O Diário na Escola

Publicidade

Movimentos sociais no Brasil

Categorias: Ação Social, campanha, cidadania, informação, questionamento, sociedade

A manifestação ou o protesto, da forma como todos nós temos acompanhado nas últimas semanas em nosso país, expressa uma reação de caráter público onde os manifestantes se organizam com o objetivo de terem suas opiniões ouvidas em uma tentativa de influenciar a política de governo.

A recente onda de protestos no Brasil foi desencadeada quando os governos de São Paulo e do Rio de Janeiro decidiram aumentar a passagem de ônibus em R$ 0,20. A população logo se uniu e tomou as ruas para protestar contra o aumento que, segundo os manifestantes, não está ligado ao valor da passagem, que passaria para R$ 3,20, mas sim com o transporte e os serviços públicos caóticos do país.

Vídeos e fotos mostraram que a maior parte do movimento era pacífico, com isso outros brasileiros foram para as ruas e apoiaram os protestantes. A população passou a questionar: como assim o país gasta tanto com uma Copa do Mundo e não tem boas escolas, ou hospitais de qualidade? As manifestações tomaram as ruas das principais capitais e repercutiram também no exterior.

E não é de hoje que o brasileiro vai a luta por seus direitos, por um país mais democrático e cidadão. Em alguns momentos da história do nosso país, atos como estes já se repetiram.

1922 – PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

A monarquia existiu no Brasil de 1822 a 1889. Porém algumas crises como a censura, a interferência de D. Pedro II nas questões religiosas e o fortalecimento do movimento republicano, desencadearam muita insatisfação. Num movimento mais elitizado, a população da época uniu-se a Marechal Deodoro da Fonseca, que após um golpe militar, instaurou a Proclamação da República no dia 15 de novembro de 1889, na então capital do Brasil, Rio de Janeiro. Naquele momento surgiu a República Federativa e Presidencialista no nosso país, sendo o próprio Marechal da Fonseca quem assumiu a primeira presidência.

1964 – GOLPE MILITAR

Naquele ano, um comício foi organizado pelo presidente do Brasil, João Goulart, no Rio de Janeiro e serviu como estopim para o golpe. Foi neste cenário que depois de um encontro com trabalhadores, João Goulart foi deposto e teve que fugir para o Rio Grande do Sul e, em seguida, para o Uruguai. Desta maneira, o Chefe Maior do Exército, General Humberto Castelo Branco, tornou-se presidente do Brasil. As principais cidades brasileiras foram tomadas por soldados armados, tanques, jipes, entre outros. O golpe militar de 1964 foi amplamente apoiado à época e um dos motivos que conduziram o manifesto foi uma campanha, organizada pelos meios de comunicação, para convencer as pessoas de que o presidente levaria o Brasil a um tipo de governo comunista, algo que a população considerava inadmissível.

1984 – DIRETAS JÁ!

Um movimento político democrático com grande participação popular, no qual o principal objetivo era estabelecer as eleições diretas para presidente da República do Brasil.

Inflação alta, grande dívida externa e desemprego, expunham a crise do sistema. Os militares, ainda no poder, pregavam uma transição democrática lenta, ao passo que perdiam o apoio da sociedade, que insatisfeita, queria o fim do regime o mais rápido possível.

Durante o movimento ocorreram diversas manifestações nas cidades brasileiras.

Depois de duas décadas intimidada pela repressão, o movimento das “Diretas Já” ressuscitou a esperança e a coragem da população. Além de poder eleger um representante, a eleição direta sinalizava mudanças também econômicas e sociais. Lideranças estudantis, da UNE (União Nacional dos Estudantes), sindicatos como a CUT (Central Única dos Trabalhadores), intelectuais, artistas e religiosos reforçaram o coro pelas “Diretas Já”.

Em 25 de abril de 1984, a emenda constitucional das eleições diretas foi colocada em votação. Porém, para a desilusão do povo brasileiro, ela não foi aprovada. As eleições diretas para presidente do Brasil só ocorreram em 1989, após ser estabelecida na Constituição de 1988.

1992 – IMPEACHMENT

Após muitos anos de ditadura militar e eleições indiretas, uma campanha popular tomou as ruas para pedir o afastamento de Fernando Collor de Melo do cargo de presidente. Acusado de corrupção e esquemas ilegais em seu governo, a campanha “Fora Collor” mobilizou muitos estudantes que saíram às ruas com as caras pintadas para protestar contra o presidente corrupto.  No dia 29 de setembro de 1992 cerca de 100 mil pessoas acompanharam a votação do impeachment de Collor em torno do Congresso, o qual foi aprovado tendo 441 votos favoráveis e apenas 38 contrários. Fernando Collor correu para renunciar e não perder seus direitos políticos, mas já era tarde. Mesmo renunciando, o presidente foi caçado e impedido de concorrer em eleições por muitos anos. Era a conquista do movimento “Fora Collor” que representou a grande pressão exercida pela população.

2013 – PROTESTOS

Considerada a maior das últimas décadas, as atuais manifestações abrangem grande parte das cidades brasileiras e considera-se que resultam do fato de que os cidadãos “caíram na realidade”. Um ato que começou no dia 06 de junho, devido os altos valores das passagens dos transportes públicos, hoje inclui novas bandeiras, como a luta por um país com melhor qualidade de vida, principalmente nos setores de educação e saúde, fim da violência policial e da corrupção, apuração nos gastos das obras da Copa do Mundo, entre outros fatores que têm causado insatisfação geral.

Seguidos de protestos diários, até o momento 12 prefeitos das principais capitais do país já baixaram os preços das tarifas das passagens.

