Mês: fevereiro 2015



Padre que nem é intelectual disse “não” ao papa

Ao saber que o papa Francisco o escolheu para ser bispo na Diocese de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, o padre Luiz Gonçalves Knupp, na época pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Marialva, por pouco não disse um “não”, porque não se achava preparado para a missão. “Achei que não estava preparado intelectualmente para ser um bispo, mas o papa Francisco não quer um intelectual e sim um pastor, alguém que esteja no meio do povo, em especial os pobres e os excluídos”, disse ontem, momentos depois da comunicação oficial da nomeação.

A Nunciatura Apostólica do Brasil publicou às 8 horas – meio-dia em Roma – a nomeação do padre Knupp para a Diocese de Três Lagoas, no mesmo momento em que era publicado no Vaticano e que o arcebispo de Maringá, dom Anuar Battisti, fez a comunicação ao clero da arquidiocese.

Com a nomeação, Knupp passa a ser chamado de “monsenhor”e será ordenado durante cerimônia no dia 24 de abril, às 20 horas, na Catedral Metropolitana de Maringá. Na sequência, será definida a data em que será empossado em Três Lagoas. Ele é o terceiro padre da Arquidiocese de Maringá nomeado bispo e o segundo nascido na área da arquidiocese.

A nomeação aconteceu no dia 9 e foi comunicada ao padre pelo núncio apostólico dom Giovanni d’Aniello, representante do papa no Brasil. Mas, pela tradição da igreja, o assunto foi mantido em segredo até ontem e apenas o próprio Knupp, o núncio e dom Battisti, que o indicou para o cargo, sabiam da decisão papal.

Achei que não estava preparado porque não sou um intelectual da igreja, sou um homem simples, vindo da zona rural, e não me vejo fazendo outro trabalho que não seja junto ao povo”, disse monsenhor Knupp. “Relutei e disse ao núncio que não podia assumir, mas ele me disse que eu tinha o perfil que o papa Francisco quer para os novos bispos, pessoas que trabalhem junto ao povo”. O padre pediu tempo para decidir, rezar e saber qual era a vontade de Deus. Mas, não conseguiu entender a resposta, conversou com o arcebispo de Maringá e confessou que não tinha clareza sobre o que Deus queria que fizesse.

Dom d’Aniello disse que Jesus escolheu pescadores, que eram homens simples, alguns analfabetos, deixando claro que a opção do papa Francisco também não era por intelectuais, mas sim por um pastor entre os excluídos. “Isto desmontou meus argumentos”.

Monsenhor Knupp, que ontem à noite, junto com o arcebispo dom Anuar Battisti, celebrou uma missa de ação de graças na paróquia em que trabalha atualmente, a Menino Jesus de Praga e São Francisco Xavier, tem 57 anos e nasceu em um sítio da Estrada Alegre, em Mandaguari. Viveu na roça até os 21 anos de idade, quando mudou-se para Maringá para estudar Filosofia no Instituto Filosófico Arquidiocesano. Foi ordenado diácono em 1998 na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória em Maringá e ordenado presbítero no ano seguinte na Paróquia Bom Pastor em Mandaguari. Nos últimos 15 anos exerceu várias funções na arquidiocese.

Comente aqui


Padres que engravidaram fiéis ainda podem trabalhar

Os padres Zenildo Megiatto e Rildo da Luz Ferreira, que foram oficialmente afastados das atividades pastorais depois que foi comprovado que engravidaram fiéis das comunidades em que trabalhavam, ainda podem assumir igrejas na Arquidiocese de Maringá, assim como poderão atuar como padres em outras dioceses.

Os esclarecimentos foram dados na manhã desta terça-feira, durante entrevista coletiva no Centro de Formação Bom Pastor, pelo padre Júlio Antonio da Silva, nomeado pelo arcebispo dom Anuar Battisti para falar pela igreja sobre o caso dos padres de Mandaguari e Aquidaban, que confessaram ter engravidado mulheres de suas comunidades.

