Mês: dezembro 2015



Menina de 15 anos está desaparecida desde domingo

A polícia de Mandaguari está mobilizada na tentativa de localizar a adolescente Brenda Carolina Abreu Massa, de 15 anos, que está desaparecida desde domingo.

BrendaSegundo a mãe, Marilene da Silva Abreu, Brenda havia ficado em casa, na Rua Rosa Mística Pedroni, no Conjunto Ipacaray, quando a mãe saiu para trabalhar em Maringá. Ao retornar no final da tarde, a menina não estava em casa.

Ao registrar o caso na polícia, Marilene afirmou que a filha vinha recebendo ameaças.

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro da garota deve informar a polícia de Mandaguari ou a família, pelo telefone 9764-9179.

 

1 Comentário


Depois de bebedeira, homem é amarrado nu em poste

Para quem acha que amanhecer caído na sarjeta com um cachorro lambendo a língua é o máximo do vexame para um cachaceiro, certamente não sabe como as coisas costumam terminar na Inglaterra.

Em Hazel Grove, subúrbio de Stockport, um homem amanheceu pelado e amarrado em um poste após uma bebedeira.

Se isto já seria por si só um baita vexame, a situação ficou bem pior depois que alguém viu, fotografou e publicou em redes sociais. A foto viralizou.

(Foto: Reprodução/Twitter/Mike Langford)

(Foto: Reprodução/Twitter/Mike Langford)

Sem categoria
Comente aqui


Em 2015, Maringá tem o menor número de homicídios dos últimos oito anos

Com dois homicídios em Maringá em novembro, o ano de 2015 está chegando ao final com o menor número de assassinatos desde 2008, ano em que O Diário começou a publicar o Mapa do Crime, um levantamento com base nos boletins de ocorrência das polícias Militar e Civil. Chegou a 28 homicídios no ano, número 33,3% menor do que os 42 casos registrados até novembro do ano passado e 58% menor do que as 67 mortes até novembro de 2013. Aliás, só em novembro de 2013 foram 13 assassinatos.

Coronel Antonio dos Anjos Padilha, comandante do 4º BPM

Coronel Antonio dos Anjos Padilha, comandante do 4º BPM

“Historicamente, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes em Maringá é baixa em comparação com outras cidades de porte parecido”, disse o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, coronel Antonio Roberto dos Anjos Padilha. Ele apresenta o levantamento da Secretaria de Segurança Pública para comprovar que Maringá tem o menor índice de homicídios entre as 10 cidades mais populosas do Paraná.

Segundo o levantamento, em Maringá a média é de 7 homicídios por 100 mil moradores, índice baixo se comparado, por exemplo, com São José dos Pinhais, que tem índice 27, ou Colombo, com 23.

Veja também:

Com 11% da frota, motos são responsáveis por 71% das mortes no trânsito de Maringá

 

Segundo o comandante, boa parte do trabalho da PM em Maringá está baseado em informações. “Quando sabemos que há risco de um homicídio em determinada situação, aumentamos o policiamento na área e muitas vezes o resultado é positivo”, diz. Outra estratégia é o combate constante ao tráfico de entorpecentes. “Grandes apreensões são interessantes, como mostram as da Polícia Rodoviária e do Denarc [Divisão Estadual e Narcóticos], mas direcionamos o trabalho a acabar com as chamadas biqueiras, as bocas de fumo, visando não a quantidade de drogas apreendidas, mas o número de protocolos. Tirando o vendedor de drogas de circulação, estamos potencializando a redução de furtos, de roubos e de homicídios”.

Até novembro foram abertos quase 2 mil protocolos, quase 300 a mais do que no ano passado, e foram detidas 185 pessoas.

Comente aqui


Com 11% da frota, motos foram responsáveis por 71,5% das mortes no trânsito em novembro

O número de mortes no trânsito de Maringá em novembro foi sete vezes maior do que em outubro

As mortes no trânsito voltaram a aumentar e fizeram de novembro o segundo mês em que mais pessoas morreram em acidentes em Maringá, superado apenas por janeiro, que registrou 8 fatalidades. O crescimento foi de 600% em relação a outubro, que teve apenas uma morte.

Foto: Walter Araújo

Foto: Walter Araújo

Um fato que chamou a atenção das autoridades de trânsito é que dos sete acidentes que resultaram em mortes, cinco deles envolveram motocicletas, um dado preocupante, levando-se em conta que as motocicletas somam pouco mais 10% dos 303 mil veículos que compõem a frota de Maringá.

