institucional



EXTRA! EXTRA!

Olá pessoal!

Passamos por aqui para avisar que nossa coluna de amanhã, terça-feira, está em produção! Não percam, lá no Caderno D+ do Diário do Norte do Paraná.

AVISO

Em virtude do feriado de Nossa Senhora da Glória, padroeira do município de Maringá, os jornais que seriam entregues na quarta-feira, terão entrega antecipada.

Desejamos a todos uma excelente semana!

Abração da Equipe O Diário na Escola

#16ANOS

Comente aqui


Jornal + Matemática = Resultado

JOGO RÁPIDO

Questionamos as professores Solange D’Antonio e Luciana Lacanallo sobre como aliar o jornal com o livro didático e o que elas irão abordar nas oficinas oferecidas este ano aos participantes do Diário na Escola. Confira:

 

Como os professores podem unir os conteúdos do impresso com o livro didático?

Foto SolangeSOLANGE: Para que essa união aconteça é preciso planejamento e estudos por parte do professor que deve ser um leitor constante de sua prática. Se em meu planejamento, por exemplo, quero explorar a leitura de gráficos e tabelas, analisarei o que existe no livro didático para a apresentação desse conteúdo e complementarei aquela informação com dados apresentados no jornal, a fim de fazer com que o aluno reflita e perceba a constituição de um gráfico e de uma tabela, suas características e sua relevância no dia a dia, ou iniciarei minha aula com dados selecionados nos jornais, para que o aluno compreenda e diferencie tais conceitos, pela observação e o levantamento de hipóteses e então aproveitarei o que o livro didático apresenta a esse respeito para complementar o aprendizado.

 

Você tem uma dinâmica de ensino diferente que envolve a participação de estudantes da graduação durante as oficinas que ministra. Como esse trabalho será realizado os professores do Programa?

foto LucianaLUCIANA: Na Universidade tentamos aproximar nossos estudos com a escola e com os futuros professores, em especial os acadêmicos de Pedagogia. Assim, temos uma dinâmica de trabalho que integra acadêmicos, professores já formados da educação básica e professores universitários em um mesmo movimento de aprendizagem. Os participantes entram em atividade de organização do ensino. Esse trabalho é desenvolvido no Grupo de Pesquisa e Ensino “Trabalho Educativo e Escolarização”, no subprojeto da Oficina Pedagógica de Matemática (OPM). O desenvolvimento dos trabalhos na OPM busca estudar, refletir sobre as práticas de ensino de matemática e a partir daí elaboramos situações desencadeadoras de aprendizagem para serem desenvolvidas na sala de aula, como meio para direcionar a atenção de alunos e professores em direção à apropriação dos conceitos matemáticos, de modo lúdico e instigante, visto que acreditamos que o aprender matemática é para todos. Por isso, envolvemos os participantes nesse movimento, eles atuam como agentes formativos interagindo conosco, com o conteúdo em si e com os professores que participam.

Comente aqui


Jornal Escolar – Eu fiz!

capa - jornal escolarA produção do “Tanaka News” mobilizou toda a comunidade escolar. “Os pais nos parabenizaram pela iniciativa e trabalho realizado, e acreditam que a partir deste projeto foi plantada uma sementinha para o interesse pela leitura de notícias e conhecimento dos fatos que acontecem na sociedade”, enfatiza a diretora, Rosângela Aparecida Tait Vareschini.

O jornal da Escola Municipal Padre Pedro Ryô Tanaka, de Maringá, gerou tantos resultados na instituição, que foram realizadas duas edições. Sob a orientação dos professores do Ambiente Educacional Informatizado (AEI), Antonio Martins e João Gasparim, o Tanaka News teve como objetivo a divulgação das atividades pedagógicas desenvolvidas na escola, na perspectiva do olhar dos alunos.

Com estudantes dedicados, a Pedro Tanaka forma crianças que buscam por um futuro de qualidade. Exemplo disso são as matérias de capa do jornal escolar. Uma delas apresenta os alunos que foram candidatos a vereadores mirins de Maringá, dos quais dois foram eleitos e já participam das reuniões na Câmara para defender ideais e uma cidade cada vez melhor. E a outra, destaca os vencedores do “Prêmio Estudante Seara” no qual alunos do quinto ano criaram objetos para a prática de esportes e exercícios físicos ou mentais, a partir de resíduos recicláveis.

