segurança



Prêmio Educriação está com inscrições abertas

O Prêmio Educriação é uma iniciativa da concessionária de rodovias VIAPAR que elege as melhores ideias para a conscientização de segurança no trânsito, segundo os critérios criatividade, originalidade e fidelidade ao briefing. Um prêmio para universitários que cursam Comunicação – jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e afins – ou Marketing. Como o trânsito é um assunto que diretamente envolve a todos, a VIAPAR oferece uma oportunidade para que universitários desenvolvam campanhas criativas e, com isso, contribuam para o esforço de conscientizar a sociedade.

Há premiação para os três primeiros colocados. Um júri formado por pessoas da área da Comunicação e Marketing, representantes da agência de publicidade que atende a VIAPAR, representantes da concessionária e da Associação dos Profissionais em Propaganda (APP) Maringá irão avaliam as mídias outdoor, rádio, jornal e filme publicitário. A campanha é veiculada durante um ano e pode ser um diferencial para os futuros profissionais que terão no currículo um trabalho deste porte para uma grande empresa.

Se você tem uma boa ideia não perca tempo, ela pode ser a próxima produzida pela VIAPAR. Já estão abertas as inscrições para o 6º Educriação. Assim com em anos anteriores, além de receber premiação em dinheiro – o vencedor vai levar para casa o valor de R$ 1.600; o segundo colocado receberá R$ 1.100 e o terceiro R$ 700 – os melhores trabalhos, mais uma vez, vão ter a oportunidade de estampar uma campanha da empresa. As inscrições podem ser feitas até o dia 13 de maio.

Vencedores 2015

PRÊMIO. Estudantes da Faculdade Assis Gugacz, de Cascavel, venceram a edição do ano passado.

PRÊMIO. Estudantes da Faculdade Assis Gugacz, de Cascavel, venceram a edição do ano passado.

Já estão sendo veiculadas as peças publicitárias vencedoras do 5º Educriação. A ideia da campanha é dos alunos da Faculdade Assis Gurgacz (FAG), de Cascavel, Taciane Ávila, André Salles, Nelson Tavares, Gabrielli Hoffmann e Guilherme Hoffmann, ganhadores da última edição do concurso. Além de estampar a campanha publicitária da concessionária, eles repartiram o prêmio em dinheiro. “Sem sombra de dúvidas é um concurso que vem ganhando cada vez mais importância entre os universitários e academias, além de ser uma oportunidade dos estudantes já terem uma campanha no currículo”, destacou a coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda da FAG, Laila Rotter Schmidt, destacando que o Educriação já está inserido no calendário letivo da instituição.

A Lettera Propaganda e Marketing é a agência responsável pela produção dos trabalhos. “Nesta campanha a ideia foi trabalhar com o fator sorte, o qual não pode ser levado em consideração em uma rodovia. A campanha retrata uma ultrapassagem arriscada e entre dois veículos, os quais se envolvem em um acidente frontal com um caminhão. Em meio a essa grave colisão trabalhamos números estatísticos apresentados pela própria concessionária sobre acidentes”, contou a diretora de criação da agência, Moira Haddad. “Foram várias horas de gravação e mais de dez pessoas envolvidas”.

INSCRIÇÕES

Mais informações podem ser obtidas no site http://www.viapar.com.br/educriacao/ ou pelo telefone (44) 3033-6031.

Comente aqui


Viapar instrui crianças

O trânsito já faz parte da vida de todo ser humano, mas a preocupação com ele, aparentemente, só começa quando se resolve tirar a carteira de habilitação. Para contornar essa situação deve se considerar que as escolas são celeiros de futuros motoristas. Afinal, qual a criança que não sonha em dirigir? Por isso, a educação para o trânsito tem começado já nas séries iniciais, aliando teoria e prática.

