Mês: fevereiro 2013



A vaga, nem que seja na Justiça

Sete pessoas que foram aprovadas em concurso público para a função de motorista na prefeitura de Paranapoema procuraram a Promotoria Pública para exigir a posse, já que as vagas existem e, segundo eles, estariam sendo ocupadas por pessoas de outras funções.

Segundo disseram, as vagas de motorista estão sendo usadas para fins políticos, ocupadas por pessoas que, supostamente, teriam se envolvido na campanha eleitoral vitoriosa na eleição passada.

1 Comentário


Uns trocados para cuidar de cavalos

A polícia prendeu ontem na região de Curitiba um homem que sequestrou e estuprou um garoto de 10 anos. O homem tinha ficha longa, tinha sido denunciado várias vezes por estupro de criança. A tática era sempre sequestrar e, depois, estuprar.

Segundo o próprio garoto, o homem disse que lhe pagaria R$ 50 para ele cuidar de uns cavalos. Colocou-o na garupa de uma moto e levou-o para outra cidade, onde cometeu o estupro.

Esse truque de oferecer dinheiro para cuidar de cavalos é o mesmo que foi usado por um homem que acabou estuprando e matando a menina Beatriz Silva Pacheco Gonçalves, também de 10 anos, há alguns meses em Sarandi.

Ou seria a mesma pessoa, que usa sempre o mesmo argumento, ou cuidar de cavalos é um argumento comum entre os doentes que estupram crianças.

Comente aqui


E só trocar o g por um m

O prefeito de Marialva e presidente da Amusep, Edgar Silvestre, o Deca, se meteu em uma tremenda saia justa dia desses por conta de uma falha de memória, daquelas que acontecem nas horas mais impróprias.

Durante um evento com a presença de vários políticos, Deca começou a nominar um por um e foi “sua excelência” prá lá, “sua excelência” prá cá, sempre citando o nome do sua excelência, porém, na hora do excelência Edmar Arruda ele simplesmente não conseguia lembrar o nome do deputado que levou R$ 8 milhões para obras de esgoto em seu município.

Várias vezes ele apontava para Edmar, mas o nome não vinha à memória e ele soltava: “o deputado aqui”. Daí um pouquinho, olhava para o parlamentar, como se tivesse lembrado do nome, mas quando ia falar só saía “o deputado…, o deputado…”.

E assim foi, até que Edmar perdeu a paciência e, quando Deca falou “o deputado… aqui, o deputado…”, ele emendou: “É E-D-MAR, prefeito!.

Esta foi o próprio Deca quem contou, e na presença de Edmar Arruda, que confirmou tudo.

Agora o prefeito de Marialva tem uma tática para não esquecer mais o nome do seu deputado. “Meu nome é Edgar. É só trocar o ‘g’ por um ‘m’.

Vamos ver se ele vai lembrar disto quando precisar.

Comente aqui


Ex-prefeito é preso na presença de secretário de Estado e deputados

 O ex-prefeito de Janiópolis e atual chefe de Gabinete da prefeitura, Júlio Batista Guimarães, foi preso na manhã desta segunda-feira enquanto participava de uma reunião de prefeitos da região de Campo Mourão, com a presença do secretário Especial de Governo do Paraná, Cesar Silvestre, e deputados estaduais.

A delegada Maria Nysa informou que estava cumprindo uma decisão da Justiça e que o crime cometido pelo ex-prefeito é inafiançável.

Batista, que tentou ser candidato a prefeito em 2008 e 2012 e teve o registro negado pela Justiça Eleitoral, é acusado de ter autorizado a compra de combustíveis para a prefeitura em um posto da cidade sem a devida abertura de licitação.

A suposta fraude teria acontecido no mês passado, poucos dias depois de Batista assumir a chefia de Gabinete do prefeito Domingos Poera, o Lola (PMDB).