O resultado de crianças tão ativas, foi o grande envolvimento na produção do jornal escolar. Mas antes de iniciar os trabalhos, os estudantes assistiram a vídeos para conhecer o processo de produção do impresso e leram diversos exemplares para identificar a estrutura textual.

A escolha do que seria publicado, também foi em equipe. Na reunião de pauta, os alunos debateram quais fatos que ocorreram dentro do ambiente escolar e que mereciam destaque. Depois das notícias escolhidas, as crianças foram em busca de informações para a criação das matérias. Nesta etapa contaram com os depoimentos dos professores e da direção da escola, para compor os textos.

Com os exemplares do Tanaka News já impressos, na semana cultural da Pedro Tanaka os pais puderam ter conhecimento do material. Nos relatos, as crianças destacaram o quanto se sentiram valorizadas e já se mostram ansiosas para o produção da próxima edição.

 

TRAVA LÍNGUA

Quantas vezes nos vemos enrolando a língua com palavras difíceis de se falar rapidamente? Pois bem, os alunos da Pedro Tanaka te desafiam! Tente ler o trava língua abaixo. Mas atenção, não pode gaguejar:

atividade - jornal escolar

Comente aqui


Notícias vão virar poemas

Imagem - AbreOs alunos participantes do Programa Educacional O Diário na Escola foram desafiados a criarem poesias a partir das notícias publicadas no jornal. Em sua primeira edição, o Concurso está movimentando os corredores das instituições de ensino. “Meus alunos já estão se preparando, a tarefa de casa do final de semana foi ler o Diário e escolher a notícia que mais se identificasse, para assim, começarmos as produções”, conta a professora da Escola Municipal Rocha Pombo, de Ourizona, Cícera Aparecida Tassoli.

A escritora maringaense, Angela Ramalho fala sobre a importância do Concurso. “É algo que vem ao encontro do que penso sobre a poesia hoje, ou seja, que ela não deve distanciar-se da realidade, da criticidade, da proposição de reflexões e mudanças. Através da poesia explora-se o real e o imaginário e ao lidar com essas diferentes percepções, os estudantes são levados a comparar e a contextualizar os fatos, levando-os a expressarem opiniões e a elaborarem novos conceitos.”

Em suas experiências, Angela tem trabalhado a poesia com estudantes nas bibliotecas públicas e conta que tem sido tarefa das mais gratificantes. “As obras devem ser apresentadas de forma criativa. Nas vezes em que produzimos poesias com as crianças, levamos até eles um poema de Sergio Capparelli “O buraco do tatu”, onde o bichinho cava buracos e através deles chega a várias cidades brasileiras. Desafiamos os alunos a continuarem o poema, trazendo o tatu para Maringá. Todos conseguiram realizar a atividade, e o melhor de tudo é que fizemos com que eles se descobrissem autores, exercitando novas linguagens, atuando no campo da descoberta, da invenção e da fantasia.”

A comissão julgadora do Concurso irá analisar a originalidade e criatividade do aluno, bem como aspectos relacionados à língua portuguesa (coerência, coesão e ortografia). Supervisores e coordenadores pedagógicos, fiquem atentos! Junto com o professor vocês devem selecionar no máximo três das melhores produções de cada turma, preencher os dados cadastrais e enviar para o Diário até o dia 10 de junho.

Os alunos autores das melhores poesias vão ganhar uma bicicleta novinha! E para os educadores que orientarem os estudantes vencedores, terá premiação também. Participem!

1 Comentário


Jornal Escolar – Eu fiz!

A partir de hoje será publicado o resultado de um trabalho anual desenvolvido por professores do Ambiente Educacional Informatizado (AEI) da rede municipal de Maringá, em parceria com a equipe da secretaria da educação da cidade. Foram meses de muita dedicação para a produção de jornais escolares, com diferentes temas e abordagens. Alunos e professores das escolas de Maringá se empenharam na produção de matérias e imagens, diagramação, impressão e entrega dos exemplares. Todas as terças-feiras, você poderá conferir um pouco do resultado desta iniciativa.

Capa - jornal A.M.Na primeira coluna vamos apresentar o “Informativo A.M.”, realizado pelas turmas de quarto e quinto da Escola Municipal Ariovaldo Moreno.

“Quando recebemos o desafio de produzir um jornal escolar percebemos que nossa tarefa seria árdua, porém compensadora. E que o trabalho contribuiria para o desenvolvimento da capacidade da leitura e domínio da linguagem, fatores importantes para a formação do cidadão”, destacam as professoras do AEI, Jane Candido Mendes e Vera Lúcia Simões.

