festival



Escola de Atalaia faz homenagem à cidade

Alunos e equipe pedagógica da Escola Municipal Vania Maria Simão, de Atalaia, promoveram a Festa Cultural “Nossa Terra, Nossa Gente” na qual foram realizadas exposições sobre os pioneiros do município e apresentações de dança dos estilos musicais desde a década 50. “Essa festa já é uma tradição da nossa escola, este ano chegamos à XXII edição e mais uma vez superou nossas expectativas com os bons resultados”, destaca a coordenadora pedagógica Lorena Yaél.

Foto Abre

O foco na realização do evento foi levar os estudantes a conhecerem mais sobre a história do lugar onde vivem, assim como a cultura, a economia e o espaço geográfico de Atalaia. “Também buscamos mostrar que tudo isso é mais do que um simples aprendizado, pois é preciso conhecer a terra onde vivemos para que possamos nos orgulhar dela”, conta Lorena.

Todo o trabalho teve início em sala de aula com uma exposição oral a respeito do tema, onde cada criança contribuiu com seus conhecimentos prévios sobre Atalaia. Foram debatidos assuntos como educação, religião, agricultura, pecuária, pioneiros, saúde, esportes e outros fatores que contribuíram com o crescimento do município a partir da década de 50.

Em seguida os alunos foram a campo. Nas ruas buscaram informações, fotos e registros com os moradores mais antigos da cidade. “Foi uma satisfação poder contribuir para o aprendizado das crianças em relação ao passado. Espero que esse conhecimento partilhado não se perca e que elas ensinem outras pessoas a não deixarem nossas histórias esquecidas”, conta o pioneiro Jovelino Vieira dos Santos que chegou em Atalaia em 1952.

A estudante Giovana Fabio Candioto ressalta que foi muito interessante poder entrevistar as pessoas que fundaram a cidade. “Adquiri novos conhecimentos e ainda sanei minhas dúvidas. Atalaia tem uma história muito bonita que todas as crianças deveriam conhecer.”

Os alunos da Escola Vania ainda fizeram um passeio até a zona rural para se aproximarem da cultura que deu origem ao município, e produziram cartazes com os temas estudados e debatidos em sala de aula para serem expostos e o conhecimento partilhado com todas as séries escolares.

A professora Vania Vieira aponta que as atividades propostas alcançaram seus objetivos e ainda oportunizaram que as crianças resgatassem a essência cultural que tem se perdido no tempo.

“Todo o trabalho foi muito gratificante. Alunos, familiares, comunidade pedagógica e o público visitante da Festa tiveram a oportunidade de descobrir coisas novas sobre Atalaia e ainda refletir os desafios que a cidade superou para se tornar o belo município que é hoje”, comemora a coordenadora Lorena.

Comente aqui


Projeto Literário empolga crianças

Atualmente tem sido difícil conciliar dois suportes de leitura, o livro e a internet. Pesquisas comprovam que, principalmente crianças e adolescentes, não dão mais a devida importância ao mundo dos livros. A atenção está direcionada às redes sociais e a mais uma imensidão de páginas onlines. Muitas horas do dia se vão em frente à tela do computador, enquanto os melhores livros permanecem esquecidos na estante.

Não faz muito tempo que o jeito de fazer pesquisa na escola mudou. Se há pouco mais de cinco anos os estudantes se reuniam para ir até uma biblioteca ou não dispensavam a enciclopédia na hora de fazer um trabalho escolar, agora eles dão prioridade à internet.

Preocupados com esses fatores, a equipe da Escola Municipal Jardim Primavera, de Santa Fé, organizou um projeto com os alunos do 3º ano, no qual eles estudaram a vida e as obras de Monteiro Lobato. “Buscamos destacar a importância da leitura dos textos em seus suportes de origem. Já existem diversas histórias do autor na internet, mas mostramos às crianças como é prazeroso o ato de ler o livro e sentir a espessura do papel, por exemplo”, destaca a orientadora pedagógica, Marta Eloisa Lalli.