3 Comentários


Drenagem do Parque Alvamar vai custar R$ 11 milhões

O prefeito interino de Sarandi, Luiz Carlos Aguiar (PPS), e o prefeito afastado Carlos Alberto de Paula Júnior (PDT) estarão daqui a pouco com a deputada federal Cida Borghetti (PP) para tratar da liberação de R$ 11 milhões do governo federal para obras de drenagem no Parque Alvamar, aquele que nesta semana teve parte das ruas destruída pelas chuvas.

O dinheiro será do Ministério das Cidades e deve servir para a implantação de galerias de águas pluviais de verdade, com pelo menos 2 metros de diâmetro.

Comente aqui


Morre a pioneira que foi a primeira mãe de Maringá

Será sepultada hoje às 17h30, no Cemitério Municipal, a pioneira Tatsuko Taguchi, uma das primeiras moradoras do local onde hoje é a cidade de Maringá, viúva do vereador Tarao Taguchi, primeiro nipo-brasileiro eleito para a Câmara de Maringá, na segunda legislatura, e cunhada do também falecido ex-vereador Kazumi Taguchi. Tatsuko tinha 92 anos e morreu de causas naturais.

A pioneira veio com a família 1940, recém-casada, para abrir uma fazenda comprada por seu sogro, Mitsuzo Taguchi, onde hoje é o Guaiapó, e em 1942 teve seu primeiro filho, Luiz Mitsuyoshi Taguchi, que foi advogado e juiz de Direito, falecido há quatro anos. Luiz Mitsuyoshi foi a primeira criança nascida em Maringá.

Ela foi mãe de seis filhos, entre eles a odontóloga Ruth Kyoko Taguchi, com quem morava.

Apesar da idade, dona Tatsuko tinha boa disposição física, tanto que há poucos meses foi a Marialva e participou da solenidade de inauguração do novo Fórum da Comarca, que recebeu o nome de seu filho Luiz Mitsuyoshi.

1 Comentário


Renato Machado volta para Maringá

Renato Cardoso Machado

O veterinário Renato Cardoso Machado, que foi coordenador do Núcleo da Secretaria da Agricultura e da Região Metropolitana de Maringá, está de volta à cidade. Ele agora é o coordenador da representação do senador Sérgio Souza, seu correligionário no PMDB.

No ano passado Renato tinha voltado para Colorado, cidade em que foi prefeito na década de 90. Ele tentou novamente a prefeitura, mas as coisas na cidade mudaram muito nos últimos anos e acabou derrotado.

A volta para Maringá faz sentido. Afinal, foi na Cidade Canção que ele ocupou importantes cargos da esfera estadual e, por estar há muito tempo na cidade, é onde vive a maioria de seus amigos e familiares.

Sem categoria
Comente aqui


Dengue aumenta em Santa Fé, apesar das ações de combate ao mosquito

O último Informe da Secretaria de Saúde do Paraná aponta o município de Santa Fé (a 52 quilômetros de Maringá) como o único da região em situação de epidemia de dengue.

A quantidade de entulho retirada dos quintais fez nascer um novo lixão a céu aberto em Santa Fé

Até ontem já eram 70 casos confirmados e 348 notificações, números considerados altos em uma população de 10 mil habitantes, mas o que preocupa as autoridades sanitárias é que as ocorrências continuam aumentando, apesar das várias medidas de combate adotadas, como a aplicação constante de fumacê e larvicida, além de mutirões de limpeza.

A reação das autoridades e população fez surgir em duas semanas um novo lixão a céu aberto na cidade. “Tivemos que destinar uma área de mais de um hectare, pertencente ao município, para a colocação do entulho retirado dos quintais”, disse ontem o coordenador de Epidemiologia da cidade, Carlos Eli e Silva. Segundo ele, foi necessário improvisar um lixão porque a prefeitura convocou a população para um trabalho de limpeza e desde então centenas de caminhões de entulhos foram levados para a nova área. “A população respondeu à altura, centenas de pessoas se juntaram a nós e ainda mantemos quatro equipes recolhendo o lixo retirado dos quintais.

