drogas



Ociosidade e drogas é tema de aula em Marialva

De acordo com o levantamento do Serviço de Abordagem, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Sasc), a ociosidade e as drogas são os motivos que mais levam crianças e adolescentes à viverem em situações de rua em Maringá. Os dados também revelam que a maioria dos menores que são encontrados vendendo doces nas ruas, ou mesmo em situação de mendicância, pertence a cidades vizinhas.

Este assunto despertou a atenção da professora Amélia Watanabe Horita, que leciona para os alunos da Escola Municipal Dr. Milton Tavares Paes, em Marialva. “A notícia destaca que a Sasc de Maringá encaminhou 171 crianças e adolescentes para o abrigo provisório do município somente em 2013. Esta é uma realidade que poderia ser a de algum dos meus alunos, por isso decidi discutir o tema.”

Com o objetivo de trabalhar o texto jornalístico e fazer com que as crianças expressassem suas opiniões, Amélia entregou exemplares do Diário para a leitura da matéria, em seguida discutiu sobre o assunto e os estudantes desenvolveram produções textuais argumentando possíveis soluções para o caso de menores que vivem na ociosidade.

“Quando fiz a correção dos textos me surpreendi com os resultados. Por ser um material diferente os alunos adoram o jornal, e isso os motiva a ler e a escrever. Outro fator importante é que a notícia apresenta pessoas com idade similar a deles, o que desperta identificação e interesse pela atividade proposta”, conta Amélia.

A estudante Gabriely Bressa destaca que a oportunidade de ler sobre o que está acontecendo atualmente, a faz ter consciência do que é certo ou não. Assim, aproveita os exemplos para não cometer os mesmos erros.

“Na matéria eu li que têm muitas crianças que passam os dias nas ruas pegando latinha, papelão e lixo. E na verdade, elas estão trabalhando para os pais delas, para os adultos, e isso é muito feio. Lugar de criança é na escola”, enfatiza o aluno Renê Rossatti.

A estudante Ana Paula Nunes comenta que algumas meninas acabam ficando nas ruas e ao crescer nessa situação perdem seus valores. “Muitas vezes elas deixam de lado o amor próprio e para ganhar dinheiro se prostituem. Isso é ruim porque ainda correm o risco de pegar doenças.”

A aluna Larissa de Jesus Souza diz que esses adolescentes que trabalham, ao invés de estudar, acabam se envolvendo com as drogas. “Entrando nesse mundo você se afunda cada vez mais e só terá derrotas. Não vale a pena, pois isso vai te levar ou para a cadeia ou à morte.”

A coordenadora pedagógica Elisa Mara Perez ressalta que o livro didático apresenta a história do nosso passado, e este, aliado ao jornal faz o estudante perceber a mudança que ocorreu na sociedade. “O Diário é uma das poucas fontes de informação que nossos alunos têm, por isso é um material tão valorizado em sala de aula. Além de os manterem atualizados, o impresso ainda desperta a curiosidade das crianças quando trabalhado na interdisciplinaridade”, conta.

OPORTUNIDADE. Jornal O Diário diversifica a metodologia de trabalho em sala de aula e apresenta diversidade de textos

OPORTUNIDADE. Jornal O Diário diversifica a metodologia de trabalho em sala de aula e apresenta diversidade de textos

Comente aqui


Concurso de Frases sobre o trânsito premia alunos e professores de Maringá e região

Uma promoção do Diário na Escola, concessionária VIAPAR e secretarias municipais de educação, o Concurso de Frases sobre a Semana Nacional de Trânsito premiou sete alunos e professores que após o trabalho de leitura, interpretação e atividades orais e escritas, produziram as melhores frases criativas e de efeito sobre a temática proposta.

Este ano o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) definiu o tema da Semana Nacional de Trânsito como: “Álcool, outras drogas e a segurança no trânsito: efeitos, responsabilidades e escolhas”. Alinhando as discussões as consequências de beber e dirigir.

O evento de premiação foi realizado na última quinta-feira (26) na sede da VIAPAR. Estavam presentes além dos ganhadores, parte da coordenação das escolas, representantes da secretaria de educação dos municípios, familiares dos alunos e a diretoria dos organizadores da ação.

“Dos vários projetos que a VIAPAR tem apoiado, esse merece atenção especial, pois achamos fundamental trabalhar com a educação infantil. É compensador ver o resultado dessa parceria da concessionária junto com o Diário e prefeituras”, afirma o presidente, Marcelo Stachow Machado.

O diretor comercial do Grupo O Diário, César Carvalho, presente na entrega de prêmios, celebra a parceria com a VIAPAR. “Aliar o Diário na Escola com o projeto pedagógico da concessionária, sobre educação no trânsito, é algo que nos proporciona ótimos frutos. Conscientizar as crianças para que sejam cidadãos responsáveis nas ruas é plantar uma sementinha de pessoas melhores no futuro”.

As sete frases premiadas foram publicadas durante a Semana Nacional de Trânsito, de 18 a 25 de setembro, no jornal O Diário. O principal objetivo da Promoção foi promover a reflexão sobre o trânsito, fazendo das crianças multiplicadoras de atitudes cidadãs.