Orientadas pelas assessoras pedagógicas de informática educacional da secretaria da educação de Maringá, Patrícia Rosa e Sandra Milak, as professoras começaram o trabalho incentivando os alunos a percepção da linguagem jornalística, identificação dos gêneros textuais, editorias e matérias publicadas.

Na sequência, em grupos, os estudantes receberam a tarefa de produzir os conteúdos do jornal escolar. Com o apoio das educadoras, as crianças pesquisaram na internet o que poderia ser notícia, analisaram imagens e os detalhes que compõem a diagramação do impresso.

A escolha do nome do jornal foi bastante democrática. Entre as sugestões apresentadas pelas crianças, se definiu a mais votada. E este é um grande momento, pois os estudantes se sentem pertencentes ao trabalho que estão realizando.

Depois de tudo pronto, os jornais foram impressos e entregues para toda a comunidade escolar. “A produção do material ganhou reconhecimento de todos por valorizar a capacidade de nossos alunos, suas produções textuais e artísticas, assim como o trabalho do AEI e toda a equipe de profissionais da educação”, comemoram Jane e Vera.

 

Olha que bacana o anúncio que os alunos realizaram para o Informativo A.M.

CLASSIFICADO MALUCO

Vendo Brasília meio velha. Ano 72, com a frente 78, traseira 80 e lateral totalmente original. Baixa quilometragem (vivia na oficina), nunca bateu (os outros é que bateram nela). Único dono (nunca conseguiu vender). Procurar no pátio do DETRAN hoje, porque amanhã vai virar sucata.

 

Comente aqui


Empresas têm oportunidade de contribuir para a formação escolar

No momento em que se busca uma melhor qualidade de vida, em especial para as crianças, o setor privado é desafiado a ter uma participação social mais efetiva cooperando na tarefa de oferecer uma educação de maior eficácia nas escolas.

A parceria empresa e escola assegura o compromisso do setor empresarial em construir um mundo economicamente desenvolvido e socialmente justo.

Atualmente a capacidade de atendimento das redes de ensino já é suficiente para atender quase todas as crianças de sete a 14 anos, muito embora parte dos ambientes escolares estejam em condições precárias. No entanto, o problema atual do ensino não é em relação ao acesso, mas à permanência e o aprendizado do aluno.

Quando a empresa associa seu produto a uma causa nobre, se valoriza, inclusive, diante dos próprios funcionários. Melhorando sua comunidade, estará também reduzindo os problemas do seu entorno.

A equipe do Diário na Escola acredita que a relação entre o setor privado e escolas se caracteriza como uma parceria, uma colaboração entre instituições que compartilham objetivos ou interesses comuns.

Se a empresa puder oferecer meios para que os alunos visitem suas instalações, será uma ótima experiência para eles, principalmente pela oportunidade de conhecer espaços onde possam acompanhar os vários estágios da elaboração de um produto ou serviço.

A concessionária de rodovias Viapar é parceira do Diário na Escola e somente neste ano subsidiou a participação de quase 900 alunos no Programa. Oferecendo semanalmente a crianças e adolescentes o recebimento de exemplares do Diário para atividades, acesso à informação e o despertar do hábito da leitura. Fatores que os tornam cidadãos mais atuantes e críticos em relação às problemáticas da sociedade.

Oficina de Trânsito Itinerante da Viapar realizada na Fundação Isis Bruder – uma das 12 instituições que recebem o subsídio da concessionária para a participação no Programa

Oficina de Trânsito Itinerante da Viapar realizada na Fundação Isis Bruder – uma das 12 instituições que recebem o subsídio da concessionária para a participação no Programa

Em parceria com o Diário na Escola a Viapar realizou diversas Oficinas Itinerantes nas instituições de ensino que fazem parte do Programa. Proporcionando aos estudantes palestras sobre segurança no trânsito, exibição de vídeos relacionados ao assunto e a entrega de brindes.

Empresas que venham a ser parceiras do Diário na Escola podem mais do que disseminar a informação no ambiente escolar e motivar trabalhos de leitura e escrita, estas ainda têm a oportunidade de realizar promoções culturais, a exemplo do Concurso de Frases sobre a Semana Nacional do Trânsito no qual a Viapar desenvolve com o Programa, oportunizando ao aluno expor talentos e receber prêmios.

