Mês: fevereiro 2014



Rede 399 propõe banda larga nas cidades do noroeste

Prefeitos, secretários municipais, técnicos da área de informática e proprietários de provedores de internet dos municípios do noroeste paranaense conheceram na manhã de ontem a Rede 399 – Internet para Todos, um programa do governo do Estado que objetiva estimular a instalação de internet banda larga em todos os municípios do Paraná. Para chegar a todas as cidades e promover a modernização da gestão pública nas prefeituras, a Rede oferece incentivos, como a isenção de impostos e financiamentos a juros baixos na compra dos equipamentos.

A apresentação foi feita por técnicos da Secretaria de Assuntos Estratégicos e da Celepar – Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná, no Parque de Exposições de Maringá, onde a principal preocupação dos prefeitos presentes era com o custo, para as prefeituras, da implantação da Rede 399 nos municípios. Segundo o prefeito de Iguaraçu, Tião Aurélio (DEM), os pequenos municípios sobrevivem praticamente dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e não estão em condições de assumir mais despesas.

De acordo com o coordenador da Rede 399, Jefferson Costa, a implantação do programa não significa despesa para as prefeituras, porque modernizará a gestão e permitirá, por exemplo, que a prefeitura consiga receber mais Importo sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISQN) sem precisar aumentar impostos. Além disso, todo o material que a prefeitura precisar para modernizar sua rede – compra de computadores, cabos, monitores, câmeras, por exemplo – terá o diferimento de 95% do ICMS.

De acordo com Costa, o governo do Estado difere o ICMS dos itens de infraestrutura de rede também para os provedores locais de internet interessados em implantar uma rede em fibra óptica, com alta disponibilidade para atender aos municípios, comércios, indústrias, serviços e cidadãos. A proposta é que em uma única fibra os novos provedores possam oferecer novos e melhores serviços no mercado local, como telefonia pela internet (Voip), serviços de vídeos, monitoramento, entre outros. Os provedores terão disponíveis financiamentos de longo prazo, a juros baixos, pela Fomento Paraná.

O coordenador explicou que o objetivo da Rede é possibilitar às prefeituras instalar internet de qualidade em todas suas unidades, como postos de saúde, escolas, bibliotecas e mesmo algumas entidades que sejam de interesse do município, como Apae, organizações não governamentais, clubes de serviço. Poderá ainda a prefeitura oferecer internet gratuitamente em praças públicas e locais de grande aglomeração de pessoas.

A prefeitura vai definir seus pontos de interesse e o provedor que for contratado vai instalar a rede e poderá disponibilizar internet de qualidade a qualquer empresa que esteja no caminho, como supermercados, postos de combustíveis, bancos e outras”. Segundo ele, para o provedor a prefeitura será “apenas um bom cliente, não o único cliente”.

Costa explicou que o interesse do governo é que, com a banda larga disponível nos municípios, o acesso à internet seja mais democrático, ampliando o serviço e diminuindo os custos. Segundo ele, com a banda larga disponível, aumenta-se a concorrência das empresas e o serviço melhora. Hoje, revelou, dos 399 municípios paranaenses, em 366 deles menos de 25% da população tem acesso à internet.

A Rede 399 já está à disposição dos municípios. Basta que as prefeituras ou as empresas provedoras legalmente autorizadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apresentem os projetos.

Comente aqui


ELE VOLTARÁ Alta dos preços anima produtores a replantar o café destruído pelas geadas

Depois das geadas, produtores como Jaime Rosseto, tiveram que arrancar os pés queimados, mas a seca não permitiu o desenvolvimento das mudas plantadas Foto: Ricardo Lopes

Depois das geadas, produtores como Jaime Rosseto, tiveram que arrancar os pés queimados, mas a seca não permitiu o desenvolvimento das mudas plantadas Foto: Ricardo Lopes

Em momento de oferta global apertada, o preço do café disparou nos últimos dias na Bolsa de Nova York e, em consequência, no Brasil atingiu os melhores preços desde maio de 2011. Ontem, a Cooperativa Agroindustrial de Mandaguari (Cocari) começou o dia negociando a R$ 5,66 o quilo e no final do dia os cafés de melhor padrão já eram negociados a R$ 5,76. Em Maringá chegou a R$ 7,75 e em Apucarana R$ 5,60. Tanto a cooperativa quanto os cafeicultores estão confiantes que os preços continuarão subindo e, devido à escassez de café no mundo no momento, passarão dos R$ 7,75 pagos em maio de 2011.

