Mês: março 2013



Dias de comemoração

Ontem foram celebrados o Dia do Teatro e o Dia do Circo, e no próximo domingo (31) vamos comemorar a Páscoa. Mas você sabe por quê esses dias são considerados especiais? Na página de hoje você vai conhecer um pouco mais sobre cada um deles.

Dia do Teatro

Você já foi ao teatro? Se foi, sabe o quanto é grandiosa essa arte milenar. Se não foi, ainda está em tempo de conhecer a arte que nasceu da necessidade em se comunicar. Os primeiros atores a encenar peças foram os gregos, mas apenas os homens faziam parte das apresentações. Eles montavam espetáculos com cenários, figurinos e utilizavam máscaras para fazer os papeis femininos. E foi assim que nasceram todas as outras formas de teatro que conhecemos hoje, e que tanto atrai o olhar do público, assim como o teatro de fantoches, de bonecos, de rua, os musicais, as óperas e diversos outros que nos emocionam com lindas histórias ou até mesmo nos fazem rir, no caso das comédias.

Dia do Circo

O Dia do Circo foi criado em homenagem ao palhaço brasileiro Piolin, que nasceu dia 27 de março de 1897, na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Você sabia que as primeiras tentativas de apresentações em circo vieram da China? Lá a monarquia se divertia com a apresentação dos contorcionistas e equilibristas.

O mundo mágico dos circos é feito pelos divertidos e simpáticos palhaços, malabaristas e suas manobras arriscadas, mulher borracha, atirador de facas, mágicos, adestradores de animais e trapezistas.

Os palhaços ficam encarregados de proporcionarem muitas gargalhadas ao público. Para ser um deles, é preciso vocação e gostar de interagir com as pessoas, pois só assim irão transmitir alegria e entusiasmo a todos que estão assistindo ao espetáculo.

O mágico é o que chama mais a atenção de todos na plateia. Executa números curiosos de ilusionismo prendendo a atenção dos espectadores.

Se você nunca foi ao circo, quando puder, conheça este mundo de diversão e magia!

Páscoa

Data em que se comemora a ressurreição de Cristo. A palavra Páscoa vem do hebreu “pessach” que significa passagem, a passagem da morte para a vida eterna, da escravidão para a liberdade, das trevas para a luz.

O ovo tornou-se símbolo da vida em razão da sua capacidade vitalícia. De dentro de uma casquinha tão frágil nasce um ser vivo.

Os ovos de chocolate foram criados no século XX. Desde a antiguidade vários povos consideravam o chocolate um “alimento sagrado”.

O coelho simboliza a fertilidade, já que é um animal que tem muitos filhotes de uma só vez, e fertilidade simboliza vida, nascimento.
No Brasil e na América Latina as crianças costumam preparar um cantinho que se assemelhe a um ninho e enfeitá-lo com palha, papel picado para que na madrugada da Páscoa o “coelhinho” passe por lá e deixe um ovinho de chocolate.
Geralmente esta data comemorativa é celebrada em abril, mas como ocorre 47 dias depois do carnaval, às vezes é em março, como vai acontecer neste ano.

A forma de comemorar a Páscoa pode ser diferente em diversos lugares do mundo, mas o importante é não esquecermos o significado dela.

Comente aqui


Mural de Trabalhos

Hoje o destaque é para os alunos do 5º ano da Escola Municipal Duque de Caxias, de Flórida. No primeiro contato com o jornal, os alunos da turma da manhã sob a orientação da professora Patrícia de Paiva, realizaram leitura das principais notícias e produziram um acróstico com o nome do impresso, relacionado a tudo que este material tão rico em informações pode oferecer.

Já os alunos da turma da tarde começaram os trabalhos com a interpretação da notícia. Leonardo é estudante do 5º ano “B” e a partir da leitura do texto com a manchete; “Motorista bêbado casou lentidão”, respondeu as questões fe itas pela professora. Confira os resultados:

Comente aqui


Nota de redação gera polêmica

O estudante Carlos Guilherme Custódio Ferreira, de 19 anos, resolveu descrever como preparar um miojo no meio da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012, que tinha como tema “O movimento imigratório para o Brasil no século 21”. O mais surpreendente é que ele recebeu 560 pontos, em uma produção na qual a nota máxima é de 1.000.

