Ratinho Júnior larga na frente e joga poeira em Cida e Osmar

A disputa pelo governo do Paraná em 2018 terá seu primeiro lance nos próximos dias, quando o secretário de Desenvolvimento Urbano Ratinho Júnior (PSD) deixar o cargo para assumir seu mandato na Assembleia Legislativa.

Até agora o que tivemos foram articulações daqui, especulações dali. A decisão de Ratinho, que será oficializada em encontro com o governador Beto Richa (PSDB) nos próximos dias, será a largada.

Com 36 anos, na vida pública há 15*, Ratinho não é apenas uma promessa: é a personificação da conduta correta, da liderança sem exibicionismo, da objetividade do discurso, da realização sem a pompa que costuma caracterizar a conduta do homem público.

Como titular de uma Pasta com ramificações profundas no interior, projetou-se além de Curitiba e costurou alianças estratégicas com os prefeitos. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano é responsável por intermediar recursos estaduais e federais para obras de infraestrutura e de melhorias nos municípios.

Fora dela, e na condição de líder não apenas de seu partido, mas também do PSC, do qual se desfiliou há pouco, mantendo, no entanto, o controle da bancada, terá grande projeção na Assembleia Legislativa. E liberdade de ação, pois estará desvinculado formalmente do Palácio Iguaçu.

Saindo na frente, Ratinho joga poeira em dois pretendes à condição de candidato oficialista: a vice-governadora Cida Borghetti (PP) e o ex-senador Osmar Dias (PSDB). Oficialista porque, enquanto Beto Richa estiver com a popularidade em baixa, ninguém se atreverá a abraçá-lo em público.

E Richa, com um aliado de peso na disputa, sedimenta sua eleição para o Senado. A popularidade está em baixa, sim, mas com viéis de ascensão por causa da situação financeira do Estado, que constrasta positivamente em relação à da grande maioria.

São duas vagas em jogo – as da petista Gleisi Hoffmann e do peemedebista Roberto Requião.

Gleisi suicidou-se eleitoralmente ao abraçar as causas mais espúrias do PT e de seu líder Lula, condenado por corrupção e réu em mais cinco processos criminais. E ela está encalacrada até o pescoço na Lava Jato: é ré por corrupção, indiciada em outro processo pelo mesmo crime e passível de ser arrolada no processo, também por corrupção, do qual faz parte seu companheiro conjugal Paulo Bernardo.

Requião caminha nessa direção, pois se aliou estrepítosamente ao PT e está ameaçado de expulsão do PMDB. Num Estado em que mais de 80% da população rejeita o PT e Lula, ele abriu sua sepultura.

Ratinho e Beto Richa: duas candidaturas postas. Turbulências os aguardam, mas, por enquanto, nenhuma ameaça no horizonte.

* dois mandatos de deputado federal, dois de estadual (na última eleição fez mais de 300 mil votos) e quase foi prefeito de Curitiba em 2012 (perdeu por pouco no segundo turno para Gustavo Fruet).

Sem categoria

Um comentário sobre “Ratinho Júnior larga na frente e joga poeira em Cida e Osmar

  1. maso 31 de agosto de 2017 20:05

    A eleicao desses dias no Amazonas foi uma amostra da futura eleicao nacional. Votos brancos e nulos superando a votacao do eleito. Teremos isso por aqui possivelmente.
    O candidato que se posicionar a favor da lava-jato, De Moro e Dallagnol, das 10 medidas contra a corrupcao, leva a eleicao. O candidato que nao abracar estas bandeiras estarao fora de escolhas.
    Cremos que a renovacao sera grande. Ratinho parece longe do lembra Lula e seu governo. Tera grandes chances de se eleger. E se jogar o Osmar Dias como aliado eterno de Lula, com certeza leva o pleito. Cida ta em baixa com a nao eleicao do cunhado em Maringa. O que cheira mudanca continuada e nao temporaria.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.