Mês: agosto 2013



Comerciante chama negro de macaco e vai preso por racismo

O comerciante Edson Marcos Garcia, de 50 anos, proprietário de um bar no bairro São Cristóvão, em Cascavel, foi preso e vai responder por prática de racismo, resistência à prisão e desobediência depois de ter chamado de macaco um homem que realizava serviços para a Sanepar.

José Vantuir das Graças, de 33 anos, fazia manutenção da rede de água, quando o dono do bar começou a chamá-lo de macaco. O operário preferiu não responder e no momento recebeu o apoio de seus colegas de trabalho, que chamaram a Polícia Militar.

Quando Edson percebeu a chegada dos policiais, tentou fugir, pulando um muro, mas acabou se machucando e preso.

A vítima do racismo foi à delegacia registrar a ocorrência e disse que nunca sentiu-se tão humilhado quanto no momento em que foi chamado de macaco.

2 Comentários


Vítimas reagem e expulsam assaltantes a socos e ponta-pés

Três homens, que chegaram em um VW Gol, tentaram assaltar uma casa na noite desta sexta-feira no centro de Sarandi e foram impedidos pela ação dos próprios moradores. A polícia suspeita que trata-se dos mesmos elementos que praticaram vários arrombamentos e assaltos nos últimos dias na cidade.
O jornalista Alexandre Gaioto acabou envolvido no caso e publicou seu relato na tarde deste sábado em sua página no Facebook, que publicamos na íntegra:

Cinco viaturas da polícia. Uns desceram com escopeta, pistola e cassetete. Doze agentes que vieram num pulo, ao lado dum investigador com a cara do Gay Talese. “A gente aconselha nunca a resistir aos assaltos, viu? Ainda bem que deu tudo certo”, disse-me o sargento, notando meu braço com um ligeiro arranhão. Sexta-feira (30), Sarandi, 22h. Eu tinha acabado de chegar na casa da Ariádiny Rinaldiy. Antes, tomei quatro cervejas com meu amigo Luigi Ricciardi, lá pras bandas da UEM. Daí que eu e Ariádiny conversávamos na cozinha quando o interfone tocou: era a mãe dela, chegando do supermercado, pedindo uma mão. Que a gente descesse, ajudasse a levar as compras para casa. Rapidamente descemos a escada. Lá embaixo tem um portão de ferro que separa a escada da garagem, e saímos à rua pela garagem mesmo, que estava escancarada. Na caminhonete peguei umas sacolas e dois galões de água, enquanto a Ariadiny levava as outras coisas para cima. A rua tava movimentada. Tem um bar a poucos metros da casa, em que rola um karaokê nervoso, com a galera dançando a noite inteira – lá na esquina Tião Carreiro & Capataz são reis. Deixei os trecos na cozinha e já estava descendo novamente para ver se havia mais sacolas. Foi aí que ouvi a mãe da Ariádiny gritando na escada. Achei que fosse uma brincadeira. Quando a vi, ela tentava fechar o portão de ferro que separa a garagem da escada, mas tinha um cara tentando entrar. E ele entrou. Era um negro, forte, de camisa verde, que agora pressionava ela contra a parede. Não sei exatamente quantos lances de escada, nem como fiz aquilo. Mas desci as escadas correndo, peguei impulso, vi que a cabeça do cara ficava numa boa altura: dei um pulo e meti uma bicuda, em cheio, na cabeça do sujeito. Setenta quilos, escada abaixo, num All Star surrado. Carimbei sem dó rosto do infeliz. Ele ficou desorientado na minha frente. Aí começou a diversão. Foi soco na boca, soco na orelha, soco no nariz, soco nas costas, foi tanto soco e chute no rabo que joguei o cara, tonto, para fora da escada, enquanto a Ariádiny e a mãe dela gritavam, e nisso já desciam Andrielly Sevidanis e Pedro Martins, e eu também dava meus berros, dizendo “pega arma! chama a porra da polícia”, e continuei a socar o cara dentro da garagem até que o escroto correu para a rua. Mais dois negros altos estavam na calçada, já se preparando para entrar em casa. Como o escroto se fudeu e saiu correndo, eles também correram e entraram no gol velho, um gol quadrado e vermelho, que estava estacionado na esquina, do outro lado do bar. Dei sorte. O cara deve ter acordado hoje todo fudido, com a marca do meu All Star colorindo seu rosto inchado. A sensação? Não tem nada dessa baboseira de rever a vida num segundo. Nessas horas você não sente nada, a não ser o prazer sublime de meter tapas e pontapés no filho da puta do ladrão.”

