Cruzeiro do Sul



Resultado já na primeira aula

Foto Abre - opção 01“A estreia do Diário como suporte de estudo foi só elogios”, conta o professor Diego Paulo Ambrózio que leciona para os quintos anos da Escola Municipal Professor Flávio Sarrão, em Cruzeiro do Sul. Ansiosos pelo recebimento do material em classe, os alunos se dedicaram para que a aula fosse produtiva e que, assim, o jornal esteja sempre presente nas atividades.

“Foi uma aula muito diferente. Eu que nunca tinha lido o impresso, achei super interessante e agora já conheço tudo o que este material tem de conteúdo”, relata a estudante, Ana Luiza Akemi Takemoto.

Depois da oportunidade das crianças folhearem o Diário, o professor repassou o gênero a ser trabalhado: os classificados. Neste momento os alunos ficaram surpresos, pois é uma editoria que por muitos, passava despercebida. “Senti a necessidade de realizar uma proposta que contemplasse desde o manuseio das páginas do impresso até a percepção dos diferentes assuntos presentes”, destacada Diego.

Os anúncios classificados são compostos por estrutura linguística, argumentação, persuasão, e diversos fatores que auxiliam no processo de exploração textual e linguagem. Além de o aluno ter a oportunidade de interagir com algo que está muito presente na sociedade, o comércio.

Foto Abre - opção 02Para desenvolver a atividade, Diego separou a turma em grupos e discutiu todos os elementos que compõe um classificado – finalidade, objetivo e público alvo – e juntos, os alunos foram identificando cada uma das partes nas páginas do jornal.

“Foi meu primeiro contato com o impresso dentro da sala de aula, e a minha sensação depois de terminar a atividade foi ótima! Aprendi que no Diário tem textos informativos, de anúncio, propagandas e muitas outras variedades”, fala a aluna Mariana Peres Lima.

Depois do reconhecimento do gênero chegou a momento da produção. As crianças foram desafiadas a criarem seus próprios anúncios misturando o mundo real com a ficção, ou seja, o anúncio deveria ter a mesma estrutura do classificado que se vê no Diário, mas as informações de compra ou venda deveriam trazer itens da imaginação delas.

O professor enfatiza que o resultado foi surpreendente. “Os estudantes estavam motivados e empenhados. Gratidão é a palavra que define meu sentimento ao término da atividade. Além de termos trabalhado um gênero novo, ao mesmo tempo, se desenvolveu a capacidade de criação e produção deles.”

Comente aqui


Notícia propõe atividades sobre alimentação saudável em escola

horta 1Edilene Rosimeire da Silva e Márcia Cristina Juliani Correia lecionam para os quintos anos da Escola Municipal Flávio Sarrão, em Cruzeiro do Sul. No período de hora atividade elas discutem propostas a serem realizadas em sala utilizando o jornal impresso como suporte. Ao ler o Diário as professoras se interessaram pela manchete “Faturamento com exportação de frango é inédito”, na qual o texto destaca que o Paraná é o principal produtor e líder no volume exportado e ainda detém o maior faturamento.

Com a notícia escolhida Edilene e Márcia levaram o conteúdo para a sala e discutiram com as crianças quais fatores teriam feito o consumo de frango crescer tanto. “Os alunos apontaram que é uma carne de valor mais acessível e quem mora na área rural, muitas vezes, tem até criação destes animais”, contam.

Aproveitando o interesse dos estudantes pelo assunto, as professoras convidaram a nutricionista do município, Danieli Castanheiro de Santi para realizar uma palestra sobre alimentação saudável.

“Eu adorei saber mais sobre os alimentos, as calorias e valores nutritivos. Algo muito importante é deixar de consumir industrializados e se adaptar a refeições naturais. Devemos ter cuidado com os agrotóxicos, pois algumas vezes as frutas têm tanta química que podem ser um veneno”, aconselha a aluna Alessandra Cristina Tofanello.

“O nosso objetivo era conscientizar as crianças sobre a importância em comer bem e evitar a obesidade infantil. O resultado deste trabalho eu pude constatar até dentro da minha casa. Minha filha também é aluna da escola e chegou em casa eufórica com o cardápio repassado pela nutricionista, comprou alimentos saudáveis quando fomos ao supermercado e tem seguido a dieta”, enfatiza Edilene.