Outro dado que chama a atenção é que dos cinco acidentes com motos, em três deles não houve envolvimento de outro veículo. Em um, a moça que pilotava uma moto na Avenida Tuiuti bateu em uma árvore, em outro a moto caiu e a moça que estava na garupa não resistiu aos ferimentos e em outro um garoto de 18 anos saiu da pista e bateu em um poste de radar, morrendo na hora.

“Não podemos culpar as pessoas destes acidentes, pois podem existir outros fatores envolvidos, mas o fato é que a maior parte dos acidentes envolvendo motos é resultado de imprudência, principalmente a falta de atenção e o excesso de velocidade”, disse o agente de trânsito Welinton Leandro Andrade, da Secretaria de Trânsito e Segurança de Maringá (Setrans), que trabalha o dia inteiro no trânsito, quase sempre pilotando uma motocicleta.

Segundo Andrade, o número de motos em Maringá vem crescendo, “mas nem todos estão preparados para este veículo, que é cômodo, prático, mas também muito perigoso”. O agente entende que quem está na direção de uma moto precisa estar consciente dos riscos que está correndo e assim redobrar os cuidados.

O instrutor Carlos Beto durante um curso de pilotagem

O instrutor Carlos Beto durante um curso de pilotagem

O presidente da Associação Noroeste de Motociclistas (Assunmoto), Carlos Beto Barbosa, que ministra cursos de pilotagem em empresas, diz que, além da pressa excessiva e a desconcentração, conta-se ainda a falta de conhecimento sobre o veículo. “A moto é um veículo que oferece muita facilidade e comodidade e com isto as pessoas se empolgam, fazem da passagem pelo meio dos carros, a ultrapassagem fácil e o arranque como se fossem coisas comuns. Esta empolgação leva ao acidente e o acidente leva à morte”.

Segundo Carlos Beto, as motos estão se tornando cada vez mais leves e mais ágeis e nem sempre os usuários se dão conta disto. “Veja que estão se tornando comuns os acidentes em que o condutor se perde sozinho, bate em carros, em postes, árvores ou caem. Isto significa que ele não está no domínio da moto ou cometeu algum abuso”.

O instrutor, que é autor do projeto “Motociclista Prudente”, defende que há necessidade de treinamento constante de quem usa moto. “As cidades com grande número de motos, como é o caso de Maringá, deviam oferecer treinamento, não só para a pessoa se aprimorar na direção, mas também para despertar a consciência sobre o uso da motocicleta”.

Mortes no trânsito

Dia Vítima
7 Anelóia Dantas da Silva Machado, de 24 anos, mãe de dois filhos pequenos, perdeu o controle da moto e bateu em um poste da Avenida Tuiuti. Socorrida, morreu horas depois no hospital.
10 Jefferson dos Santos, 35 anos, casado e pai de dois filhos, trabalhava na construção de um muro na Rua Peruíbe, Parque Grevíleas, quando um caminhão desgovernado derrubou o muro, matando-o.
11 Juan Felipe Kiyochi Valeriano, de 18 anos, perdeu o controle da moto que pilotava na Avenida Alexandre Resgulaeff, Jardim Paris, e bateu em um poste de radar e morreu no local.
14 Tiago Samuel Dreher, de 30 anos, trafegava de moto pela Avenida Paulo, na Vila Bosque, quando um Ford Fusion mudou de faixa sem dar sinal e bateu contra a moto. O rapaz morreu no local.
14 Thayná Vido da Costa, de 20 anos, estava na garupa de uma moto que sofreu uma queda na Avenida Nildo Ribeiro da Rocha e morreu no hospital no dia seguinte. Seus órgãos foram doados.
26 O pedestre Bruno Januário Leme, de 36 anos, foi o cruzar o Contorno Norte, próximo ao Conjunto Thaís, quando foi atropelado e morto por um VW Voyage, que fugiu após o acidente sem prestar socorro.
Professor Raul Pimenta Foto: Blog Angelo Rigon

Professor Raul Pimenta Foto: Blog Angelo Rigon

Pioneiro, ex-diretor do Núcleo Regional de Educação e professor do Colégio Gastão Vidigal, Raul Pimenta, 81 anos, morreu no hospital duas semanas após ser atropelado por uma moto na Avenida Colombo.

