atividades



Programação

A Biblioteca Municipal da avenida Mandacaru, em Maringá, já disponibilizou o calendário de atividades do mês de março. Participe!

 

07/03/13 – 14h –  OFICINA DE XADREZ

                  Instruções básicas sobre o jogo de xadrez

12/03/13 – 15hCLUBINHO DE LEITURA

Livro: O lobo e os sete cabritinhos

19/03/13 – 15h –  CLUBETEEN DE LEITURA

                  Livro: O pequeno príncipe

 21/03/13 – 14h –  CAMPEONATO DE XADREZ               

26/03/13 – 14h – HORA DA LEITURA

                  Livro: O coelhinho que não era de Páscoa         

  14h30 – OFICINA CESTINHAS de PÁSCOA                   

Comente aqui


7 erros do professor em sala de aula

A Revista Nova Escola apresenta 7 erros frequentemente cometidos pelos professores. Confira como evitar atividades sem foco e que roubam tempo na aprendizagem.

1.         Utilizar o tempo de aula para corrigir provas

O problema Deixar a turma sem fazer nada ao corrigir exames ou propor que os alunos confiram as avaliações.

A solução Nesse caso, o antídoto é evitar a ação. Corrigir provas é tarefa do educador, para que ele possa aferir os pontos em que cada um precisa avançar. E o momento certo para isso é na hora-atividade.

2.      Exigir que todos falem na socialização

O problema Durante um debate, pedir que todos os estudantes se manifestem, gerando desinteresse e opiniões repetitivas.

A solução O ideal é fazer perguntas como “Alguém tem opinião diferente?” e “E você? Quer acrescentar algo?”. Assim, as falas não coincidem e os alunos são incentivados a ouvir e a refletir.

3.      Não desafiar alunos adiantados

O problema Crianças que terminam suas tarefas ficam ociosas ao esperar que os demais acabem. Além de perder uma chance de aprender, atrapalham os colegas que ainda estão trabalhando.

A solução Ter uma segunda atividade relacionada ao tema da primeira para contemplar os mais rápidos.

4.      Colocar a turma para organizar a sala

O problema A arrumação de carteiras e mesas para trabalhos em grupo e rodas de leitura acaba tomando uma parte da aula maior do que das atividades em si.

A solução
Analisar se a mudança na disposição do mobiliário influi, de fato, no aprendizado. Em caso positivo, vale programar arrumações prévias à aula.

5.      Falar de atualidades e esquecer o currículo

O problema Abordar o assunto mais quente do momento por várias aulas, o que pode sacrificar o tempo dedicado ao conteúdo.

A solução Dosar o espaço das atualidades e contextualizar o tema. Em Geografia, por exemplo, pode-se falar de deslizamentos de terra relacionando-os aos tópicos de geologia.

6.      Realizar atividades manuais sem conteúdo

O problema Pedir que os alunos façam atividades como lembrancinhas para datas comemorativas sem nenhum objetivo pedagógico.

A solução Só propor atividades manuais ligadas a conteúdos curriculares – nas aulas de Artes, por exemplo, para estudar a colagem como um procedimento artístico.

7.       Propor pesquisas genéricas

O problema Pedir trabalhos individuais sobre um tema sem nenhum tipo de subdivisão. Como resultado, surgem produções iguais e, muitas vezes, superficiais.

A solução
Dividir o tema em outros menores e com indicações claras do que pesquisar. Isso proporciona investigações mais profundas e dinamiza a socialização.

Comente aqui
 

Mural do Participante

A partir da leitura de matérias e reportagens apresentadas no jornal O Diário os alunos do 5º ano da Escola Municipal Dr Eurico Jardim Dornellas de Barros, de Marialva, realizaram atividades de produção textual sobre o uso de drogas na Praça Napoleão Moreira da Silva, em Maringá, que todo final de ano se transforma na Vila do Papai Noel.

Olha que bacana!

 

OBS: caso não consiga ler os textos clique na imagem para visualizar em tamanho maior.

Comente aqui


Mural do Participante

A equipe pedagógica da Escola Municipal Santo Carraro, de Mandaguaçu, trabalhou com os alunos a temática apresentada na coluna de O Diário na Escola sobre o Dia do Índio. Depois da leitura do jornal foi apresentado a importância e os valores culturais deste povo na história brasileira. A professora de artes visuais, Eni Franco, ajudou os alunos a pintar o corpo e a confeccionar objetos e roupas típicas dos índios. E para celebrar esta data tão importante os estudantes fizeram uma apresentação de dança indígena na Praça Doutor Dimas, no centro do município.