A escola tem uma horta própria na qual são colhidos vegetais para a merenda escolar. Um espaço que antes era ignorado pelos alunos, hoje é local de visita diária. “Algumas crianças não sabiam identificar o nome dos legumes e verduras plantadas. Momentos como este proporcionam diversão e muito aprendizado”, ressalta a diretora, Esbelta Ferreira.

A professora ainda destaca que iniciativas como esta devem ser repetidas outras vezes no ano para que as crianças não se esqueçam da importância em cuidar da saúde e passem a ter o hábito da alimentação correta.

1 Comentário


A mídia na educação

“O Programa Diário na Escola inovou as metodologias do professor, destacando que, o trabalho educativo do qual depende não só a aprendizagem escolar do aluno, mas também, em grande medida, sua formação como pessoa”. – Elci Aparecida Tomaz Caparroz, secretária de educação de Cruzeiro do Sul.

Comente aqui


Brinquedos sim, armas não!

O Estatuto do Desarmamento, criado em 2004, pretende combater a venda ilegal e o contrabando de armas para assim, diminuir a violência no país. O documento aponta que a criminalidade está diretamente ligada ao uso de armas de fogo e que a maioria das vítimas tem idade entre 15 e 25 anos.

A Campanha do Desarmamento é um marco na história do Brasil no que se refere ao combate à violência e à instituição de uma cultura de paz. Desde que começou o recolhimento de armas, em 15 de julho de 2004, o engajamento da sociedade tem respondido ao apelo do governo para a construção de um país mais seguro. Tanto que o Prêmio Unesco 2004, na categoria Direitos Humanos e Cultura da Paz, foi para a Campanha do Desarmamento. Na ocasião, a Unesco considerou a ação uma das melhores estratégias de promoção da paz já desenvolvidas na história do Brasil.

Com a nova edição do Estatuto do Desarmamento, o uso de armas no país está ainda mais restrito. Agora será permitido apenas aos policiais, militares, responsáveis pela segurança e casos funcionais previstos em legislação. O porte tornou-se em regra proibido. A posse, em sua residência ou local de trabalho, exige teste psicotécnico, ter mais de 25 anos e principalmente declarar para que necessita ter uma arma. Ressalta-se que com a nova lei somente a Polícia Federal concede as liberações.

As armas de brinquedo podem influenciar crianças à violência, e fazer com que se confundam ao verem uma arma de verdade. Podendo causar um acidente doméstico caso os pais tenham uma guardada.

Pensando nisso, o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA), o Conselho Tutelar e a Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, envolveram as escolas municipais e estaduais na “Passeata do Dia do Desarmamento Infantil”.

O presidente do CMDCA, Denílson Alves da Silva conta que o principal objetivo da ação foi conscientizar a população dos perigos das armas de fogo. “Deixamos claro que quem decide sobre o uso ou não da arma é a polícia, esta é a forma mais segura”, destaca. Nas escolas a ação teve continuidade, as crianças que tinham armas de brinquedo trocaram os objetos por doces, e também receberam palestras sobre a importância do desarmamento infantil.

O aluno do 5º ano da Escola Municipal de Cruzeiro do Sul, Lucas Machado dos Santos entregou sua arma de brinquedo em troca de doces. “Hoje tem muita criança cometendo crimes e até matando pessoas, não é isso que quero para mim”.

“Mesmo pequena, a nossa cidade têm muitos casos de violência, então a questão sobre as armas é sempre trabalhada dentro da sala de aula. A passeata veio para somar com os nossos trabalhos de conscientização e para melhorar o entendimento das crianças que continuam trazendo armas de brinquedo para escola”, afirma a diretora, Esbelta Ferreira.

A Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul enviou um ofício ao presidente do CMDCA parabenizando a iniciativa de toda a equipe que organizou a passeata. “Lembrando que na região, fomos o único município que fez alguma atividade em relação a esta temática tão importante”, lembra Denílson.

Comente aqui


Pnaic em Cruzeiro do Sul

As professoras do município de Cruzeiro do Sul participaram da aula inaugural do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). Um programa criado pelo Ministério da Educação (MEC) de formação e aperfeiçoamento de professores alfabetizadores, desenvolvido em parceria com as Universidades Públicas. Cruzeiro do Sul tem como instituição responsável a Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Na imagem, as profissionais da educação em momento de relaxamento, antes da palestra, para melhor aproveitamento do curso.

Comente aqui