Foto abrePara a realização das atividades as crianças criaram murais expositivos sobre a literatura infantil, ensaiaram danças, apresentações teatrais e declamação de poesias. “Foi possível observar grande interesse pela leitura das obras de Monteiro Lobato, em especial, o Sítio do Pica-Pau Amarelo. Constatei que muitas crianças não tinham conhecimento do conteúdo que estava sendo repassado, foram momentos de muito entusiasmo”, enfatiza a diretora, Gislaine Righetto.

A professora, Sueli Pedrazzani conta que envolver os alunos no universo das histórias foi muito divertido. “Os pequenos ficaram encantados. Com isso, despertamos o prazer pela leitura de diferentes autores, e também o interesse deles pelo teatro e pela dramatização.”

“Foram atividades especiais, Monteiro Lobato deixou grandes sucessos para nós”, comenta a estudante Rafaella Puggese Tieppo. A colega Mariana Policarpo, completa “não vou esquecer tudo o que aprendi e as histórias que li.”

Para encerrar o projeto a escola realizou o evento “Pais presentes, filhos contentes”, no qual os responsáveis pelos alunos são convidados para um momento cultural dentro do espaço escolar. Já tradicional, o evento acontece de forma bimestral, e em cada apresentação a responsabilidade é de uma série diferente. “Nosso objetivo é trazer a família para dentro do espaço escolar, mostrar o que as crianças têm aprendido e as ações realizadas diariamente”, explica Gislaine.

“Esta iniciativa da escola resgata e estimula os pais a acompanharem o desenvolvimento dos seus filhos, pois a correria da vida moderna consome o tempo que deveríamos dedicar às crianças”, enfatiza a mãe, Marinéa Gomes Pereira.

Comente aqui


XXI Festa Cultural de Atalaia

CARTAZ  atalaiaA já tradicional Festa Cultural Escola Vânia volta a ser realizada na próxima sexta e sábado. Toda a equipe da instituição está trabalhando para apresentar aos visitantes o tema “OS QUATRO ELEMENTOS DA NATUREZA: ÁGUA, TERRA, FOGO E AR”. Assim, busca conscientizar a população sobre a importância da preservação e o consumo dos recursos naturais. Todos os conteúdos já foram apresentados aos alunos em sala de aula, de forma interdisciplinar, buscando o melhor entendimento do assunto.

A Festa que será realizada nos dias 13 e 14 de março, a partir das 20 horas terá apresentação de danças culturais retratando cada um dos elementos da natureza, sorteio de brindes, bingo de prêmios e show com o Musical Novo Stylo.

O evento conta com o apoio da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF), Conselho Escolar, Prefeitura Municipal, Secretaria da Educação, patrocinadores e colaboradores da cidade e região.

Comente aqui


Projeto escolar faz homenagem a Vinícius de Moraes

Na Escola Municipal Professor Domingos Laudenir Vitorino, em Itambé, as últimas semanas foram de muito trabalho. Diretoria, coordenação, professores e estudantes se uniram para desenvolver uma série de atividades relembrando as boas obras de um artista que deixou marca em seu público, Vinícius de Moraes. Entre as propostas realizadas estão a confecção de um jornal informativo e a apresentação de um recital das poesias do autor. “O projeto contou com grande envolvimento dos profissionais que compõem a escola, dos quase 400 alunos e dos pais das crianças”, destaca a secretária da educação de Itambé, Maria Eliza Spineli.

Para iniciar as atividades, os estudantes pesquisaram sobre a história de vida e as obras do poeta. Na biblioteca e divididos em grupos, as crianças realizaram a leitura dos poemas de Vinícius para que, em seguida, fizessem uma apresentação oral em sala de aula. Desta forma, a classe toda teve a oportunidade de conhecer os diferentes textos escritos pelo autor e ainda treinar a oralidade para o dia do recital.

“Na disciplina de Artes, estudamos a biografia do “Poetinha” – como Vinícius era conhecido – e a partir disso começamos a construção de um autorretrato para ser exposto na escola”, conta a professora, Maria Aparecida Santana.