Segundo padre Julio, as dioceses são autônomas para tomar decisões sobre seus padres, porém seguindo o Direito Canônico, e a de Maringá decidiu que tanto o padre Megiatto, de 65 anos, que era pároco da Paróquia Bom Pastor, de Mandaguari, quanto o padre Rildo, de 35, da Paróquia Bom Jesus, em Aquidaban, distrito de Marialva, devem assumir os filhos. Os dois ficam afastados das atividades pastorais dentro da Arquidiocese de Maringá, porém poderão ser acolhidos por alguma outra diocese em qualquer lugar do Brasil. O padre Julio disse que há casos de padres de outras cidades que viveram a mesma situação e hoje estão trabalhando em dioceses de outras regiões brasileiras.

Quanto a atuar na Arquidiocese de Maringá, o representante do arcebispo disse que isto é possível, porém, Megiatto e Rildo só poderão fazer isto quando os filhos completarem 18 anos.

Comente aqui


Zé Bonitinho internado em estado grave

José Loureiro interpreta o garanhão Zé Bonitinho na TV há 55 anos

José Loredo interpreta o garanhão Zé Bonitinho na TV há 55 anos

Foi transferido neste sábado para o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital São Lucas, no Rio de Janeiro, o ator Jorge Loredo, que está internado desde o dia 3.

Loredo tem 89 anos e ficou conhecido pelo papel do garanhão Zé Bonitinho em programas humorísticos na TV.

De acordo com o hospital, o estado do humorista é grave.

Por decisão da família do ator, o centro médico não tem autorização para divulgar o motivo da internação, nem boletins sobre o quadro.

Inspirado em um amigo de Loredo, Zé Bonitinho estreou no programa Noites Cariocas, exibido pela extinta TV Rio nos anos 1960.

O personagem virou uma das estrelas do humorístico “A Praça É Nossa”, atualmente exibido pelo SBT, e eternizou bordões como “Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz”.

1 Comentário


Adolescente mata a mãe com golpes de tesoura e joga corpo em fossa

Policiais de Ponta Grossa se assustaram com a frieza de uma garota de 16 anos ao contar como matou a própria mãe com golpes de tesoura, jogou o corpo dentro de uma fossa e continuou morando na mesma casa.

Fazia duas semanas que a mulher de 47 anos estava ‘desaparecida’ quando a Polícia Militar recebeu uma informação importante pelo Disc Denúncia e foi até a casa em que ela vivia com a filha de 16 anos, na Vila Dalabona, em Ponta Grossa. Ao perguntar pela mulher, a garota disse aos policiais que ela estava desaparecida fazia 15 dias.

Mas, os PMs pediram à garota e ao namorado dela que os acompanhassem até os fundos do quintal, onde solicitaram que abrissem a fossa. Neste momento, o rapaz se apavorou e admitiu que a garota tinha assassinado a mãe e que ele a ajudara a dar fim ao corpo.

O corpo foi enrolado em um tapete pela própria filha e jogado dentro da fossa.

A adolescente foi apreendida e o cúmplice está preso na 13ª Subdivisão Policial de Ponta Grossa.

O nome da vítima não foi revelado porque isto identificaria a vítima, que por ser menor de idade não pode ter o nome divulgado na imprensa.

Sem categoria
1 Comentário


Menina nasce ‘grávida’ de gêmeos em fenômeno raro

Por meio de uma cirurgia, médicos chineses retiraram dois fetos do adbômen de uma menina de apenas três semanas. Os médicos pensavam que se tratava de tumores, mas exames de imagens constataram que a massa continha duas estruturas fetais, com coluna vertebral e formação óssea.

O fenômeno que faz com que um bebê nasça com uma estrutura semelhante a um feto em seu organismo é conhecido como “fetus in fetu”, ou “gêmeo parasita”. Trata-se de uma situação rara, acontece uma vez a cada 500 mil nascimentos.

feto-hongkong_HKMJ DivulgacaoUma das teorias sobre a formação do gêmeo parasita é a de que ele começa a se desenvolver como um feto normal, mas acaba encapsulado dentro de seu irmão.

O caso da menina chinesa ocorreu em 2010, mas foi descrito em um artigo publicado na revista científica “Hong Kong Medical Journal” neste mês.

