O assassinato da CLT pode significar a morte do salário mínimo

Pesquisas apontam que 47% dos trabalhadores espanhóis ganham menos de um salário mínimo (mil euros) como conseqüência de uma reforma trabalhista que houve lá. E no Brasil, como será dentro de pouco tempo, caso essa lei esdrúxula da reforma trabalhista não seja anulada por uma ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade)?

Criado há 77 anos por Getúlio Vargas com o objetivo de garantir o mínimo que um trabalhador deveria receber para atender às suas necessidades básicas, o salário mínimo tende a desaparecer como referência para remuneração minimamente digna do trabalho.

A Constituição Cidadã de 1988 ratificou o preceito básico da Lei 185/36, que expressa em seu artigo 1º: “ Todo trabalhador tem direito, em pagamento do serviço prestando, num salário mínimo capaz de satisfazer, em determinada região do Paiz e em determinada época, das suas necessidades normais de alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte”.

Mas a criminosa reforma trabalhista, que o empresariado hoje aplaude, sem se dar conta dos graves problemas sociais que ela poderá gerar em futuro próximo, sepultou essa grande conquista dos trabalhadores brasileiros. E em nome de que? Em nome do aviltamento da remuneração do trabalho, do barateamento das contratações, que são caras não pelo que o trabalhador ganha, mas por conta dos encargos sociais sobre as folhas de pagamento, que nenhuma entidade patronal tem tido coragem para peitar.

Alguém tem dúvida de que a tal jornada intermitente é o pretexto para desobrigar o empregador a pagar pelo menos um salário mínimo ao seu empregado formal?

Se você está no time dos que bateram panela e aplaudiram as chicanas parlamentares feitas para a aprovação da tal reforma trabalhista, então saiba que o futuro da classe trabalhadora brasileira é sombrio. E tende a ficar pior se o governo, com Temer ou Rodrigo Maia, conseguir aprovar a Reforma da Previdência. Aí, só nos resta rezar pelos nossos filhos e nossos netos, que hoje estudam com afinco pensando em se qualificar e ter uma vida digna quando entrarem no competitivo mercado de trabalho. Tá bom pra você?

Sem categoria

2 comentários sobre “O assassinato da CLT pode significar a morte do salário mínimo

  1. Jair Champion 16 de julho de 2017 9:46

    Está ótimo!!! Salário mínimo cumpre com o objetivo??? O trabalhador que não seja preguiçoso, esforçado, e tenha força de vontade finalmente vai poder ganhar o que for justo, por seu trabalho e não ficar refém de uma CLT retrógrada!!! Viva a reforma trabalhista!!!!

  2. Márcio 18 de julho de 2017 15:05

    Para o país retomar o crescimento, não seria preciso privar o trabalhador de seus direitos, fazendo esse malabarismo maquiavélico chamado de reforma, bastava, como disse Lula: dar poder de compra para os pobres, pronto!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.