A base de todo o trabalho foi no livro de poesias infantis “A arca de Noé”, obra que Vinícius escreveu para seus filhos Suzana e Pedro de Moraes. Anos depois, os poemas foram transformados em músicas e se popularizaram entre as crianças. Com isso, muitas gerações têm nessas letras uma porta de entrada para o mundo da literatura e da música popular brasileira.

“Com o estudo das obras os alunos ampliaram universos culturais e musicais, assim, foi despertado o estímulo à leitura e as crianças interagiram nas aulas de modo criativo e transformador”, comenta a coordenadora Dulcimara Moresqui Melo Decol.

O encerramento das atividades foi realizado com o recital “Uma tarde com Vinícius de Moraes”, no qual os estudantes cantaram, dançaram e encenaram textos que são conteúdo da obra “A arca de Noé”.  “Me senti presenteada pela beleza e graça dos alunos em suas caracterizações. Foi possível ver o empenho e a dedicação dos professores, que ensaiaram as crianças, sem perderem de vista a inocência e a pureza infantil”, ressalta Maria Eliza.

Como trabalho final, professores e alunos aproveitaram o conhecimento adquirido durante essas semanas de estudo e desenvolveram um jornal informativo sobre a vida do poeta. “As crianças produziram todos os textos, os desenhos – que representam as fotos – e ainda criaram a diagramação do material”, fala a professora Suelena Yoshie Jaqueta.

APRESENTAÇÃO. O aluno Carlos Eduardo Ávila representou o poeta Vinícius de Moraes durante o recital, na escola.

APRESENTAÇÃO. O aluno Carlos Eduardo Ávila representou o poeta Vinícius de Moraes durante o recital, na escola.

Comente aqui


Aprendizado através das cifras

DSCN9466Cerca de 25 alunos do Programa de Iniciação Artística (Projeto Piá) e da Escola Municipal Domingos Laudenir Vitorino, de Itambé, foram selecionados para o 34º Festival de Música de Londrina.

“Participar do evento foi uma oportunidade extremamente significativa para as crianças e também para a escola, pois o interesse pela música aumentou e, assim, despertou em outros estudantes a vontade de fazer parte do Projeto Piá”, destaca a diretora da Escola Municipal, Selma Pelisson dos Santos.

O Festival ofereceu estruturas pedagógicas e artísticas com a missão de privilegiar todos os tipos de música, em especial, a brasileira. Com cursos ministrados por professores reconhecidos no Brasil e no exterior, a organização propôs alternativas para a educação musical, sempre valorizando a diversidade entre as culturas. Foram ofertadas diversas aulas práticas, entre elas: Cursos de Regência, Instrumentos, Voz, Estruturação Musical, Música Popular, Cursos para Crianças e Jazz.

“Acredito que a música, quando bem trabalhada, tem papel fundamental na educação, pois auxilia no desenvolvimento da memória, concentração e coordenação motora. Além disso, em uma semana percebi o quanto as crianças mudaram de comportamento, mostraram uma disciplina impecável”, enfatiza Lucinéia Camargo da Silva, mãe da estudante Giovana Eduarda da Silva Pinheiro.

DSCN9515A professora de música Lucimeire Severo da Silva Lima está satisfeita com os resultados. “Essa experiência oferece muitos benefícios aos alunos no que se refere à ordem cultural e social, eles se tornaram participantes ativos e perceberam como as atividades musicais são significativas.”

Durante os dias de Festival, os alunos se reuniam na sede do Projeto Piá “Maria Aparecida Mollo Jorge”, para enfrentar uma viagem de quase duas horas até Londrina. Silvana Beltrame da Rosa, pedagoga do Projeto, conta que todo o cansaço da estrada era recompensado quando eles começavam as aulas de canto e flauta. “Foram dias de muito aprendizado, é uma bagagem que ficará para o resto da vida”, enfatiza.

Lucinéia comenta que a filha chegava em casa, e mesmo depois da longa viagem, ainda continuava o estudo musical. “O Festival despertou interesse e melhorou a autoestima da Giovana.”

