UEM



Canais infantis incitam o consumo

Olá pessoal! No dia 13 de agosto, último domingo, a reportagem da jornalista Pauline Almeida falou da publicidade e da propaganda direcionadas às crianças para estimular o consumo. Sem o acompanhamento dos responsáveis, os pequenos estão sujeitos a um “bombardeio” de informação. Além disso,  as propagandas não estão apenas no intervalo da programação. A matéria alerta os […]

Comente aqui


Biblioteca: extensão do aprendizado em sala de aula

Para se trabalhar em uma biblioteca escolar, o pré-requisito básico é gostar de crianças e pré-adolescentes. Geralmente os bibliotecários trabalham em conjunto com professores estimulando a leitura. Mas existem profissionais que vão além disso e “vestem a camisa” em prol da educação, e realizam atividades envolvendo não só a leitura, como também o raciocínio e a escrita. É o caso da bibliotecária Priscilla Kelly Bressan, do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, de Maringá.  Dentre as várias propostas desenvolvidas com os materiais disponíveis na biblioteca, ela agora se lança a um novo desafio, o “Projeto Nova Escrita”. Utilizando o jornal impresso como suporte, a ideia visa atender alunos do 3º ano do ensino médio.

“A iniciativa tem como principal foco auxiliar o aluno a escrever com fluência, argumentação e criticidade, usando a linguagem de maneira adequada a seus destinatários, ou seja, adaptando-se a diferentes registros e de forma coerente com seus objetivos e com o assunto tratado”, destaca Priscilla.

O trabalho é desenvolvido duas vezes por semana. Na quarta-feira os alunos recebem o jornal O Diário e no caderno D+ encontram as palavras cruzadas a serem solucionadas. De acordo com a bibliotecária, os passatempos são uma forma eficiente de levar novas palavras ao cotidiano dos alunos, pois são absorvidos de forma lúdica e divertida, vencendo qualquer resistência à atividade.

Já na sexta-feira o trabalho é de produção textual. Priscilla escolhe uma matéria publicada no Diário e a partir da leitura da notícia, cada estudante tem que desenvolver uma produção textual de algum gênero também sugerido por ela. “Desenvolvi esta proposta pensando nas provas do ENEM, PAS e Vestibular da UEM, com a prática semanal de produção de texto os alunos estarão melhor preparados para os exames finais”, conta.

Rodolfo Bento Balbinot, aluno do 3º ano, obteve a melhor classificação no PAS/UEM entre todos os estudantes da instituição e como prêmio de incentivo ganhou do colégio a inscrição para o próximo vestibular da UEM. Ele que também participa do “Projeto Nova Escrita” relata que esta é uma boa iniciativa, “através dele posso adquirir um maior vocabulário para a realização das provas do vestibular, do PAS e demais concursos. Acredito que com essa ‘ajuda’, poderei me sair melhor na hora da realização da prova”.

A professora de língua portuguesa, Marlene Avelino Barbosa enfatiza a importância das atividades envolvidas no projeto. “Aumentando o conhecimento dos alunos por meio da resolução de palavras cruzadas, eles irão desenvolver o raciocínio lógico, algo de extrema importância para a jornada de provas que irão enfrentar até o fim do ano”.

Toda a equipe do colégio está apoiando o trabalho da bibliotecária Priscila. “Incentiva-se o prazer da leitura, que gera o aprendizado da cultura. Esta é mais uma oportunidade para os alunos terem acesso aos vários gêneros textuais que circulam na sociedade, bem como, tornar-se um usuário mais crítico e competente da cultura letrada”, destaca a diretora, Ivânia Ávila.

Este trabalho com o jornal no Byington Junior só é possível de ser realizado devido ao subsídio da concessionária VIAPAR, que apóia o Diário na Escola incentivando a leitura, a escrita e a prática da cidadania nas instituições de ensino. O assessor de comunicação da VIAPAR, Marcelo Bulgarelli destaca que a transformação da sociedade passa pela educação. “Utilizar o jornal como ferramenta pedagógica é uma forma de estimular o hábito da leitura entre as crianças e até mesmo entre os professores. Os alunos comentam sobre  os fatos do dia a dia,  amadurecendo o senso crítico”.

Comente aqui


UEM promove estudos sobre Marx

Quer estudar os conceitos de Karl Marx? Então chegaram as oportunidades! A Universidade Estadual de Maringá (UEM) promove, a partir de dois de março, o curso Introdução ao Materialismo Histórico, ministrado pelo professor do Departamento de Ciência Sociais da UEM, Pedro Jorge de Freitas. As inscrições podem ser feitas no Bloco M-5 no dia do curso e custam R$ 10 para acadêmicos e R$ 15 para outros interessados. O primeiro texto a ser trabalhado vai ser Marx: vida e obra.

Também sobre Marx, o Projeto de Extensão Leitura d’O Capital, que se configura como grupo de estudos, tem início no dia 25 de fevereiro, às 8h, no bloco M-5, na sala 2. Os encontros serão quinzenais; o primeiro capítulo de discussão é do O Capital – crítica da economia política, de Karl Marx. As inscrições serão feitas no local e dia do Projeto.

Comente aqui