“Dos vários projetos que a Viapar têm apoiado, o Diário na Escola merece atenção especial, pois considero fundamental trabalhar com a educação infantil. É compensador ver o resultado dessa parceria da concessionária junto ao Diário”, afirma o presidente da concessionária, Marcelo Stachow Machado.

O Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, de Maringá, recebe exemplares do Diário semanalmente devido ao subsídio oferecido pela Viapar. “Com o jornal em sala incentiva-se o prazer da leitura, o que gera melhora no aprendizado. O impresso oportuniza aos alunos o acesso a vários gêneros textuais que circulam na sociedade, bem como, tornar-se um ser mais analítico e competente da cultura letrada”, destaca a diretora do colégio, Ivânia Ávila.

O assessor de comunicação da concessionária, Marcelo Bulgarelli destaca que a transformação da sociedade passa pela educação. “Utilizar o jornal como ferramenta pedagógica é uma forma de estimular o hábito da leitura entre as crianças e até mesmo entre os professores. Os alunos comentam sobre os fatos do dia a dia amadurecendo o senso crítico”.

A coordenadora do Diário na Escola, Loiva Lopes enfatiza a importância dos parceiros. “Estamos trabalhando com a expectativa de aumentar em 2014 o número de empresas patrocinadoras para que possamos atender as escolas que nos procuram todos os anos com o interesse em participar das atividades do Programa”.

Além de beneficiar diretamente o aluno, a atuação conjunta entre empresa e escola se transforma em lição de cidadania. Se você deseja ser um parceiro e subsidiar alunos, entre em contato com a equipe do Diário na Escola pelo telefone (44) 3221-6050 ou pelo e-mail: [email protected]

Comente aqui


O Diário na Escola: aprendizado dinâmico e ensino qualitativo

Desde 2001 o programa educacional O Diário na Escola, que é alinhado ao modelo “Jornal e Educação” da Associação Nacional de Jornais (ANJ), é desenvolvido pelo O Diário do Norte do Paraná.

Em parceria com as Secretarias de Educação de Maringá e região e também empresas privadas, o programa tem por objetivo estimular nos alunos o gosto pela leitura contribuindo com o estudo de diversos conteúdos, formação cidadã e o desenvolvimento do senso crítico dos envolvidos.

Atualmente O Diário na Escola está presente em 117 instituições de ensino atendendo aproximadamente oito mil alunos e 300 educadores, em 19 municípios. Além de realizar concursos culturais, o Programa tem como prioridade oferecer encontros de formação aos professores e oficinas pedagógicas aos estudantes, a fim de maximizar a utilização dos jornais enviados às escolas e propiciar um novo olhar sobre os textos de circulação social.

“O Diário na Escola permite o trabalho com a diversidade textual, além de proporcionar aos alunos o contato com o jornal, algo que muitos não tem acesso fora da escola. Permite também que os pais possam ler as notícias com seus filhos, pois eles pedem o jornal para levar para casa”, conta a professora da Escola Municipal Alfredo Sofientini, de Astorga, Valéria Nunes de Jesus.

Capacitação

foto materia dois“Trabalho há muitos anos na mesma escola. Fui coordenadora pedagógica, diretora e hoje sou professora do 5º ano. De início foi uma resistência para meus superiores entenderem a importância do Programa, mas assim que assumi a direção junto à nova secretaria de educação, conseguimos. E hoje, trabalhando com meus alunos vejo que não foi em vão a insistência. As crianças adoram o jornal e são leitores assíduos. Através dos encontros, estou me capacitando e levando conhecimento aos estudantes”, destaca a professora da Escola Municipal Menino Jesus, de Uniflor, Cristiani Maria Baptista Gati.

Alunos do ensino fundamental e médio, de escolas públicas e particulares, entre outros ambientes educativos como comunidades sociais e abrigos, são o público alvo do Diário na Escola. As instituições parceiras recebem os jornais semanalmente para desenvolverem atividades e os trabalhos realizados a partir da leitura do jornal O Diário são publicados nas colunas semanais do programa, no caderno de Cultura, e nas mídias onlines, a exemplo do blog, facebook e twitter do Programa.

Os profissionais da educação recebem assessoria pedagógica especializada nos encontros de capacitação, palestras com grandes nomes das áreas de educação e comunicação, materiais de apoio com sugestões de atividades para o trabalho interdisciplinar com o impresso, atendimento da equipe do Diário na Escola para suprir dúvidas, bem como visita as escolas.

