A semana mais negra da história do PT

O PT foi apeado há pouco mais de um ano do poder – o poder que exerceu sem escrúpulos, traindo todos os seus compromissos –, mas conservava a esperança de retomá-lo com a eleição de Lula em 2018.

Essa esperança – tênue desde que a “viva alma mais honesta deste país” foi desmascarada pela Lava Jato e outros processos a que responde – sucumbiu à admissão, diante do juiz Sergio Moro, do ex-ministro Antônio Palocci de que Lula idealizou e gerenciou o maior assalto aos cofres públicos da história brasileira.

Não foi um “golpista”, termo que o PT emprega para qualificar seus opositores, qualquer que seja, após o impeachment de Dilma, que fez a delação mais devastadora contra Lula. Foi um militante de três décadas do partido, homem forte dos governos Lula e Dilma, operador do governo petista junto aos grandes empresários e, há poucos meses, qualificado pelo ex-presidente como um “homem inteligente”.

Nunca antes na história do PT um petista ousara tanto contra seu líder!

Calmo e com frases precisas, Palocci confirmou o PowerPoint do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, que apontou Lula como epicentro do mais voraz e sistematizado esquema de corrupção de que se tem notícia.

O PowerPoint que tanta indignação causou aos petistas e ao seu líder, que chegou a pedir indenização de R$ 1 milhão a Dallagnol por sua apresentação!

O mesmo PowerPoint traduzido em linguagem jurídica pelo procurador-geral Rodrigo Janot na segunda-feira passada – dois dias antes do depoimento de Palocci – e que embasou a mais contundente denúncia contra o PT e seus líderes enviada ao STF. Janot denunciou o “quadrilhão do PT” como uma “organização criminosa” que se estruturou para assaltar os cofres públicos desde a posse de Lula na Presidência, em 2002. “Organização criminosa” liderada por Lula e composta por Dilma e outros seis cardeais do partido, incluindo Palocci e Gleisi Hoffmann, presidente do PT!

E na terça-feira – antes tarde do que nunca! – Janot apresentou outra denúncia contra o (para os petistas) inimputável Lula e (também para eles) a “presidenta inocenta” Dilma por obstrução da Justiça. Ele se referia à nomeação de Lula – impugnada pelo STF – para chefiar a Casa Civil, em 2016, e, assim, escapar das garras de Moro. Não bastasse isso, a delação dos diretores da JBS, vital para carimbar na testa de Temer “tão corrupto quanto nós petistas” foi suspensa pelo ministro Edson Fachin.

“Organização criminosa”, “obstrução de Justiça” e a confirmação de que Lula é um bandido – o mais dissimulado e devastador bandido dos Anais da bandidagem nacional e a pré-absolvição de Temer, o “golpista-mor”: tudo o que o PT mais temia aconteceu na semana passada – a semana da Independência do Brasil!

Só falta agora a prisão de Lula E isso é só uma questão de tempo. Pouco tempo…

Sem categoria

Um comentário sobre “A semana mais negra da história do PT

  1. maso 11 de setembro de 2017 8:02

    Palocci deixou de ser ”progressista” e passou a ser ”reacionario”. Eu, na minha modesta opiniao, creio que a virada de Palocci se deu o dia que Lula declarou= Se alguem pediu dinheiro, pegou dinheiro em meu nome, nao tenho nada com isso! Palocci deve ter se sentido traido, revoltado, que ele pegava dinheiro pro Lula, e ficar na jaula, duro, com o Lula festando por ai.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.