ossada



Chuva e animais danificam sepulturas e ossada fica exposta

Ossada exposta foi encontrada por moradores do distrito. entre as sepulturas.

Com mais de 60 anos e localizado em um dos extremos da área urbana, limitando com áreas de plantio de soja e milho, o cemitério do distrito de Aquidaban, no município de Marialva, é motivo para críticas, quando ossadas foram encontradas entre os túmulos. Pessoas fotografaram, filmaram e publicaram nas redes sociais.

cranio 1O que mais chamou a atenção foi o crânio de um antigo morador do distrito sepultado há mais de 30 anos. “É um desrespeito com os pioneiros , com as famílias que chegaram há décadas para, com seu trabalho, construir Aquidaban e Marialva”, disse um morador, que prefere não ter seu nome divulgado.

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Marialva informou que problemas deste tipo acontecem porque o cemitério é antigo e, como não tem calçamento, sofre ação da erosão, o que tanto danifica a base dos túmulos de cimento, provocando rachaduras, quanto destrói as covas simples. Além disto, como o portão permanece aberto, animais, a exemplo de cães e cavalos, entram e também danificam o ambiente.

Alguns túmulos são danificados pela queda de galhos de árvores antigas. De acordo com a prefeitura, há pouco tempo o cemitério de Aquidaban passou por reformas, ganhou muros e plantio de grama para melhorar o visual e conter a erosão. O próximo passo será a colocação de portões para evitar a entrada de animais e a recuperação da área em que estão as covas rasas. 

Comente aqui


Perna humana encontrada em barranca de rio

Uma bota de borracha com ossos de uma perna e pé foi encontrada por pessoas que pescavam no Rio Corumbataí, em Barbosa Ferraz (a 106 quilômetros de Maringá).

A bota foi encontrada pelo empresário Giovane Scalada e um morador da Vila Rural Ortiguinha. Eles caminhavam pela margem do rio quando viram a bota e dentro dela estavam uma tíbia e ossos de um pé, já bastante deteriorados pelo tempo.

Segundo as testemunhas, a julgar pelo estado dos ossos, a bota devia estar na barranca do rio há muitos anos. A polícia, que acredita que possam existir outras partes de um corpo na área, não tem informações que possam levar ao dono da perna.

Comente aqui


Ossada é encontrada próxima a nascente de córrego

A polícia de Farol, na região de Campo Mourão, tenta identificar a ossada de uma pessoa do sexo masculino encontrada no decorrer da semana em uma fazenda a cerca de dois quilômetros da área urbana. Os ossos estavam próximos à nascente de um córrego e por enquanto as autoridades policiais ainda não sabem a causa da morte e não descartam a possibilidade de homicídio.

De acordo com o diretor Administrativo do Instituto Médico Legal (IML) de Campo Mourão, Milton Scheibel, não havia qualquer documento junto ao corpo que pudesse ajudar na identificação, porém ele acredita que trata-se de uma pessoa bem jovem.

O corpo estavam com calça e blusa de touca de moletom e uma camiseta vermelha com a frase ‘voando alto’. Na região de Farol não há informe de desaparecimento de pessoa com essas características, o que faz crer que trate-se de pessoa de outra cidade.

Comente aqui