Bravas mulheres. Mas faltam homens no Senado

Assisti, indócil, a sessão de assassinato da CLT no Senado.

Com todo o respeito aos senadores e senadoras da oposição, exceto pela senadora Gleisi Hoffmann, constrangeram-me ver os “apelos” a um bando de canalhas, como quem pede a lobos para serem vegetarianos.

Um dia, uma hora, me desse Deus como senador, era preciso brandir o chicote contra os ratos que sabem perfeitamente o que fazem ali.

Alguém, por favor, que dissesse ao fuinha do Eunício de Oliveira que ele não era digno de ser cearense, não era digno de ser nordestino, que ele é um empresário de terceirização, um “gato” modernizado.

Que dissesse a ele que era um covarde, porque sequer se defendia da acusação, publicada na grande imprensa, de que ia apanhar pessoalmente o dinheiro da JBS,

Acusado, qualquer um pode ser, mas só um rato não se defende com indignação a ser chamado de “maleiro” de Joesley Batista.

No destaque da proteção a gestante e a lactante, quem dissesse que respeitava tanto às mulheres e às mães que jamais poderia admitir, a qualquer título, que uma delas fosse colocada a trabalhar num ambiente insalubre, ainda que no colo dela estivesse um dos porcos que hoje estão votando para colocar mães em situação assim.

E ao canalha que ousasse reagir, chamar para que venha, que seja homem de enfrentar, porque em nome de milhões de homens e mulheres que eles estão esbofetando, teria imenso prazer em plantar-lhe a mão na cara, como o chicote de Cristo lambeu aos mercadores do templo.

Mas sou um homem fora do meu tempo, que se recorda de Leonel Brizola a dizer que aquele é o clube amável do Congresso, onde as maiores monstruosidades são feitas com uma “Vossa Excelência pra cá, outro Vossa Excelência para lá”.

As mulheres do Senado deram o exemplo. Os homens não o souberam seguir.

       . Fernando Brito (Tijolaço)

Sem categoria

4 comentários sobre “Bravas mulheres. Mas faltam homens no Senado

  1. Antonio 12 de julho de 2017 6:45

    Os 3 senadores do Paraná*GLEICE, ALVARO e REQUIÃO) votaram contra a reforma trabalhista e estão de parabéns, dois senadores mancharam suas histórias: Marta suplici e Cristovão Buarque votaram a favor a reforma e contra os trabalhadores.
    Não devemos deixar de elogiar o deputado maringaense Enio Verri que votou contra a reforma na camara e repudiar os traidores Nishimori, Edmar Arruda e Ricardo Barros que votaram a favor a reforma e contra os trabalhadores.

  2. Ana Lucia 12 de julho de 2017 9:16

    Gleisi Hoffmann me representa, terá o meu voto 2018 seja em qual cargo se candidatar, mulher de fibra e corajosa.

  3. Rubão 12 de julho de 2017 12:44

    Esse jornalista disse tudo:

    Por Pedro Breier

    O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), disse a seguinte frase, hoje à tarde: “Isso é uma avacalhação”.

    Ele se referia à ocupação da mesa do Senado pelas bravas senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Sousa (PT-PI), que se insurgiram contra a proibição de que os trabalhadores que se deslocaram até Brasília acompanhassem a votação da reforma trabalhista no plenário. Os que votaram a favor dessa aberração são, além de canalhas, covardes.

    Pois se o ato das senadoras é uma avacalhação, o que dizer do que a direita brasileira está fazendo com o país desde que resolveu derrubar a presidenta eleita democraticamente em 2014?

    Bandidagem é o adjetivo mais leve que me vem à mente.

    Esta reforma recém aprovada deforma completamente a CLT. É um ataque brutal aos direitos trabalhistas. Contempla apenas a sede de sangue dos grandes empresários, que querem manter sua margem de lucro na crise às custas do suor e do sangue do povo trabalhador.

    Um projeto que retira direitos e diminui a renda da base da pirâmide social em um dos países mais desiguais do mundo é um acinte, um escárnio. É criminoso.

    Estão esticando a corda ao máximo sem pensar nas consequências. PSDB, PMDB, DEM e demais partidos do status quo estão cavando sua própria cova.

    Comemorem enquanto podem, porque a luta, a partir de agora, se intensificará.

    E a derrota, mais cedo ou mais tarde, daqueles que não compreendem que somos irmãos e que só quando todos puderem viver dignamente seremos, de fato, um país, é inexorável.

  4. Carlos 13 de julho de 2017 16:38

    Parabéns às guerreiras mulheres senadoras deste país, incluindo a nossa SENADORA PARANAENSE GLEISI HOFFMANN!!!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.