Mês: agosto 2012



Evento Comemorativo

O Programa Multidisciplinar de Estudos, Pesquisa e Defesa da Criança e do Adolescente da Universidade Estadual de Maringá – PCA/UEM, promove evento em comemoração dos “15 ANOS DO PROJETO BRINCADEIRAS: FORMAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS“, nos dias 28 e 29 de setembro, no anfiteatro do bloco I-12 da UEM (dia 28) e praça da Catedral de Maringá-PR (dia 29). O evento contará com mesa redonda, atividades lúdicas e ato simbólico.

Inscrições:

No PCA, pelo telefone 3011-4384 (das 14:00hs às 17:00hs) ou e-mail: [email protected].

Comente aqui


A infância é o reflexo do que a sociedade a oferece

Joelhos machucados, braços ralados, pés descalços, mãos sujas, roupa rasgada, cabelo despenteado, rosto lambuzado, olhinhos brilhando, sorrisos vibrantes, palavras sinceras… Essas são características que representam boa parte do que é a infância. Data celebrada na última sexta-feira (24).

Aceitando a sugestão de atividade do Diário na Escola, a professora Ivone de Fátima Rodrigues, da Escola Municipal Dr. Helenton Borba Cortes, de Maringá, propôs aos alunos que produzissem textos e ilustrações sobre o Dia do Infância, data em que não se ganham presentes, como no Dia da Criança em 12 de outubro – e talvez por isso seja menos lembrada – mas tem servido para reflexão sobre como estão os pequenos e como será o futuro de cada um.

Nas produções os alunos relataram as brincadeiras preferidas, o que é essa fase da vida aos olhos deles e como era a infância no tempo de seus pais, época em que as crianças passavam mais tempo em cima de árvores, do que em frente ao computador.

Comente aqui


Mural de Trabalhos

No dia 16 de agosto deste ano uma jaguatirica foi capturada em uma propriedade rural de Maringá e virou notícia no jornal “O Diário”. A dona do sítio notou que houve mortes de animais no local, principalmente galinhas, e montou um sistema de armadilha para efetuar a captura da jaguatirica. A reportagem chamou a atenção dos alunos da Escola Municipal Ayres Aniceto de Andrade, de Sarandi, que fizeram as seguintes ilustrações sob a orientação da professora Izabel Marçon.

Comente aqui


Doutor Camargo cresce na avaliação do IDEB

O departamento de educação do município e a equipe pedagógica da Escola Municipal Padre Mateus Elias estão comemorando o resultado do Índice do Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) 2011, no qual obtiveram nota 6.1, média próxima ao que deveria ser alcançado apenas no ano de 2017. Nos cálculos do portal do IDEB a nota projetada para a escola neste ano seria de 5.5, o que comprova que a instituição está 11% acima do previsto.

A diretora do departamento municipal de educação, Leonice Rodrigues Milani Furini, destaca que esse resultado só foi possível devido ao comprometimento dos membros da comunidade escolar e das famílias dos alunos. “A formação continuada, projetos, palestras e o trabalho em parceria com o Diário na Escola nos deram todo o suporte educacional. Aos nossos professores competentes e alunos compromissados, parabéns!”, celebra.

Comente aqui


Dia da Infância

Comemorado hoje, 24 de Agosto. O Dia da infância, ao contrário do Dia Mundial da Criança, tem o propósito de refletir sobre as condições sociais, econômicas e educacionais em que as crianças vivem no mundo inteiro.

Todas as crianças têm direitos básicos, tais como alimentação, educação, saúde, lazer, liberdade e ambiente familiar e de sociedade. Devem também ser protegidas da discriminação, exploração, violência e negligência, como está patente na Declaração Universal dos Direitos da Criança.

Neste dia pense e faça algo pelos pequenos, especialmente pelos mais carenciados. Incentive o seu filho ou educando a fazer algo pelo colega da escola que está a passar por alguma dificuldade. Contribua para que cada criança tenha uma vida feliz e um dia mais sorridente.

Fonte: Portal Educamais

Comente aqui


Escola de Flórida comemora Dia do Folclore com produção de murais

Celebrado no último dia 22, o folclore trata-se de um saber popular que envolve um conjunto de tradições, lendas e crenças. Por meio de seu estudo podemos compreender o nosso povo e parte da nossa história. Dentre as características dessa manifestação cultural estão a transmissão oral dos conhecimentos e a sua aceitação por parte da comunidade.

A comemoração do Dia do Folclore na Escola Municipal Duque de Caxias, de Flórida, objetivou a aprendizagem dessa tradição cultural brasileira. Para isso, os alunos pesquisaram sobre o tema usando materiais pedagógicos da instituição, portais de ensino e a coluna do Diário na Escola sobre o tema. O resultado dos estudos proporcionaram a confecção de murais, destacando as principais histórias populares do Brasil. Entre os personagens mais lembrados estão o Boitatá, Boto Rosa, Curupira, Sereia Iara, Mula-sem-cabeça, Saci-pererê e Bumba-meu-boi.