Nas últimas duas semanas a procura superior à oferta vem puxando as cotações da commodity, com grandes indústrias da Europa e Estados Unidos aceitando pagar mais. Com isto, aumentou a especulação, especialmente com a entrada dos bancos e dos fundos de pensão, que têm forte participação no mercado.

O aumento dos preços deve-se especialmente à quebra da safra de Minas Gerais e Espírito Santo, hoje os maiores produtores do mundo de cafés de qualidade, devido a uma longa estiagem que compromete a safra deste ano e a de 2015, também houve quebra na Colômbia devido a um terremoto nas áreas produtoras, além de um longo período de seca.

Não é sonhar muito achar que os preços podem chegar aos patamares de 2011, pois falta café hoje no mercado e a safra de 2015 também está comprometida”, lembrou ontem o responsável pelo setor de café da Cocari, engenheiro agrônomo Roberval Simões Rodrigues. Para ele, os bons preços podem “animar os produtores a insistirem no café, principalmente aqueles que estão desistindo da cultura após as geadas de seis meses atrás”.

No mesmo local da foto acima, hoje Rosseto cuida de mudas irrigadas, esperando a primeira colheita em 2016

No mesmo local da foto acima, hoje Rosseto cuida de mudas irrigadas, esperando a primeira colheita em 2016

Com pés de café arrancados, recepados ou esqueletados após serem queimados pelas geadas, a região produtora do Paraná, que tem os municípios de Mandaguari, Jandaia do Sul, Apucarana, Arapongas, Cambira, Rolândia e Londrina como polos, deve ter uma safra entre 80% e 85% menor do que teria sem as geadas do ano passado, muitos produtores tiveram que vender parte do café estocado para pagar dívidas e alguns pensavam em sair da atividade, “mas com a reação dos preços tem gente desistindo de desistir”, como disse o produtor Jaime Rosseto, de Mandaguari. Sua família planta café na região há 70 anos e teve perda de 100% da safra que deveria começar em junho, deve colher muito pouco também no ano que vem, ainda em consequência das geadas. “Quem é cafeicultor sofre, perde uma safra aqui outra ali, mas não desiste”.

Jaime e seus irmãos tiveram que arrancar parte do cafeeiro e só não arrancaram mais porque os viveiros da região não tinham mudas em quantidade suficiente para fazer o replantio. “Tivemos que recepar (cortar a 10 centímetros do solo) uma parte, esqueletar (poda rigorosa) outra, mas ainda plantamos 50 mil mudas”.

A família Lopes não ficou na dependência dos viveiros e produz suas próprias mudas. Paulo Sérgio mostra parte do lote de 50 mil mudas prontas    Foto: João Cláudio Fragoso

A família Lopes não ficou na dependência dos viveiros e produz suas próprias mudas. Paulo Sérgio mostra parte do lote de 50 mil mudas prontas Foto: João Cláudio Fragoso

Os irmãos Fernando e Paulo Sérgio Lopes, donos de 400 mil pés em diferentes pontos do norte do Paraná, também terão que substituir cafeeiros onde a geada negra foi mais contundente. Eles próprios já prepararam 50 mil mudas das variedades Catuaí, Mundo Nova e IPR-100 e estão esperando a hora certa de iniciar o plantio. No ano que vem os Lopes prepararão mais 50 mil mudas”.

NÚMEROS

2016

é o ano em que a produção de café no norte do Paraná voltará ao normal depois das geadas do ano passado

R$ 550

é o valor do milheiro de mudas nos viveiros, mas é possível produzir na própria fazenda por cerca de R$ 110 o milheiro

50%

do café da última safra continuam estocados nas cooperativas à espera do melhor momento para a venda

Comente aqui


Rolezinho assusta lojistas de shoppings de Maringá

Foto de Angelo Rigon

Foto de Angelo Rigon

Lojistas se assustaram e a Polícia Militar foi chamada quando um grupo de jovens chegou ao Shopping Avenida Center, no centro de Maringá, no final da tarde deste domingo. Acreditava-se que era um ‘rolezinho’.