Os pequenos têm sido orientados para ter um comportamento adequado em relação ao respeito e à segurança exigida nas vias públicas, tanto na condição de pedestre quanto na de passageiro ou até de condutor de bicicletas, por exemplo. Aqueles que usam skates, patins, patinetes e outros brinquedos que promovem a locomoção ainda devem aprender que existem lugares apropriados e seguros para brincar.

Foto AbreImagine uma rodovia ocupada por crianças e cada uma delas interpretando um veículo diferente: automóveis, bicicletas, motos, bombeiro, polícia, ambulância, ônibus e caminhão.

Essa iniciativa inédita agora faz parte da oficina pedagógica da Viapar.  A primeira instituição a participar foi a Escola Municipal Julia Wanderley, de Alto Paraná. Cerca 45 crianças com idades entre nove e dez anos estiveram na Oficina de Trânsito, na sede da concessionária, em Maringá.

Cada uma delas recebeu um colete com um desenho lúdico inspirado em veículos de desenho animado. Algumas fizeram o papel de carros, outras de bicicletas e assim por diante. A ideia consiste em utilizar a própria mini rodovia existente na sede da Viapar com todos os seus personagens automotivos.

“É uma forma de fazer com que as crianças possam entender as regras para cada veículo, sem esquecer que elas também são pedestres. Essa aula lúdica permite que todos os estudantes participem de forma ativa”, explica Priscila Nascimento, coordenadora da Oficina.

A diretora da Escola Municipal Tisuro, de Sarandi, Silvonete Macario Costa conta que a visita a Viapar foi muito importante para a formação dos alunos. “Além de informações teóricas, foram também vivenciadas situações diárias enfrentadas no trânsito e que fizeram os pequenos refletirem sobre os cuidados necessários para a segurança de cada um. No caminho de volta para a escola, eles mostravam as placas de sinalização e alertavam sobre a função delas tanto para os motoristas, como para os pedestres.”

Os estudantes receberam um livreto de conteúdos e atividades que serão trabalhadas em sala de aula pelos professores, e ainda estão participando de um concurso promovido pela concessionária. “As crianças que passam pela oficina, recebem uma folha de desenho. Ali vão reproduzir o que aprenderam sobre o trânsito e sobre a Viapar.

Os desenhos são encaminhados para nós ao longo do ano e ao final, fazemos uma votação da melhor produção, que irá estampar nosso cartão de natal. O aluno vencedor ganha um kit escolar, com mochila, lápis, caneta e uma bicicleta”, ressalta Priscila.

Na Oficina de Trânsito há palestra, lanchinho e aulas práticas na mini-rodovia.  Desde 2002 esta iniciativa vem atendendo mais de quatro mil crianças por ano, contemplando todos os municípios da malha da concessionária e cidades vizinhas.

Comente aqui


Oficina promove respeito e conscientização

Foto AbreA equipe do Diário na Escola esteve na Escola Municipal Afrânio Peixoto, em Ivatuba, e desenvolveu uma oficina pedagógica com os estudantes dos quartos e quintos anos. Além das atividades de produção textual e oralidade, as crianças receberam orientações para evitar casos de agressão, sejam eles na escola, na rua ou dentro da própria casa.

“A violência pode acontecer no trânsito, em família, e até em abusos aos menores de idade. Precisamos estar alerta, pois em ambientes virtuais, como no computador e no vídeo game, somos estimulados a ter atitudes agressivas”, destaca a aluna, Cícera Gabriela Ribeiro da Silva.

Nas últimas semanas, manchetes sobre confronto entre policiais e professores, adolescentes que atearam fogo em um andarilho e mortes no trânsito estamparam as manchetes das mídias impressas e televisivas. “As crianças recebem muitas informações diariamente, não podemos deixar que elas se acostumem com a violência e achem casos como estes comuns. O trabalho de conscientização precisa ser recorrente dentro dos espaços escolares. Enfatizando, sempre, situações do dia-a-dia e do cotidiano em que vive estes alunos”, afirma a coordenadora do Programa, Loiva Lopes.

