“Peso” extra para os cofres públicos? Alto lá!

Sou docente na UEM

Minha estabilidade é gerada pela natureza do trabalho que desenvolvo, sempre seguindo os critérios da legalidade e os princípios éticos. Durante todos os anos de trabalho, pago 11% de contribuição previdenciária, por isso, contribuo para manter a aposentadoria, e portanto, não me considero e não deveria ser considerada “peso” extra para os cofres públicos.

Não sonego impostos. Meu imposto de renda já vem retido na fonte..

Portanto, não faço parte de nenhum grupo de privilegiados. Ralei muito, e concorri com dezenas e centenas de pessoas por uma vaga.
Estudei muito para conseguir. E continuo estudando para conhecimento próprio e para prestar serviço de qualidade…

Conheço diversos profissionais com a história parecida com a minha, que lutaram e muito por uma vaga e isso não é indicação ou sorte. É competência!!!!!!

É injusto e covarde ver campanhas desmoralizando o servidor público!

Não se deixe enganar: a quebra da previdência e das finanças públicas é resultado de renúncias fiscais (perdão de dívidas milionárias de empresas), de isenções bilionárias, de inadimplência dos grandes devedores, além do uso indevido da finalidade e da má administração dos recursos públicos…

A crise econômica é política, a falta de acesso à saúde e demais serviços por parte da população não é culpa do funcionalismo público concursado!

. Professora Marta Bellini, no facebook

 

 

Sem categoria

21 comentários sobre ““Peso” extra para os cofres públicos? Alto lá!

  1. Francisco 7 de janeiro de 2019 17:39

    Rapaz… uma luz de lucidez na mente do blogueiro

      • Francisco 8 de janeiro de 2019 12:04

        Todos precisamos…

        Vc teve um piscar de sanidade desta vez.

        Parabéns

  2. Domingos Aparecido 7 de janeiro de 2019 19:30

    Professora Belini, a sua indignação agora vai aumentar…kkkkk, o Novo Jornal do Rio Grande do Norte divulgou a lista dos 50 maiores salários do judiciário de lá…pasmem! mais de 30 desembargadores e juízes ganham mais de 179 mil reais por mês. Quantos estados tem o Brasil? estou sem calculadora no momento… mais deve dar uma grana violenta,né? e para os professores? necas de piritibira!!!

  3. maso 7 de janeiro de 2019 20:25

    Verdade professora Marta! Houve muita renúncia fiscal dada pelos governos do PT que receberam propinas para tal. Quer dizer : isso também rendeu propina para o governo do PT e do Temer.
    E muito tributo para receber de gente grande que não paga. Vamos ver se melhora!
    O buraco da previdência vem de muita coisa errada, menos do pobre que recebe sua aposentadoria justa. Inclui se aí os professores.
    Ontem num café de domingo, equivalente aos chás ingleses, dois professores da UEM falavam sobre um fato que está acontecendo na UEM. Professores vão se aposentando e não estão sendo repostos. Um enxugamento de professores e funcionários está na estratégia não sei de quem, mas sobrecarregam se os da ativa com mais carga horária. Professor sobrecarregado produz menos. Diminui a qualidade do que poderia ser melhor. Entre muitos problemas do ensino público este é mais um acontecendo no Brasil. Devíamos investir mais, mas o contrário esta rolando.
    Só uma observação – Isto está acontecendo nas faculdades faz 6 a 7 anos. Por favor – não é culpa da semana de governo do Bolsonaro. Tá explicado!

    • Joao Maria 8 de janeiro de 2019 11:44

      Verdade Maso. O governo esta perdoando uma divida de 25 bilhoes do Banco Itau.

      • Joao Maria 8 de janeiro de 2019 11:47

        O atual governo vai privatizar o setor de loterias da Caixa. Outros bilhoes, que nos governos passados foram destinados a educaçao.

        • Francisco 8 de janeiro de 2019 21:38

          Tô tentando entender como os governos passados investiram bilhões e bilhões na educação e atingimos o fundo do poço no IDEB que mede a qualidade da educação… será que foi na educação só dos filhos dos governantes?

          • Joao Maria 9 de janeiro de 2019 10:42

            Ta por fora. A UEM e hoje uma das instituições de ensino, mais conceituadas no Brasil e e publica, assim como a Uel.

