Filmes



Mistério e suspense na biblioteca

Assim pode ser descrito o clima de comemoração do mês das bruxas no Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, de Maringá. Buscando realizar uma atividade alternativa e descontraída, as bibliotecárias Priscilla Kelly Bressan, Denise Gonçalves Garcia e Graciana Gomes Fernandes Longo criaram uma gincana para os alunos do ensino médio e vão oferecer sessões de cinema para os estudantes do fundamental.

Para a realização do projeto a biblioteca está toda decorada com a temática “Dia das Bruxas”. Procurando estimular o conhecimento sobre o assunto, um cantinho especial com livros de terror e suspense está montado com sugestões de leitura.

“Queremos que os alunos tenham contato com uma cultura diferente, conhecer novas palavras, seres e formas de lidar com a morte e o mundo mal assombrado, além de fazer com que reflitam sobre os mitos e verdades dessa data”, destaca Priscilla.

A decoração é tão real que chega a assustar. Por causa do tema acabei conhecendo uma série de livros ótimos, como “O Diário do Vampiro”, da escritora Lisa Jane Smith, que mistura os sentimentos de medo e romance”, conta a aluna do 9º ano, Waleska Moriggi Ribeiro.

A professora de língua portuguesa, Dinara Fátima Girardi Farhat, acredita que a caracterização do espaço motiva os estudantes. “Todos estão adorando e comentando, muitos alunos que não tinham o hábito da leitura estão emprestando livros do gênero sugerido”.

Mariane Santos Aquaroni é pedagoga do colégio e elogia o trabalho. “Para nossos estudantes a biblioteca passou a ser um lugar prazeroso e aconchegante de estudo, conhecimento e diversão”. A diretora Ivânia Ávila acrescenta que “isso acontece

devido aos diferentes projetos que são realizados durante o ano, cada época o espaço de leitura está com uma temática diferente”.

O aluno do 6º ano, Maycon de Oliveira Januário, relata que o clima de pânico o deixou curioso para conhecer novas obras. “Adquiri conhecimentos sobre a diferença entre realidade e ficção”.

A gincana para os alunos do ensino médio será durante todo o mês de outubro. Com o intuito de interagir com a era tecnológica, a promoção é realizada pela internet. Está sendo publicado diariamente às 14 horas, na página do Facebook da escola, fotos de filmes de terror. O primeiro estudante que postar corretamente, o nome do filme e do diretor, ganha um ponto por dia. Quem obter a maior pontuação até o final da gincana, vence. E como prêmio leva para casa um box de livros da série, “Walking Dead”.

Na última semana de outubro o salão nobre do colégio será transformado em cinema. Todos os dias uma turma do ensino fundamental terá a oportunidade de assistir a um filme e ainda ganhar um lanche especial. Entre os títulos que serão exibidos estão: “João e Maria – Caçadores de Bruxas”, “A Vila” e “A Garota da Capa Vermelha”.

“As atividades buscam explorar o universo místico e fantasmagórico do “Dia das Bruxas”, bem como criar um elo entre a escola e os alunos, comemorando de forma criativa e diferente esta data festiva”, enfatiza Priscilla.

MOTIVAÇÃO – A disponibilidade de livros sobre terror e suspense aumentou os empréstimos de obras na biblioteca

MOTIVAÇÃO – A disponibilidade de livros sobre terror e suspense aumentou os empréstimos de obras na biblioteca

Comente aqui


Revelando os Brasis recebe inscrições até 30 de setembro

Se você tem mais de 18 anos e mora em uma cidade com até 20 mil habitantes, que tal criar uma história e transformá-la em vídeo? Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional de Histórias do Revelando os Brasis – Ano V.  Os selecionados participarão de uma oficina audiovisual no Rio de Janeiro e, em seguida, voltarão aos municípios de origem para gravar os vídeos.

O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis nos sites www.revelandoosbrasis.com.br, www.cultura.gov.br e nas secretarias de educação e de cultura das prefeituras dos municípios com até 20 mil habitantes. Mais informações pelo telefone (27) 3327-6999 ou através do e-mail [email protected]

Criado em 2004, o Revelando os Brasis tem por objetivo geral promover inclusão e formação audiovisuais através do estímulo à produção de vídeos digitais. O projeto é uma realização do Instituto Marlin Azul, tem parceria do Canal Futura, parceria estratégica da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e conta com o patrocínio da Petrobras.

De acordo com levantamento divulgado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui 5.568 municípios; desses, 3.919 têm até 20 mil habitantes. Consulte o www.revelandoosbrasis.com.br para saber se o seu município pode participar.

Podem ser inscritas histórias verdadeiras (baseadas em fatos históricos, personagens, tradições populares, etc) ou inventadas. Os autores selecionados participarão de oficinas preparatórias de Roteiro, Direção, Produção, Direção de Arte, Fotografia, Som, Edição, Mobilização Comunitária e Direitos Autorais, no Rio de Janeiro, com todas as despesas pagas pelo projeto. Na etapa seguinte, os diretores contarão com o apoio da estrutura de produção oferecida pelo Revelando os Brasis para gravar os vídeos com até 15 minutos nos pequenos municípios.

Nas quatro primeiras edições do projeto foram produzidas 160 obras, entre ficções e documentários. Os vídeos são lançados em DVD com distribuição gratuita entre organizações sociais e culturais, bibliotecas, universidades e cineclubes de todo o Brasil, além disso, participam de festivais e mostras audiovisuais de âmbito local e nacional.

Imagem das gravações do filme “A Galinha ou Eu” produzido por Denizia Moresqui, participante do Revelando os Brasis – Ano IV.

Comente aqui


“Escritores da Liberdade”: você já assistiu?

Mudanças Metodológicas e interação com os estudantes foram as principais formas para obtenção de êxito nas aulas da professora Erin

Em um ambiente de extrema intolerância e violência, o filme “Escritores da Liberdade” (Freedom Writers), que tem como atriz principal Hillary Swank, no papel da professora Erin Gruwell, mostra a dedicação e persistência de uma jovem para tentar mudar a realidade de alunos advindos de diferentes origens étnicas (orientais, latinos e negros) e fazer com que a educação seja instrumento de mudança social.

Insatisfeita no âmbito pessoal e profissional, Erin Gruwell resolve lecionar as disciplinas de Língua Inglesa e Literatura numa turma de alunos problemáticos do “ensino médio”, em Los Angeles, que não têm o apoio e nem mesmo a confiança da direção do colégio.

Continue lendo

Comente aqui