No último dia do evento os estudantes de Itambé se apresentaram no Colégio Mãe de Deus e no Shopping Royal, em Londrina. “No fim dessa jornada toda, pude ver o brilho nos olhos das crianças. Era uma recompensa do esforço realizado e também por terem sido reconhecidos como pequenos artistas”, comemora Silvana.

A pedagoga comenta que de volta às aulas, os alunos continuam a rotina de ensaios e estudos sobre tudo o que aprenderam no Festival, “a meta agora é o aperfeiçoamento da técnica.”

Comente aqui


Teatro, dança e música em Marialva

No mês em que o município completou 62 anos, a população foi presenteada com a oportunidade de assistir a diferentes shows e espetáculos no 5º Festival de Cultura realizado no Cine Teatro Sonia Maria Silvestre Lopes. A ação é da prefeitura de Marialva em parceria com o departamento de Cultura da cidade.

grease 02O musical “Grease – nos tempos da brilhantina” estreou a sequência de espetáculos divertindo e emocionando o público. A apresentação narra a tumultuada história de amor de um casal de estudantes no verão californiano. A peça original chegou a ficar em cartaz por quase 10 anos na Broadway e ganhou destaque internacional com o lançamento do filme, em 1978.

O elenco é composto por 30 alunos que participam das oficinas de teatro e dança, oferecidas pela prefeitura, e coordenado pelo coreógrafo, Alisson Miguel Trindade. “Atendo semanalmente crianças e jovens de sete a 20 anos. É um prazer ensinar para quem realmente tem vontade de aprender”, destaca.

“Sempre gostei de arte e faço parte das oficinas desde 2010. Para o “Grease” foram meses de ensaios, estudo de técnicas vocais, respiração, canto e uma enorme dedicação. Mas todos os obstáculos valeram a pena. Não existe sensação melhor do que poder agradecer os aplausos do público ao final de cada espetáculo”, conta o aluno Yago Marcelo Moção.

astros 01No último dia 10 os olhares foram para os 67 bailarinos que compõem “Astros” – obra de autoria do coreógrafo Alisson. “Uma mistura de dança com teatro que representa o momento em que o primeiro homem pisa na lua. Há o encontro do personagem de um outro planeta com um da Terra, os dois apresentam o espetáculo e anunciam as danças de uma forma cômica, o que deixou a plateia eufórica”, comemora.

Durante o musical cerca de 600 pessoas se animaram com os ritmos de street dance e tango. A aceitação foi tão grande que “Astros” teve reapresentação no dia 12 e a secretaria de cultura já está reservando uma data para nova exibição em 2014.

“Estar como bailarina no “Astros” foi maravilhoso! Um experiência única na qual pude desenvolver meus conhecimentos sobre a dança, sentir a emoção da apresentação e os elogios de quem assistiu”, enfatiza a aluna Julie Hayashi.

A equipe da secretaria de cultura esteve engajada o ano todo para o bom resultado do Festival. “O que mais nos deixa contente é perceber o reconhecimento da população de Marialva. As pessoas se identificam com as ações preparadas pelo município e reconhecem o nosso trabalho”, celebra a secretária da Cultura, Antonia Celeste.

Para assistir as primeiras apresentações já realizadas, o ingresso foi um quilo de alimento não perecível. A secretária Antonia ressalta que além de oferecer entretenimento é necessário ajudar aos que precisam. Com essa preocupação social, em 2012 mais de duas toneladas de alimentos foram doados para instituições de caridade do município e a meta para este ano é superar esta quantidade.

Comente aqui


1ª Mostra Cultural de Flórida

Apresentações de teatro, coral e street dance foram os destaques do primeiro evento cultural do município. Em comemoração ao Dia das Crianças os departamentos de cultura e educação de Flórida, com o apoio da prefeitura, se uniram para a realização de uma grande festa que proporcionou apreciação artística aos presentes.

