Mês: abril 2018



Discurso solitário de Lindbergh atesta: PT está morto

Manhã ensolarada de sábado em Curitiba. Um cara com sotaque nordestino, microfone em punho, gestos nervosos, discursa para as pessoas que fazem compras numa feira livre.

Não é um pregador evangélico. É o senador Lindbergh Farias, que prega contra a violência, a pretexto do ataque a tiros (???) contra o acampamento de apoiadores do ex-presidente Lula, clama pela libertação do líder e anuncia que o Messias da esquerda voltará a governar para o bem do povo.

E o povo, a quem se destina a pregação acalorada e maior beneficiário da Ressurreição do Injustiçado, não está nem aí.

O fato atesta: fora do acampamento LulaLivre ninguém está preocupado com a prisão de Lula e com o destino dele e do PT.

A pregação de Lindbergh é o atestado de óbito do PT.

Assista no Youtube:

4 Comentários


Um presidiário presidindo o Brasil. Nem Kafka ousaria tanto

Suponhamos que, acatando o desejo do PT, a Justiça Eleitoral mantenha a candidatura de Lula à presidência da República, mesmo que impedido de concorrer por ter sido condenado em segunda instância..

Suponhamos que ele vença a eleição.

Suponhamos que seja diplomado pelo TSE.

Lula tomará posse na prisão, na presença de um representante do Congresso, e passará a despachar de lá por meio de “cartas” – como a que fez chegar ontem à sua porta-voz Gleisi Hoffmann, que a leu como se fosse Moisés recitando os Dez Mandamentos – escritas e entregues por seus advogados?

Estará impedido de receber visitas, exceto a dos advogados e familiares.

Estará impedido de usar celular.

Estará impedido de gravar em vídeo seus discursos mirabolantes e raivosos e mentirosos.

Estará impedido de receber chefes de Estado.

Estará, portanto, impedido de governar, impedindo o país de ser governado. Terá trancafiado com ele o país que o elegeu.

Tudo isso parece – e é – absurdo. Mas num país dos absurdos chamado Brasil, em que as leis são interpretadas conforme o humor, condições gástricas e alinhamentos políticos dos julgadores, tudo – e muito mais – é perfeitamente possível.

Nem Kafka seria capaz de imaginar um cenário tão surrealista, e escabroso, como este. Que, uma vez consumado, fará do Brasil um manicômio e dos brasileiros um amontoado de baratas tontas.

Sem categoria
Comente aqui


Gleisi xinga juíza que poupou sua reputação

“Prepotente, arbitrária, ilegal”.

Assim a presidente do PT Gleisi Hoffmann reagiu ontem à decisão da juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, que a proibiu de visitar o presidiário Lula da Silva na condição de “amiga”.

Embora a Lei de Execução Penal preveja essa possibilidade (prioritariamente a advogados e parentes), a juíza baseou-se em regra da Polícia Federal, onde Lula está preso, que a rejeita por motivos de segurança e ordem interna.

Em vez de xingar a juíza – no caso da petista, um ato que corresponde à sua índole -, Gleisi deveria é agradecê-la por ter impedido que sua reputação, severamente desgastada por seus arroubos sectários, piorasse ainda mais. Afinal, o que pensar de um encontro a sós da “Amante” – como era tratada pelos operadores de propina da Odebrecht, da qual é acusada de ser freguesa – com um presidiário há mais de duas semanas sem mulher e que se diz que, apesar dos 70 anos, tem “um tesão de 20”?.

A decisão da juíza poupou não apenas a reputação de Gleisi. Poupou também, talvez principalmente, a do seu companheiro conjugal, o ex-ministro Paulo Bernardo, réu como ela na Lava Jato por corrupção – que, assim que Gleisi pediu tal encontro, passou a merecer, entre outras insinuações, a charge que ilustra este comentário.

Sem categoria
Comente aqui


Lula preso há 15 dias: o Brasil renasceu!