Veja também:
Em 2015, Maringá tem o menor número de homicídios dos últimos oito anos

Comente aqui


Projeto de Astorga é quarto colocado em disputa nacional

O projeto “Calçadas para todos”, desenvolvido pela Associação Comercial de Astorga, comerciantes, prefeitura e Sicredi, ficou entre as quatro melhores iniciativas inovadoras que contribuem para o aprimoramento da gestão municipal, competição organizada pelo Projeto MuniCiência, da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

A decisão foi ontem em Brasília, durante o Seminário sobre Iniciativas Inovadoras de Gestão Municipal, com a presença de prefeitos de todo o Brasil.

A iniciativa de Astorga foi considerada a melhor na análise técnica, porém perdeu em uma votação feita pela Internet. O primeiro lugar ficou com Rio Largo, município de Alagoas, que apresentou um projeto na área de segurança pública, seguido por Bom Despacho (MG) e Pompeu (MG).

O que é

Antes

Antes

O Calçadas para todos já construiu mais de 30 mil metros quadrados de calçadas na área central de Astorga e vai chegar aos bairros e distritos. Aparentemente, o projeto é bastante simples: a Associação Comercial se encarrega de conversar com os proprietários de terrenos de uma determinada rua ou avenida e se decide construir uma calçada nova ou fazer a revitalização da velha, a prefeitura usa suas máquinas para preparar o terreno e a calçada é construída a preço de custo. Se houver interesse dos envolvidos, o banco Sicredi se propõe a financiar o material de construção e a mão obra, parcelando o investimento em até 10 meses com juros subsidiados.

Depois

Depois

A ação trouxe benefícios para o comércio, porque as ruas se tornaram mais bonitas, com acessibilidade para mães com carrinhos de bebê, idosos e cadeirantes”, disse o vice-presidente para Assuntos de Prestação de Serviços da Associação Comercial, Lourival Macedo. “Com as calçadas revitalizadas, os comerciantes passaram a investir também nas fachadas de suas lojas, melhorando o visual da cidade. Com isto, percebemos que começamos a atrair mais consumidores de cidades vizinhas”.

Nos bairros

Para o prefeito Bega, o Calçadas para todos gera uma onda positiva, que acaba beneficiando vários setores. “Além de oferecermos beleza, conforto e segurança para o pedestre, o projeto estimula outras ações, como a construção de muros, colocação de grades, fachadas nos estabelecimentos comerciais, e isto significa trabalho para o pedreiro, para o pintor, as lojas vão vender mais materiais de construção. Enfim, há uma sequência produtiva na cidade”.

De acordo com o prefeito, receber prêmio da Confederação dos Municípios pode ser importante, mas “mais importante é que toda a população pode se beneficiar desta iniciativa, os moradores dos bairros podem se juntar para que o projeto seja executado em sua rua, assim como os moradores dos distritos”. Segundo Bega, “não é a prefeitura quem decide onde vai ou não ser construída calçada, é o próprio morador, e a prefeitura entra como parceira”. Ele acredita, que outros municípios da região também vão aproveitar a ideia.

1 Comentário


Prefeito deve devolver R$ 428 mil aos cofres públicos

A Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) emitiu parecer prévio pela irregularidade das contas do prefeito de Bom Sucesso (a 63 quilômetros de Maringá), Maurício Aparecido de Castro (PSB), mais conhecido como Ná do Açougue, relativas ao exercício de 2006. O gestor teve as contas desaprovadas em função de sete irregularidades. O parecer prévio indicou ainda nove ressalvas e cinco determinações.

Ná do Açougue em companhia de oficiais da Polícia Militar - Foto do site da prefeitura

Ná do Açougue em companhia de oficiais da Polícia Militar – Foto do site da prefeitura

Maurício Aparecido de Castro, que dirigiu o município na gestão 2005-2008, deverá devolver aos cofres do município R$ 428.317,22, montante gasto irregularmente com despesas realizadas sem licitação ou sem indicação de processo de dispensa. Esse valor deverá ser atualizado e corrigido.

Além disso, o prefeito recebeu duas multas. Uma no valor de R$ 1.450,98 (Artigo 87, inciso IV, alínea ‘g’, da Lei Complementar Estadual nº 113/2005, a Lei Orgânica do TCE-PR), pela ausência de comprovação de pagamentos dos precatórios notificados antes de julho de 2005. A segunda multa (Artigo 89, § 1º, inciso II, da LCE 113/2005), em face do dano ao erário causado pela dispensa indevida de licitação, no percentual de 10% do total de despesas realizadas sem licitação ou sem indicação de dispensa, atualizado e corrigido.

