Salivação e comichão

Os empresários do setor de previdência privada já salivam e têm comichão anal com a proposta de um regime de capitalização na previdência pública.
A propósito, como fica a previdência no tripé da seguridade social criado pela Constituição Cidadã de 1988? Pelo jeito vão desvincular, passando por cima da Carta Magna, naquilo que pode ser considerado causa pétrea.

Sem categoria

26 comentários sobre “Salivação e comichão

  1. Domingos Aparecido 13 de janeiro de 2019 16:16

    Lucros a obter e perdas a evitar, essa é a máxima do sistema capitalista. A época do Bom Samaritano? está distante.

    • CC Maringa 14 de janeiro de 2019 10:58

      concordo plenamente, que servidor publico aposentado fique sem reposição por quatro anos, se quiserem aumento que vao fazer bico para manter sua qualidade de vida

      • Hudson 15 de janeiro de 2019 9:27

        O Maso deve tomar Gardenal estragado.

  2. maso 13 de janeiro de 2019 16:49

    Pode ter coisinhas negativas no novo governo. Pode ter até direção que não sabemos onde vai dar. Mas quando vemos a Gleice Kelly do PT sentada ao lado do Maduro, mostrando a buzanfa numa calcinha branca, aí vemos que não erramos o voto. demos um tiro no escuro, mas o outro alvo estava claro que era uma fria. Era gastar bala num bicho podre.

    • Hudson 15 de janeiro de 2019 9:28

      Coisinhas negativas?? este Bozocoisaruim vai afundar o país, se não quisesse votar no PT votava no Ciro Marina, Alkmim, Alvaro Dias…

      • João Luiz 15 de janeiro de 2019 16:47

        kkkkkkk
        De diferente, um pouquinho, o Álvaro, aí tinha Amoedo que da mesma linha do que precisávamos, os demais é tudo da mesma coisa, tudo da esquerda inclusive PSDB …

  3. maso 14 de janeiro de 2019 7:05

    E aí Messias! Não vai botar um post chorando as pitangas pela ida do marginal proletário Battisti para a Itália? Recuerdo que até Evo participou do despacho do famigerado assaltante para as terras dos pastafaris.

    • Messias Mendes 14 de janeiro de 2019 13:47

      Eu nunca defendi Batisti, seu Maso. Ele é pra um assassino. Não extraditá-lo foi um dos erros graves do Lula. Portanto,veja se larga de meu pé um pouco.

      • Fabricio 14 de janeiro de 2019 19:41

        Imagina se o bolsonaro da asilo político no lugar do Lula
        Imagina se no governo de Beto Richa acontece o mesmo que no Ceará???

        Aí sim o blogueiro não ia falar nada …..kkkkl

      • maso 14 de janeiro de 2019 19:52

        Pensei que você desse um apoio velado ao Battisti. Se omitir num caso tão relevante da a entender apoio. Bem que você podia ter dito isso quando o Lula deu alvará de liberdade pro marginal. Essas coisas fazem do PT um partido sujo e de atitudes porcas. Ser esquerda na Europa não é ser bandido, nem a favor de bandido.

        • Messias Mendes 14 de janeiro de 2019 23:25

          Cara, vá se curar do ódio que tem do PT em outro espaço. Não sou petista e por isso não tenho que ficar apanhando aqui por causa do PT. Largue do meu pé.

          • maso 15 de janeiro de 2019 11:45

            Mas eu não falei de você ! Eu disse que você se omitiu…só isso! Aí depois eu disse que estas coisas fazem do PT um partido sujo. Leio como está escrito que, sem fígado, que verás que não falei de você. E se você não é desse reles partido calma.

            • Messias Mendes 15 de janeiro de 2019 14:09

              Não sou petista, isso já falei mil vezes. Mas também não sofro de PTfobia, já disse mil e uma. OPT foi fundado por brasileiros respeitáveis, se perdeu no caminho a partir do momento que assumiu o poder. Não é o pior dos partidos, apenas se nivelou aos demais, com uma diferença que é ideológico. Só a indignação da maioria dos brasileiros é com a corrupção, então ela tem que ser geral, porque indignação seletiva não é indignação. A sua, pelo jeito, é seletiva.

        • Wilson 15 de janeiro de 2019 11:21

          Numa atitude de baixeza inimaginável, o stf autorizou a entrega de Olga Benário aos nazistas, em que pese ela estar grávida de um brasileiro. Reeditando esse momento extremamente triste de nosso judiciário (não que o STF seja alguma coisa muito além), Battisti, pai de um garoto de 2/3 anos, tem seu status de refugiado cancelado. Lamentavelmente, Evo Morales, no rastro do nosso judiciário, sem mais aquela entregou o Battisti a um governo de extrema direita. Deixando de lado o ato vergonhoso do governo boliviano, é importante discutir o assunto para ficar claro que já há algum tempo foi para o lixo o estado de direito em nosso país.

          CONTRADIÇÕES:
          “Quem gosta de índio, que vá para a Bolívia, que, além de ser comunista, ainda é presidida por um índio”, disse Rodrigo Amorim (PSL-RJ) (o mesmo que quebrou uma placa com o nome da ex-vereadora Marielle Franco na Praça Floriano, em frente à Câmara Municipal), quando comentava a situação da Aldeia Maracanã, no Rio de Janeiro.

