Escola dá exemplo de consciência ambiental

O Brasil começou a ser desmatado logo após a chegada dos descobridores em 1500. No Século XVI, um ano após a chegada dos portugueses, já teve início a exploração do pau-brasil, árvore com até 40 metros de altura, cujo miolo do caule é de cor avermelhada, tom utilizado para a fabricação de corante vermelho. A exploração que começou com o pau-brasil há mais de 500 anos, hoje traduz as consequências da falta de um código florestal e da extração predatória.

Os números são assustadores, de toda a extração de madeira na Floresta Amazônica, estima-se que 80% ocorra de forma ilegal. De 1,3 milhão de quilômetros quadrados de floresta nativa, encontrados na época de colonização, existem atualmente 102 mil quilômetros quadrados. Mais do que chocante, a situação do meio ambiente é um assunto para ser (re) pensando sempre.

A equipe pedagógica e a diretoria da Escola Municipal Afrânio Peixoto, de Ivatuba, tem usado o assunto durante todo o ano letivo para conscientizar os alunos de primeira a 4ª série sobre a importância da preservação ambiental. A fim de integrar a escola e a família a respeito do assunto, professores e alunos organizaram uma passeata pelas ruas da cidade, em que os alunos declamaram poesia e fixaram cartazes em estabelecimentos privados, com a autorização dos proprietários, sobre a imediata mudança de comportamento.

Sendo histórica ou recente, a falta de cuidado com o verde pode trazer grandes problemas aos seres vivos, como a destruição da biodiversidade, o empobrecimento do solo, a elevação de temperaturas e a desertificação. A mobilização ecológica é o ponto de partida.  Pense com os alunos sobre o assunto, desenvolva atividades e relate ao Diário na Escola. Se a sua escola tem tido atitude como a de Ivatuba, conte sua experiência aqui!

 

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.