Em 2013, foram realizados os seguintes encontros de capacitação: “O jornal como aliado para os estudos da Prova Brasil”; “A diversidade dos gêneros no universo jornalístico”; “Artigo de Opinião: um espaço de argumentação no jornal”; “Histórias em quadrinhos: linguagens e ludicidade nas produções textuais”; “Notícia e Reportagem – bastidores e processos de produção” e “O professor na sala de aula – buscando estratégias de superação do mal estar docente”.

Concursos

CColuna Jornal Semana Nacional do Transito - 2013O Programa realizou nos meses de setembro e outubro duas promoções culturais: Concurso de Frases sobre a temática da Semana Nacional de Trânsito (6ª edição) e Concurso de Gibi (8ª edição). Ambos têm como objetivo propiciar que crianças e adolescentes, juntamente com seus professores, desenvolvam um trabalho de leitura crítica diante dos assuntos relacionados às notícias veiculadas nas páginas do jornal e produzam diferentes gêneros textuais.

anúncio“Tivemos dois alunos premiados no Concurso de Frases, é uma enorme satisfação. Em especial, porque as crianças vencedoras apresentavam dificuldade de aprendizado em sala de aula, com a vitória mostramos não só para elas, mas para os colegas, que com dedicação e esforço, tudo é possível”, enfatiza Vilma Spinella, assessora pedagógica na secretaria de educação de Astorga.

A vencedora do Concurso de Gibi na categoria “escolas da região” foi Gabriela Fusco dos Santos. A mãe, Maria Cristina Fusco conta que a filha é dedicada em tudo o que faz. “Ela esteve realmente empenhada no período de produção da história em quadrinhos. Concursos como este incentivam as crianças a buscarem o sucesso”.

Dia das CrinaçasEm comemoração ao Dia da Criança foi lançada a promoção cultural online “Livro também é diversão!”. Para participar bastava acessar o regulamento e o formulário de inscrição pelo blog do Diário na Escola e contar como faz para estimular a leitura da criançada. Podendo ser filho, neto, sobrinho ou aluno. O autor da história mais criativa recebeu seis livros de histórias infanto juvenis.

“Com tantas opções tecnológicas as crianças estão se afastando do contato com os livros. Quero que na vida do meu filho isso seja diferente. Percebo que o ato de ler é algo prazeroso para ele, e espero que continue assim”, enfatiza a mãe do ganhador e incentivadora do hábito da leitura, Leia Rachel Teixeira de Souza.

Visitas monitoradas

QUARTOANOVITORBELOTIDM3Os participantes ainda podem conhecer a sede do grupo O Diário, onde é apresentado aos visitantes todo o processo da produção da notícia até o sistema de impressão e distribuição do jornal nas casas, escolas e empresas.

“É importante para o aluno conhecer o espaço físico da empresa jornalística, conversar com os funcionários, tocar os equipamentos, tudo isso faz com que ele volte pra a sala de aula com um olhar diferente. As crianças estão mais abertas do que imaginamos para a leitura crítica da mídia”, conclui a coordenadora do Diário na Escola, Loiva Lopes.

Comente aqui


Quer participar do Diário na Escola?

Ler não é simplesmente decodificar. A leitura remete à interpretação, ao envolvimento, à compreensão e à aquisição do conhecimento. A fim de oferecer aos alunos textos de circulação social, educadores têm levado o jornal impresso à sala de aula. Alguns optam por trabalhar com a leitura crítica das notícias, outros preferem que os textos jornalísticos sejam fonte de reflexão social. Independente do método encontrado pelo professor para aliar jornal e educação, a iniciativa de ler o impresso na sala de aula tem sido freqüente nas escolas de Maringá e região.
Para quem tem a intenção de fazer da escola um espaço de construção da cidadania por meio do jornal, pode contar com o apoio profissional do Diário na Escola. São 11 anos democratizando a leitura e desenvolvendo capacitações com professores, para que sejam o elo entre a equipe e os alunos participantes. Todas as atividades ocorridas nas instituições integrantes viram pauta da página do Diário na Escola e do blog do programa. São inúmeras ações que associam educação, comunicação e cidadania.
Atenção educadores críticos e comprometidos, O Diário na Escola está a disposição para fazer da leitura de jornal o ponto de partida para ações cidadãs.  Todas as instituições de ensino ( formal ou não-formal) podem participar do Programa. Informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3221-6050

Criança lendo jornal pode ser uma realidade na sua escola, ligue para a gente!

1 Comentário