Sem categoria
2 Comentários


Em Itambé, depois do Carneiro de Sol, o Porco no Rolete

Em Itambé, a população ainda está com o gosto do Carneiro de Sol ao Fogo de Chão, servido em grande estilo no mês passado, e já se prepara para outra festa gastronômica, o Porco no Rolete, que será servido neste domingo.

Esta será a 4ª Festa do Porco no Rolete em Itambé e objetiva arrecadar fundos para as atividades co Conselho Comunitário de Segurança (Conseg).

O porco no rolete é um prato típico brasileiro e ganhou fama com a criação de uma grande festa em Toledo, no Paraná, ainda nos anos 70. O evento é uma tradição e hoje é repetido em vários municípios brasileiros, entre eles Itambé. O preparo consiste em um porco assado inteiro sobre brasas, porém sempre girando, o que dá uniformidade no ponto.

Comente aqui


Como o autismo ajudou Messi a se tornar o melhor do mundo

Messi é autista. Ele foi diagnosticado aos 8 anos de idade, ainda na Argentina, com a Síndrome de Asperger, conhecida como uma forma branda de autismo. Ainda que o diagnóstico do atleta tenha sido pouco divulgado e questionado, como uma maneira de protegê-lo, o fato é que seu comportamento dentro e fora de campo são reveladores.

Leia mais ->->

Comente aqui


Justiça proíbe notícias de investigação contra presidente do TJ do Paraná

O jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, está proibido de publicar informações sobre investigações abertas contra o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Clayton Camargo. A decisão da Justiça pede ainda que o veículo retire do ar reportagens que estão na internet e estabelece multa diária de R$ 10 mil caso a ordem seja descumprida.

Leia mais ->->

Sem categoria
Comente aqui


Arrombado carro de radialista maringaense

O radialista Edson Lima, que foi editor de O Diário e agora comanda um programa de notícias na Rádio Globo AM de Maringá, está precisando tomar um banho de sal grosso e se benzer todas as manhãs para livrar-se da nuvem agourenta que paira sobre sua cabeça nos últimos dias.

Na sexta-feira, quando voltava para casa para aproveitar o fim de semana, acabou sofrendo um acidente de trânsito, o que estragou a pintura de seu carro novo e o fim de semana. Mas a maré de azar não parou por aí: nesta segunda-feira, esteve no Diário pela manhã e ao voltar encontrou o carro arrombado.

Os gatunos levaram tudo o que encontraram no interior do veículo, inclusive a carteira do radialista, com todos seus documentos e dinheiro.

3 Comentários


Adriana aceita desafio proposto por De Paula

Adriana Palmieiri - Secretária de Educação de Sarandi

Adriana Palmieri começa a trabalhar nesta terça-feira

A ex-diretora de Ensino da Secretaria de Educação de Maringá, professora Adriana Palmieri, aceitou o convite do prefeito de Sarandi, Carlos Alberto de Paula Júnior, para assumir a secretaria de Educação e começa a trabalhar nesta terça-feira.

Adriana assume com um desafio e tanto pela frente: aumentar a nota do município no Ideb, o índice do Ministério da Educação que diz a quantas anda o desenvolvimento da educação básica em cada cidade brasileira. O de Sarandi é um dos mais baixos da região e o prefeito desafio sua nova secretária a apresentar estratégias para que o aproveitamento dos estudantes seja melhor.

Adriana, para quem não se lembra, foi a criadora da Provinha Maringá, uma versão local da Prova Brasil, que define o Ideb.

Comente aqui


Morre o promotor Rubens Sartori, o Doutor Bola

Rubens Luiz Sartori

Campo Mourão perdeu neste domingo uma de suas figuras mais conhecidas e ativas, que foi advogado, promotor de Justiça, professor, político e até radialista. Rubens Luiz Sartori tinha 59 anos e estava internado depois de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há duas semanas.