O candidato escreveu dois parágrafos sobre o tema proposto e depois dedicou um parágrafo inteiro ao preparo do macarrão instantâneo; “Para não ficar muito cansativo, vou agora ensinar a fazer um belo miojo, ferva trezentos ml’s de água em uma panela, quando estiver fervendo, coloque o miojo, espere cozinhar por três minutos, retire o miojo do fogão, misture bem e sirva”.

Em entrevista ao site G1, Carlos conta que escreveu a receita para testar o novo método de avaliação dos corretores, já que falaram que em 2012 seria diferente e a prova passaria por três correções. Ele explica que se inscreveu no Enem quando estava sem estudar, mas no meio do ano entrou no curso de engenharia civil do Centro Universitário Lavras (Unilavras) e resolveu fazer o exame do Ministério da Educação (MEC) sem muito compromisso.

Carlos Guilherme recebeu 120 pontos – de um total de 200 – na competência dois da correção, que avalia a compreensão da proposta da redação e a aplicação de conhecimentos para o desenvolvimento do tema. Já na competência três, que avalia a coerência dos argumentos, o candidato recebeu metade dos pontos possíveis, 100 de 200.

Em nota enviada ao jornal “O Globo”, o MEC afirmou que “o texto, em sua totalidade, não fugiu ao tema, e não feriu os direitos humanos. Tampouco cabe dizer que o participante teve a intenção de anular sua redação, uma vez que dissertou sobre o tema e não usou palavras ofensivas”.

Enquanto muitas pessoas reclamam da nota da Redação do Enem, notícias como essa acabam indignando ainda mais os candidatos. Pessoas que tiveram suas notas prejudicadas, vendo a chance de conseguir uma bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni) ou uma vaga pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), indo “por água abaixo”.

O jovem declarou em sua rede social que com a repercussão da inusitada redação que produziu, espera que os critérios para o próximo Enem sejam mais rigorosos. “Acho que vendo essa redação, esse ano a correção vai ser ainda mais rigorosa e isso é bom né?”.

Para a estudante Lissiê Galetti Scandelai, de 17 anos, esse tipo de situação envolvendo o Enem é um desrespeito ao candidato. “Os temas já são difíceis, a redação é o que me toma mais tempo durante a realização da prova. Eu esperava ao menos uma boa correção, mas infelizmente isso não tem acontecido”.

Foi constatado que redações que receberam nota máxima na avaliação do Enem, em 2012, tinham erros de ortografia como “rasoavel”, “enchergar” e trousse”. As redações com melhores notas no exame têm erros de ortografia, concordância verbal, acentuação e pontuação. Lissiê conta ainda que fez um bom texto, sem erros de ortografia e sua nota foi de 600 pontos. “Considero mais uma vez a correção injusta em relação às provas dos candidatos que obtiveram 1.000 pontos e apresentaram erros na produção”, reclama.

Raquel Lipe de Oliveira Marchioli é assessora pedagógica de língua portuguesa, na secretaria de educação de Maringá, ela cita que para o aluno ter um bom desenvolvimento na redação do Enem, ele precisa ter o domínio dos diversos gêneros textuais. “As crianças que estão nas escolas municipais, aqui em Maringá, são preparadas desde o primeiro ano do ensino fundamental para que no ensino médio tenham bons resultados em redações de vestibulares, ou mesmo no Enem”.

Os professores da rede municipal de Maringá desenvolvem a rotina textual, um método de aprendizado baseado no passo a passo, em etapas, até que o aluno chegue ao domínio de conteúdos necessários para a produção textual.