Durante a oficina as crianças assistiram a vídeos e leram notícias do jornal sobre o tema em estudo. “Aliar o áudio visual com o impresso oportuniza a descontração e o aprendizado. Desta forma, o estudante sai da rotina habitual de trabalhos e se dedica mais ao que foi proposto”, diz a professora Odete Pereira de Melo Calvi.

A estudante, Letícia Camily Ruzik aponta que uma opção para diminuir a violência é reduzindo a maioridade penal. “Quem tem 16 anos já pode votar, já faz escolhas, então deve ser preso se cometer atos errados.”

A oficina teve ótimos resultados. A professora Rosana Lazzaretti conta que os alunos gostam de opinar e se demonstram a cada dia maior criticidade. “Debates sobre assuntos do cotidiano enriquece as aulas e motiva os alunos a participarem, até o mais tímidos se expressam nestes momentos.”

“Na aula de hoje aprendi que a situação violenta do nosso país só vai mudar, se cada um de nós fizer diferente. Precisamos nos conscientizar de que ninguém é perfeito, mas podemos sempre ser melhores”, conclui a estudante, Maria Eduarda Paiva Dallago.

 

PRODUÇÃO

Confira o texto opinativo da aluna Eduarda Kurudz a respeito da realidade violenta em que vivemos.

 

O nosso mundo hoje

Atualmente há muita violência por causa das pessoas que querem ganhar dinheiro sem trabalhar. Elas não se conscientizam que tudo que vem fácil na vida, acaba mais fácil ainda. Há cidadãos que lutam para ter seus bens materiais, enquanto outros vêm e roubam tudo.

Se pararmos para pensar, todos nós praticamos violência, porque não é só a física que machuca, a verbal também. E fazemos isso muitas vezes, sem perceber. Algumas pessoas só querem saber de poder e riqueza, são muito ambiciosas.

Nós podemos começar um mundo melhor, agora! Praticando a harmonia, a paciência e o amor ao próximo. A mudança tem que começar por nós mesmos.

Comente aqui


Compromisso Social

Com uma parceria consolidada, a concessionária de rodovias Viapar oportuniza a participação de diversas instituições de ensino, sem fins lucrativos, no Programa. Neste ano estão sendo atendidos estudantes de Maringá, Sarandi, Itambé, Floresta e Marialva, tanto do ensino regular, como da educação especial. “Nossa parceria tem o intuito de formar novos leitores. Afinal, a leitura é formadora de cidadania”, destaca o presidente da concessionária, Camilo Carvalho.

Os participantes do Programa recebem o jornal semanalmente para a leitura e o desenvolvimento de atividades, participam de promoções culturais – a exemplo do Concurso de Frases sobre o tema da Semana Nacional de Trânsito, promovido pela Viapar – e os educadores ainda recebem capacitação para saber aproveitar o material no processo de ensino e aprendizagem.

“O Diário é bastante utilizado pelos professores como apoio e complemento de trabalho, além de ser ilustrativo, é uma ferramenta de leitura. Os alunos são os maiores beneficiados com o subsídio oferecido pela concessionária, uma vez que tem acesso a um veículo de comunicação importante, o melhor jornal da região. Vale ressaltar ainda que o hábito de leitura vem sendo aprimorado através deste material. Agradecemos a parceria e o apoio de vocês”, comemora a diretora da Escola Estadual Presidente Arthur da Costa e Silva, de Floresta, Vera Lucia Cavalli Ramos.

A pedagoga e responsável pela Oficina de Trânsito da Viapar, Bruna Santos comenta que com a integração das escolas atendidas pelo Programa foi possível alcançar bons frutos. “O resultado estamos vendo nos cursos onde temos a participação dos professores e na grande procura pelas oficinas. Estamos sempre buscando aperfeiçoar e trazer nosso público escolar pra mais perto, essa é a nossa grande motivação.”

