Pista que derruba corredores é analisada por prefeito e atletas

Uma reunião entre o prefeito Ulisses Maia (PDT), secretários municipais, vereadores e representantes dos grupos de corrida de Maringá, nesta sexta-feira às 16 horas, vai discutir reparos na pista de corrida do entorno do Parque do Ingá e a possibilidade de se definir novos locais para provas de rua.

A reunião foi proposta pelo corredor Genivaldo Menezes, o Ratinho, líder do grupo Coiotes Running, durante a realização da Paraná Running, no último sábado. Os representantes dos demais grupos de corrida concordaram e o vereador Mário Verri (PT) conversou com o prefeito para agendar o encontro.

Os grupos de corrida levarão também um engenheiro e um fisioterapeuta, que vão apresentar ideias para que a pista do parque ofereça mais segurança aos usuários. “Quase todo mundo que faz alguma atividade física no entorno do parque já caiu ou pelo menos tropeçou”, diz Ratinho, que há cerca de um ano tropeçou e rolou no cimento com seus mais de 80 quilos enquanto treinava. “O risco não é somente das pessoas que treinam para corridas, mas de todo mundo que corre ou caminha no entorno do parque, inclusive pessoas com idade avançada”.

Ratinho e os demais coordenadores de grupos, estão confiantes de que poderão contar com o apoio do prefeito, que no ano passado, quando ainda era vereador, fez um ofício ao então prefeito, Roberto Pupin (PP), pedindo melhorias na pista. Na reunião de sexta-feira o prefeito estará acompanhado do secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur, e do secretário de Esportes, Valmir Fassina, que já têm estudos sobre como melhorar a pista.

A prefeitura tem um projeto para reconstrução da pista do parque, com cobertura emborrachada, mas a obra não está na programação deste ano. Assim, os corredores pretendem pedir que sejam executadas obras paliativas, acabando com os pontos de perigo, até que seja reconstruída a pista.

Vendedores de frutas e caldo de cana no entorno do parque dizem que perderam a conta de quanto tombos ou tropeções testemunharam. E os próprios usuários da pista confirmam. É o caso de Jesca Monteira, que após uma queda teve que permanecer oito meses sem voltar a treinar. “Se formarmos um grupo no Facebook ou no Whatsapp, juntaremos centenas de pessoas que já caíram, algumas se machucando seriamente, após tropeçarem nos buracos”, diz Ratinho. “Nesta semana, fizemos uma vistoria ‘por cima’ e constatamos a existência de dezenas de pontos que oferecem perigo a quem está correndo, alguns deles verdadeiras crateras que cabem o pé inteiro de uma pessoa”.

O vereador Mário Verri, que solicitou a reunião com o prefeito, lembrou que Maringá se destaca pela qualidade de vida que oferece a seus habitantes, com importância os locais para a prática de atividades esportivas, mas que estes locais precisam oferecer segurança a seus usuários.

Um comentário sobre “Pista que derruba corredores é analisada por prefeito e atletas

  1. Claudio 16 de outubro de 2017 0:05

    Não esquecer da pista externa do parque das Grevileas…..

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.