Cidadania



Canais infantis incitam o consumo

Olá pessoal! No dia 13 de agosto, último domingo, a reportagem da jornalista Pauline Almeida falou da publicidade e da propaganda direcionadas às crianças para estimular o consumo. Sem o acompanhamento dos responsáveis, os pequenos estão sujeitos a um “bombardeio” de informação. Além disso,  as propagandas não estão apenas no intervalo da programação. A matéria alerta os […]

Comente aqui


“NICOLAU, O MENINO AZUL” FOI INSPIRADO POR UMA FOTO DO DIÁRIO

Olá pessoal! Na edição de hoje circula a nossa coluna O Diário na Escola, no Caderno D+. Para quem ainda não leu o Diário do Norte do Paraná hoje, apresentamos três trabalhos maravilhosos desenvolvidos nas cidades de São Jorge do Ivaí e Marialva. Linguagem jornalística desafia os alunos A turma do 4ºC da professora Simone Carbone,  de São Jorge do […]

Comente aqui


Pets do Paraná podem ter documento equivalente à certidão de nascimento

Olá Pessoal! Fazer uma pergunta pública no jornalismo é uma ferramenta do Jornalismo chamada enquete. É considerada a forma mais isenta de saber a opinião pública sobre algum assunto. Na última semana, convidamos quem visita a página do O Diário na Escola no Facebook para dizer se registraria ou não um animal de estimação. A certidão se chama PetLegal e é […]

Comente aqui


Jogos Escolares deixam marca positiva

Olá pessoal! Vocês leram a Coluna O Diário na Escola dessa terça-feira, dia 1 de agosto? A gente conta as experiências recentes de Floraí com o jornal em sala de aula. A escolha de temas de interesse dos alunos é sempre um estímulo a mais para quem participa de um projeto multidisciplinar. Capacitação e propostas inovadoras As […]

2 Comentários


Alunos e estudantes ganham acesso ao jornal em sala de aula

Olá pessoal! A nossa página de terça-feira tem notícia fresquinha! Recomeçou a distribuição de exemplares de O Diário para alunos e professores da rede municipal de Sarandi. Serão 1.360 jornais para atividades pedagógicas em sala de aula. Quase três mil crianças serão beneficiadas. Ação transformadora Pedagoga há mais de 20 anos, a diretora de ensino da […]

Comente aqui
 

Manifestações é tema de aula

Ações políticas também se debatem na escola, sim! Como futuros cidadãos que representarão nosso país, os estudantes estão cada vez mais atentos ao que acontece no cenário político. A turma de alunos do quinto ano da Escola Municipal Prof. Domingos Laudenir Vitorino de Itambé, mesmo em seu primeiro contato com o jornal e antes mesmo de folhear as páginas de conteúdo, se expressaram ao ver a reportagem estampada na página do Diário com a manchete “Maringá tem dia histórico nas ruas”, a qual se refere aos manifestos que reuniram quase 50 mil pessoas na cidade, na luta contra a corrupção.

As crianças fizeram comentários sobre o fato ocorrido na cidade vizinha em que moram, assim como em outras regiões do Brasil, alguns disseram que vieram até Maringá e participaram do protesto, outros falaram que viram notícias semelhantes na televisão e na internet. Enfim, a empolgação foi tanto diante do assunto, que a professora Suelena Jaqueta decidiu explorar o tema com a turma.

Foto SubmanchetePara iniciar o trabalho os estudantes leram a reportagem e conheceram a fundo sobre do que se tratava a notícia. Na sequência, cada opinião emitida e informações apontadas, foram transcritas para o quadro e depois do levantamento de dados e muita discussão sobre o que conhecem a respeito do assunto, em duplas, as crianças produziram pequenos textos apontando o porquê os manifestos estão acontecendo, quem tem participado e por o quê as pessoas estão lutando.

“Todo esse problema começou quando a população confiou na presidente Dilma e depois de um tempo percebeu que ela não estava cumprindo com o que prometeu. Uma multidão foi às ruas, em diferentes estados, protestar contra o desemprego e os baixos salários”, contam as alunas Julia Maniezo e Ludmyla Soares.

Os estudantes Yuri Lima e Gabriel Senhem apoiam os manifestos e a vontade do povo em falar o que pensa. “Muitas pessoas pedem o impeachment da Dilma e a prisão do ex-presidente Lula. Todos estão nervosos com as calúnias apresentadas pelo governo. Sem falar na conta de luz, que mesmo a gente economizando, vêm com o valor nas alturas e ainda o aumento dos impostos em tudo que consumimos diariamente.”

Suelena ficou satisfeita com os resultados. “Meus alunos são bastante expressivos, com isso, os textos são baseados em informações e cheios de argumentos que sustentam o que eles escrevem. Quando um assunto repercute dessa forma, o melhor é esgotá-lo, é trabalhar com ele. Assim as crianças têm a oportunidade de falar tudo o que tem vontade, aprendem com a partilha de conhecimento dos colegas e conseguimos dar continuidade aos conteúdos.”

“Adoramos fazer essa atividade, pois além de lermos o jornal também tivemos a oportunidade de falar e escrever sobre um assunto que está na mídia, que as pessoas conversam na rua e em casa, com a família. Estamos preocupadas e queremos o melhor para o nosso Brasil”, dizem otimistas as alunas Ana Paula Rodrigues e Sandy Guimarães.