Raquel acredita que o fundamental é proporcionar ao estudante primeiramente o embasamento, para só depois ele desenvolver o texto. “Os nossos alunos do ensino fundamental começam a ser preparados para a dissertação quando estudam o artigo de opinião, ainda no quinto ano, e assim, terão mais chances de apresentarem bons resultados lá na frente”, destaca.

1 Comentário
 

Entre nessa parceria!

O Programa Educacional O Diário na Escola está aberto a parcerias com instituições de ensino públicas e também privadas. Para conhecer nossa dinâmica de trabalho e dar a oportunidade aos seus alunos de terem acesso a informação e à uma leitura diferenciada, além de cursos de capacitação aos professores, entre em contato pelo telefone: (44) 3221-6050 ou pelo e-mail: [email protected]

Comente aqui


Mitos sobre a Dengue!

  1. Ar condicionado e ventiladores matam o mosquito;
  2. Para matar os ovos do mosquito basta secar os reservatórios de água parada;
  3. Repelentes são fundamentais no combate à dengue;
  4. Tomar vitamina B afasta o mosquito;
  5. Borra de café na água das plantas mata os ovos do mosquito;
  6. As larvas do mosquito só se desenvolvem em água limpa.

Fonte: www.dengue.org.br

Comente aqui


Luta contra dengue mobiliza Ivatuba

O prefeito, Robson Ramos que também é medico, ficou preocupado com a epidemia de dengue em Ivatuba e decretou ponto facultativo na última segunda-feira (18), a fim de promover o “Dia Municipal de Combate à Dengue”.

Durante a ação, funcionários da prefeitura saíram para as ruas da cidade e também zona rural, indo de porta em porta para conscientizar a população e fazer a limpeza necessária de lugares que abrigavam larvas do mosquito Aedes Aegypti. Neste dia os alunos também foram dispensados das aulas e junto com os professores estiveram no arrastão que mobilizou a todos.

Uma moto com caixa de som passou por toda a cidade avisando aos moradores o início do “Dia Municipal de Combate à Dengue”, em seguida, as equipes começaram a se deslocar para as ruas da cidade e vistoriar casas e terrenos baldios à procura de possíveis criadouros do mosquito.

Foram retirados dos imóveis; pneus, latas, baldes, potes plásticos e diversos recipientes que podem acumular água. Todo o material recolhido durante a ação foi levado para uma empresa de reciclagem que dará o destino adequado para o lixo.

Os quase 80 funcionários que participaram do arrastão, também fizeram panfletagem alertando sobre os perigos da dengue.

“O mais importante dessa ação foi alertar os moradores para que mantenham os seus quintais sempre limpos, livres de resíduos que possam acumular água e posteriormente se tornarem criadouros do mosquito, afinal a dengue mata”, alerta o prefeito, Robson Ramos.

O trabalho conjunto de municípios e comunidades já traz resultados positivos em outras localidades. De acordo com a Secretaria de Saúde do Paraná, Peabiru é uma das cidades com mais casos de dengue no Estado, uma média de 912, e após ações de conscientização apresentou tendência de queda nos casos confirmados. Em janeiro o município registrou 130 casos em sete dias. Na primeira semana de fevereiro foram apenas 13.

Outro aliado no combate à dengue é o UBV pesado (fumacê), que atua no enfrentamento do mosquito adulto. A orientação é que a população abra janelas e portas quando o carro do fumacê passar. O Estado já enviou equipes e caminhonetes para realizar a aplicação do veneno em todas as cidades consideradas epidêmicas.

Aproximadamente 20 toneladas de lixo foram retiradas das casas e terrenos de Ivatuba

Comente aqui


Vem aí…

I Encontro – Profissionais da Região

Tema: PROVA BRASIL – o jornal como aliado para os estudos da Prova Brasil

Data – 15 de Abril

I Encontro – Profissionais de Maringá

Tema: A diversidade dos gêneros textuais presentes no jornal

Data Prevista – 24 de Abril

II Encontro

Tema: será definido entre; letra de canção, biografia, autobiografia ou resumo.

