bilhão. Segundo Richa, ao saber da visita da presidente, ele iniciou uma série de telefonemas a ministérios para esclarecer a situação. “A conta foi jogada para nós e nós aceitamos a conta”, disse o governador, sobre o investimento por parte do Estado para a construção do metrô. “O último foi um telefonema do secretário Arno Augustin”, contou.

Ele afirmou que recebeu a informação de que nesta semana haverá a liberação de quase R$ 3 bilhões do Banco Mundial e do Proinveste. “Nós somos o único Estado que está com empréstimos bloqueados no Tesouro Nacional. Agora, o governo me garantiu que vai liberar empréstimos”, afirmou Richa.

Mobilidade

Richa mencionou ainda que a questão da mobilidade urbana preocupa os grandes centros e ressaltou a importância da desoneração de tributos para a redução de tarifas. “Os tributos federais chegam a cerca de 20% da carga final da passagem de ônibus”, apontou. Ele avaliou que Curitiba tem um “bom sistema de transporte coletivo” e afirmou que o Paraná foi o único Estado brasileiro a reduzir as passagens de ônibus antes das manifestações de junho, com a isenção concedida pelo governo estadual de ICMS sobre óleo diesel. “Agora a Dilma resolveu desonerar esses tributos para contribuir com a redução da passagem de ônibus”, disse. O governador participou hoje pela manhã do Fórum Estadão Regiões sobre a região Sul do País.

 

Texto completo em

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,richa-reclama-de-pedido-de-credito-parado-em-brasilia,169023,0.htm

Sem categoria
Comente aqui


Dilma e o capeta

No início desse ano, na cidade de João Pessoa – Pb, a dona Dilma em cima de um palanque, repleto de corruptos, berrou: “Nós podemos disputar eleições, nós podemos brigar nas eleições, nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição” Alguém duvida que ela já não esteja fazendo o diabo? A mulher conseguiu revogar a Lei Áurea e contratar escravos cubanos a serviço de Fidel Castro; conseguiu entregar a Petrobras aos chineses após o PT tê-la transformado em chiqueiro do partido; conseguiu oficializar a novilíngua para que ninguém entenda o que ela fala; conseguiu unificar os três poderes e transformar salas de tribunais em palanque e juízes em cabos eleitorais.

 

Humberto de Luna Freire Filho, médico, de S. Paulo.

Sem categoria
Comente aqui


O altruísmo político de André Vargas e do PT

 

1bVice-presidente da Câmara dos Deputados, o petista André Vargas classificou de “oportunismo político” a aliança de Marina Silva com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato à presidência. Ele fez esta afirmação em seu twitter. A acusação converteu-se em mantra para os  petistas.

 

Vargas está na capa do Jornal de Londrina de hoje (centro, de camisa azul), ao lado dos médicos cubanos que vão trabalhar  na cidade, sua base eleitoral. Ele repete, como efeito em cascata, a pose de Dilma com  um cubano ao promulgar a MP do Mais Médicos e da potencial candidata do PT ao governo do Paraná, Gleisi Hoffmann, que neste final de semana recebeu uma delegação de cubanos em Curitiba.

 

Já que Vargas e o PT demonstram abominar a prática do “oportunismo político” – vício que naturalmente não contamina o programa Mais Médicos e jamais contaminou o deputado e seu partido -, deduz-se que sua presença ao lado dos cubanos – em plena quarta-feira, quando deveria estar dando expediente em Brasília – é uma dignificante demonstração de altruísmo político.

 

(Pelo menos os cubanos não estão usando jaleco!)