1 Comentário


Mural de Trabalhos

A Escola Municipal Odete Ribaroli Gomes de Castro, de Maringá, está participando de um projeto que incentiva a reciclagem de embalagens longa vida, visando a sustentabilidade do planeta Terra. Essa iniciativa despertou o interesse dos alunos do 5° ano “A” em questões ambientais, bem como a preocupação com catástrofes, assunto que está gerando vários debates em sala. As crianças levaram para as aulas informações adquiridas em conversas com a família e em noticiários sobre a Rio+20, na qual o enfoque foi a sustentabilidade.

Com o objetivo de enriquecer e chamar atenção quanto a responsabilidade pela questão sobre os acontecimentos ambientais que estão causando transtornos quase que irreversíveis, os alunos, sob a orientação da professora Isalete Vallim Gaiotto, fizeram a leitura da reportagem publicada em “O Diário” no dia 25 de julho deste ano, com a manchete “Cidades sustentáveis têm apoio de todos os candidatos” e realizaram produções textuais e ilustrações sobre o tema.

A equipe da instituição acredita que é através da criança que vamos conseguir despertar a conscientização no adulto, minimizando os efeitos negativos causados à natureza.

1 Comentário


Dia do Folclore Nacional

Data celebrada hoje, 22 de agosto, valoriza as histórias e personagens do folclore brasileiro. Desde 1965, quando a data foi oficializada pelo Congresso Nacional, a cultura popular ganhou mais importância e também uma forma de ser preservada, pois possibilita a passagem do folclore nacional de geração para geração. A palavra folclore é de origem inglesa, o termo “folk” em inglês, significa povo, enquanto “lore” significa conhecimento, ou seja, conhecimento do povo.

O folclore é o modo que um povo tem para compreender o mundo em que vive, e ao mesmo tempo, conhecer parte de sua história. Mas para que um certo costume seja realmente considerado folclore, dizem os estudiosos que é preciso que este seja praticado por um grande número de pessoas e que também tenha origem anônima.

O folclore brasileiro, um dos mais ricos do mundo, formou-se ao longo dos anos principalmente pelos índios, brancos e negros.

Esta data é marcada por várias comemorações em todo território nacional. Nas escolas e centros culturais são realizadas atividades diversas, cujo objetivo principal é passar adiante a riqueza cultural do nosso folclore. Os jovens fazem pesquisas, trabalhos e apresentações, destacando os contos folclóricos e seus principais personagens. É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá, entre outros.

O que é?

Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas, muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Outras destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. Algumas deram origem a festas populares, que hoje ocorrem pelos quatro cantos do País.

As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos, misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. Procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico, como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza através de explicações científicas, eles criavam mitos com o objetivo de dar sentido às coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido à vida e ao mundo.

Principais folclóricos do Brasil:

Boitatá
Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como “fogo que corre”.

Boto
Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.

Curupira
Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.

Lobisomem
Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo quando a lua cheia aparece no céu. O lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente, somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.

Mãe-D’água
Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d’água : a sereia Iara. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.

Mula-sem-cabeça
Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre que como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pela cabeça.

Mãe-de-ouro
Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro, também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.

Saci-Pererê
É representado por um menino negro que tem apenas uma perna, sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.

Comente aqui


Atalaia comemora avanço no IDEB

A equipe da Escola Municipal Vânia Maria Simão, de Atalaia, está orgulhosa com o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) 2011, no qual obtiveram nota 6,0.

A diretora da instituição, Angela Candioto, conta que a elevação de três pontos na média é resultado do trabalho sério de toda a comunidade escolar, tendo como principais pontos: formação continuada constante, compromisso de todos os envolvidos no processo educacional, boa articulação entre a escola e a família, projetos permanentes incluídos na proposta pedagógica, sendo o Diário na Escola um deles e grande investimento no setor educacional. “Mais importante que os dados numéricos é a sistematização do processo ensino/aprendizagem, através de uma gestão democrática, embasada na dedicação e no amor àqueles que são os responsáveis pela existência da escola, os nossos alunos”, comemora Candioto.

 

Comente aqui


Mural de Trabalhos

Através da leitura do jornal “O Diário” realizada em sala pelos alunos do 5º ano “B” da Escola Municipal Rocha Pombo, de Ourizona, a professora Janete Baldo da Silva Machado, observou o interesse das crianças e começou um trabalho sobre a Gripe A. Por iniciativa dos próprios estudantes, eles realizaram entrevistas com agentes da saúde para ampliar a área de conhecimento sobre o vírus. Preocupado, o aluno Vitor Hugo Mendes dos Santos, fez a seguinte produção textual:

Comente aqui