Data – Junho

III Encontro

Tema: Histórias em quadrinhos

Data – Agosto

IV Encontro

Tema: será definido entre; carta, notícia ou gêneros virtuais.

Data – Outubro

V Encontro

Tema: Relato de Experiências

Data – Novembro

Comente aqui


Professores do Diário na Escola vão receber capacitação

Encontros, oficinas, trabalhos em grupos, entre outras diversas ações, capacitam os profissionais da educação e ajudam a melhorar o desempenho dos alunos. É pensando nisso, que anualmente o Diário na Escola oferece encontros pedagógicos, nos quais são trabalhadas temáticas que visam atender as necessidades dos professores.

“Nossa prioridade é oferecer aos educadores condições para que possam desenvolver uma boa prática pedagógica utilizando a leitura do jornal, e neste ano estamos buscando alinhar os temas das oficinas com a programação do que o professor irá trabalhar em sala”, destaca a coordenadora do Programa, Loiva Lopes.

É preciso manter estes profissionais sempre atualizados e estimulados a obterem diariamente bons resultados. Não é só o aluno que precisa de um bom professor para aprender, o educador também necessita de bons formadores para fazer a diferença na sala de aula. O impacto na aprendizagem, após iniciativas de capacitação, costuma ser direto e rápido.

A professora de Marialva, Amélia Watanabe Horita já esteve presente em diferentes encontros de capacitação promovidos pelo Diário na Escola e relata que a experiência foi muito válida. “O que ouvi nas palestras me ajudou no trabalho diário em sala e na preparação das aulas, além do mais, nesses encontros temos a oportunidade de trocar experiências com outros profissionais”.

Maísa Cardoso é mestre em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e será uma das palestrantes que vai auxiliar na formação dos professores que fazem parte do Programa. Ela conta que os cursos de capacitação proporcionam a reflexão que precisa ser feita entre teoria e prática, e quando prepara as oficinas a preocupação é com o público que será atendido. “ Penso em transposições didáticas que favoreçam o professor. Também busco esclarecer quais são as bases teóricas das discussões e exercícios, a fim de que o profissional observe que toda atividade de sala de aula prevê concepções teóricas que lhe sustentam”.

No ano passado, Maísa ministrou a oficina sobre história em quadrinhos. “Os professores são muito participativos e as discussões de atividades e teorias são bem produtivas. Sem dúvida, cada oficina acrescenta ao ensino-aprendizagem do docente, o que reflete em seu trabalho. Acredito que o jornal em sala de aula e o trabalho com os gêneros discursivos que lhe são comuns favorecem um ensino que resulta em alunos mais críticos”.

Em conversa com a Secretária da Educação de Itambé, Maria Eliza Spineli, ela apontou que foi uma experiência bastante agradável e proveitosa participar das oficinas promovidas pelo Diário na escola. “Nos possibilitou não só o enriquecimento teórico, mas também a troca de experiências entre os professores que atuam em sala de aula e utilizam o jornal impresso como instrumento didático para as aulas”. Ela ressalta ainda que a troca de experiências, entre os professores, é o que enriquece e aponta alternativas e novas atividades para o trabalho a ser desenvolvido, possibilitando um maior envolvimento por parte do aluno com os conteúdos apresentados. “Acredito que todos ganham com este Programa, pois só tem a colaborar positivamente com professores e alunos na busca de um ensino com qualidade”.

Aos profissionais que são parceiros do Diário na Escola; na próxima semana vocês receberão o convite para o primeiro encontro de capacitação.

 

Comente aqui


Pnaic em Cruzeiro do Sul

As professoras do município de Cruzeiro do Sul participaram da aula inaugural do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). Um programa criado pelo Ministério da Educação (MEC) de formação e aperfeiçoamento de professores alfabetizadores, desenvolvido em parceria com as Universidades Públicas. Cruzeiro do Sul tem como instituição responsável a Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Na imagem, as profissionais da educação em momento de relaxamento, antes da palestra, para melhor aproveitamento do curso.

Comente aqui