 

Sem categoria
Comente aqui


PT veicula propaganda proibida pelo TRE

 

O PT do Paraná descumpriu a ordem da justiça eleitoral e pode ser multado em R$ 50 mil, por inserção, se veicular, nas rádios e TV’s, as propagandas proibidas pelo TRE. O desembargador Edson Vidal Pinto acatou dois novos pedidos de liminar, representados pelo PSDB contras as propagandas petistas.”Para garantir o cumprimento da decisão liminar, defiro o pedido de aplicação de pena cominatória no valor de R$ 50 mil para cada inserção veiculada, em caso de descumprimento da ordem”, sentenciou Vidal Pinto na ação o qual o PT descumpriu a liminar concedida pelo desembargador. As propagandas foram veiculadas nos dias 7, 9 e 28 de outubro.

 

Como o PT descumpriu a decisão da Justiça e veiculou propaganda eleitoral com novos ataques ao governo do Paraná, o PSDB entrou com outra representação, também com pedido de liminar, para a suspensão das inserções, acatada pelo TRE-PR. “Para garantir o cumprimento da decisão liminar concedida, defiro o pedido de aplicação de pena cominatória no valor de R$ 50 mil para cada inserção veiculada, em caso de descumprimento da ordem”, sentencia, novamente, Vidal Pinto.

 

A propaganda voltou a ser veiculada na quarta-feira.

 

Sem categoria
Comente aqui


Gleisi e a Turma da Censura

De Carlos Brickmann

 

A Turma da Censura, gente poderosa que procura acionar a Justiça para calar jornalistas e a imprensa em geral, está criando na prática um protocolo de atuação: o processo em si deixa de ser importante, pois o fundamental é tumultuar a vida da vítima – quer dizer, do adversário – tentando sufocá-lo economicamente.

No momento, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, está seguindo o protocolo: contratou um advogado paranaense, filho de ex-governador, para processar no Paraná um jornalista de São Paulo, Ucho Haddad (www.ucho.info). Por que no Paraná? Para tentar exauri-lo financeiramente, com despesas de viagem, de hospedagem, de alimentação, de contratação de advogado de outro Estado. São despesas que Sua Excelência a ministra, com direito a viajar para seu Estado por conta do Governo, não tem. Trata-se de um processo – de novo, sempre de acordo com o protocolo da Turma da Censura – sem paridade de armas.

 

Texto completo em

http://www.presskit.com.br/remoto_template_processa.php?cliente=157&canal=1053&news=207073&k=66099ab4b956d0437505ed86bd18fe24&url=http%3A%2F%2Fwww.brickmann.com.br%2Fler_release.php

 

Sem categoria
Comente aqui


Gaievski continua pressionando testemunhas

Do ucho.info

 

O advogado Natalício Farias, que representa quatro vítimas do pedófilo Eduardo Gaievski e atua como assistente de acusação contra o ex-assessor de Gleisi Hoffmann na Casa Civil, foi peça fundamental para a prisão do delinquente sexual, revela estar muito preocupado.

Apesar da prisão de Gaievski, do seu filho (André Willian Szpak Gaievski) e do secretário municipal de Administração de Realeza, Fernandes Borges, além da decretação da prisão de dois irmãos (Francisco Romano e Edmundo Rafael) do monstro da Casa Civil, todos envolvidos na intimidação de testemunhas, as pressões e ameaças contra as vítimas de estupro continuam.

“À medida que se aproxima a data da primeira audiência de Gaievski, são maiores as pressões e as ameaças contras as vítimas do pedófilo. Eles estão enlouquecidos para conseguir mudar depoimentos. Existe o temor de que, no momento em que se vir sem saída, prestes a pegar uma longa pena de prisão, ele resolva contar tudo o que sabe. Até o dia 21 de novembro, data da audiência de Gaievski, tudo pode acontecer. Vamos viver dias de horror em Realeza”, prevê o advogado.

Texto completo em

http://ucho.info/mesmo-preso-ex-assessor-pedofilo-de-gleisi-hoffmann-continua-ameacando-suas-vitimas-diz-advogado

 

Sem categoria
Comente aqui


Rasgando a nossa fantasia

Carlos Brickmann

 

Pegue o trem-bala em Campinas e vá até o Rio em altíssima velocidade. Faça baldeação para outro trem, o da Ferrovia Norte-Sul, e viaje paralelamente aos canais de transposição das águas do rio São Francisco. Na região que antigamente era árida, beba água pura à vontade, trazida de mananciais distantes.