“Hoje as crianças refletem e opinam sobre os problemas da sociedade. Ter a oportunidade de trabalhar assuntos em que elas conheçam mais sobre os perigos do trânsito e o que pode ser melhorado, é excelente, pois amanhã elas serão os nossos motoristas. Acredito que a educação, em todas as suas áreas, é o caminho para o sucesso!”, ressalta a coordenadora pedagógica da secretaria de educação de Maringá, Raquel Lipe.

A secretária de educação de Sarandi, Adriana Palmieri, destaca a importância em trabalhar com temas que saiam do espaço interno da sala de aula. “O jornal é uma ferramenta que abre a mente dos leitores, constantemente as crianças lêem notícias sobre mortes e violência no trânsito, por isso é importante começar o trabalho educacional desde cedo. Iniciativas como a deste concurso fazem a diferença na vida do aluno. Ações boas assim devem se estender por todo o ano”.

A ganhadora e aluna da Escola Municipal Jardim Primavera, Santa Fé, Maria Eduarda Gasparetto Zancan ficou muito feliz com a premiação. “Eu nunca tinha recebido um prêmio, agora estou motivada a participar de mais concursos para ter outras chances”. Em relação ao trânsito, Maria Eduarda conta que quando for motorista quer fazer a diferença nas ruas da cidade, sempre respeitando as leis e os limites impostos.

“O objetivo das oficinas de trânsito da VIAPAR é conscientizar os participantes sobre a educação no transito. O Concurso de Frases auxilia muito neste trabalho, pois faz as crianças buscarem conhecimento e informação, o que proporciona resultado nas ações e, em alguns casos, eles passam até a aconselhar os pais”, afirma a oficineira da concessionária, Bruna Santos.

Vilma Spinella é assessora pedagógica na secretaria de educação de Astorga e conta que o município está em festa. “Tivemos dois alunos premiados no concurso, é uma enorme satisfação. Em especial, porque as crianças vencedoras apresentam dificuldade de aprendizado em sala de aula, com a vitória mostramos não só para elas, mas para os colegas, que com dedicação e esforço, tudo é possível”, comemora.

A ganhadora e professora da Escola Municipal José Pólo, Sarandi, Rosemira André Evangelista Leme, conta que o concurso motivou uma competição saudável na escola, ainda mais depois da notícia de que uma das alunas foi premiada. “Receber o prêmio hoje me fez refletir sobre o meu trabalho, e concluir que é uma retribuição do meu esforço e dedicação. Isso me incentiva a fazer cada vez mais pela educação e pelos meus alunos”.

Comente aqui


Projeto alerta alunos sobre os perigos das drogas

Com o objetivo de sensibilizar e conscientizar as crianças e adolescentes quanto aos perigos do uso de drogas, foi lançada a “Campanha de Drogadição: Projeto Fantokids”.

Uma iniciativa das secretarias municipais da Educação e Assistência Social e Cidadania, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, de Maringá.

A campanha visa alcançar os alunos das escolas municipais da cidade. A primeira a recebê-la foi a Escola Municipal Campos Sales, com a presença do vice-prefeito, Cláudio Ferdinandi, ao lado da secretária de Educação, Solange Lopes, do secretário de Assistência Social e Cidadania, Flávio Vicente, professores e alunos.

O projeto é realizado com recursos provenientes do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), executado pela Cia Fantokids de teatro de bonecos, que há mais de 20 anos desenvolve campanhas educativas através de espetáculos nas áreas social e cultural.

O público-alvo foi selecionado a partir de um diagnóstico da Votorantim Infância e Adolescência (VIA) que aponta estudantes do ensino fundamental que estejam precisando de intervenções na área da dependência química, uma vez que a crescente demanda pode exercer influências sobre este público.

A campanha, através do teatro, se dá numa abordagem lúdica com o objetivo de sensibilizar e conscientizar os alunos para a prevenção, e neste ano se estende a 10.140 crianças de 28 escolas municipais, mais que o ano passado, quando alcançou 7.200 alunos de 26 escolas.

 

Comente aqui


Mural de Trabalhos

Após a leitura da notícia de O Diário, do dia dois de outubro deste ano, com a manchete “Mãe acha armas e drogas e entrega filho à polícia”, os alunos do 1º ano do 2º ciclo da Escola Municipal Manoela Rosalina Mazzei da Silva, sob orientação da professora Lidinalva Rodrigues da Silva Francesqui, discutiram sobre o assunto, se dividiram em duplas e elaboraram frases e quadrinhas abordando o tema.

 “Drogas: um mal que afeta a todos.”

 

“A vida é bela sem as drogas.”

 

“Transportar drogas é crime.”                                                                                       

 

“A droga é muito perigosa,

Ela prejudica a si mesmo,

Pode até te matar…

Cuide-se, não vá viciar.”

 

“Crack, nunca!

Cocaína, jamais!

Saia dessa…

Você é capaz.”

