gêneros textuais



Jornal em sua forma e conteúdo

Na Escola Municipal Padre Mateus Elias, em Doutor Camargo, as remessas de jornais que chegam semanalmente à instituição têm sido muito bem exploradas pelas professoras Edilaine Ghiraldi Poletine e Maria de Fátima Bortolucci, que lecionam para as turmas de quintos anos.

Foto AbreAlém da leitura e interpretação dos fatos publicados, as educadoras propõem atividades em classe que levam os estudantes ao conhecimento das regras gramaticais da Língua Portuguesa e a reflexão sobre temas de interesse social.

Edilaine conta que costuma começar as propostas em sala de aula com uma breve discussão sobre as notícias, já aproveitando a atenção dos alunos para apresentar exemplos de tempos verbais, grafia, vocabulário e os gêneros textuais presentes nas páginas do Diário.

“Em um de nossos momentos com o jornal, entreguei às crianças a narrativa ‘A convenção das jararacas’ para que eles tentassem aliar o lúdico da história que estavam lendo, com o real, que são as matérias publicadas. Desafiei-as a escreverem uma notícia sobre as jararacas, para que pudessem misturar os dois tipos de textos que tinham em mãos”, ressalta Edilaine.

A professora enfatiza o sucesso dessa proposta didática, pois os alunos criaram reportagens a partir de algo lúdico, que era a história da jararaca. Em algumas matérias fictícias a cobra foi presa por estar rastejando em alta velocidade, e em outras, a personagem se tornou atleta da seleção brasileira de basquete e participou dos jogos olímpicos do Rio.

Com tantas boas produções, Edilaine convidou as crianças a formarem um círculo em sala, apresentaram as notícias criadas sobre a jararaca e produziram um painel nas paredes dos corredores da escola para que toda a comunidade tivesse conhecimento do trabalho realizado.

A turma da Maria de Fátima também fez bonito no trabalho com o jornal. Preocupada com os fatos sobre acidentes de trânsito na região em que mora, a professora optou por utilizar os textos jornalísticos para realizar uma proposta de conscientização com os estudantes.

“Fizemos uma seleção de todas as notícias encontradas no Diário sobre as colisões no trânsito. Em seguida, debatemos o assunto e elegemos as causas para que houvesse um aumento tão significativo do número de acidentes. No quadro criamos uma lista das possíveis soluções para que se diminuam essas estatísticas tão ruins. E o desafio final foi solicitar às crianças a produção de uma letra de rap que alertasse os motoristas e motociclistas sobre os riscos da imprudência no trânsito, focando nas mensagens de proteção à sua vida e à do próximo”, enfatiza a professora.

Edilaine e Maria de Fátima concordam que o trabalho com o jornal em sala de aula possibilita um maior interesse dos alunos no momento da escrita, pois eles se sentem parte das notícias e gostam de produzir sobre aquilo que é real na vida deles. “As propostas didáticas com o impresso tornam as crianças cidadãos mais conscientes, com certeza teremos um futuro de adultos responsáveis”, afirmam.

Comente aqui


Jornal na escola resulta em leitores competentes e aulas interessantes

Vivemos dias em que as crianças passam cada vez mais horas no telefone celular e na internet, o que tem dificultado o interesse dos pequenos pela leitura de jornais. Algo fundamental para formar leitores habituais e cidadãos bem informados.

Apresentando textos com características distintas, fotografia e recursos gráficos, os jornais são uma fonte respeitada para pesquisa e obtenção de informação sobre o mundo atual. Além disso, eles se modernizaram e passaram por reestruturações gráficas e editoriais para proporcionar uma compreensão mais agradável de seu conteúdo.

Buscando ampliar as opções de leitura e o conhecimento dos alunos do 5º ano da Escola Municipal São Jorge, de São Jorge do Ivaí, a equipe pedagógica tem desenvolvido atividades utilizando como suporte os exemplares do Diário recebidos semanalmente.

“No decorrer dos trabalhos foi perceptível o quão importante e necessário é o Diário na Escola. O jornal foi um recurso indispensável para o estudo dos diversos gêneros textuais contribuindo e auxiliando não só na prática do ler, como também da escrita. Por meio deste trabalho os estudantes adquiriram prazer pela leitura e aumentaram seus interesses por textos diversos”, destacam as professoras do 5º ano, Edna Volpato, Simone Gregório e Rosangela Oliveira.

Para finalizar as propostas didáticas com o jornal neste ano e avaliar o conhecimento dos alunos, as educadoras elaboraram um mural no qual as crianças especificaram os diferentes tipos de textos que podem ser encontrados no Diário: artigos, crônicas, resumos, entre outros. Para a realização da atividade foi entregue aos estudantes várias páginas do impresso, e em grupos eles fizeram a análise e seleção das publicações.