Bruna enfatiza que a empresa é preocupada com a educação e , por isso, busca parcerias que reforcem essa ideia. “O Programa O Diário na Escola, é um desses grandes aliados”, diz.

Foto AbreOficina de Trânsito

Idealizada pela Viapar tem por objetivo educar alunos sobre os direitos e deveres enquanto pedestres e ciclistas, além de informar como transitar com segurança em vias urbanas e rodoviárias, identificar a sinalização usada no trânsito e ensinar noções de cidadania e meio ambiente.

O projeto teve inicio em abril de 2002 e desde então a concessionária recebe alunos de intuições municipais, estaduais e particulares. Desde 2007 o programa conta com a Oficina Itinerante, que se desloca da sede da empresa e leva o projeto às escolas de ensino regular e também instituições sociais.

A concessionária está cadastrando instituições interessadas em participar da Oficina de Trânsito. O agendamento pode ser feito pelo telefone (44) 3033-6000.

Comente aqui


Jornal na escola: letramento e cidadania

Foto Abre 01 ANa Escola Municipal Amábile Tonetto Pozzobon, em Astorga, diversas atividades com o Diário são realizadas todas as semanas. As professoras, Elis Regina Rodrigues e Heliane Cristina Martins Silva destacam que os exemplares tornam as aulas mais prazerosas e despertam o interesse pela leitura em seus alunos dos quintos anos.

Elis desenvolveu um “quebra-cabeça” com o jornal. A educadora recortou textos e fotos das páginas do impresso e colou em sulfites. Em uma página o texto, em outra a foto. “Depois desta etapa pronta, separei a turma em grupos e eles iniciaram a busca da matéria que se encaixasse com o conteúdo representado na imagem. Foi uma aula muito dinâmica, pude ver o prazer deles em realizar o que estava proposto”, conta.

A partir disso, os estudantes se sentiram curiosos na leitura da notícia. “Me diverti com meus colegas de classe nessa aula e quando percebi já tinha lido quase todo o jornal na ansiedade em encontrar textos e fotos correspondentes”, comenta a aluna Eduarda Perugini.

A coordenadora pedagógica, Sônia Peixoto Luna enfatiza que além de um momento de descontração, o estudo com o uso do Diário estimula a criticidade da criança e a interação de trabalhos em grupos.

“Nesta proposta os estudantes perceberam que, muitas vezes, o texto não verbal é utilizado para despertar a atenção e aguçar a curiosidade do leitor, pois foi exatamente isso que aconteceu durante a realização desta atividade”, fala Elis.

Foto Abre 01 BJá a professora Heliane, aproveitou a discussão entre os alunos sobre uma das manchetes do Diário e desenvolveu um debate com a turma. “A notícia de que primos brincavam com uma pistola, a arma disparou e matou uma das crianças, causou polêmica entre os estudantes. Aproveitei o momento para esgotar o assunto”, diz.

A educadora conta que os alunos ficaram chocados com o fato e se mostraram indignados com a falta de responsabilidade dos familiares por terem uma arma de fogo em casa e a deixarem em local de fácil acesso para os meninos.

Heliane pediu para que todos realizassem a leitura da matéria e após argumentarem a respeito das informações contidas no texto, foi produzido um painel informativo com a opinião dos alunos sobre o ocorrido.

“Percebi que conhecer os fatos da sociedade podem nos alertar dos riscos de uma brincadeira impensada. As aulas com o jornal trazem muito aprendizado e contribuem também para a nossa formação cultural”, ressalta o estudante Nicolas Gomes.

Luciane Nogueira é coordenadora na escola e relata sobre os bons resultados desta proposta. “Mais do que o aprimoramento da leitura, esta produção demonstrou a criticidade dos alunos a respeito do uso ilegal de armas e os perigos em se ter objetos como este dentro de casa.”