Em seguida os alunos fizeram um semi-círculo na sala, onde cada dupla expôs a frase ou a quadrinha para a turma, proporcionando um debate com pontos negativos sobre o uso das drogas, e o que se aprenderam ao ler as notícias relacionadas ao tema. Ao término do debate, cada dupla confeccionou um cartaz para exposição no pátio da escola.

“Cabe a nós, professores, conscientizar nossos alunos sobre os males que a droga causa, e prepará-los para que não trilhem por esse caminho tão tortuoso, que só provoca sofrimentos, tanto para o usuário quanto para seus familiares”, destaca Lidinalva.

Comente aqui


Mural de Trabalhos

A partir da leitura e do trabalho com o jornal na sala de aula, o aluno Carlos Eduardo da Escola Municipal Vânia Maria Simões – Atalaia, e as alunas Vanessa e Osanas, da Escola Municipal Dr Eurico de J. D. Barros – Marialva, fizeram as seguintes produções com temáticas que envolvem a cidadania, as eleições e o uso de drogas.

Comente aqui
 

Mural de Trabalhos

“Menino de 10 anos é internado por uso de crack em Maringá”, esta foi a manchete que chamou a atenção da aluna Milena Biliato, da Escola Municipal São Jorge, em São Jorge do Ivaí. Na atividade abaixo a estudante fez uma produção textual expressando sua opinião sobre o uso de drogas e a notícia que foi veiculada no jornal “O Diário”. Confira!

Comente aqui


Concurso Cultural premia educadoras de Maringá

O Diário na Escola promoveu o Concurso Cultural, “Práticas Pedagógicas bem sucedidas com o jornal”, que teve início em abril deste ano para profissionais da educação que participam do Programa.

O objetivo do Concurso foi valorizar as práticas docentes desenvolvidas em sala de aula a partir da utilização do jornal como instrumento pedagógico, a fim de contribuir com a leitura, cidadania, senso crítico e a participação dos alunos.

O prazo final para as inscrições dos trabalhos foi no mês de junho, muitas produções foram recebidas e a equipe organizadora iniciou a etapa de processo de seleção das melhores práticas.

Depois de muita avaliação chegou-se ao resultado e nome dos ganhadores. Na semana passada foram entregues os prêmios para a primeira colocada, Priscilla Kelly Bressan, que é bibliotecária do Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior e para a segunda colocada, Dalva Regina Bertoleti, professora do Colégio Estadual Tomaz Edison de Andrade Vieira.

Com o tema “Gravidez na Adolescência” Priscilla realizou o trabalho com alunos do 8º ano do colégio. No mês de maio os estudantes participaram de palestras sobre o assunto e fizeram uma visita ao Lar Preservação da Vida, que abriga gestantes em situação de risco. A bibliotecária também separou diversas matérias e reportagens do jornal “O Diário” que abordavam o tema, com o intuito de informar e conscientizar os alunos dos riscos de uma gravidez precoce e indesejada.

Além dessas atividades Priscilla ainda propôs aos alunos que por uma semana cuidassem de um ovo de galinha, como se fosse seu filho, onde eles deveriam levá-lo para onde fossem, inclusive na escola. A proposta animou os participantes que fizeram rostos, berços e até certidão de nascimento para os ovos. “Estou radiante com a primeira colocação, devo isso aos alunos! Sem a participação e dedicação deles nesses meses em que realizamos o projeto nada disso teria dado certo”.

A professora Dalva desenvolveu com os alunos também do 8º ano do colégio em que leciona trabalhos a partir da matéria publicada na coluna de O Diário na Escola com a manchete “Assim nasce um livro”. Com o objetivo de desenvolver o gosto pela leitura e dar liberdade para os alunos se expressarem, depois de explicar o gênero textual que estavam trabalhando e como realmente poderia nascer um livro ela solicitou aos estudantes que lessem a página e depois escrevessem o que tinham entendido, na sequência uma nova proposta foi feita, os alunos escreveram redações sobre os assuntos que eles gostariam que fosse matéria no jornal impresso, os mais destacados foram alcoolismo, drogas e bullying.

“Os alunos têm pouca leitura, o jornal na sala de aula ajuda muito, pois consigo trabalhar diferentes gêneros em um só material. Estou muito feliz com o prêmio, isso me incentiva ainda mais!”, comemora a professora.

Comente aqui
 

Concurso cultural faz campanha contra uso de drogas

“Mascote e melhor frase para prevenção às drogas” é tema do concurso cultural que tem por finalidade estimular e envolver o aluno sobre a prevenção ao uso de drogas. Ao produzir o desenho e a frase a criança desenvolve capacidade de reflexão sobre o tema.

A participação será aberta para todos os alunos do 5º e 6º ano das instituições de ensino fundamental públicas e privadas de Maringá. As fichas de inscrições serão disponibilizadas para as escolas e os trabalhos deverão ser entregues até 05/06/2012. A divulgação do resultado será no dia 19/06. Para maiores informações entre em contato pelo telefone (44) 3221-6417 ou pelo e-mail: [email protected]

Comente aqui