Segundo estudo do DataFolha, 84% dos participantes dos manifestos não têm preferência por qualquer partido político, 71% estão pela primeira vez num protesto e 53% têm menos de 25 anos. Os dados mostram também um maior peso de estudantes e de pessoas com ensino superior.

O Facebook e a Internet tiveram um papel importante, 81% das pessoas souberam da manifestação pela rede social e 85% pesquisaram informações em sites.

Maringá

Os manifestantes também saíram às ruas no interior dos estados. Em Maringá três protestos foram realizados em menos de uma semana. Alguns dos cartazes mostravam a indignação que moveu milhares de pessoas a uma marcha sem líderes, sem politicagem e sem violência.

Na terça-feira (18), durante a manifestação pelas ruas de Maringá, um grupo de aproximadamente 300 pessoas invadiu a sessão em curso na Câmara. Naquele dia, os vereadores derrubaram o veto do prefeito Carlos Roberto Pupin à emenda aprovada pelo Legislativo que limita a desoneração do Imposto Sobre Serviço (ISS) no transporte coletivo em 12 meses. Foram 14 votos favoráveis e apenas um contrário à retirada do veto.

Já na última quinta-feira (20), enquanto era realizada uma sessão itinerante da Câmara de Vereadores a população novamente invadiu o local e pediu a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar o transporte coletivo na cidade. Após pressão, os vereadores decidiram fazer uma votação especial foi aberta a CPI.

14 Comentários para “Movimentos sociais no Brasil”

  1. Getúlio Itamar disse:

    Vamos voltar as ruas para acabar com o CONGRESSO, la só tem LADRÃO, CORRUPTOS E SAFADOS, tanto no SENADO , quanto na CAMARÁ DOS DEPUTADOS em geral. Vamos colocara estas corjas de Ladrões na CADEIA urgentemente.

  2. -Queremos apenas um brasil melhor .):

  3. KEILEANE disse:

    TEMOS QUE ACABAR COM O CONGRESSO MESMO SÓ TEM LADRÃO,COLOCAR TODOS OS CORRUPTOS NA CADEIA

  4. Fico triste por não ver articulação de movimentos sobre o “mensalão”.Foi algo desmoralizante para a politica brasileira, tão ruim ou pior que o Collor na República brasileira.Acorda Brasil.

  5. luan rodrigo oliveira munhoz disse:

    fora collor nao podia acabar tinha que ter todos os anos protestos

  6. victor hugo martins pereira disse:

    MEU TINHA QUE ESISTIR UM PROTESTO TODOS OS ONOS PORQUE SI NAO O BRASIL FICA UMA BOSTA SEM ISSO

  7. Fabiano Lucena disse:

    Fico triste em saber que não temos tanta força assim, por que um novo julgamento do “mensalão” é uma mostra que os políticos não estão nem ai para o que o povo pensa, eles sabem que o povo tem força, mas que não sabem usar de forma certa, sendo assim eles enganam a todos, é uma vergonha votar em alguém que você acredita que pode fazer algo por todos e na verdade só vai olhar para ele. o voto é uma arma que o povo, que é colocada nas mãos destes bandidos “ladroes”, e isto sim é VERDADE.

  8. debora pinto disse:

    essa vai pros ladrao q fazem assalto;gente o governo odeia concorrencia

  9. Thallysson Makcyel disse:

    O Brasil ta precisando é mais de PUNIÇÃO, e é isso que o POVO tem que correr atras, de léis rigorosas, pra ver se diminui mais corrupição, ou até mesmo a violencia na sociedade.

  10. Elayne Matos disse:

    Os movimentos sociais para mim são vitais para que exista democracia. É necessário que o POVO brasileiro corra atrás dos seus direitos,busque mesmo, não fique calado diante da merda que está acontecendo no Brasil em vários setores tanto político, social como econômico… A corrupção só cresce e ninguém faz nada, vamos buscar novas leis, mais rígidas pra esse tipo de crime.. Vamos ACORDAR e colocar esses safados onde eles já deveriam está!!!

  11. anonima disse:

    Os movimentos sociais são uma forma de amostrar a indignação do povo brasileiro.Acorda Brasil!!!!!! precisamos de saúde, educação,uma cidade sem corrupção! Será que a copa é mais importante do que isso??Dilma diz que melhora o nosso país,será que é verdade? Os investimentos são muitos na copa do mundo 2013 aqui no Brasil , eles gastam milhões e milhões, mas será que gastam tanto dinheiro assim com a saúde e educação? Precisamos amostrar que somos mais importantes do que uma copa do mundo ou um futebol!

  12. LOL disse:

    Deviamos derrubar os sites (tipo da globo ) que tentam mostrar agente que o governo brasileiro já fez mudanças na verdade a unica coisa que eles fizeram foi reformar e construir estados , vamos pra rua , vamos destruir o esses donos de empresas grandes que acham que agnte é boçal

  13. Regiane disse:

    Se o nosso povo soubesse a força que possuem já teríamos melhorado um pouco mais nosso país. Mas pelo que eu percebo, um fica esperando o outro fazer, NÓS TEMOS DE REALIZAR JUNTOS….buscar nossos direitos JUNTOS e mostrar para esses políticos que gostam de ZOMBAR de nosso dinheiro e de nossa moral que em nosso país existem pessoas inteligentes…

  14. Anonymous disse:

    QUERO QUE OS POLÍTICOS MORRAM, TUDO LADRÃO, JOGAR BOMBA NA CASA DELES, É BOM QUE EXPLODA, RENAN CALHEIRO EU TAMBÉM TENHO DEDO DO MEIO SEU OTÁRIO .I.

Deixe uma resposta


1 + 2 =

O Diário na Escola

odiario.com 2010 - 2014 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda.