Saudade tem rosto, nome e sobrenome…

“Saudade tem rosto, nome e sobrenome. Saudade tem cheiro, tem gosto. Saudade é a vontade que não passa, é a ausência que incomoda. Saudade é prova de que valeu a pena”.

Publiquei este pequeno poema no Face há pouco mais de um mês. Desde então, a repercussão dessas simples palavras tem sido imensa no mundo virtual. Somando todas as reproduções que foram feitas em páginas de mensagens, já são quase 80.000 compartilhamentos. Na terça-feira da semana passada, dia 21, a apresentadora Ana Maria Braga abriu seu programa com o poema e o texto está, com os devidos créditos, no site do “Mais Você”.

E isso está acontecendo porque o sentimento é comum a todas as pessoas, de uma forma ou de outra. E hoje, 30 de janeiro, quando se comemora o “dia da saudade”, impossível não trazer o tema à tona novamente.

Há quem ache que saudade sempre lembra tristeza e que, por isso, não é mereça comemoração. Bom, então vamos trocar o “comemorar” por “celebrar”.

Recordar as pessoas que amamos e que já não estão mais entre nós é celebrar a vida. A morte nos separa fisicamente, mas não é, nem nunca será, a vitoriosa. Eu creio nisso.

Quando sentimos saudade é porque houve alguém que merece nossas lágrimas. Se a ausência incomoda, como escrevi no poema, é porque vivemos bons momentos ao seu lado. Por isso a saudade é celebração da vida. Da nossa história de vida.

E a gente sente saudade não só de quem “voltou pra casa”, mas também de que ainda está por aqui, neste plano terreno. Às vezes, por vontade própria ou não, pessoas deixam de ser companheiras de estrada. E aí vem a saudade.

Saudade dos tempos de infância e adolescência, saudade de uma viagem bacana que fizemos, saudade do cheiro gostosa da comida materna, saudade do abraço apertado paterno, saudade, saudade, saudade…

Que o dia de hoje, com ou sem lágrimas, seja motivo para festa em nossos corações. Que as lembranças sirvam para nos proporcionar momentos de emoção, não de tristeza.

 

 

15 comentários sobre “Saudade tem rosto, nome e sobrenome…

  1. Jose 30 de janeiro de 2013 13:16

    E quem não sente saudades que atire a primeira pedra.

  2. Pinheiro 30 de janeiro de 2013 18:37

    Parabéns, voce me faz lembrar Lupicinio quando escreveu sobre saudade.

    Compositor: Lupicinio Rodrigues/gal Costa

    Quantas noites não durmo
    A rolar-me na cama
    A sentir tantas coisas
    Que a gente não pode explicar quando ama

    O calor das cobertas
    Não me aquece direito
    Não há nada no mundo
    Que possa afastar esse frio do meu peito

    Volta
    Vem viver outra vez ao meu lado
    Não consigo dormir sem teu braço
    Pois meu corpo está acostumado

    Link: http://www.vagalume.com.br/lupicinio-rodrigues/volta.html#ixzz2JUcwuyRX

  3. maso 31 de janeiro de 2013 05:21

    Lu
    Seu talento está indo longe. Merecido!

  4. AGNALDO 31 de janeiro de 2013 12:25

    BOM DIA, LUCILENE, SOU SUSPEITO PARA COMENTAR, E CUMPLICE SEU, COMO NÃO SENTIR SAUDADES DOS AVÓS, QUANDO LEMBRO DO SEU TEXTO, ME EMOCIONO.
    UM ABS. LUCILENE!

  5. Rodrigues 17 de fevereiro de 2013 09:41

    Bom dia Lu
    Desculpe mas coloqui um pedaçinho dos seu porma saudade que amo….mas coloquei seu nome indentificado,que é muito lindo.Parabenes…amo tudo o que voce escreve e a sua sensibilidade.Não sei se tem um livro se tiver me indique ,gosto do seu jeito de falar….muito obrigada se quiser passe no facebook esta lá para minha filha dia 17/02/2013 e se for proibido eu retiro.obrigada,um beijo Cida o meu e-mail sera abacado por favor.