Comente aqui


Creche é advertida por impedir entrada de aluno com Down

A decisão de uma creche de Maringá, de não permitir a entrada de um aluno especial que chegou atrasado por ter ido ao médico, gerou uma denúncia na Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e uma notificação à direção do estabelecimento.

O incidente aconteceu na manhã de ontem em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) da Avenida Carneiro Leão, onde o bacharel em Direito Sérgio Pereira da Conceição Silva chegou às 8h45 com o filho de quatro anos, mas recebeu a informação de que a criança não poderia permanecer na creche por ter chegado atrasado. O pai disse que o menino, portador de Síndrome de Down, tinha sido levado para uma consulta previamente agendada com a pediatra da Apae e apresentou documentos que comprovavam que realmente houve a consulta.

“Não é o fato de ter que levar meu filho de volta para casa que me irritou, mas sim o constrangimento que passamos com a forma grosseira que fomos tratados”, disse o pai. Segundo ele, o caso foi levado até a diretoria e a resposta que recebeu foi de que a criança não entraria ‘por que é o regulamento’.

Na Secretaria de Educação, Silva elogiou a forma especial que as professoras tratam a criança, mas criticou a intransigência e grosseria de quem o atendeu na creche.

A Gerência de Educação Infantil e a Gerência de Educação Especial da Seduc lavraram uma ata da denúncia e notificaram a direção do estabelecimento. Segundo foi apurado, a diretora estava atendendo em uma sala no momento e o incidente teria envolvido um secretário, que também foi advertido.

Comente aqui


Depois da fritura, Abraão deixa secretaria de Pupin

O advogado Alberto Abraão não é mais o secretário de Saneamento da prefeitura de Maringá.

Ele está exonerado a pedido e o prefeito Roberto Pupin já escolheu quem o substituirá.

Abraão, na verdade, foi fritado na administração por não concordar com várias determinações do prefeito. Ele, inclusive, discordou publicamente de Pupin com relação à chamada PPP do Lixo, que deu o que falar ultimamente. Afinal, ele é do Partido Verde e tem posições bem diferentes da de Pupin quando se refere à proteção do meio ambiente.

O clima ficou ruim e o próprio Abraão pediu demissão, que foi aceita.

Vale lembrar que nem de longe Alberto Abraão era do time do prefeito, aliás, time dos Barros. Ele só ganhou uma vaga de secretário em uma negociação para que o Partido Verde apoiasse Pupin no segundo turno das eleições de 2012.

O nome escolhido para o cargo de secretário de Saneamento é o de João Miguel Grillo, que estava na pasta de Assuntos Comunitários, mas, como a secretaria foi esvaziada, estava parado.

bullet02

CarmenEsta foi a segunda mudança anunciada no time de Pupin nesta terça-feira. Mais cedo foi confirmado o nome da suplente de vereadora Carmen Inocente para o cargo de secretária municipal de Saúde, substituindo Antonio Carlos Nardi, que pediu exoneração para ocupar um cargo no Ministério da Saúde.

Carmen, é claro, deve ter ‘merecido’ o cargo por sua atuação na política, mas é bom lembrar que ela é funcionária antiga da Secretaria de Saúde.

1 Comentário


Para entender a greve

Os jornalistas Hortênsia Franco de Carvalho e Cauhê Sanches estão dando um banho de bola na cobertura da movimentação dos profissionais de Educação neste momento em que deveria estar começando o ano letivo. Professores e demais funcionários da Educação estadual lutam para não perder ganhos de lutas anteriores, como o Plano de Carreira.

Veja uma mostra do trabalho de Horta e Cauhê, que ajuda o povo entender o que está acontecendo.

1 Comentário


Livro artesanal de Souto Maior chega dia 5

O livro feito pela Banquinho Editora é artesanal e tem capa em tecido

O livro feito pela Banquinho Editora é artesanal e tem capa em tecido

“Será que é poesia?”, a primeira – e possivelmente a única – incursão do escritor, jornalista e advogado Laércio Souto Maior no campo dos versos, será lançado em Maringá no próximo dia 5, à noite, no salão do Sesc – Serviço Social do Comércio.

