Orgulho de ser elite

elite

Escrever o que penso tem seu preço, mas, como posso pagar em 3x no cartão, tornarei público um sentimento que me invade a alma neste momento: tenho orgulho de ser elite.

Mas não a elite do dicionário, o qual traz, dentre outros significados, o termo “escória”. Não a elite que simboliza pessoas que se julgam superiores às outras por causa da conta bancária.

A elite que batalha do nascer ao pôr-do-sol para conquistar seu espaço. E não estou falando necessariamente de uma varanda gourmet.

Aliás, faz pouco tempo que descobri pertencer à elite. Me disseram “não concorda conosco? então você é da elite!”. Foi um salto e tanto. Uma baita ascensão.

Quando fiquei sabendo, em um ímpeto quase coloquei um anúncio no jornal contratando um motorista e uma governanta. Sei lá… sempre achei que a elite deveria ter um motorista e uma governanta.

Mas… querem saber? É bom ser da elite.

Porque sou de uma elite que trabalha, que paga rigorosamente seus impostos. Sou de uma elite que para na faixa de pedestre e que não joga lixo no chão.

Sou de uma elite que acorda às 5h30 e dorme ao badalar das 23h30. Uma elite que dá aula, escreve, corrige texto, lava, cozinha, faz bolo de chocolate, faxina e compras no supermercado.

Sou da elite sim. Por isso tenho casa própria, um carro e celular. Mas, pasmem vocês, nunca ganhei na loteria. Nem roubei. Nem me vendi.

Sou da elite que sua a camiseta. Ou o jaleco, no meu caso. Sou da elite cujos pais não puderam oferecer nada além da escola pública.

Talvez por ser da elite, eu pergunte a quem me passa um número de telefone “é da TIM?”. Ou então peça para a vendedora da loja parcelar a minha compra. Elite que se preza não paga à vista.

Eu sou elite. Elite branca. Mas se eu trabalhar menos posso ter mais tempo para pegar um solzinho e me transformar em elite bronzeada.

No fundo acho que quem critica a elite queria mesmo é ser como ela.

Como não consegue, melhor mandar pra fogueira.

8 comentários sobre “Orgulho de ser elite

  1. João 16 de março de 2015 15:04

    Fazem parte da “elite branca” todos os sujeitos de grupos sociais privilegiados que denunciam difusamente as desigualdades do Brasil mas repudiam qualquer ato político real que as combata; todos os sujeitos incapazes de pensar e agir coletivamente, sempre colocando em primeiro, senão único lugar as suas vantagens pessoais; todos os sujeitos que, para dar um exemplo entre inúmeros possíveis, não apoiaram a greve dos vigilantes, que reivindicavam um piso salarial de pouco mais de R$ 1 mil (e R$ 20 de vale-refeição), diante dos bilhões de reais que os bancos lucraram no ano passado.

  2. Wesley 17 de março de 2015 15:44

    Sensacional…. tbm tenho orgulho de ser dessa elite! Parabéns pelo texto professora!

  3. Anderson 17 de março de 2015 21:50

    Infelizmente há um grupo de pessoas que adoram falar mal do governo. Pode ser Richa, Requião, Dilma, Lula, etc. A unica bandeira é o da reclamação e sempre são os outros que são da elite. Esquece que esse conceito medieval, ta muito ultrapassado, pois se todo empresario é elite ou burgues, imagina como fica aquele que tem um escritorio de representação comercial, franquia, uma loja num ponto alugado, carrinho de cachorro quente, etc. Continuam estudando com livro do seculo passado.

  4. Eliane Dantas 18 de março de 2015 09:34

    Perfeita colocação! Adorei a definição “elite bronzeada”! kkkkk

  5. Eduardo 20 de março de 2015 22:23

    Surpreendido novamente pelo texto da autora: positivamente! Parabéns!

  6. Francisco Luis Chatalov 21 de março de 2015 19:44

    Parabéns pelos textos que escreve. Retratam a pura realidade. Quem trabalha sempre será a elite.

  7. Mazo 23 de março de 2015 21:33

    Eu queria ser da elite do PT. Uma elite que age como uma organização criminosa, que não produz nada, mas negocia comissão em tudo que se produz neste país. Se os bancos lucram demais hoje, bilhões, deve ter petista levando vantagem nesto. Só empreiteiras, a Petrobrás, Eletrobrás, BNDS, só estas não dá espaço para tanto bacorinho vermelho. Deve ter vários mamando nos bancos, dando as “tradicionais consultorias” para quê os bancos faturem tanto.
    É João! penso que para reivindicar não precisa ser de grupo militante, basta o agir do grupo com o sindicato. Militante, hoje, parece mais um ajuntamento de idiotas trabalhando para uma organização criminosa de meliantes.
    Marchas da mortadela este Brasil já cansou! Lute com seu grupo, mas sem engrandecer nenhuma organização criminosa. Os professores fizeram isto e foi legal! Todo mundo apoiou o professorado, que, tinha umas bandeirinhas partidárias lá, se aproveitando, mas a nobreza do protesto estava muito acima da escória corrupta de partidos políticos.

  8. Dr. Rivaldo Ribeiro 13 de maio de 2016 12:51

    Parabéns pelo seu artigo sobre “Elite”. É isso mesmo ! Consigo ser várias coisas ao mesmo tempo e em cada horário do dia, tenho de batalhar e somar ao final do mês todos os proventos e ver as contas e pagá-las ! Brilhantismo de sua parte !

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.