Eram rapazes e moças e um grupo de menos de 100 pessoas, que se misturaram a outras pessoas que visitavam o shopping no momento.

A PM chegou e fez algumas abordagens e parte do grupo deslocou-se para o Shopping Center Maringá Park, alguns quarteirões adiante, na mesma avenida, e depois parte dos jovens retornou ao Avenida.

A PM continuou no local até por volta das 19 horas e não houve registro de qualquer anormalidade.

Foto do site www.angelorigon.com.br

11 Comentários


Zulmira e sua luta contra o câncer – dela é de outros

A história da Rede de Combate ao Câncer de Astorga (a 50 quilômetros de Maringá) se confunde com a de sua coordenadora, Zulmira Batista Genaro. Com o tempo, a Rede tornou-se sinônimo de Zulmira e vice-versa. Lidando todos os dias com a dor de centenas de pessoas acometidas pelo câncer, a ironia do destino foi ela própria ser diagnosticada com a doença. Mas não se entregou e é vista atendendo pessoas, confortando familiares e distribuindo bens materiais até mesmo nos dias das sessões de quimioterapia.

Zulmira Batista Genaro descobriu o câncer na medula em 2006 e nunca interrompeu o tratamento

Zulmira Batista Genaro descobriu o câncer na medula em 2006 e nunca interrompeu o tratamento

A Rede, que no início chamava-se Rede Feminina de Combate ao Câncer, só foi feminina no nome, pois atende também homens e crianças. Afinal, o câncer não escolhe sexo. Também não é uma instituição comandada só por mulheres. Em sua diretoria estão empresários, bancários, funcionários públicos, profissionais liberais e trabalhadores comuns. Também há mulheres e homens entre os 40 voluntários fixos, aqueles que são pau-para-toda-obra, organizando e realizando eventos para arrecadar o dinheiro que vai ajudar na manutenção de pessoas com câncer e até mesmo o pagamento de consultas especializadas que não são cobertas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A entidade já pagou cirurgias de até R$ 15 mil.

Além do serviço, muitas vezes os voluntários pagam para trabalhar. Pessoas que não têm ligação com a Rede, outras entidades, clubes de serviço e empresas também participam com doações e até organizando eventos para arrecadar dinheiro para a compra de alimentação diferenciada para os doentes, fraldas e medicamentos. Graças a isto, centenas de pessoas com câncer e seus familiares têm sido ajudados desde 2001, quando a Rede Feminina de Combate ao Câncer nasceu em Astorga. Hoje, 171 doentes estão no cadastro da entidade, mas a ajuda chega também aos familiares.

A entidade que nasceu em uma casinha emprestada por uma cooperativa, hoje tem como sede própria uma ampla casa no centro da cidade, com salas para direção, reuniões, cozinha e muito espaço para guardar os víveres que serão distribuídos aos cadastrados.

Por traz de tudo isto está Zulmira, uma técnica de enfermagem que passou a vida no serviço de saúde do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e na Secretaria de Saúde da prefeitura. Ela participou da fundação da Rede e está à frente desde o início. Mesmo com o compromisso em seus empregos e o trabalho de mãe de família, Zulmira é do tipo de gente que levanta de madrugada para atender um doente, junto com o marido, Antonio, ajuda até a dar banho em pessoas, coordena pessoalmente o cadastramento, a distribuição de víveres e os grandes e pequenos eventos da instituição, como um show de prêmios em março e um leilão de gado em setembro.

Segundo as colegas de trabalho, Zulmira é a pessoa que melhor entende a situação de quem tem câncer. “Falo com as pessoas como um igual e elas confiam em mim porque sabem de minha situação”, diz ela. Em 2006, depois de fraturar a coluna seguidas vezes, ela foi diagnosticada com um mieloma múltiplo, um tipo de câncer das células plasmáticas da medula óssea.