          O vice-ministro de descolonização da Bolívia, Félix Cárdenas, informou à imprensa boliviana nesta terça-feira (8) que denunciará o Brasil à Organização das Nações Unidas (ONU) por “racismo de Estado”. “É apenas o começo. Com Bolsonaro, o racismo é uma política de Estado do Brasil, do seu presidente e do seu governo”, disse Cárdenas.

          E ontem, Evo Morales, desconsiderando leis de seu país e de protocolos assumidos e assinados frente à ONU (ACNUR) entregou Cesari Battisti ao governo de extrema-direita italiano.

          Para a “vitória” de Salvini, Bolsonaro e de todos os governos direitistas do mundo.

          • Victor H dugo 15 de janeiro de 2019 19:16

            Lugar de bandido é na cadeia meu jovem!!!

      • José Paulo 15 de janeiro de 2019 7:23

        Quem tem um blog como o seu, com posicionamento político que contraria a maioria da população, não pode se melindrar com as postagens dos leitores. O rabo não pode balançar o cachorro. Lamentável.

        • Messias Mendes 15 de janeiro de 2019 20:22

          Lamentável é ter gente que pensa como você entrando num blog que pelo jeito lhe causa asco. A porta é serventia da casa.

    • João Luiz 15 de janeiro de 2019 16:48

      iSSO não dá ibope contra o Bolsonaro, aí ele nem fala …

  4. Victor H dugo 15 de janeiro de 2019 0:23

    Não aparece o pai da criança, engraçado.

  5. Wilson 15 de janeiro de 2019 12:41

    Continuando sobre Battisti:

    Battisti é inocente. O episódio da sua condenação, na Itália, é um escândalo comparável à farsa judicial armada por Sergio Moro contra o ex-presidente Lula. O italiano foi preso, no final dos anos 1970, por sua participação num grupo de extrema-esquerda, e condenado a uma pena de treze anos por vários delitos políticos, como subversão. Fugiu da cadeia poucos meses depois e reapareceu na França, onde obteve asilo político. Só então, as autoridades judiciais italianas, como uma espécie de vendetta, decidiram acusá-lo pelo assassinato de quatro homens (três deles, fascistas envolvidos em diversos tipos de violência). Sem qualquer prova, somente com base em delações premiadas de ex-companheiros que dessa forma conseguiram aliviar suas penas.
    A extradição de Battisti é uma completa aberração do ponto de vista jurídico. Como bem lembrou o jornalista Celso Lungaretti no seu blog Náufrago da Utopia, “a sentença que a Itália quer fazer valer não só prescreveu em 2013 (trocando em miúdos: também está extinta).

  6. Wilson 15 de janeiro de 2019 12:42

    A extradição de Cesare Battisti representou uma grave violação ao princípio da segurança jurídica. A decisão de Lula, que negou o pedido de extradição em 2010, foi confirmada no ano seguinte pelo STF. Sim, depois de tudo, o decreto de Lula ainda foi submetido ao STF, que o aprovou no dia 11 de junho de 2011, por seis votos contra três. Os seis juízes que votaram a favor da decisão de Lula e pela rejeição das queixas da Itália foram Fux (impressionante!), Levandowski, Marco Aurélio, Carmen Lúcia, Ayres de Brito e Joaquim Barbosa.
    Em suma: assunto encerrado, julgado em todas as instâncias possíveis muito além do que seria imaginável. Desde então, Battisti já não é mais um refugiado político, e sim um imigrante com residência permanente, condição que mantinha até a decisão de Temerém até o presente momento. Aceitar sua prisão e entrega a um governo estrangeiro significa admitir que as garantias jurídicas já não valem mais nada no Brasil, que qualquer cidadão ou cidadã pode a qualquer momento ser vítima do arbítrio do Estado, exatamente como ocorreu durante os 21 anos da ditadura militar – os tempos da tirania voltaram com no Brasil.

    • João Luiz 15 de janeiro de 2019 17:01

      Só tem um probleminha, amigo, ele não foi preso no Brasil, portanto sua análise já cai por terra ai; digamos que estivesse no Brasil, também poderia, sim, ser extraditado, uma vez que é um criminoso já conhecido em outro país que está integrado na parceria pelo pacto internacional … fosse assim, o cara cometeria crimes e fugiria para outro país e estava tudo bem para o resto da vida, é isso? quanto a contestação de sua defesa, de que não cometeu, de que é perseguido, já é outra coisa, o caso é que ele foi condenado por lá, que se ajeite por lá.

  7. Victor H dugo 15 de janeiro de 2019 15:54

    O Mané, primeiro não foi o Brasil que prendeu o bandido, logo não toma decisão nenhuma, agora vir defender o lularapio que não quis extranditar o canalha, espera um pouco, vai ficar idolatrando bandidos que só dá prejuízo pra nação, vai catar coquinho!!!!

  8. Victor H dugo 15 de janeiro de 2019 22:23

    A mesma quantidade da sua!!!!!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.