concurso cultural



Nutrição tem tudo a ver com aprendizagem

Olá pessoal! Na coluna da quarta-feira, nosso assunto foi a nutrição da turminha. Você sabia que o que as crianças comem fora da escola tem tudo a ver com o ritmo de aprendizagem delas? Quem orienta os pais e os professores sobre como deixar o prato mais equilibrado é a nutricionista Ana Paula Souza, da […]

Comente aqui


História de Rafael vence concurso

No mês em que se comemora o Dia da Criança, o Diário na Escola em parceria com a Livrarias Curitiba, lançou a promoção cultural “Livro também é diversão!”. Para concorrer a seis livros infanto juvenis os participantes contaram como estimulam a leitura nos pequenos, seja filho, neto, sobrinho ou aluno.

DSC00246A vencedora do concurso é Léia Rachel Teixeira de Souza que diariamente lê para o filho de apenas dois anos, Rafael Silvério de Souza. Mas o estímulo à leitura na vida de Rafael começou antes mesmo dele nascer.

Quando Rachel descobriu que estava grávida pesquisou formas de auxiliar o desenvolvimento da criança ainda na barriga. Uma das dicas que encontrou foi justamente a de ler para o bebê.

Guias de gravidez apontam que ainda no ventre a criança pode ouvir histórias contadas pela mãe. Nessa fase o pequeno é considerado um leitor ouvinte, o objetivo não é que ele entenda o enredo, mas que passe a reconhecer a voz da mãe e fortalecer o elo entre eles.

“Depois que Rafael nasceu os presentes eram livros musicais, com ilustrações e até aqueles que pudessem ser manuseados dentro da banheira. Assim ele foi percebendo como as obras eram interessantes e que também poderiam diverti-lo”, conta a mãe.

Graduada em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), Rachel sempre foi apaixonada por leitura. “Minha mãe trabalhava fora e não tínhamos o hábito de ler juntas, mas sozinha eu fui sentindo a necessidade de procurar os livros, frequentar bibliotecas e sempre levava minha irmã comigo”.

Ela destaca que a leitura é um crescimento pessoal, você passa a ter mais argumentos na hora de escrever e consegue se expressar de forma melhor durante uma conversa. “Os livros além das histórias fictícias, também trazem informações e conhecimentos que vou levar para o resto da vida”.

Rafael vai para a escola desde os seis meses do nascimento. A professora comenta que ele é uma criança bem desenvolvida, comunicativa, que já reconhece personagens e gesticula durante as aulas. “Em casa ele mostra algumas letras, números e cores. Fico encantada!”, diz Rachel.

As leituras para Rafael são feitas todas as noites antes de dormir. Quando a mãe não está lendo para ele, é o pequeno quem pega o livro sozinho e começa a folhear e ler tudo o que está escrito, antes mesmo de estar alfabetizado.

Por muitas vezes Rachel leu as histórias: “Chapeuzinho Vermelho” e “Os Três Porquinhos”, hoje Rafael conta o enredo nas narrativas e até imita o rugido do Lobo Mau.

“Com tantas opções tecnológicas as crianças estão se afastando do contato com os livros. Quero que na vida do meu filho isso seja diferente. Percebo que o hábito da leitura é algo prazeroso para ele, e espero que continue assim”, enfatiza a mãe.

Rachel destaca que além da motivação familiar, a escola tem papel fundamental no estimulo à leitura. “O Rafael tem muito contato com os livros em sala de aula e a professora separa horários na semana para a contação de histórias. Acredito que tendo o exemplo dentro e fora de casa ele será um leitor assíduo, e no futuro tenha o hábito de ler para seus filhos”.