    • Lu Oliveira 17 de fevereiro de 2013 12:13

      Olá, Cida. Pode usar o poema à vontade. Eu só fico triste quando não citam a fonte, mas, desde que coloquem o meu nome, é uma honra vê-lo se espalhando por aí. Meus livros estão à vendas nas Livrarias Curitiba aqui de Maringá. Qualquer dúvida, entre em contato novamente,ok? Abraço!

      • Manuel Regalado 23 de fevereiro de 2014 05:16

        Saudade é um pouco como Camões disse do amor: é um contentamento descontente. É, como você muito bem diz, uma celebração da vida. Belas palavras encontrou. Parabéns!

  6. Pilar Lima 15 de março de 2013 01:06

    Saudade palavra q não se traduz…

  7. helena masseo de castro 22 de abril de 2013 22:03

    muito bom! pensamos parecido em relação à saudade!! “só quem viveu pode ter saudades” e isto é bom!! estou copiando trechos, com os créditos claro!

  8. Waldir 26 de abril de 2013 15:48

    Sem dúvida, o conjunto com meia dúzia de frases que melhor espelha esse sentimento. O simples e a emoção explicam o sucesso do texto.

  9. marynha 10 de agosto de 2013 07:28

    Este verso ainda rola e rola no facebook
    porque enquanto há vida, há amor, e se há amor sempre haverá saudade.Não precisa partir para sentir saudade, eu sinto saudade de quem amo diante de minha frente. SAUDADE ANTECIPADA. E a unica maneira de matá-la sem tirar a vida pe dizendo : Eu amo você..Você é iortante para mim.” Eu bati os olhos neste verso e amei. Quantas pessoas o amaram e ainda o amarão. Escrever cmo sentimentos cara LU OLIVEIRA é deixar herança eterna. Um abraço DEUS TE ABENÇOE!!

  10. Livia Pavkov 10 de outubro de 2013 01:49

    Oi Lu, tb vi esse poema q de alguma forma foi compartilhado na minha timeline no facebook. Assim q li, fui profundamente tocada, pois retrata em palavras o sentimento q tenho pelo meu pai q faleceu ha tres anos. Hoje moro nos EUA e estou estudando numa faculdade daqui. Na minha aula de redacao, o professor pediu uma redacao sobre uma memoria, algo q tivesse marcado nossa vida de algum modo. Nao pensei duas vezes em escrever sobre o dia q falei com meu pai pela ultima vez, o dia q ele faleceu. O titulo da minha redacao eh Saudade – isso mesmo, em portugues – e no final eu citei vc e esse seu poema, pois alem de enriquecer minha redacao, retrata muito bem o significado da palavra, uma vez q a mesma nao existe em ingles. Enfim, gostaria de te agradecer por sua generosidade em compartilhar conosco seus pensamentos e te pedir permissao atrasada por ter usado seu poema. Um abraco fraterno de quem lhe admira.
    Livia Pavkov – Phoenix, AZ (10/10/13)

    • Lu Oliveira 10 de outubro de 2013 06:22

      Olá, Lívia! Sua mensagem tornou minha manhã ainda melhor. Obrigada, querida! Abraço!

  11. Ricardo Ayestaran 4 de dezembro de 2013 23:00

    Felicidades Lu, me encantó tu poema, breve sencillo y musical. Escrito en un idioma hermoso y dulce como es el portugués. Y si bien yo escuché decir en tu país que saudade es una palabra que no tiene traducción, y creo que es cierto, tus versos traducen a cualquier idioma el sentido mas hondo de la palabra. Un saludo muy cordial desde Montevideo, Uruguay de Ricardo Ayestarán

  12. Alberto Valença Lima 4 de maio de 2014 18:16

    UAU. Que maravilha. Parabéns pelo sucesso. Seus versos são mesmo encantadores. Almejo muito mais sucesso pra você. Se puder dê uma passadinha lá no meu blog. Também publiquei um texto sobre saudade. Um beijo.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


7 + = 16