O grupo de teatro “Fazendo Arte”, coordenado pela professora Miriam Penha e formado por alunos do ensino fundamental e médio, apresentaram as peças: Alice no País das Maravilhas, O casamento da Dona Baratinha, a Morte e O Hermanoteu da Terra de Godá.

A professora, do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), Leia Bugareli fez apresentações musicais de voz e violão. Os corais, adulto e infantil, sob a orientação do professor Matheus Cruz emocionaram os participantes na noite de espetáculos. Outro destaque ficou por conta da performance de um grupo de street, do município de Marialva, que veio para agitar o evento.

“A mostra cultural era um sonho antigo. Desenvolvemos vários projetos com as crianças de canto, dança, aulas de violão e piano, e sempre tivemos vontade de mostrar isso a população”, conta Miriam.

O aluno da Escola Municipal Duque de Caxias, Carlos Eduardo Cesnik Gomes, foi ao evento e adorou o que viu. “Gosto muito de cantar, quem sabe na próxima edição da mostra eu possa estar lá me apresentando também!”.

Miriam destaca que por onde passa as pessoas elogiam e já perguntam quando terão outra mostra como esta. “O município é carente de ações culturais que envolvam toda a família, geralmente os teatros e danças se restringem ao espaço escolar, quero mudar isso e proporcionar mais entretenimento aos moradores”.

Alunos caracterizados como os gêmeos Tweedledee e Tweedledum, e o Chapeleiro Maluco (ao centro), personagens da peça Alice no País das Maravilhas

Alunos caracterizados como os gêmeos Tweedledee e Tweedledum, e o Chapeleiro Maluco (ao centro), personagens da peça Alice no País das Maravilhas

Comente aqui


Feira de Livros e Mostra de Trabalhos motivam alunos

A Escola Municipal Padre José de Anchieta, de Sarandi, realizou na sexta-feira passada a VI Feira do Livro e Mostra de Trabalhos. A diretora da instituição, Ângela dos Anjos, informa que durante o mês de abril eles comemoram o mês do livro e da leitura, “desta forma incentivamos os alunos a ler e adquirir novos conhecimentos”, avalia.

Antes da Feira cada classe escolhe um autor e estuda uma das obras dele, depois montam um teatro para apresentar no dia do evento. “Com esse projeto que realizamos, todos os anos os alunos sentem-se mais motivados, aperfeiçoam a leitura, conhecem novos autores e obras”, relata a professora do 5º ano, Ângela Alves.

Um fornecedor participa da Feira vendendo livros infantis ao preço simbólico de R$1. Com o lucro a direção da escola compra livros novos para a biblioteca.

A aluna do 5º ano, Geovana Gabrieli Rodrigues, conta que “a Feira de Livros é importante porque ajuda a entender o significado das palavras e quem não sabe ler também não vai conseguir escrever. A minha sala leu e estudou sobre a obra “O direito da criança” da autora Ruth Rocha”.

Comente aqui


Hoje tem festival de paródia em Mandaguaçu

Hoje à noite as atenções se voltam para o II Festival de Paródias, que faz parte do projeto “Música é fundamental” e acontece a partir das 19h, no Anfiteatro Santo Carraro. O evento é voltado para a comunidade escolar e para a família dos alunos. Informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3245-5588.

1 Comentário


Ações de educação e cultura movimentam Mandaguaçu

Foram dois dias de muita agitação no Centro Cultural Domingos Lançoni, de Mandaguaçu, durante a II Mostra da Educação Infantil. Nos dias 27 e 28 de outubro, os estudantes de Mandaguaçu e região tiveram acesso a um emaranhado cultural promovido pelo Departamento de Educação e Cultura e que conquistou toda a comunidade. Além da exposição de trabalhos de alunos houve vendas de livros a partir de R$1,00. Agora as atenções se voltam para o II Festival de Paródias, que faz parte do projeto “Música é fundamental” e acontece amanhã à noite, a partir das 19h, no Anfiteatro Santo Carraro. O evento é voltado para a comunidade escolar e para a família dos alunos. Informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3245-5588.

 

As fotos da exposição:

 

Comente aqui