Comente aqui


Mural do Participante

Após realizarem a leitura da coluna de O Diário na Escola sobre o Dia Internacional Contra o Racismo, os alunos do 5º ano da Escola Municipal Rocha Pombo, Ourizona/PR, comentaram e discutiram sobre o tema e em seguida foram coordenados pela professora Janete Baldo da Silva Machado a produzirem frases e poemas sobre o assunto. “A matéria de O Diário na Escola enriqueceu muito a minha aula”, afirma a professora.

1 Comentário


Mural do Participante

Os alunos do 5º ano da Escola Municipal Doutor Milton Tavares Paes, Marialva/ PR, sob orientação da professora Amélia Watanabe Horita, leram a página de O Diário na Escola sobre o Dia Mundial da Água, conciliaram o tema com a aula de ciências e realizaram produções textuais sobre o assunto. Para complementar o conteúdo estudado, os alunos visitaram a nascente Adutora II, que abastece o município de Marialva.

Clique na imagem para ver as produções em tamanho maior:

1 Comentário


Mural do Participante

Os alunos da Escola Rural Municipal Professor Gumercindo Lopes, Marialva/ PR, também realizaram atividades sobre o Dia Internacional da Mulher, comemorado no último dia 08. Abaixo o poema feito pelo aluno Jeosafá Borges dos Reis, sob a orientação da professora, Edilaine Cristina de Oliveira.

Comente aqui


Mural do Participante

Alunos do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, de Maringá/ PR, também realizaram trabalhos sobre o Dia Internacional da Mulher a partir da temática apresentada na coluna do dia 07 de março de O Diário na Escola, no jornal O Diário.

No pátio da instituição foram expostos cartazes produzidos pelos alunos do período noturno sob a orientação da professora de artes Vânia Malagutti e da bibliotecária Luzia Klokner. Os cartazes homenagearam a artista Tarcila do Amaral e a cantora e compositora Chiquinha Gonzaga.

A biblioteca da escola foi decorada com diversos cartazes com a biografia e a imagem de mulheres que mudaram o mundo. As homenageadas foram: Marie Curie, Isadora Duncan, Madre Teresa, Helen Keller e Anne Sulivan, Gabriela Mistral, Simone de Beauvoir, Golda Meir, Penélope e Joana D’Arc.

No período da manhã as bibliotecárias e a aluna Rebeca Honório do 3º ano B do período da manhã, preparam uma homenagem a uma importante mulher do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior, Olga Barbosa Contardi. Dona Olga, como é conhecida pelos alunos é uma das pedagogas da escola e leciona há mais de 50 anos.

De acordo com a bibliotecária, Priscilla Bressan “o dia 8 de março foi um marco para o Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior por mostrar a parceria e união entre alunos, funcionários, professores e a biblioteca da escola. As bibliotecárias conseguiram com esse trabalho reconhecimento e divulgação das mulheres que mudaram o mundo, bem como homenagear a Dona Olga e as demais mulheres da escola, incentivando outros departamentos da instituição a apoiar e fortalecer o vínculo do aluno com a escola, a biblioteca e o próximo”.

Veja abaixo fotos de algumas das atividades que alunos e a equipe do colégio produziram sobre o Dia Internacional da Mulher:

        

2 Comentários


Educação com jornal, poema e formação de opinião

Era para ser uma aula como outra qualquer do ano letivo da Escola Municipal Vicente Liberato, de Munhoz de Mello, mas as professoras Ilda Glozer e Ione Réus resolveram inovar e trouxeram novas formas de aprender para dentro das salas da 4ª série. Foi então que combinaram literatura, consciência ambiental e jornal impresso, os resultados foram enviados ao Diário na Escola, como o texto da aluna Shaiane Souza de Lima.
Semanalmente, as crianças leem jornal com a supervisão das professoras, que utilizam a mídia para aproximá-las dos fatos sociais e do conhecimento sobre os gêneros jornalísticos. As crianças vão aprendendo a diferenciar uma notícia de um artigo de opinião e conseguem perceber, por exemplo, a intenção por trás da ironia de um cartum.
A turma adorou a alternativa pedagógica de deixar as aulas mais dinâmicas com leitura, interpretação e produção textual a partir do conteúdo do jornal. Animadas com a aceitação do trabalho, as professoras foram além, pediram aos alunos para lerem as notícias do Diário e escolherem aquelas que mais chamaram a atenção.
Em seguida, as crianças foram estimuladas a formar opinião sobre temas como meio ambiente e cidadania e utilizá-los como foco na produção de poemas. Por meio das atividades bem elaboradas foi possível mostrar aos alunos que para escrever é preciso ter em mente dois elementos básicos: a informação e qual gênero querem utilizar.

Comente aqui