Preparados para a morte?

A cena não é inédita: ao redor do caixão, familiares choram a perda de um ente querido. Em meio aos abraços apertados dos que tentam consolar os familiares,  em meio ao clima de comoção, frases como “Seja forte”, “Vai passar”, “Agora ele(a) está descansando…”.

Estive hoje no velório da mãe de uma amiga querida e pensei em como desejamos estar preparados para a morte. Mas não estamos. Nunca estaremos.

Mesmo quando o calvário de uma doença dura anos, mesmo quando alguém já está com idade avançada, mesmo quando um avó ou avô sofreram em uma cama de hospital, é muito difícil exigir “sejamos fortes” no momento da morte de quem amamos.

Não precisamos ser fortes nessa hora de dor dilacerante. Isso não quer dizer que precisemos sair gritando pela rua, desesperados, culpando Deus.

Mas acho que todo mundo tem o direito ao sofrimento. Viver o luto e tudo que ele traz é até  importante para o processo de superação. Uma superação que pode durar dias, semanas, meses, anos. Cada um  administra a saudade de uma maneira muito singular.

Conviver com a ausência parece meio paradoxal, mas é isso que acontece quando quem amamos morre. É preciso se acostumar com as consequências dessa ausência. E isso dói… não dá para ser diferente.

Talvez fosse o caso de não pensarmos tanto em estar preparados para a morte das pessoas que amamos. Talvez fosse o caso de pensarmos mais em nos preparar para curtir a vida ao lado delas. Pelo menos assim, quando a morte chegar, teremos certeza de que valeu a pena.

 

6 comentários sobre “Preparados para a morte?

  1. emerson 8 de março de 2013 18:04

    confesso que estou meio mecanizado em relação a ler blogs… vc a de convir que a maioria simplesmente (( colam )) texto , e alguns que se dizem representantes do povo deletam idéias contrarias e ignoram a democracia… mas lendo o seu texto fiquei feliz em saber que em algum lugar a sensibilidade e veracidade no sentimento em relaçao ao contexto do que foi escrito…ainda resiste, eu estive na fronteira da vida e morte por varias vezes , devido a um acidente de moto…eis um dos vários textos sobre tema (( morte )) que escrevi por brincadeira com inicio de uma tradução de uma musica u2 ;

    EU FALEI A LiNGUA DOS ANJOS…SEGUREI A MãO DO DEMÔNIO,EU ACRESCENTARIA Q ESTIVE VIVO MAS PROCURANDO A MORTE..ESTIVE AO LADO DA MORTE…E SEM OPTAR NA ESCOLHA RETORNEI A VIDA..MAS MORTO SOB CERTOS ASPECTOS…EXCLUI O AMOR POR OPÇÃO E ENCONTREI AO EXTREMO
    NO LIMITE DO Q EH SUPORTÁVEL.. a dor..NA DIMENSÃO LONGE DO PASSADO E FUTURO SEM PRESENTE..E A MENÇÃO DE TEMPO… PODE ESTAR ANOITECENDO..GOSTO DA LUZ MAS ADMIRO AS TREVAS..ACREDITANDO Q ALGUMAS VERDADES SEJAM MENTIRAS..MINHA EXISTÊNCIA FOI MOLDADA DO INICIO ATE O FIM SEM JULGAR Q EH CERTO OU ERRADO …NECESSIDADE OU SONHO..PRECISO PARAR DE ACHAR Q TD MUNDO EH BURRO E AS VEZES INSUPORTÁVEL ..PRA CONQUISTAR ALGUNS PONTOS DE VISTAS ERREI ACREDITANDO ESTAR CORRETO.. OBSERVEI…JA Q NA VERDADE EU SOU INSUPORTÁVEL E A SABEDORIA ESTA LONGE…CONFESSO Q INVEJO OS IGNORANTES.ELES NÃO SENTEM FALTA POR NUNCA TER POSSUÍDO e nunca SONHAM COM ALGO Q NAO IMAGINAM..ESTAR ESTAGNADO EH UMA OPÇÃO INVOLUNTÁRIA DE QUEM TA PERDENDO TEMPO COM Q EH FÚTIL…TALVEZ ASSIM TERIA SIDO MAIS FELIZ.???..MAS 2011 EH APENAS O INICIO DO CONTINUO CRESCIMENTO.. ESPERO TER ALMA…..ASS EMERSON LUIZ RIBEIRO. { DE 10/2009 A 02/2011 VARIÁS CIRURGIAS CADEIRA DE RODAS… ILIZAROV }
    ver menos
    PERDI TD … ESTOU A 700 KM DOS MEUS FILHOS.. REAPRENDI A VIVER…DAR VALOR NO QUE VC DEIXOU CLARO E PERFEITAMENTE… ((((((((( PROVEITAR TDS MOMENTOS ))))))
    PARABÉNS.

  2. maso 10 de março de 2013 07:39

    É um dia de reflexão! Boa reflexão Lu!

  3. maso 10 de março de 2013 11:59

    Lu
    Só rimas. Se tiver erros pode corrigir

    Morte

    O bom do velório da gente,
    é que a gente está presente,
    mas nada vê, nada sente,
    um descanso total da mente,
    o corpo gelado, dormente.
    Florido e cheiroso o ambiente,
    elogios que saem no repente,
    os perdões, ainda que tardiamente,
    acontecem, e tão facilmente.
    É suportável um defunto recente,
    mas o tempo passa rapidamente,
    e quem está vivo é consciente,
    e o baixar se faz exigente.
    E começam as lembranças do ente,
    do que fomos, só memória, silente,
    a saudade, essa dor persistente,
    diminuirá, mas não totalmente,
    e o que deixamos, como todo vivente,
    é o quanto amamos, eternamente.

  4. Maria 12 de março de 2013 13:58

    Oi Lu. Obrigada pelas suas palavras que traduzem um pouco o sentimento das pessoas enlutadas, sua compaixão pela gente me faz sentir que existem pessoas que compreendem e respeitam o nosso momento. Abraços.

  5. Lilian 15 de maio de 2013 13:31

    Oi Lu,

    Suas palavras traduzem um pouco do sentimento daqueles que perderam um ente querido.
    Nunca estaremos preparados para a morte, mas precisamos aprender a conviver com ela, infelizmente 🙁
    Estou “vivendo” esse luto como forma de superar o sofrimento. As vezes é preciso desabafar, pois ninguém consegue ser forte o tempo todo.
    Obrigada.
    beijo

  6. Silvio 5 de julho de 2016 08:32

    Em Eclesiastes 3 é bem claro o que vc disse: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de saltar, tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar as pedras, tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar, tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de lançar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar.
    Em Eclesiastes 7.2 diz também que é: “Melhor a casa onde há luto do que a casa onde há festa.”

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.