Mês: junho 2015



Faculdade fecha e alunos são transferidos para outra cidade sem serem consultados

A Faculdade Unissa de Sarandi, que há anos é destaque na imprensa porque muitos de seus alunos se formavam, mas não conseguiam receber os diplomas, fechou e todos seus alunos foram realocados em uma faculdade de Nova Esperança, a 47 quilômetros de Sarandi, tudo sem combinar antes com os acadêmicos.

0o0

Os que não quiserem estudar em Nova Esperança, que se virem, tentem se matricular em alguma faculdade de Maringá. Mas, os preços das mensalidades não são os mesmos, o calendário e a grade também.

0o0

O prédio já está sendo desocupado e deverá ser entregue até o dia 10. Há informações de que outra faculdade particular vai se instalar no local.

0o0

Os alunos da Unissa foram surpreendidos nesta segunda-feira à noite ao chegarem para a aula. Houve uma reunião que não estava programada e eles foram informados que professores e demais funcionários estavam sendo demitidos, o polo educacional desativado e todos eles já estavam transferidos para a FANP – Faculdade Noroeste do Paraná, em Nova Esperança.

0o0

Apesar das explicações da direção da escola, houve uma grita entre os estudantes, principalmente porque a maioria trabalha durante o dia e terão dificuldades para enfrentar uma hora ou mais de viagem até Nova Esperança e o mesmo tempo para voltar a Maringá diariamente.

0o0

“Estamos nos sentido desrespeitados, pois a instituição não nos deixa alternativa”, disse M.A., aluna do terceiro ano do curso de Pedagogia. “Não podemos nem tentar matrícula em alguma faculdade de Maringá por que há diferença no valor da mensalidade e os cursos tem outro calendário”. Segundo ela, a falta de alternativa é mais grave para os acadêmicos que devem ou deveriam se formar neste ano.

0o0

Este é mais um episódio triste no histórico da Unissa, que enfrenta problemas desde seus primeiros anos de funcionamento. Por anos a faculdade preocupou seus alunos porque cursos não eram reconhecidos pelo Ministério da Educação, a ponto de estudantes chegarem a esperar três ou quatro anos, após a conclusão de curso, para conseguirem seus diplomas. Há dois anos a faculdade foi vendida para a União Nacional das Instituições de Ensino Superior Privadas (Uniesp), um grupo educacional paulista presente em 59 municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Santa Catarina e Paraná. Mas, as dificuldades continuaram e culminaram com o fechamento da unidade de Sarandi, uma das nove no Estado.

0o0

“Não é um fechamento”, disse a diretora Geral da Unesp no Paraná, professora Rosimara Saraiva Carvalho, que recebeu a incumbência. “Será uma interrupção temporária da unidade de Sarandi e a qualquer momento pode voltar a funcionar em um endereço mais adequado”.

0o0

Segundo a diretora, hoje todo o sistema educacional brasileiro está passando por uma grande falta de recursos, tanto as faculdades públicas quanto as privadas, “e o Grupo Uniesp não é diferente de qualquer outro grupo”. Segundo ela, aconteceram casos de instituições que chegaram a dispensar até 150 funcionários em um só dia.

0o0

O motivo para a desativação seria o atraso nos pagamentos do Fies, o fundo do governo federal que financia universitários em instituições particulares. Desde novembro do ano passado que a Uniesp não recebe os pagamentos e a instituição tem 44 mil estudantes financiados. Em Sarandi, dos 42 matriculados nos cursos de Pedagogia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis, 38 têm Fies.

0o0

A realocação na Faculdade Noroeste do Paraná (FANP), de Nova Esperança, deve-se ao fato de ser uma escola da Uniesp e que oferece os mesmos cursos da Unissa.

0o0

4 Comentários


Garoto não ficou milionário e ainda tem que aguentar encheção de saco

Uma brincadeira de mau gosto de pseudos amigos levou parte da população de Maringá a achar que o jovem Renato Rodrigues de Lima, de 22 anos, morador no Jardim Ebenezer, era o sortudo que no dia de Santo Antônio dividiu com um ganhador do Rio de Janeiro o prêmio de R$ 63 milhões do concurso 1.713 da Mega-Sena.

Muitos se admiraram como ele e a família ‘disfarçavam’ tão bem, a ponto de, na segunda-feira, ao invés de ir à Caixa Econômica retirar a fortuna e desaparecer da cidade, cada um foi para seu trabalho.

