Não chores por mim Evita

 

Evita.
Nem é preciso dizer com palavras,
o que era inevitável acontecer:
Só o tempo para fazê-la entender,
que na minha vida de compromissos,
não tenho espaço pra você.

De que adiantam tantas mensagens
enviadas em garrafas coloridas?
Pois já possuo uma adega cheia,
para me embriagar nas noites
e madrugadas mal dormidas.

Dei prazo, não enviei torpedos,
nem recolhi as garrafas fechadas.
Bobagens lacradas e enferrujadas,
cheias de utopias, jogadas no oceano,
vagando sem rumo, cheias de medos.

Obrigado pelos momentos de paixão,
Mas, na verdade, eles não foram
melhores dos tantos que vivi,
nem tão bons…
Agora, por favor, não idealize mais,
não tenho tempo para ouvir.

Quanto aos poemas, colhe-os todos
e guarde-os nos diários pra si,
ou melhor, dizendo com todas as letras,
coloque as mensagens nos  excluídos
e se esqueça definitivamente de mim.

Peron:.

Cartas
Comente aqui