É possível? Claro que sim: o trem-bala, que deveria estar pronto para a Copa, e a transposição das águas do São Francisco correm em paralelo – ambos são sonhos futuros. A Ferrovia Norte-Sul, que já provocava escândalo nos antigos tempos do presidente José Sarney, continua no ritmo de Martinho da Vila: é devagar, bem devagar, é devagar é devagar devagarinho. A transposição do São Francisco vem do império, de D. Pedro 2º, que prometeu vender até a última joia da coroa para acabar com a seca do Nordeste. Perdeu a coroa, sem vendê-la. E a seca do Nordeste continua ganhando de goleada – sempre com a ajuda do apito ladrão.

Oito mil creches! E 800 aeroportos, que a presidente, estimulada pelas luzes de Paris, prometeu construir! E os royalties do pré-sal, revolucionando Educação e Saúde! O pré-sal ainda não foi extraído, vai levar uns 15 anos para começar a render, mas a festa está no ar. Creches? Estarão prontas um dia, quem sabe. Os 800 aeroportos não existem, nem caberiam no país, mas o número é tão bonito! Há as casas dos desabrigados de Petrópolis, que não têm teto, que não têm nada; os caças da Força Aérea, esperando os aeroportos; Internet para todos, espalhando seus sinais sem fio, de graça, pelo Brasil. Sonhar não é um sonho impossível.

 

Carlos Brickmann é jornalista em São Paulo. Texto completo em:

 

http://www.presskit.com.br/remoto_template_processa.php?cliente=157&canal=1054&news=207047&k=3604df0270407f461e9437db610ccb3a&url=http%3A%2F%2Fwww.brickmann.com.br%2Fler_release.php

Sem categoria
Comente aqui


O ministro e as máscaras

Rogério Gentile

Quatro dias depois de um coronel da Polícia Militar de São Paulo ter sido espancado covardemente por encapuzados, quase linchado durante um protesto, o ministro Gilberto Carvalho achou por bem passar a mão na cabeça dos tais “black blocs”. Convidou-os para um “diálogo”.

Ex-seminarista, instalado há dez anos no Palácio do Planalto, Carvalho disse que é necessário compreender o que chamou de “fenômeno social” para chegar à raiz do problema. Em sociologuês, afirmou que “é preciso entender até que ponto a cultura da violência vivida na periferia já emigrou para esse tipo de ação”.

As imagens das agressões ao coronel da PM, disponíveis na internet, são reveladoras sobre o conceito de “ação” do ministro. Em meio a gritos de “pega, pega”, o coronel Reynaldo Simões Rossi é cercado por um grupo de mascarados, que o agride na base da paulada. Tenta fugir, cai no chão, mas continua a apanhar. Na confusão, consegue se levantar, corre, sofre chutes e novas cacetadas. Só escapa quando um policial, de arma em punho, o puxa pelo braço. Ele deu sorte. Sofreu apenas fraturas nas omoplatas e ferimentos na cabeça e no corpo. Poderia ter morrido.

Note-se que o ministro, tolerante com os “black blocs”, dizendo que “não basta criminalizar essa juventude”, não proferiu nenhuma palavra de solidariedade para com o coronel. Tampouco mostrou-se interessado em colher sua opinião sobre o tal “fenômeno social”.

Carvalho já se mostrou mais indignado. Quando militantes do PT foram hostilizados em junho, após tentarem participar da celebração pelo recuo no aumento das tarifas de ônibus e metrô, o ministro reclamou. “Sem partido, no fundo, é ditadura. Temos de ficar muito atentos a isso”, afirmou.

Como a fase agora é de compreensão, fica a dúvida: o diálogo do ministro com os vândalos será com ou sem máscara?

 

Rogério Gentile é Secretário de Redação da Folha de S. Paulo.

Sem categoria
Comente aqui