“O Programa O Diário na Escola tem contribuído efetivamente na formação dos professores que utilizam o jornal como recurso didático em sala de aula. Nestes anos parceria estamos colhendo ótimos resultados, pois além de formar leitores competentes, contribui, sobretudo, para a formação em conjunto de cidadãos participativos e providos de informações atualizadas”, ressalta a assessora pedagógica da secretaria de educação de Astorga, Elena Pericin.

Foto Abre 02

EXPOSIÇÃO. Painel apresenta opiniões dos alunos a respeito da manchete do Diário.

Comente aqui


Manchete sobre violência surpreende estudantes

IMAG0253Dentro da coluna Notícias Breves do caderno de Polícia do Diário, os alunos da Escola Municipal Guiti Sato, de Marialva, se atentaram à manchete: “Criança de 10 anos participa de assalto”. A professora Tanize Aparecida Geraldo André conta que sempre motiva as crianças a lerem o jornal todo, de forma livre, para que em seguida elas opinem sobre o que encontraram de mais interessante no impresso.

Na matéria destacou-se o fato de uma menina de 10 anos e dois adolescentes terem assaltado um supermercado no município de Cambé. Um dos garotos estava com um revólver e disparou a arma depois que um cliente reagiu, por sorte ninguém ficou ferido. Com R$ 700, o trio entrou em um carro e fugiu.

“A sociedade está cada dia mais perigosa, não podemos mais confiar nem na ingenuidade de uma criança. Como foi apresentado na notícia, até os menores de idade estão cometendo crimes”, ressalta a aluna Thaissa Cristina de Souza Oliveira.

O fato noticiado se tornou tema de debate em sala de aula. “Os estudantes queriam falar, contar experiências, apresentar novas informações. Temas polêmicos sempre geram boas discussões em classe”, comenta a professora.

Depois da leitura da notícia Tanize solicitou às crianças que realizassem uma produção textual opinativa sobre a violência na infância. “A conversa em sala foi importante para nos ajudar com argumentos no momento da atividade escrita”, conta a aluna Thais Leal.

“Na escola temos o compromisso de conscientizar os estudantes sobre os riscos das drogas e da criminalidade, por estarmos localizados em um bairro de periferia eles têm contato com esta realidade e, por isso, sempre lembramos que este não é o melhor caminho a seguir”, ressalta a coordenadora pedagógica Jaqueline Aparecida Fernandes.

A professora enfatiza que trabalho com o uso do Diário é sempre desafiador para os alunos. “Se exige boa leitura e compreensão, mas como resultado eles têm novos conhecimentos e maior suporte para a construção de textos. Nesta atividade, em especial, o resultado foi muito satisfatório, pois identifiquei maior dedicação no que foi proposto em sala de aula”, diz.

Comente aqui


7ª edição do Concurso de Frases

Foto AbreA promoção cultural que já é tradição do Programa irá premiar as sete melhores frases sobre o tema: “Década mundial de ações para a segurança no trânsito – 2011/2020: cidade para as pessoas, proteção e prioridade ao pedestre”. O concurso da Semana Nacional de Trânsito (SNT) é uma realização do Diário na Escola, Viapar e Cooper Card, com o objetivo de conscientizar os estudantes a respeito do cuidado que se deve ter nas ruas, seja como motorista, ou não.

“A parceria com o Programa é um investimento na formação de nossas crianças. E esse concurso é mais uma etapa desse processo. Ficamos felizes em apoiar essa promoção”, destaca o diretor presidente da Viapar, Marcelo Stachow Machado.

Esta é a terceira vez que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) define os pedestres como tema da SNT. No ano de 2000 o tema escolhido foi “Faixa de Pedestre, a vida pede passagem”, já em 2005 o tema foi “No Trânsito Somos Todos Pedestres”.

“É em pequenos atos que começamos a mudar o mundo. E o Concurso de Frases representa um estímulo para conscientização de nossas crianças sobre a segurança no trânsito”, ressalta o assessor de comunicação da Viapar, Marcelo Bulgarelli.