DSC04206“No começo foi complicado direcionar os trabalhos pela diversidade de informações e os vários exemplares de jornal. Os alunos queriam colocar todas as reportagens, notícias e charges, eles ficam eufóricos com o material”, conta a professora Edna.

Depois de todo o conteúdo já recortado das páginas do Diário, o desafio era montar colunas com os títulos de cada gênero textual que encontraram no impresso. “Neste momento a participação foi efetiva. As crianças discutiram, deram sugestões, opinaram sobre os recortes dos outros grupos e quando tudo foi decidido, nos sentamos em volta do mural e juntos finalizamos o trabalho de colagem”, relata a professora Simone.

Com esta atividade o aluno Carlos Daniel Sarzi Vieira disse que passou a entender melhor o que é o jornal. “No meu primeiro contato com o material pensei que era somente um monte de informações juntas”. E o amigo Leonardo Aparecido Tramarim completa enfatizando que “o impresso informa, apresenta notícias, e também orienta e ajuda as pessoas, como pode ser visto, por exemplo, no caderno de classificados”.

PB260009

Comente aqui


O Diário na Escola promove encontro pedagógico em Sarandi

Cerca de 50 professores que trabalham na rede municipal de Sarandi participaram, na última segunda-feira, do encontro pedagógico “A diversidade de gêneros no universo jornalístico” promovido pelo Diário na Escola e ministrado pela doutoranda da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Adélli Bazza.

O principal objetivo do curso foi expor as diferentes formas de se trabalhar os gêneros textuais em sala de aula usando como material de suporte o jornal impresso. A professora Ednéia Correia da Silva conta sobre suas experiências, “o que aprendi sobre gênero há anos não me deu suporte para entender a importância na hora de identificar tipos de textos, nem para trabalhar com meus alunos. O encontro do Diário na Escola alavancou minhas ideias para novos conhecimentos e estratégias, assim eu ensino com maior segurança”.

O jornal é considerado um material rico, nele é possível encontrar charge, artigo de opinião, carta do leitor, crônica, entre diversos outros tipos de textos. Partindo disso, a ministrante conseguiu apresentar o grande número de atividades que podem ser realizadas com o impresso.

“Nos encontros do Diário na Escola percebo a qualidade do jornal como material de auxilio em sala de aula, uma vez que o mesmo apresenta quase todos os gêneros textuais existentes. Infelizmente, muitas vezes, o professor não está formado o suficiente, por isso a cada encontro ampliam-se novos horizontes”, destaca a professora Fátima da Costa Generoso.

Durante a oficina foram discutidos os principais elementos que diferenciam cada gênero, tais como: finalidade, temática, estrutura e circulação social. Destacando a importância ao se lembrar que, ao escrever textos, deve-se pensar nestes elementos de estrutura.

Depois de toda a prática apresentada, os participantes se dividiram em grupos e foram à prática. Escolheram uma publicação presente no jornal e identificaram todos os itens que estruturavam aquele gênero, e em seguida fizeram apresentação oral.

A professora Maria Aparecida Pereira relata que a parte prática foi essencial para reforçar a teoria aprendida, “a temática apresentada foi excelente, estou sempre aprendendo mais, e com as atividades propostas pude adquirir embasamento para trabalhar com meus alunos”.

A ministrante Adélli destaca que o trabalho na oficina foi agradável e proveitoso. “Ir ao encontro dos professores na sua cidade possibilitou um melhor aproveitamento do tempo e pudemos desenvolver com tranquilidade todas as atividades propostas. A tônica dessas oficinas continua sendo o interesse que os professores manifestam pelas discussões propostas: mais que receber as informações, eles perguntam, dão exemplos e relacionam a oficina com a sua realidade no trabalho. É muito gratificante participar dessa troca!”

 

As oficinas realizadas pelo Programa O Diário na Escola, são muito boas! Vem suprir as necessidades dos professores que são comprometidos com a aprendizagem e crescimento do aluno como um indivíduo da sociedade. Nos encontros os educadores podem aprimorar seus conhecimentos através da transmissão de informações e técnicas de trabalho, necessárias e relevantes para o crescimento dos mesmos”. – Diretora de Ensino na Secretaria de Educação de Sarandi, Solangi Aparecida Signorini Rezende

 

Comente aqui


É amanhã!

 

Amanhã à tarde os professores da rede municipal de Astorga vão receber a oficina “Imagens, elementos jornalísticos e o trabalho pedagógico”, ministrada pelo coordenador do Diário na Escola, Ricardo Pastoreli. A oportunidade vai ser de reflexão em torno das imagens jornalísticas e da estrutura do jornal composta por diversos gêneros textuais como artigos, notícias, crônicas, legendas etc. O segundo momento vai ser hora de desenvolver atividades voltadas para estes elementos, a fim de que ocorra a familiarização com o jornal e a aproximação de uma leitura mais crítica e atenta.

 

 

 

Comente aqui