Com o envolvimento da Defesa Civil de Maringá e da população, o mutirão de limpeza cobriu toda a área urbana

De acordo com Silva, o arrastão foi um passo decisivo, mas a guerra contra a dengue contou com a participação de 25 membros da Defesa Civil de Maringá – a maioria soldados da Escola de Formação, Aperfeiçoamento e Especialização de Praças da Polícia Militar (Esfaep) -, o prefeito Edson Palotta Neto (PSDB) removeu servidores e ampliou o quadro de agentes da dengue e uma ampla campanha de envolvimento da população é feita por meio da imprensa pela Secretaria Municipal de Saúde.

 

Dengue em família

Sebastiana passou 15 de cama e ainda não se considera recuperada da dengue

A dona de casa Sebastiana Moreira Fiorin ontem colocou uma cadeira no quintal na esperança de tomar um pouco de sol depois de ter passado 15 de cama, com febre alta, dores nos ossos e problemas estomacais devido à dengue. Enquanto esteve de cama, ela tentou contratar uma mulher para ajudar nos serviços da casa, mas a pretendida não pode ir porque pessoas da famílias também contraíram dengue. “Aqui ficamos eu e meu marido (Agenor Fiorin) caídos, na casa do lado caíram meu genro e minha neta, vários vizinhos, foi terrível”. Segundo Sebastiana, o sofrimento foi tanto “que não desejaria nem ao meu maior inimigo, se tivesse algum”.

A secretária de Saúde Kátia Bernardino Batista acredita que o número de pessoas com dengue em Santa Fé seja maior do que o que aparece nos levantamentos oficiais, “pois muitas pessoas não procuram as unidades de saúde, preferindo se medicar em casa, outras procuram ajuda em Maringá”. Ela acha que esta epidemia poderia ser menos grave ou até evitada se os cuidados necessários tivessem acontecido no decorrer do ano passado. “Uma convocação para que as famílias limpassem seus quintais, como a que foi feita recentemente, poderia ter sido realizada no ano passado e assim a cidade teria menos ambientes para a proliferação do mosquito”. Segundo ele, a população de Santa Fé é bastante solidária e faz sua parte sempre que há uma convocação.

Comente aqui


Mandaguari pode ter ONG para cuidar de cães vadios

Foto: Ricardo Lopes/ODiário

A grande quantidade de cães soltos nas ruas de Mandaguari, alguns atacando pessoas, levou o vereador Pedro Ricieri Navi, do PMDB, a encabeçar um movimento que pretende criar uma organização não governamental protetora dos animais.

A iniciativa já conta com a adesão de dezenas de voluntários que pretendem trabalhar para reduzir o número de animais abandonados e maltratados na cidade.

O vereador destaca que a cidade tem um elevado número de animais soltos nas ruas, principalmente cachorros, muitos deles machucados ou com doenças que podem ser transmitidas para as pessoas. “Se andarmos no centro ou nos bairros vamos nos deparar com inúmeros cães abandonados com ferimentos e doenças como a sarna e outras que podem contaminar os seres humanos”.

O vereador diz que a ONG também fará um trabalho para estimular a castração de cães e gatos para conter a reprodução indiscriminada e evitar que o problema da superpopulação desses animais se agrave na cidade. “Estudos científicos mostram que em seis anos o número de descendentes de uma cadela pode chegar a seis mil animais. A única forma de combater essa situação é por meio da castração.

Com informações de André Canini

1 Comentário


Maringaense deixa secretaria do governo Richa

Ercilio Santinoni

Santononi, que foi secretário de Indústria e Comércio também da prefeitura de Maringá, é indicado para a presidência do Sebrae

O maringaense Ercílio Santinoni, diretor Geral da Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, que inclusive chegou a ser secretário quando o titular, Ricardo Barros, se afastou por alguns meses, encaminhou ofício ao governador Beto Richa comunicando seu afastamento do governo.

Não é por questão de descontentamento com o governo, mas pela oportunidade de enfrentar novos desafios na carreira.

Presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (Conampe), Santinoni é indicado para assumir a presidência… Continue lendo

1 Comentário