Há 15 dias, completados ontem, Lula, o líder mais popular e populista depois de Getúlio Vargas, iniciou o cumprimento da pena de 12 anos e um mês de xilindró por corrupção e lavagem de dinheiro.

(Getúlio preferiu a morte à simples suspeita – jamais comprovada – de cumplicidade com a corrupção em seu governo. Lula, apesar das provas contudentes contra ele, alega inocência e vitupera contra a Justiça.)

Lula preso: não houve a “convulsão social” pressagiada pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, não aconteceu a “guerra” anunciada por líderes das centrais sindicais controlada pelo PT, o país não “parou”, como advertiu o chefão da milícia dos sem-terra João Pedro Stédile, e tampouco “morreu gente” como trombeteou Gleisi Hoffmann, a mulher mais odiada no Brasil.

Quinze dias sem as arengas cheias de ódio, ameaças e arroubos de megalomania de Lula: ufa, que alívio! O Brasil renasceu!

Alívio que seria maior não fossem as crises histéricas da “crazzy” que lidera o partido órfão de projeto que não seja a liberdade do mentor e condutor da maior organização criminosa de que se tem notícia. Líder cujo comportamento e discursos, cada vez mais ensandecidos, atestam a fidelidade à missão que lhe foi confiada: a de coveira de PT.

Manifestações em frente à Superintendência da PF de Curitiba, tentativas infrutíferas – por atentarem contra a Lei de Execuções Penais – de visitar Lula, pronunciamentos rancorosos no Congresso, onde se declara em estado de obstrução permanente, inexistência de qualquer perspectiva de retomar o poder, campanha insidiosa e transnacional contra o estado de direito vigente no país: eis o que restou ao PT. E o que restou são os estertores de um partido que, por soberba, corrupção e incompetência, matou o seu futuro.

Morte que reconduz o Brasil ao caminho da esperança.

Sem categoria
1 Comentário


Surge um ladrão ainda maior que Lula: o que o roubou!

A presidente do PT e porta-voz do presidiário mais famoso do país, Gleisi Lula Hoffmann, informou hoje que roubaram passaportes, talonário de cheques e roupas do seu chefe, preso há dez dias por corrupção e lavagem de dinheiro.

Esses objetos, segundo ela, estavam num carro estacionado próximo à sede do partido, no centro da capital paranaense.

A denúncia, formalizada à polícia, incita em primeiro lugar a curiosidade: por que esses pertences estariam num carro e não em posse dos advogados – autorizados a visitar o ex-presidente diariamente – ou de alguém de sua família ou de confiança? Ou mesmo guardados na sede do partido? Ou ainda na sala especial que Lula ocupa na Polícia Federal?

A outra questão que o roubo suscita é: finalmente surge um ladrão maior que Lula, apontado como o idealizador, chefe e beneficiário do maior assalto aos cofres públicos de que se tem notícia: o cara que o roubou!

Que se aplique a esse ousado, desventurado e despudorado HERÓI DO POVO BRASILEIRO, todo o rigor da lei: cem anos de perdão!

Sem categoria
2 Comentários


Lula isolado? Que o transfiram para um presídio comum

Mordi a língua, pelo que me penitencio: profetizei que os senadores – petistas na maioria – autorizados a “vistoriar” hoje as condições de carceragem do Lula fariam o maior barraco durante a após a visita.

Pois – pasmem os senhores! –, enquanto confinados nas dependências da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba, eles se comportaram como gente decente.

Um dia para a história: 17 de abril, o Dia da Decência dos Petralhas!

O barraco, no entanto, ainda é uma ameaça e poderá se materializar no relatório que pretendem divulgar na semana que vem.

Um dos senadores deu a deixa: o “isolamento” de Lula – ele está só numa sala especial, separada das demais presos, sem grades, com banheiro exclusivo e televisão – é condizente com sua condição de “preso político”, e isso é uma agressão aos direitos humanos!