Apesar da doença, a Zulmira continua na direção da entidade que auxilia pessoas com câncer e suas famílias

Apesar da doença, a Zulmira continua na direção da entidade que auxilia pessoas com câncer e suas famílias

“Não pude me entregar, até nos dias das sessões de quimioterapia – que arrasam a gente – eu vinha trabalhar porque sei muito bem que o estado de espírito de quem tem câncer é muito importante na recuperação”. Segundo ela, muitas pessoas ao saberem que estão com câncer ficam tão arrasadas psicologicamente que acabam piorando o estado da doença. “Passei anos dizendo às pessoas para terem ânimo, então era minha vez ter ânimo”.

Aos 66 anos de idade, 59 deles vividos em Astorga, agora aposentada, a auxiliar de enfermagem que estudou também Pedagogia, casada e mãe de duas filhas, não está curada, pois o mieloma múltiplo é um tipo de câncer que não desaparece totalmente. Mas ela continua trabalhando normalmente. No momento, além do dia a dia da Rede Feminina de Combate ao Câncer, está envolvida com a organização do show de prêmios que a entidade realizará no mês que vem, um dos maiores eventos anuais de Astorga.

4 Comentários


É grave o estado do apresentador Carlos Nascimento

Carlos Nascimento

Carlos Nascimento

Médicos concordam que é grave o estado do apresentador Carlos Nascimento, afastado da bancada do Jornal do SBT desde agosto para tratamento contra um câncer no reto, que é a porção final do intestino grosso.

O apresentador de 59 anos terá que se submeter a uma cirurgia. Os médicos se surpreenderam com o grau de complexidade do tumor.

 

bullet022

 

O Jornal do SBT vem sendo apresentado por Marcelo Torres, enquanto a TV de Silvio Santos faz convites a diversos apresentadores – principalmente da Globo – para substituir Nascimento, mas parece que ninguém quer trocar o certo pelo duvidoso.

Evaristo Costa

Evaristo Costa

O primeiro procurado foi Evaristo Costa, apresentador do Jornal Hoje, na Globo,mas ele recusou, assim como André Trigueiro, ex-âncora da Globo News. As conversas com Chico Pinheiro não avançaram e no momento a emissora tenta Eduardo Ribeiro, da Record.

Sem categoria
7 Comentários


Ex-craque Oscar Schmidt é internado às pressas

Oscar Scmidt

Oscar Scmidt

O ex-craque de basquete Oscar Schmidt, que há anos trava uma luta contra o câncer, foi internado na noite de terça-feira no Hospital Sírio Libanês, depois de sofrer uma arritmia cardíaca. Os médicos descartaram a relação deste caso com o tumor no cérebro.

Os médicos realizaram na quarta e quinta-feira exames para descobrir o que motivou a arritmia. Viroses ou problemas de cunho emocional poderiam causar o problema, mas os resultados dos exames ainda não foram informados, de acordo com a assessoria de imprensa de Oscar.

Comente aqui


Apostador leva sozinho R$ 111 milhões da Mega-Sena acumulada

Apenas uma aposta acertou as seis dezenas do sorteio 1.575 da Mega-Sena e faturou o prêmio de R$ 111 milhões.

As dezenas sorteadas na noite deste sábado em Osasco (SP) foram 01 – 04 – 05 – 14 – 45 – 56.

A aposta foi registrada na cidade de Santa Bárbara d’Oeste (SP). O valor, acumulado há oito concursos, é o sétimo maior da história da Mega-Sena e o segundo maior de concursos regulares (excluindo a Mega da Virada): só perde para o sorteio 1.220, que pagou R$ 119 milhões para uma única aposta de Fontoura Xavier (RS) em 6 de outubro de 2010.

Segundo a Caixa Econômica Federal, o valor arrecadado com o sorteio foi de R$ 199 milhões.

Ao todo 709 apostadores acertaram a Quina e levam R$ 16.432,41 cada. Outros 42.590 jogadores acertaram quatro números e embolsam R$ 390,78.

