Esportes

  

Seis por meia dúzia

Muito bem-vinda (as operadores de energia elétrica, que já perderam R$ 40 bilhões na Bolsa, discordam) a redução da tarifa de luz, anunciada pela president@ Dilma.

 

Melhor ainda seria se não equivalesse, para o contribuinte, a trocar seis por meia dúzia. Pois, para chegar à redução anunciada, o governo terá de gastar R$ 8,4 bilhões por ano (com as necessárias correções, portanto)

 

Não acusem a oposição de estar fazendo “projeções alarmistas”: esses números foram fornecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

 

E quem, em última instância, pagará esta fatura?

 

Oito bilhões e quatrocentos milhões, portanto, serão retirados de investimentos para bancar a conta, que, no final das contas – a redundância é proposital – tem inegável objetivo eleitoreiro.

 

O espetáculo não pode parar. 2014: lá vamos nós!

Comente aqui
  

Que os responsáveis paguem pelo descalabro

André Nadai, presidente da CMTU e subordinado incondicional do (cada vez mais na iminência de ser ex) prefeito de Londrina, Homero Barbóquio, foi responsável pela multa de R$ 2,3 milhões aplicados pelo IAP ao município no início desta semana.

Motivo: depósito irregular, em terreno público, de lixo reciclável pela Ecosystem, empresa recentemente contratada para fazer a coleta na região leste.

A empresa substituiu a mais antiga cooperativa de catadores de lixo reciclável, depois que a cooperativa não conseguiu renovar seu contrato, tamanha as exigências.

A contratação da Ecosystem, empresa apontada pelo Ministério Público como colaboradora contumaz de licitações fraudadas em Londrina, foi comemorada por Barbóquio. Ela se ofereceu para prestar o serviço por R$ 50 mil menos que o preço mínimo do edital (que sofreu questionamentos de toda ordem), que era pouco mais de R$ 90 mil.

Segundo Barbóquio, o subpreço demonstrava o zelo dele e de seu protegido, o “brilhante” Nadai, pelo patrimônio público.

Ocorre que a Ecosystem não processa nem tem onde depositar o lixo. Daí sua opção por jogá-lo onde julgou mais conveniente, sob as barbas da CMTU de Nadai.

Economia de R$ 50 mil, multa de R$ 2,3 milhões!

Quem deveria pagar essa conta não somos nós londrinenses. Mas os responsáveis por esse descalabro.

Comente aqui