Comente aqui


HQs: Crianças refletem sobre problemas sociais

Conheça as Histórias em Quadrinhos vencedoras do 7ª Concurso Cultural de Gibi. Os alunos, após a leitura de matérias jornalísticas, veiculadas no jornal no período da promoção (de 10 de setembro a 10 de outubro), produziram os trabalhos. Foram mais de 350 HQs enviadas à equipe do Diário na Escola. Sendo três vencedores na categoria escolas da rede municipal de Maringá; três vencedores das escolas da região e um vencedor na categoria escolas apoiadas pela Concessionária de Rodovias, Viapar. As premiações foram feitas aos alunos e seus professores nas escolas. Familiares das crianças vencedoras, professores de diversas áreas, alunos e secretários municipais da educação acompanharam as entregas de prêmios. As principais temáticas abordadas foram: violência, abuso sexual, pedofilia, abandono de animais, pichação, direção e bebida alcoólica, destruição da natureza etc.

A seguir as Histórias em Quadrinhos vencedoras. Foram três etapas de seleção: a primeira feita pela equipe do Diário na Escola; a segunda pela professora Ms. Maisa Cardoso, que ministrou a oficina de capacitação aos professores para esse concurso cultural e, por fim, a jornalista e professora Ms. Cristiane Parente, coordenadora dos Programas de Jornal e Educação, da Associação Nacional de Jornais, PJE/ANJ, definiu os sete vencedores.

Clique na imagem para ampliá-la.

Categoria escolas municipais de Maringá:

1º lugar:

 

 

 

 

 

2º lugar:

 

 

 

 

 

3º lugar:

 

 

 

 

 

Categoria escolas municipais da Região:

1º lugar:

 

 

 

 

 

2º lugar:

 

 

 

 

 

3º lugar:

 

 

 

 

 

Categoria Viapar:

Comente aqui


Concurso Cultural Práticas Pedagógicas com jornal. Educadores, atenção ao prazo!

Atenção educadores, o prazo para entrega dos trabalhos, para participação no Concurso de Práticas Pedagógicas com jornal, estão se encerrando. Atentem-se ao item 4 do regulamento: “A inscrição será efetivada a partir do recebimento do trabalho, no prazo máximo até o dia 04/06/2012 (…) Não serão aceitos trabalhos enviados após esta data”. Confiram o regulamento na íntegra:

Comente aqui


Concurso Escritor do Mês chega ao fim e dá prêmios aos alunos vencedores

Alunos do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Junior durante todo o mês de Abril participaram do concurso “Escritor do Mês” organizado pelas bibliotecárias da instituição.

Cartazes sobre os escritores Vinícius de Moraes, Ana Maria Machado e William Shakespeare foram expostos por toda a biblioteca. Os alunos que participaram da competição literária, na qual tiveram que escolher um dos autores citados acima, pegar uma ficha que contém cinco trechos de livros do autor que escolheu e o estudante que primeiro descobrisse em qual livro estava o trecho que consta na sua ficha, ganhou uma caixa de bombom como prêmio!

Em apenas duas horas de competição o aluno Rene Sarrão Moura acertou os trechos da obra de Vinícius de Moraes. As alunas Andria Watanabe e Bruna Leoncio leram mais de 15 livros da autora Ana Maria Machado para descobrir os trechos que foram selecionados para a competição. E por fim, as alunas Sara Maria Silveira e Camila Franzoni leram e releram por mais de duas vezes as cinco obras de William Shakespeare, até encontrarem os trechos dos livros que estavam em suas fichas.

De acordo com as bibliotecárias da escola, Cássia Miya Kato e Priscilla Kelly Bressan o objetivo da experiência cultural foi alcançado “muitos alunos se empenharam para participar da competição, pesquisaram sobre os livros dos autores selecionados e com isso conseguimos incentivar a leitura”.

Alunas do 3º ano A, Sara e Camila que encontraram os trechos das obras de William Shakespeare

Alunas do 8º ano A, Andria e Bruna que encontraram os trechos das obras de Ana Maria Machado

Rene, aluno do 2º ano B, que encontrou os trechos das obras de Vinícius de Moraes em tempo récorde!

Comente aqui