Datafolha: rejeição a Bolsonaro aumenta após atentado

De 39% para 43% subiu a rejeição a Jair Bolsonaro (PSL) após o atentado que sofreu na semana passada em Juiz de Fora, enquanto as intenções de voto atribuídas a ele oscilaram de 22% para 24%.

Esta é a principal informação da pesquisa Datafolha divulgada ontem à noite, acrescida de outra acachapante para os simpatizantes de Marina Silvícola da Silva: os que se diziam propensos a votar nela murcharam de 16% para 11%.

O resultado da sondagem equivale a um banho de água fria em seus apoiadores, que alardearam que o atentado equivalia à sua eleição no primeiro turno.

Quem cresceu um pouco acima da margem de erro de 2% foi o falastrão Ciro Gomes (PDT) – 3%. E Fernando Haddad, o Bobo da Corte petista, finalmente apresentado como virtual candidato do partido após a impugnação do presidiário Lula, juntou-se à turma da segunda colocação (todos embolados com base na margem de erro). Essa turma inclui o tucano Geraldo Alckmin, dono do maior tempo da propaganda eleitoral no rádio e tevê.

Outra má notícia para os bolsonaristas: o único emparelhado com ele em eventual segundo turno é Fernando Haddad. Os demais o esmagariam, assim como esmagariam Haddad. Haddad é a esperança de sucesso de Bolsonaro e Bolsoanro a de Haddad.

Oremos: esse cenário é sombrio.

Detalhes da pesquisa aqui: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/09/bolsonaro-mantem-lideranca-da-corrida-com-24-apos-ataque-diz-datafolha.shtml

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.