O relator do processo, auditor Claudio Canha, acompanhou parcialmente os pareceres da Diretoria de Contas de Municipais (DCM) e do Ministério Público de Contas (MPC). O parecer recomendando a irregularidade considerou a realização de despesas sem licitação ou sem indicação de processo de dispensa; a ausência de cópias dos extratos expedidos pelas instituições financeiras e dos comprovantes emitidos pelos órgãos credores, evidenciando a movimentação ocorrida no exercício e o saldo devedor em 31/12/2006, das dívidas contraídas e/ou confessadas, constantes do passivo permanente do balanço patrimonial.

 

Ausência de documentos

A análise das contas apontou também a ausência dos extratos bancários de janeiro de 2007, ou dos meses subsequentes, nos quais ocorreram as regularizações dos valores constantes das conciliações; ausência da cópia do ato que nomeou os membros do conselho municipal de saúde, acompanhado do relatório de gestão, contendo a prestação de contas anual em documento assinado por todos os componentes do colegiado e dos relatórios apresentados ao conselho em audiências públicas trimestrais; e ausência da relação de projetos em andamento na data do envio do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias ao Poder Legislativo. Entre as irregularidades figurou ainda a falta do demonstrativo de evolução da receita nos últimos três anos.

O relator determinou, em sessão de julgamento de 14 de outubro, o encaminhamento de cópia do processo ao Ministério Público Estadual, em função do possível dano ao erário pela dispensa indevida de licitação. Os gestores poderão recorrer da decisão ao Tribunal Pleno. Os prazos passaram a contar a partir de 13 de novembro, data da publicação do Acórdão 218/15, na edição nº 1.244 do Diário Eletrônico do TCE-PR, disponível no endereço www.tce.pr.gov.br.

Após o trânsito em julgado do processo, o parecer prévio do TCE será encaminhado à Câmara de Bom Sucesso. A legislação determina que cabe aos vereadores o julgamento das contas do chefe do Executivo municipal. Para que a decisão do Tribunal seja alterada são necessários dois terços dos votos dos vereadores.

Comente aqui


Funcionários da Câmara terão salários reduzidos

A Câmara de Vereadores de Nova Esperança (a 47 quilômetros de Maringá) assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público, se comprometendo a anular os efeitos da Lei que aumentou exageradamente os salários de alguns servidores da Casa e causou manifestações de protesto da população.

Segundo o promotor Marcelo Gobbato, “o parecer foi elaborado com inequívoca violação dos princípios constitucionais e legais, por profissional diretamente interessado na aprovação do projeto”.

A Lei criou níveis salariais que elevaram o salário do procurador Jurídico, por exemplo, de R$ 7,5 mil para R$ 10,7 mil, mais do que ganham vereadores e secretários municipais.

Comente aqui


Candidatos pedem anulação de concurso público

Quase metade dos 300 professores de Educação Física que disputaram as 10 vagas oferecidas no concurso público recentemente realizado pela prefeitura de Cianorte vão pedir na Justiça a anulação de 13 das 32 questões aplicadas, alegando que a prova não continha o conteúdo descrito no edital do concurso.

Segundo eles, as vagas oferecidas são na educação infantil, no entanto as questões seriam mais adequadas a candidatos a preparador físico. Alguns descontentes se reuniram com a secretária de Educação, Maria Neusa Casassa, e foram informados que qualquer ação deve ser contra a instituição que organizou a prova, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual de Londrina (Fauel).

Sem categoria
Comente aqui


Palmeirenses atacam carro da Globo e põem Cleber Machado para correr

O narrador Cleber Machado fugiu em pânico quando o carro da TV Globo foi atacado por torcedores do Palmeiras ao chegar ao Allianz Parque para cobrir a decisão da Copa do Brasil. Deixou o local com os comentaristas Casagrande e Caio Ribeiro, voltou correndo à sede da emissora, na zona sul. Quem conta os detalhes é o escritor e colunista Marcelo Rubens Paiva. Clique e veja

Sem categoria
Comente aqui


Homens e máquinas da prefeitura rasgam calçada para salvar filhote

Salvamento pageUm filhote de cachorro foi resgatado na manhã desta terça-feira por uma equipe do Pátio da prefeitura de Cianorte, após ter caído em uma boca de lobo na Rua Coliseu, Jardim Nova Itália.

A informação de que o animal estaria preso no local partiu dos moradores da região, que escutaram os latidos.

Para o salvamento, os servidores envolvidos na operação utilizaram uma retroescaveira para abrir a calçada e conseguir chegar até a galeria, que fica a seis metros de profundidade.

O salvamento durou três horas.

Sem categoria
4 Comentários