O narizinho da Gleisi agradece

aaCada cabeça, uma sentença – e a do STF, dada ontem, é questionável embora irrecorrível: todo caso que não esteja diretamente relacionado com os desvios na Petrobras sairão da jurisdição do juiz federal Sérgio Moro e, se envolver políticos, outros ministros da 1ª Turma, que não Teori Zavascki, deverão analisá-la.

E com isso a senadora petista Gleisi Hoffmann pôde dormir aliviada esta noite: escapou não só do rigoroso e eficiente juiz do Paraná como terá como responsável por analisar a acusação de que se beneficiou de dinheiro desviado do Ministério do Planejamento… o companheiraço Dias Tóffoli!

Ah, como essa notícia fará bem ao seu ultimamente maltratado narizinho, cuidadosamente esculpido por um bisturi eficiente!

(Os desvios, proporcionados por um contrato fraudulento, ocorreram quando seu companheiro conjugal, Paulo Bernardo, era o ministro do Planejamento.)

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.