O velório está acontecendo na capela do Prever e o sepultamento está marcado para as 16h30 desta segunda-feira.

Apesar de atuar em muitas áreas, Sartori se destacou mesmo foi na política. Desde muito jovem participou da política estudantil, foi fundador da União Mourãoense dos Estudantes Secundários (UMES), foi o primeiro presidente da Academia de Letras de Campo Mourão e com apenas 20 anos já era visto nos palanques do velho MDB, com 22 anos foi candidato a vice-prefeito.

No rádio, Sartori ficou conhecido como Doutor Bola, fazendo comentários de partidas de futebol.

1 Comentário


5 empresas multadas por jogar entulho em local impróprio

O secretário de Obras e Serviços Públicos de Maringá, Vagner Mussio, disse na manhã de hoje que cinco empresas, todas de Maringá, estão sendo multadas e denunciadas na Justiça por prática de crime ambiental.

Elas estariam jogando lixo, principalmente restos de construção, em um terreno na divisa de Maringá com Sarandi.

O terreno há tempos vem sendo usado para o descarte de grandes quantidades de lixo, inclusive entulhos e animais mortos. Embora a prefeitura constantemente faça o recolhimento, momento depois outras cargas são despejadas no local.

Há informações de que até construtoras estão despejando entulhos na divisa dos dois municípios, a fim de se livrarem de pagar aos aterros licenciados para dar a destinação correta do entulho.

Sem categoria
1 Comentário


Populares invadem à Câmara de Floresta para exigir casas para os pobres

Movimentação terá continuidade na próxima segunda-feira, com o grupo prometendo voltar à sessão da câmara 

Dezenas de pessoas invadiram o plenário da Câmara Municipal de Floresta (a 30 quilômetros de Maringá) durante a sessão da última segunda-feira para protestar contra o fato de os vereadores terem reprovado, na semana anterior, um projeto de lei de autoria do Executivo que autorizaria a prefeitura a comprar um terreno e repassá-lo à Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) para a construção de casas populares. O tumulto impediu a realização da sessão e o presidente da Casa, Cláudio Paixão (PMDB), chamou a polícia para conter os invasores.

Uma mulher gritou que os vereadores estavam prejudicando o povo pobre de Floresta por picuinhas políticas, citando que há vereador reprovando projetos do Executivo devido a seus desentendimentos pessoais com o prefeito. Ela se referia ao fato de os cinco vereadores da oposição votarem contra o projeto de aquisição de terreno porque antes outro projeto de construção de casas foi rejeitado, ofendendo um vereador que, segundo os populares, seria ligado à construtora.

Pessoas que participaram da movimentação garantiam que na próxima sessão, segunda-feira, estarão de volta por entenderem que a pressão pode levar os vereadores da oposição a voltar atrás na decisão e autorizar o Executivo a negociar a construção de casas com a Cohapar.

O convênio com a Cohapar possibilitaria a construção de 130 casas. O governo do Estado já havia disponibilizado R$ 330 mil para ajudar na compra do terreno e a prefeitura entraria, como contrapartida, com mais R$ 400 mil. Os beneficiados com as casas pagariam prestações que poderiam variar entre R$ 50 e R$ 80 por mês.

O grupo oposicionista na Câmara, liderado pelo presidente Cláudio Paixão e Ademir Luiz Maciel, o Dê (PSC), se defende afirmando que a movimentação não partiu do povo e sim do grupo ligado ao prefeito José Roberto Ruiz (PP). Segundo Dê, a reprovação do primeiro projeto, que visava à construção de 262 casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida, por quatro vereadores, foi orientada pelo prefeito. “Se eles não queriam a aprovação naquela época, por que pouco mais um mês depois mudaram de ideia e querem aprovar um projeto semelhante?”.

O prefeito José Roberto Ruiz viajou na manhã de terça-feira para Curitiba e não se manifestou sobre a invasão da Câmara. Segundo a assessoria da prefeitura, a manifestação não teve qualquer interferência do prefeito.

Sem categoria
Comente aqui