Carta a uma psicologa

 

Uma amiga me confidenciou o amor.
Eu já acostumada a ouvir dores da alma,
fui ser o divã da psicóloga.
Depois de ouvir dela o que já sei de cor,
respondi que nem Freud explicou
a causa para tanta dor do amor.
Eu me juntei a ela e reclamamos
do mesmo assunto em questão.
Concluímos juntas que o pior,
para nós que escrevemos,
é sequer receber a resposta,
da mensagem que mandamos!
Vez ou outra se faz presente,
manda mensagem para acalentar a dor,
perguntando até se está calor ou se vai chover!
Ainda por cima,
enquanto você  pensa em ouvir Eu te amo,
recebe apenas o Eu gosto de você!
Oras! Gostar a gente gosta de chocolate,
sorvete, festa etc.
Amar é para uma só pessoa,
ali dia e noite atormentando o cérebro.
Então minha amiga,
ao invés da poesia,
vamos procurar o cardiologista.
Que tire ele essa dor do coração,
ele que é o especialista!

Cartas
1 Comentário