“O Diário nas minhas aulas tem muita importância, porque com ele os alunos adquirem conhecimento sobre o dia a dia do país e principalmente dos municípios da nossa região. Com ele, na nossa escola, a acessibilidade às informações é bem melhor, pois posso explorar várias disciplinas utilizando o jornal, facilitando ainda mais o aprendizado dos educandos”, conclui a professora.

 

Comente aqui


Dia do Professor

A criação da data se deu em virtude de D. Pedro I, no ano de 1827, ter decretado que toda vila, cidade ou lugarejo do Brasil, criasse as primeiras escolas primárias do país, que foram chamadas de “Escolas de Primeiras Letras”, através do decreto federal 52.682/63.

Os conceitos trabalhados eram diferenciados de acordo com o sexo, sendo que os meninos aprendiam a ler, a escrever, as quatro operações matemáticas e noções de geometria. Para as meninas, as disciplinas eram as mesmas, porém no lugar de geometria entravam as prendas domésticas, como cozinhar, bordar e costurar.

A ideia de fazer do dia um feriado surgiu em São Paulo, com o professor Salomão Becker, que propôs uma reunião com toda a equipe da escola em que trabalhava para que fossem discutidos os problemas da profissão, planejamento das aulas, trocas de experiências etc.

A reunião foi um sucesso e por este motivo outras escolas passaram a adotar a data, até que ela se tornou de grande importância para a estrutura escolar do país.

Anos depois a data passou a ser um feriado nacional, dando um dia de descanso a esses profissionais que trabalham de forma dedicada e por amor ao que fazem.

Fonte: Adaptado site Brasil Escola

Comente aqui


Mural de Trabalhos

A partir da leitura e do trabalho com o jornal na sala de aula, o aluno Carlos Eduardo da Escola Municipal Vânia Maria Simões – Atalaia, e as alunas Vanessa e Osanas, da Escola Municipal Dr Eurico de J. D. Barros – Marialva, fizeram as seguintes produções com temáticas que envolvem a cidadania, as eleições e o uso de drogas.

Comente aqui


Proposta de oficina pedagógica: trabalhando cidadania no jornal

Segue abaixo a proposta da oficina pedagógica “Trabalhando cidadania no jornal”, que desenvolvemos com crianças dos quartos e quintos anos de instituições que participam do Diário na Escola.

1        – Conteúdo

1.1  Cidadania

1.2  Leitura e escrita

1.3  Objetivos:

a) Verificar os conhecimentos prévios das crianças sobre Cidadania; b) Levar os participantes à compreensão de notícias cidadãs e não cidadãs presentes no jornal; c) Verificar os sentimentos provocados pelas notícias e d) Fazer com que os alunos compreendam e emitam opiniões orais e escritas sobre o conteúdo trabalhado.

2        – Estratégias/procedimentos de ensino

Oficina expositiva, utilizando recursos audiovisuais. Atividades práticas em grupos, inseridos em um contexto dinâmico e interativo entre as crianças e os ministrantes.

Detalhamento: Iniciaremos as oficinas com a apresentação dos vídeos “A menina que odiava livros” (duração 7min20seg) e “Chico Bento vai ao Shopping” (duração 6min58seg). Na sequência será feita discussão para verificar o que as crianças compreenderam sobre os vídeos assistidos, seguidos de questionamentos dos ministrantes para conduzi-las a compreensão inicial do que é Cidadania e o que não é cidadania. No caso do primeiro vídeo entende-se que Ler é um direito e um ato cidadão; já no segundo, o roubo de um calçado por Chico Bento, mesmo que inconsciente pelo personagem, não é um ato cidadão.

Posteriormente às discussões iniciais, dividiremos o quadro em duas colunas escrito atos cidadãos e atos não cidadãos a fim de verificarmos fatos locais (ocorridos na escola, na família e na comunidade) que são cidadãos e não cidadãos de conhecimento dos participantes. Faremos um levantamento de hipóteses para verificar o que as crianças entendem sobre Cidadania, após as anotações no quadro do que os alunos falaram sobre o assunto em questão, apresentaremos a seguinte definição da Wikipédia: “Cidadania (do latim, civitas, “cidade”) é o conjunto de direitos e deveres ao qual um indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive.”

Atividades práticas: No segundo momento, as crianças serão divididas em equipes de 4 a 5 alunos. Cada grupo receberá três edições diferentes do jornal O Diário, tesouras, colas, cartolinas e uma tabela digitada. Os ministrantes solicitarão que cada equipe olhe os jornais e escolha um fato que não apresenta atitude cidadã e o outro que apresenta atitude cidadã. Encontrados os alunos irão colar as duas matérias nas cartolinas e anotarão os sentimentos provocados pelas notícias, tais sentimentos serão indicados na tabela. Finalizadas as discussões, cada equipe produzirá um texto coletivo sobre o que compreenderam do que é Cidadania e apresentarão opiniões sobre as matérias escolhidas. Para finalizar, os grupos apresentarão suas conclusões e colarão as cartolinas no quadro ou mural.  Os melhores textos e/ou ilustrações serão publicados em coluna de “O Diário na Escola”.

Continue lendo

Comente aqui