É preciso prevenir a violência doméstica. É preciso falar sobre ela na escola

Olá pessoal!

A gente passa aqui toda quarta e quinta para falar da nossa coluna que sai no Caderno D+ do Diário.

Escola Municipal Machado de Assis, em Sarandi, foi destaque pela iniciativa corajosa de falar sobre violência dentro e fora da escola. A maioria dos professores afirma que os alunos são afetados por isso, muitos nem se dão conta do quanto estão expostos às suas consequências.

Muitos alunos em situação de vulnerabilidade têm baixo rendimentos escolar, dificuldade de socialização e comportamento conflituoso na escola.

“A única linguagem que as crianças e adolescentes testemunhas ou vítimas de violência conhecem é o grito e a única resposta, o ataque.”

Para mobilizar os alunos e sensibilizá-los sobre o tema, a professora Ângela Maria Scalabrini, do 5º ano B, propôs a confecção de um jornal mural. O resultado foi uma turma inteira com o assunto na ponta da língua e a escola toda em reflexão.

A coluna de quarta-feira, dia 27, traz o registro do jornal da turma da professora Ângela!

Parabéns pessoal!

Inspiração

E para manter a discussão aberta, no final de semana o programa O Diário na Escola publica uma matéria especial aqui no blog sobre violência contra a mulher. A ideia é munir professores com mais material  para levar o assunto para a sala de aula e ampliar o debate para toda a comunidade.

De Hollywood

A atriz Nicole Kidman se posicionou sobre a importância de se falar no assunto durante a entrega do prêmio Emmy, em setembro. No papel que lhe rendeu o título de melhor atriz de missérie ou filme de televisão por “Big Little Lies”, Kidman vive uma mulher que sofre violência doméstica. Ao receber a estatueta, ela fez um discurso emocionante sobre o que chamou de “doença insidiosa“.

A atriz é embaixadora da boa vontade pela Organização das Nações Unidas desde 2006 e mãe de três filhas Faith, Sunday e Isabella.

Todo mundo pode se inspirar em Nicole e em campanhas como a ação da Polícia Civil e a Secretaria de Política para as Mulheres que movimentou todo o estado de Minas Gerais em julho:  #NãoéAmorQuando

Que tal mobilizar os alunos e começar uma campanha especial na sua escola professor(a)?

No domingo tem mais!

Abração da Equipe O Diário na Escola

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.