Sem categoria
1 Comentário


Juventude se despede de Lumay na capela mortuária

Lumay Sentinelo Borges era um dos participantes do Bloco do Aço

Lumay Sentinelo Borges era um dos participantes do Bloco do Aço

Centenas de pessoas, principalmente jovens, estão comparecendo à Capela Mortuária de Astorga (a 50 quilômetros de Maringá) desde ontem para se despedir do jovem Lumay Sentinelo Borges, que morreu ontem aos 20 anos de idade.

Lumay morreu na queda de um guindaste na manhã de ontem, enquanto trabalhava em uma metalúrgica às margens da PR-218. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o acidente.

O acidente aconteceu pouco antes das 11 horas na AstMetal Indústria Metalúrgica, empresa que trabalha na fabricação de caixas de água, estruturas metálicas e placas de aço. Um guincho que corria em um trilho elevado escapou e caiu, atingindo o rapaz que fazia serviços no chão. Lumay sofreu traumatismo craniano e fratura exposta em um dos braços, chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu ao dar entrada no hospital.

Os bombeiros civis Rafael Gustavo Martioli e Luciano Barbosa de Souza ainda fizeram massagens torácicas enquanto transportavam o rapaz para o hospital, a respiração e os batimentos cardíacos chegaram a se normalizar, mas por poucos minutos.

A morte de Lumay causou comoção entre a juventude de Astorga, que tinha o rapaz como uma pessoa popular, com facilidade para fazer amizades e “muito alegre”, como descreveu o amigo Luciano Júnior Casacchi.

Segundo Casacchi, Lumay, que morava com uma avó, desde os tempos de escola, no Colégio Adolpho de Oliveira Franco, foi angariando amigos, trabalhou como fotógrafo para a agência Quem?, que cobre baladas, e nos últimos cinco anos era uma das figuras mais ativas do bloco carnavalesco Bloco do Aço, que se preparava para o carnaval deste ano.

Ele era uma pessoa que todo mundo gostava, era participativo e sempre alegre”, disse.

A Polícia Civil iniciou uma investigação do acidente, mas até o final da tarde de ontem ainda não tinha muitos detalhes. Uma equipe da Polícia Científica deverá analisar o equipamento para saber o que provocou a queda.

1 Comentário


E Regina vai dormir aliviada

A Câmara de Campo Mourão decidiu nesta terça-feira que não instituirá uma comissão especial para apurar denúncias sobre a possível existência de um esquema de arrecadação com dinheiro descontado dos funcionários que exercem funções comissionadas, os chamados CCs.

Sete vereadores votaram contra a comissão e cinco foram derrotados defendendo a necessidade de investigar a possível irregularidade.

O possível escândalo veio à tona durante uma investigação do Gaeco, o grupo do Ministério Público e Polícia Civil que combate o crime organizado. Aliás, as investigações ainda estão em andamento e ainda podem revelar muita coisa.

A prefeita Regina Dubay se safou desta graças às articulações dos sete vereadores que compõem seu grupo de apoio.

Comente aqui


Greve termina sem conquistas

As grandes emissoras de TV já estão adequando suas programações à campanha política, que promete. A Globo, por exemplo, reuniões os representantes dos principais partidos políticos para definir as datas para os debates dos candidatos à Presidência da República.

O debate para o primeiro turno será no dia 2 de outubro e para o segundo turno no dia 24 de outubro.

Como é de praxe, somente os candidatos que estiverem bem colocados nas pesquisas participarão do debate do primeiro turno.

A TV Bandeirantes deverá ser a primeira a realizar debate dos presidenciáveis, mas ainda não anunciou datas.

 

BD

 

Os funcionários da prefeitura de Lobato, que passaram toda a semana passada em greve, voltaram ao trabalho sem qualquer conquista.

Eles tinham sete reivindicações ao prefeito Fábio Chicaroli, que os recebeu para negociação, falou sobre a situação financeira da prefeitura e todos voltaram ao trabalho sem nenhuma reivindicação atendida, pelo menos de imediato.

Além de não obterem as conquistas que esperavam, os servidores ainda poderão ter descontados os dias em que não trabalharam.

Sem categoria
Comente aqui