depósito da prefeitura



Depósito de carros velhos da prefeitura é problema no Sol Nascente

Uma quadra inteira do Conjunto Habitacional Sol Nascente, próxima ao Contorno Sul, utilizada pela prefeitura de Maringá como depósito de ônibus escolares, tratores, caminhões da coleta de lixo e outros veículos que já não têm condições de uso, tornou-se um transtorno para a vizinhança, que diz que suas casas estão sendo invadidas por pernilongos, baratas e ratos.

Em plena área residencial, o depósito de veículos velhos virou abrigo de andarilhos, ponto de encontro de drogados e criatório de pernilongos, mosquito da dengue e escorpiões Foto: João Cláudio Fragoso

Os moradores temem que o local esteja servindo como criatório do mosquito da dengue e de escorpiões, duas pragas que atualmente preocupam as autoridades sanitárias do município.

Nem sempre foi assim”, disse a trabalhadora autônoma Luciene Pereira dos Santos, moradora na Rua Pioneiro Benedito Carvalho, em frente ao depósito. “Antes, toda a área era cercada por muros altos e tinha vigias de dia e de noite. Agora não tem mais quem cuide do local, os muros caíram e o mato cresceu”.

Segundo a vizinha, sem muros e sem vigias, o local passou a ser frequentado por andarilhos e usuários de drogas. “Nós ficamos inseguros, pois não sabemos quem são estas pessoas e o que elas são capazes de fazer”.

O também autônomo Zulmiro Tortola Filho, morador na Rua Pioneiro José Faian, já fez reclamações de todos os tipos, mas não obteve êxito. “Este lugar se tornou perigoso para a comunidade, a cada dia vemos pessoas arrombando os barracões, retirando objetos, os caminhões e tratores estão sendo sucateados, mas as autoridades não fazem nada”.

Quando diz que o ambiente está perigoso, Tortola se refere também à proliferação de insetos. “As casas são invadidas por pernilongos e tememos que entre eles esteja também o mosquito da dengue”. Outra preocupação é com escorpiões. Os barracões cheios de objetos e sem qualquer cuidado juntam baratas, que são o alimento preferido dos escorpiões.

Os vizinhos estão tão revoltados que ultimamente estão proibindo que os agentes da dengue verifique a situação de seus quintais. “Enquanto não for dado jeito neste criatório gigante, aqui eles não entram. A cidade está vivendo uma epidemia de dengue e o exemplo tem que começar pela prefeitura”, disse um deles, que preferiu não ser identificado.

Área de lazer

O prefeito Ulisses Maia (PDT) disse já ter sido informado sobre a situação do depósito da prefeitura e anunciou que as providências vão ser tomadas imediatamente, a começar pela limpeza do terreno. O objetivo de Maia é leiloar os veículos para aproveitamento de peças e demolir os barracões para que no local seja implantada uma Praça da Família, que será uma área de lazer com um pequeno campo de futebol com grama sintética e área de convivência.

Comente aqui