Se esse é o problema, a solução é fácil: basta que oficiem à juíza da Vara de Execuções Penais para que Lula seja transferido para um dos presídios da vizinha Piraquara e ser tratado como “prisioneiro comum”: dividindo uma cela de 4 x 3 metros, banheiro aberto, um buraco no chão como patente, com uns vinte negões latrocidas.

Sem categoria
Comente aqui


Que barraco os “Barraqueiros do Congresso” planejam armar hoje na PF?

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, autorizou a “vistoria”, por um grupo senadores petistas e aliados, da sala em que se encontra o ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal.

A “vistoria” é resultado de um autêntico golpe parlamentar (como o PT classifica a deposição de Dilma Rousseff, executada rigorosamente de acordo com a lei): a proposta foi apresentada quando havia somente petistas e aliados na Comissão de Direitos Humanos do Senado. A apresentação da proposta e sua “votação” durou menos de três minutos.

Integram essa comissão Vanessa Grazziotin (PCdoB-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Ângela Portela (PDT-RR), Fatima Bezerra (PT-RN), Telmário Mota (PDT-RR), Paulo Paim (PT-RS), Lindbergh Farias (PT-RJ), Jorge Viana (PT-AC) e Paulo Rocha (PT-PA).

Como os senadores pediram para verificar as condições da cela do presidiário petista, deduz-se, com base em determinação do juiz Sergio Moro, que eles não se encontrarão com ele. Lula tem direito a visita diária de seus advogados – exceto finais de semana e feriados – e encontro semanal com seus parentes. Nove governadores e três senadores tentaram se encontrar com ele no presídio na semana passada, mas a juíza disse não. “Sem privilégios”, determinou Moro.

Lula está confinado numa cela de 15 metros quadrados, sem grades e com banheiro – uma autêntica suíte pós-presidencial, com direito a televisão e aparelhos de ginástica na sala contígua.

A juíza estranhou o pedido do senadores, já que nem os advogados do presidiário mais notório do país reclamaram das condições de seu confinamento, mesmo assim o acolheu. Afinal, suas excelências, que jamais se preocuparam com o estado dos centenas de milhares de presos país afora confinados em espaços mínimos e insalubres, têm todo o direito de zelar pelo conforto e bem-estar do seu líder político e espiritual, o “pai de todos os pobres”.

Mas eles se submeterão às regras da PF, que prevê revista e entrega de celulares e outros objetos que possam registrar a visita? Vão se curvar docilmente à impossibilidade de se encontrarem com Lula?

Os antecedentes dessa turma – “Os Barraqueiros do Congresso”, protagonistas do maior show de baixarias durante o julgamento de Dilma – levam a crer que não!

Eles vão é aprontar o maior barraco da sede da PF para reforçar a versão mentirosa que querem passar à história de que Lula é um “prisioneiro político” impedido até de receber seus zelosos aliados políticos. Que está numa “solitária”, despojado dos luxos que fizeram parte de sua vida nos últimos 40 anos, sem sua “cachacinha”, sem visita íntima…

Anotem aí: eles vão bagunçar o coreto!

Mas, convenhamos, esta visita será didática: vários dos integrantes desta turma, a começar de Gleisi e Lindbergh, terão a oportunidade de conhecer suas futuras moradias…

Sem categoria
Comente aqui


Lula preso. O Brasil está de volta ao futuro

Sete de abril de 2018, 18h42: Lula deixou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, para se entregar à Polícia Federal e, quatro horas depois, chegou a Curitiba para iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. É o primeiro ex-presidente condenado por tais crimes. Éo primeirol ex-presidente a ir para a prisão por vias legais.

Sete de abril de 2018, 18h42: o Brasil estava de volta ao futuro que, desde sua fundação, em 1981, o PT de Lula sonegou, tentando, ainda na sua infância, implodir o processo de reconstrução nacional – político, econômico e social – proporcionado pelo desmoronamento do regime militar.