Na apresentação do escritor, no lugar da tradicional foto, foi publicada uma caricatura feita há 35 anos pelo cartunista José Carlos Struet (1951-1982), que época publicava suas charges em O Diário e O Pasquim

Na apresentação do escritor, no lugar da tradicional foto, foi publicada uma caricatura feita há 35 anos pelo cartunista José Carlos Struet (1951-1982), que época publicava suas charges em O Diário e O Pasquim

Até agora o livro foi lançado somente em Curitiba e Maringá será a segunda cidade a conhecê-lo devido às ligações do escritor com a cidade em que viveu desde o início dos anos anos 60 e onde moram seus familiares.

Todos os exemplares são numerados, com capa dura revestida em tecido, encadernada pela Caderno Listrado e com arte da serigrafia da capa, de autoria de Júlian Imayuki Duarte, artista gráfico curitibano que reside no Rio de Janeiro. O lucro resultante da venda dos livros será revertido para o fundo da Associação dos Amigos do Arquivo Manoel Jacinto Correia – Centro de Pesquisa e Documentação Social.

Sem categoria
Comente aqui


Morre Nilton Servo, o mafioso que sonhava ser prefeito

Morreu na quarta-feira, em um hospital do Rio de Janeiro, o ex-deputado estadual Nilton Cezar Servo, que foi presidente do Grêmio de Esportes Maringá e disputou as prefeituras de Maringá, Nova Esperança, Campo Grande (MS) e Bonito (MS).

 

Foto publicada na revista Veja mostra Nilton Servo sendo preso em uma operação contra a máfia dos caça-níqueis

Foto: Muriel Gomes/Correio de Uberlândia  Foto publicada na revista Veja mostra Nilton Servo sendo preso em uma operação contra a máfia dos caça-níqueis

Apesar de ter disputado várias eleições, foram os fatos negativos que caracterizaram a vida de Servo, preso diversas vezes, algumas delas com divulgação durante dias no Jornal Nacional, da Globo, grandes jornais e revistas brasileiros. Ele se destacou principalmente como chefe da chamada Máfia dos Caça-Níqueis, que chegou a envolver até parentes do então presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Aliás, Servo se orgulhava em mostrar fotos dele com Lula publicadas em jornais.

Em Maringá, Servo se destacou também pela truculência, como na noite em que acabou com um baile em um tradicional clube social da cidade. Ele invadiu o salão de festas com um jipe depois de ter tido problemas na portaria.

Também há o caso em que teria comandado um grupo que tentou invadir a oficina de um jornal de Maringá para impedir a circulação de uma edição que trazia uma pesquisa eleitoral, em que ele aparecia lá em baixo.

bullet02

Embora tenha disputado muitas eleições, Nilton Servo sempre foi mau político. Nunca conseguiu um resultado expressivo em suas aventuras como candidato. No Mato Grosso do Sul, foi candidato a prefeito de Campo Grande e os moradores da cidade nem se lembram disto. Também tentou ser prefeito de Bonito. Foi duas vezes candidato a deputado federal pelo Mato Grosso do Sul e nas duas teve votações inexpressivas.

Em Maringá, onde cresceu e era conhecido por ser filho do ex-prefeito de Mandaguaçu Lázaro Servo, que foi também deputado estadual, Nilton foi presidente do Grêmio e ganhou muito dinheiro com casas de bingo. Mas, nunca se elegeu a nada. Aliás, chegou a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa com a morte do deputado José Alves. Servo era o suplente.

 

A imagem do ex-deputado na cadeia correram a imprensa paranaense

As imagens do ex-deputado na cadeia correram a imprensa paranaense

As outras tentativas de se eleger deputado também não deram em nada.

Como candidato a prefeito de Maringá em 1996, recebeu apenas 529 votos, que não dariam para elegê-lo nem vereador.

A última aventura de Servo na política do Paraná aconteceu em Nova Esperança, em 2008, quando enfrentou a então candidata à reeleição Maly Benatti e o empresário Roberto Pasquini. Obteve apenas 16% dos votos, menos do que a abstenção, que foi de 17%.

bullet02

Veja também Uma conturbada carreira política

21 Comentários