Lula desiste do que nunca pretendeu: ir a Porto Alegre

O ex-presidente Lula, a “viva alma mais honesta deste país”, não irá a Porto Alegre acompanhar, no dia 24, o julgamento de seu recurso contra a sentença de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção imposta pelo juiz Sergio Moro.

A informação é atribuída pelo Estadão ao líder do PT na Câmara, o gaúcho Paulo Pimenta. Segundo ele, como o TRF não respondeu aos dois pedidos da defesa de Lula para que ele possa depor durante o julgamento – pedido mais que esdrúxulo, pois depoimentos e coleta de provas fizeram parte da etapa anterior -, “não tem sentido ele ficar lá olhando”, resumiu candidamente o deputado.

A verdade, senhoras e senhores, companheiros e companheiras, é bem outra. Os pedidos para Lula depor integram a estratégia de constranger a Justiça e martelar a tecla de que o ex-presidente é vítima de uma “caçada judicial” (lawfare) para que não possa retomar o comando do país, e assim “devolver os direitos retirados dos trabalhadores pelo governo golpista”, etc. etc. A velha cantilena de sempre, agora com uma camada extra de óleo de peroba.

Lula nunca pensou em ir ao julgamento de seu recurso, convenhamos. Pois, se a sentença de Moro for convalidada – e será -, ele estará na iminência de ser preso. Se a decisão dos desembargadores for unânime, a ordem de prisão poderá ser dada ali, na presença dele. Nem morto ele correria esse risco – de sair do tribunal e ir direto para a prisão -, mesmo que sua condenação esteja sujeita a uma série de recursos. Aconteceria com ele, nessas circunstâncias, o mesmo que a José Dirceu, “guerreiro do povo brasileiro”: condenado em primeira instância, foi para o xilindró, onde aguardou mais de um ano para obter liberdade condicional. Seu recurso ao TRF foi negado, mas ele continua em liberdade (com tornozeleira), enquanto aguarda a definição dos recursos.

Ele não poderia, pelo menos, como fez em Curitiba após depor diante de Moro, promover um comício em praça pública? Ora, ora, nesse caso ele também estaria sujeito a ser algemado caso a decisão dos desembargadores for unânime.

A ida de Lula a Porto Alegre não passou, portanto, e desde quando passou a ser aventada, de mais um capítulo da enciclopédia de sua autoria que resume sua vida: “A arte da malandragem”.

Sem categoria

Um comentário sobre “Lula desiste do que nunca pretendeu: ir a Porto Alegre

  1. maso 10 de janeiro de 2018 21:02

    pensou no fracasso do protestaco e desistiu.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.