O PT votou contra Tancredo Neves em 1985 no Colégio Eleitoral; sabotou o quanto pôde a Constituinte, insurgiu-se contra o Plano Real, fez o diabo para impedir as reformas estruturais do governo FHC e, uma vez no poder e após usufruir quase oito anos da bonança advinda deste plano, da explosão dos preços das commodities e da vitalidade da economia internacional, dilapidou os recursos públicos. E o fez por meio da expansão irracional dos gastos públicos, agigantamento do estado, concessão de subsídios e empréstimos subsidiados aos grandes grupos econômicos (as “elites” que diziam combater) e corrupção generalizada e sistematizada.

Desde sua fundação, o PT convulsou a harmonia social com a divisão entre “nós” e “eles” – que são todos quanto se opõem ou opuseram ao seu modus operandi e projeto de poder ilimitado -, processo que chegou ao auge quando Lula conquistou a presidência da República e ramificou-se nos sindicatos, escolas, universidades, todos aparelhados pelo partido.

O PT foi deposto do poder por causa do desastre administrativo de Dilma Rousseff num processo pautado pela Constituição, mas classificado de “golpista” pelo partido – o mesmo partido que tomou a linha de frente pelo impeachment de Fernando Collor, consumado pelo mesmo método aplicado a Dilma. Collor, o adversário do passado – assim como Maluf, Barbalho, Sarney, que o partido classificava de retrógrados e corruptos – tornaram-se “amigos desde criancinha” do PT e sócios do butim que aplicou à Nação.

Nunca um homem de origem tão humilde chegou tão longe, prometeu tanto, encantou tantos e traiu tanto e tantos. Lula, o líder mais popular e populista desde Getúlio, não deixou como seu antecessor – a CLT, entre outras realizações – um legado perene. O que deixou? Um programa assistencialista copiado de FHC que Dilma comprometeu severamente com sua administração desastrosa, da qual resultou um déficit recorde nas contas públicas e a mais profunda e prolongada recessão do período republicano. E as estatais espoliadas pela corrupção que comandou.

Lula chegou ao poder prometendo uma cruzada ética e promoveu um gigantesco, organizado e sem precedente saque aos cofres públicos. Manteve e ampliou as relações espúrias do Executivo com os demais poderes – corrompendo o Legislativo e aparelhando o Judiciário. Fez do Estado um apêndice do partido. Transformou a política externa em balcão de negócios para o partido e seus líderes, comprometendo severamente a imagem do país, que, de gigante, reduziu-se a um “anão diplomático”, segundo a chancelaria israelense. E criou, para enfrentar a imprensa livre, o mais amplo programa de disseminação de notícias falsas, calúnias e ameaças a seus adversários por meio da internet e de publicações amigas. Todos regiamente pagos com recursos públicos.

Lula está confinado numa cela da PF de Curitiba há nove duas. Seu silêncio reboa de norte a sul, leste a oeste como a Sinfonia da Esperança: há sete dias o Brasil recuperou a liberdade, deu as costas ao passado e passou a caminhar rumo ao futuro.

Sem categoria
Comente aqui


E mais essa (falsidade) do PT: vaquinha para que Lula “não morra de fome e sede”

Quando a gente pensa que o PT atingiu o fundo do poço da desonra, desonestidade e fanatismo, eis que sua turma acha um jeito de aprofundá-lo ainda mais. E enchafundar-se prazerosamente ainda mais na lama.

Em reação ao bloqueio dos bens do presidiário Lula da silva, o instituto que leva seu nome e do presidente de tal instituto, Paulo Okamotto – que agiu como verdadeira lavandeira de recursos ilícitos, o partido anuncia que fará uma vaquinha para financiar “comida e água” para ele (Leia na Folha de S.Paulo)

A senha foi dada por Okamotto, que afirmou que o bloqueio dos bens não permitirá a Lula pagar “água, luz e condomínio” do prédio em que residia e não terá como custear suas necessidades básicas.

Em primeiro lugar, as necessidades básicas do presidiário por corrupção e lavagem de dinheiro são agora de responsabilidade da União – portanto, dos contribuintes. E assim será enquanto ele estiver preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba. A pena é de 12 anos e um mês.