Nem o próprio Renato sabe como tudo começou. O que descobriu até agora é que ainda na noite de sábado alguém colocou no Facebook e em diversos grupos do Whatsapp que ele era o novo milionário, usando, inclusive a foto. “Como tenho muitos amigos, todos que viam ficavam felizes e compartilhavam a mensagem”.

Mensagem de Renato na página dele no Facebook: "Gente, tão falando que eu ganhei na mega sena... fala sério! Quem que fica milionario e ainda fica aqui?? Se eu tivece ganhado essa bolada toda pode ter certeza que vocês nem iam ver mais a minha cor kkkk foi tudo uma brincadeira, e acabou se espalhando ... mais nada a ver! então pra deichar bem claaro  EU NÃO SOU O GANHADOR DA MEGA SENA! entenderam? NÃAAAO SOU! "

Mensagem de Renato na página dele no Facebook: “Gente, tão falando que eu ganhei na mega sena… fala sério! Quem que fica milionario e ainda fica aqui?? Se eu tivece ganhado essa bolada toda pode ter certeza que vocês nem iam ver mais a minha cor kkkk foi tudo uma brincadeira, e acabou se espalhando … mais nada a ver! então pra deichar bem claaro 
EU NÃO SOU O GANHADOR DA MEGA SENA! entenderam? NÃAAAO SOU! “

Na divulgação, foi dito que Renato, assim que foram divulgadas as dezenas sorteadas, ‘fechou’ um bar no Conjunto Ebenezer e bancou uma bebedeira de R$ 20 mil, depois foi para uma chácara e fez outra festa, onde destruiu o carro do pai, um VW Polo, a pauladas e deu o que sobrou a um amigo, além de ter bancado várias festas nos últimos dias.

O rapaz só ficou sabendo da brincadeira no dia seguinte. Ele nem tinha conferido a aposta quando começou a receber telefonemas e visitas de gente que queria ver o novo milionário. “O duro é que não acertei nenhuma dezena, mas ninguém acredita, acham que estou disfarçando, mas acha que alguém conseguiria disfarçar sabendo que acaba de ganhar R$ 31 milhões?”.

O garoto e a família não se cansam de desmentir a fofoca, mas a maioria, mesmo pessoas amigas, acham que eles estão tentando disfarçar. Todos os dias, dezenas de novas pessoas pedem para ser adicionadas por ele no Facebook e muitas pessoas têm tentando fazer amizade com ele, inclusive mulheres bonitas.

Renato trabalha no setor de entregas, tem uma moto Honda Biz, ganha cerca de R$ 1 mil por mês, durante a noite estuda para um concurso que pretende fazer para a Receita Federal e, nos fins de semana, assiste culto na Igreja Missionária Central. Ele, os pais e uma irmã vivem em uma casa que o avô, Napoleão, cedeu à família, no Ebenezer.

Alguém está se divertindo às nossas custas e nós estamos pagando caro por isso”, disse dona Diotilde, avó de Renato. Segundo ela, além das importunações, de “gente querendo saber, gente pedindo coisas”, familiares temem pela segurança, que bandidos achem que o boato seja verdadeiro e atentem contra alguém da casa.

Comente aqui


Aposta de Maringá fatura R$ 31,5 milhões na Mega-Sena

Uma aposta registrada em uma casa lotérica de Maringá acertou as seis dezenas do concurso 1.713 da Mega-Sena e faturou um prêmio de R$ 31,5 milhões.

O prêmio deste sábado era de R$ 63 milhões e será dividida para dois acertadores. A outra aposta ganhadora é do Rio de Janeiro.

Os números sorteados neste sábado, em Itabaiana, Sergipe, foram 03 – 10 – 16 – 23 – 27 e 29.

Além do prêmio principal, 388 apostas também fizeram a quina e cada uma vai levar R$ 17 mil. Outras 21.476 fizeram a quadra e ganharão R$ 440,56 cada uma.

Segundo a Caixa Econômica Federal, o prêmio sorteado neste sábado foi o maior deste ano.

Se souber usar bem o dinheiro, o felizardo maringaense nunca mais precisará pensar em trabalho e ainda contará com uma pequena fortuna para gastar todos os meses até o fim da vida. Aplicados em poupança, os R$ 31 milhões terão um rendimento de cerca de R$ 170 mil por mês, o que dá mais de R$ 5 mil por dia.

Sem categoria
14 Comentários