A Semana Nacional de Trânsito que tem abrangência nacional é um convite à participação de toda a população no esforço para a redução de acidentes. Comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, tem a finalidade de conscientizar a sociedade para que contribua na criação de um ambiente favorável à valorização da vida focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir o direito de ir e vir dos cidadãos.

Sendo assim, dentro do ambiente escolar a ideia é que, após a discussão e reflexão de notícias e imagens, sejam produzidas frases criativas com no máximo 140 caracteres sobre a temática da SNT. As fichas de inscrição já foram enviadas para as instituições de ensino parceiras do Diário na Escola. O prazo para recebimento das três melhores produções, por turma, vai até 03 de setembro. Neste ano, cada aluno vencedor será contemplado com uma bicicleta.

Mais informações podem ser obtidas com a equipe do Diário na Escola, pelo telefone: (44) 3221-6050.

Comente aqui


Impresso desenvolve senso crítico em estudantes

IMG_2776Durante a visita da equipe do Programa à Escola Municipal Rocha Pombo, no município de Ourizona, o relato de uma aluna chamou a atenção. “Esta semana minha mãe estava me contando que o apresentador de TV, Pinga Fogo sofreu um problema de saúde e está internado. Ela achou que seria uma novidade, mas eu disse que já sabia, pois tinha lido sobre o assunto no Diário. Minha mãe ficou surpresa!”, relata Maria Clara Costa Calvo.

Para que momentos como este aconteçam mais vezes nas conversas em família, a equipe do Diário na Escola esteve com os estudantes de Ourizona apresentando todos os elementos que compõem o impresso, entre eles: manchete, texto chamada, foto, legendas, cadernos e lide.

Depois do bate-papo sobre a estrutura do jornal, os estudantes aplicaram a teoria na prática. Divididos em grupos receberam o desafio de encontrar a manchete principal do Diário, realizar a leitura da reportagem e ainda identificar: título, subtítulo, o que a foto representa, legenda e o lide da notícia.

A partir da manchete “Jardineiro entrega filho adolescente suspeito de matar vizinho de 83 anos” os estudantes desenvolveram as atividades acima e produziram um texto opinativo destacando se concordavam ou não com a atitude do pai do acusado, e qual pena o garoto de 16 anos deveria sofrer por ter matado um homem.

“A manchete é assustadora e atrativa ao mesmo tempo, isso desperta o interesse das crianças em ler a notícia completa. O diferente é que nestes casos eles não reclamam nem do tamanho do texto, pois estão curiosos em conhecer mais sobre o fato”, conta a professora Cícera Aparecida Tassoli.

Há cinco anos Cícera utiliza o jornal O Diário como suporte de ensino aos estudantes do 5º ano. Ela destaca que o impresso contribui muito em suas aulas, “além de aprofundar os conteúdos das disciplinas obrigatórias, melhora o rendimento dos estudantes e diversifica a minha rotina de trabalho”, conta.

Comente aqui


Educação no trânsito

ANUNCIO OFICINA DE TRANSITO (2) (1)Com o objetivo de ensinar as crianças sobre as obrigações e os deveres dos pedestres e motoristas, a VIAPAR recebe em sua sede grupos de alunos toda semana para a participação na Oficina de Trânsito.

No auditório da empresa, além de uma pequena palestra sobre segurança no trânsito, os visitantes assistem a vídeos relacionados ao assunto. Em seguida, vão até uma mini-rodovia lá existente, com pistas, placas, semáforo e passarela em tamanho reduzido, construída especialmente para essa finalidade. E ainda conhecem o Centro de Controle e Operações (CCO), um dos mais modernos do País.

Ao final é servido um delicioso lanche, além da entrega de brindes e material informativo.