O bloqueio dos bens foi determinado pela Justiça Federal de São Paulo para garantir que o presidiário pague a multa que lhe foi imposta pelo crime de corrupção e lavagem de dinheiro relativo ao tríplex do Guarujá. Não é a primeira vez que isso acontece: no ano passado, o juiz Sergio Moro, que o condenou, ordenou o bloqueio de R$ 10 milhões de Lula.

Ora, advertido pela defesa do criminoso, Moro liberou em dezembro passado pouco mais de R$ 63 mil de uma conta em que Lula recebia a aposentadoria como metalúrgico. Desbloqueado o saldo, desbloqueada a conta, portanto. Então, não há como afirmar que ele esteja absolutamente sem recursos para prover as despesas de seu apartamento.

Assim, o que o PT está propondo é uma fraude, mais uma artimanha para enganar os incautos e meter a mão no dinheiro alheio…

Sem categoria
1 Comentário


PT recorre à afronta e crimes em série pela libertação de Lula

Rasurar ou rasgar uma cédula de dinheiro é crime contra o patrimônio da União, previsto no artigo 163 do Código Penal e para o qual a pena é de seis meses a três anos de prisão. E multa.

Pouca gente sabe disso.

Mas os petistas, que se proclamam os paladinos da Justiça e da defesa do patrimônio público (kkkk), deveriam saber de cor e salteado até o parágrafo e inciso deste artigo (único e III, respectivamente).

Acampamento de petistas em frente à PF (Facebook)
E não é que, tomados de uma crise repentina de amnésia, estão se organizando para escrever “Lula livre” em todas as cédulas de dinheiro que lhes cair nas mãos (se fosse antes do petrolão, nem dá para imaginar quantas dezenas de milhões seriam…)

Cada cédula com esta inscrição, e… de seis meses a três anos de prisão aos militantes e/ou dirigentes petistas. Faltará cadeia para tanta gente!

“Lula livre” nas cédulas de dinheiro: mais uma afronta à lei engendrada pelos petistas, que, no entanto, encontra a atenuante no grau de imbecilidade a que se reduziram ainda mais após a prisão do guru Lula. A cada “Lula livre”, um petista na cadeia: esta é digna do José Simão!

E não é só isto. E neste caso não é só um projeto, mas uma ação que estão colocando em prática: ligar incessantemente para a Superintendência da Polícia Federal de Curitiba para perguntar se estão tratando bem o prisioneiro mais notório do país (talvez do mundo neste momento). A ação pode ser enquatrada no artigo 329 do Código Penal, que trata da obstrução à Justiça. Pena: de um a três anos de prisão e multa (cada telefonema…)

Os agentes, por enquanto, estão lidando numa boa com a afronta. Uma das respostas foi mais do que merecida: “Lula está melhor aqui do que aí fora com vocês”. Referia-se ao acompamento mambembe montado no entorno da delegacia.

E eis que nove governadores* decidiram visitar Lula na cadeia. Enforcaram o trabalho e foram a Curitiba (a viagem foi paga por quem?). Deram com a cara (de pau) na porta, pois o encontro afrontoso foi negado pela juíza Carolina Lebbos, em observância ao determinado por Sergio Moro: nada de “privilégios” para Lula.

O regime de prisão a que Lula (e qualquer preso) está submetido não prevê beija-mãos (ou pés) de aliados políticos. Nem a arrogante [email protected] do PT está autorizada a se encontrar com seu deus para sorver o néctar de sua santidade e sabedoria.

Lula pode receber os advogados nos dias úteis e familiares uma vez por semana. Ele é prisioneiro, não objeto de veneração.

* São eles: Tião Viana (Acre), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Fernando Pimentel (Minas Gerais), Wellington Dias (Piauí), Flávio Dino (Maranhão), Renan Filho (Alagoas), Jackson Barreto (Sergipe) e Paulo Câmara (Pernambuco).

Sem categoria
1 Comentário