Da “dança da pizza” à “dança da esbórnia”: a afronta continua

2006:

A deputada Ângela Guadagnin (PT-SP) celebrizou-se (e selou o fim de sua carreira política) ao comemorar, dançando desengonçadamente no plenário da Câmara, a absolvição por seus pares do companheiro João Magno (PT-MG), acusado de ter se beneficiado do mensalão.

Os passos de Ângela ficaram conhecidos como a “dança da pizza”.

2017:

Fiel escudeiro do presidente Michel Temer, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) – informa o Estadão – comemorou com dança o resultado da votação do parecer pela rejeição da denúncia contra o presidente da República realizada na noite de quarta-feira, 25, no plenário da Câmara dos Deputados.

Os passos de Marun – tão desengonçados (ou mais) quanto os de sua antecessora – ficarão para a história como a “dança da esbórnia”.

O tempo passa, os governantes são outros, mas a desfaçatez de alguns políticos continua afrontando a opinião pública.

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.