Caso a instituição de ensino não possa levar os alunos até a sede da VIAPAR, a empresa disponibiliza uma equipe que vai a escola e realiza a Oficina Itinerante com atividades de conscientização sobre o trânsito.

Entre em contato pelo telefone (44) 3033-6000 e agende um horário para a Oficina de Trânsito ou solicite a Oficina Itinerante em sua escola!

1 Comentário


Estratégia para evitar jovens nas ruas

Criado para tirar crianças e adolescentes das ruas de Sarandi no período em que não estão na escola, o projeto “Eu cuido” começou suas atividades no início deste ano e já atende cerca de 800 alunos de seis a 16 anos. A ação é uma iniciativa do prefeito Carlos de Paula Júnior com as secretarias da Juventude, Cultura, Esportes e Lazer.

“A ideia é manter as crianças o maior tempo possível em oficinas, nas quais além de poder se divertir elas estarão adquirindo novos conhecimentos”, ressalta a coordenadora do projeto, Maria Cristina Age Macedo.

Há também uma parceria com as secretarias de Educação, Ação Social, Saúde e Desenvolvimento Econômico para que os alunos tenham acesso de forma mais rápida a consultas e atendimentos oferecidos pelo município.

Podem participar das aulas de futsal, futebol de campo, voleibol, handebol, judô, atletismo e natação aqueles que estiverem matriculados nas escolas das redes municipais e estaduais de ensino da cidade. Lembrando que as oficinas são oferecidas no contraturno escolar.

“A experiência em fazer parte do projeto é ótima! Tenho a oportunidade de aprender coisas novas e ainda fazer amigos”, conta o aluno Rafael da Silva Correia.

João Francisco do Nascimento é professor de uma das aulas mais frequentadas, a de futebol de campo. “Eu já realizava trabalho voluntário nos campinhos dos bairros, quando passei a fazer parte do “Eu cuido” trouxe meus alunos comigo. Atendo quantas crianças chegarem no treino porque acredito que elas percebendo a preocupação social que temos, irão se sentir valorizadas”.

A prefeitura doou todos os materiais necessários para que os alunos pudessem desenvolver as atividades, a exemplo de bolas, kimono, óculos de natação e roupas de banho. “Com isso o jovem só precisa de uma coisa para estar no “Eu cuido”, vontade de aprender”, destaca a coordenadora.

“Mães já relataram melhoras, inclusive, em problemas de saúde. Parte das crianças chegam as aulas de natação por encaminhamento médico e se apaixonam pela piscina. O resultado tem sido ótimo, em pouco tempo de aula já aprendem a nadar”, comemora a professora, Camila Cristina Mignoli.

Alisson de Oliveira Damião é aluno de judô e conta que nunca tinha pensando em praticar a modalidade devido ao custo da mensalidade nas academias. “Quando surgiu a oficina gratuita me interessei e hoje já sonho em ser lutador profissional”.

“Os pais que acompanham as aulas de judô, no início demonstram preocupação devido aos golpes e receio das crianças de machucarem, mas o retorno tem sido muito bom. Alguns alunos já emagreceram e ficaram mais dispostos”, destaca a professora Janaina Cristina Ferreira dos Santos.

Maria Cristina enfatiza que estes garotos estão aprendendo a exercer a sociabilidade dentro de um ambiente que pode contribuir de forma positiva para a sua formação.

O projeto “Eu cuido” continua em 2014 e pretende aumentar as vagas para três mil atendidos. Reformas nos ginásios dos bairros periféricos da cidade já estão sendo realizadas para que a criança não precise se deslocar a grandes distâncias para o contraturno.

SARANDI. Crianças e adolescentes têm a oportunidade de estarem em oficinas que evitam a permanência deles nas ruas e proporciona segurança aos pais

SARANDI. Crianças e adolescentes têm a oportunidade de estarem em oficinas que evitam a permanência deles nas ruas e proporciona segurança aos pais

Comente aqui