    • Francisco 8 de janeiro de 2019 16:01

      A situação da Polícia Militar é quase idêntica… não tenho certeza se ainda vigora, mas até pouquíssimo tempo atrás, até mesmo os aposentados eram obrigados a continuar contribuindo com a previdência do governo (PR)…

      Praças e oficiais além de enxugar gelo graças as leis arcaicas que temos, ainda estão fazendo milagres pois sei que existem municípios de 4 ou 5 mil habitantes que são cuidados por uma única equipe policial de um único homem. Duvida? Cito aqui alguns municípios: Iguaracu, M Mello, Ângulo, Flórida, Lobato, Santa Inês, Santo Inácio, inaja… outros cujo comandante sequer consegue colocar policiais devido a falta desses profissionais como N S das Graças…

      Tem mais… muito mais

      E apesar desses profissionais darem o sangue pela população, ainda são chamados de peso na previdência, apesar tbm de trabalharem dia e noite sem direitos como adicional noturno, insalubridade, periculosidade, horas extras etc. Etc. Etc.

      • Messias Mendes 8 de janeiro de 2019 19:39

        Quando falo em castas não me refiro aos policiais, esses que vão à rua combater o crime e que no caso do Paraná tem sido obrigados até a comprar munição e colete a prova de balas do próprio bolso. As castas estão , principalmente, na política, no Poder Judiciário e no oficialato das Forças Armadas.

        • Francisco 8 de janeiro de 2019 21:41

          Nao falei pra te provocar ou contradizer MESSIAS… comentei apenas pra mostrar que existem diversos profissionais de várias áreas públicas que apesar de dar o sangue pela população, são injustiçados pelo governo e tbm por comentários desairosos de uma parte mal informada da população

      • Décio 8 de janeiro de 2019 19:55

        Existem policiais bons sim, mas grande parte é corrupta e tem que ir para a cadeia.

        • Francisco 10 de janeiro de 2019 20:20

          Se a parte é tão grande, pq ñ denúncia ao menos um?

          Seria covardia ou só seus achismos?

          Ou será que a máxima de que quem ñ gosta de polícia é bandido vale ao nobre amigo?

          • Décio 12 de janeiro de 2019 11:58

            Não sou bandido e nem policial bandido, esses dias aqui em Maringá foi preso um, um cara que até foi vereador, não sou desta laia não, sou aposentado com 35 anos de serviços prestados ao município de Maringá.

            • Décio 12 de janeiro de 2019 12:01

              Como aposentado só tenho tempo para meus netos, pescar e ir em Guaratuba onde tenho um pequeno apto, quanto aos policiais bandidos deixo para os mais novos denunciarem como fizeram aqui em Maringá.

  4. alderijo bonache 7 de janeiro de 2019 21:49

    UM VERDADEIRO ESCÁRNIO VC RALAR A VIDA INTEIRA JAH DESCONTANDO 11% PARA SUA APOSENTADORIA E LÁ PELAS TANTAS, CAMPANHA DO LADRAVAZ COLLOR DE MELO, CRIA-SE A FIGURA SINISTRA DO MARAJÁ E DA MARANI E ACUSAM SERVIDORES PÚBLICOS DE TUDO, MAS DELIBERADAMENTE NÃO EXPLICAM QUE O FUNCIONÁRIO PÚBLICO NÃO TEM COMO SE LIVRAR DOS TRIBUTOS QUE SÃO TOMADOS NA MÃO GRANDE, ALÉM DO IR, SOMOS ACUSADOS DE TUDO, TODAVIA, PARA MANTER UM ESTADO MASTODÔNTICO COM INFINDÁVEIS PRIVILÉGIOS PARA OS POLÍTICOS, MAGISTRADOS E DO MINISTÉRIO PÚBLICO!

  5. Wilson 8 de janeiro de 2019 8:51

    Acredito que a melhor forma seria privatizar as universidades publicas(estaduais e federais) que são cheias de irregularidades e paraisos de FGS e CCs(a UEM está cheia destes morcegos, principalmente do Pstu e da Conlutas), que tal o governo privatizar, investir o dinheiro no ensino fundamental e médio e distribuir bolsas para os alunos que realmente necessitam, mas em faculdades privadas. Com certeza o estado teria uma redução substancial de suas despesas, e esses recursos poderiam ser canalizados para o ensino básico e médio que estão caóticos.

    Para os que são contra a privatização das universidades publicas, estranho ,… a ALEMANHA estatizou TODAS as Universidades … devem estar loucos na contramão da história … país atrasado … povo ignorante … 7 x 1″

  6. Jorjao 8 de janeiro de 2019 8:57

    Todo mundo sabe que o problema são o poder judiciário com jujus e promôs ganhando varias dezenas de milhares de reais por mês

  7. helen 8 de janeiro de 2019 10:33

    falou tudo Professora!!

  8. ue 8 de janeiro de 2019 21:07

    Parece que pelo menos dessa vez todos os palpiteiros concordaram. E nenhum marajá do judiciário apareceu aqui para rebater ou se defender. Mas um dia conseguiremos levar essa classe real a se parecer mais com os brasileiros comuns.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.