Ivatuba



Descritores da Prova Brasil também orientam a avaliação na escola

Olá pessoal!

Como está o nível de qualidade da Educação brasileira?

No final do ano acontece a edição 2017 da Prova Brasil, uma avaliação nacional que pretende responder a essa pergunta. Milhões de alunos vão mostrar como está a competência deles em leitura (Língua Portuguesa) e na resolução de problemas (Matemática). Entre eles, os estudantes que estão no 5º e no 9º ano do Fundamental.

A preparação docente para o exame foi um dos temas da coluna do Diário na Escola de terça-feira, dia 25.

Leia a matéria na íntegra AQUI

Capacitação

A professora Alethéia Braga Ribeiro levou o debate sobre a Prova Brasil para os municípios de Floraí e Ivatuba. A oficina pedagógica foi promovida pelos municípios em parceria com O Diário na Escola e a Viapar.

No encontro “Descritores: um convívio diário”,  a ênfase é na avaliação de português.  A professora explica que não se trata apenas de transmitir e cobrar conteúdos. Ela enfatiza que o processo avaliativo tem que fazer sentido, uso prático para o aluno, não é apenas a nota que importa.

“Os descritores funcionam como metas para quem qualifica o aluno. O desenvolvimento acontece dentro de uma relação entre professor, aluno, processos de ensino e de aprendizagem” 

O professor tem que desenvolver no processo de ensino para qualificar o aluno para o mundo real. Assim, o educando terá condições de buscar ascensão intelectual e social, falar com a própria voz e exercer sua cidadania.

 

Encontro em Ivatuba aconteceu dia 20 e reuniu os professores na Escola Municipal Afrânio Peixoto

 

A próxima cidade a receber a oficina é Sarandi. O encontro está agendado e confirmado para o dia 7 de agosto.

Na quarta-feira, dia 26, tem mais novidade!

Abração da Equipe O Diário na Escola!

Comente aqui


Publicidade no jornal é base para atividades de matemática

A busca por recursos que possibilitem fazer uma relação entre os conteúdos propostos em sala de aula, com as questões do dia-a-dia do aluno é um dos grandes desafios dos professores que procuram inserir textos para que de uma forma interdisciplinar façam com que as crianças se interessem e procurem informações sobre diferentes assuntos, tais como: política, economia, saúde, geografia, história entre outros. Para despertar a atenção dos estudantes na disciplina de Matemática, as professoras Elisângela Nodari de Oliveira e Nilza Guidini Valentini que lecionam na Escola Municipal Afrânio Peixoto, em Ivatuba, realizaram o trabalho de alfabetização matemática a partir dos textos da esfera jornalística.

“A aplicação de situações-problema possibilita ao aluno participar de atividades que possam desenvolver seu raciocínio lógico e pensamento crítico, agindo e refletindo sobre a realidade que o cerca, fazendo uso das informações presentes nas mídias e percebendo assim que a Matemática está presente em diversas áreas de conhecimento”, destaca Nilza.

Durante a prática, as crianças leram exemplares do Diário e organizados em equipes escolheram anúncios publicitários que, posteriormente, foram utilizados como base para a elaboração de situações-problema, seja no campo aditivo – adição e subtração – ou no multiplicativo – multiplicação e divisão.

“De acordo com os materiais sugeridos pelo Programa Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), tais atividades contribuem para a construção de esquemas que favorecem o processo de compreensão das operações básicas. Do mesmo modo, permitem a interação das crianças com diferentes formas de registros simbólicos, neste caso, com os gêneros presentes no jornal”, ressalta Elisângela.

A aluna Letícia Camily Ryzik comenta a diversão em realizar a atividade. “Foi uma aula muito diferente, aprendi matemática brincando, não imaginava que isso seria possível.” A colega Juliana Maria dos Anjos completa, “elaborar enunciados de questões a partir do jornal nos deixou mais criativos e ainda nos proporcionou conhecimento dos fatos que ocorrem ao nosso redor”, diz.

“O uso do Diário como recurso pedagógico é uma ferramenta que enriquece a prática em sala de aula, ainda mais quando associado ao currículo escolar, pois contribui para a ampliação do vocabulário do aluno, auxilia na interpretação dos textos e reflexão dos assuntos lidos”, conclui a diretora da escola, Maria Luiza Macedo da Silva.

PRODUÇÃO

Confira as situações-problema desenvolvidas pelos alunos do 3º ano, a partir de publicidades do Diário.

 

fan pageO Diário na Escola está realizando um concurso sobre a Semana Nacional do Trânsito e as sete melhores frases vão ganhar uma bicicleta. Cada uma custa R$ 350 reais. Quanto os patrocinadores vão gastar com as sete bicicletas?

Resposta: R$ 2.450,00 reais.

 

anuncioEm Maringá 932 pessoas foram infectadas pelo mosquito da dengue. Já foram curadas 864 pessoas. Quantas pessoas ainda precisam ser curadas?

Resposta: 68 pessoas.

Na casa de Júlia tem 27 garrafas com água parada. Alguns alunos foram até a casa dela e recolheram tudo em três baldes para não deixar que o mosquito da dengue se prolifere. Quantas garrafas couberam em cada balde?

Resposta: 09 garrafas por balde.

Comente aqui


Luta contra dengue mobiliza Ivatuba

O prefeito, Robson Ramos que também é medico, ficou preocupado com a epidemia de dengue em Ivatuba e decretou ponto facultativo na última segunda-feira (18), a fim de promover o “Dia Municipal de Combate à Dengue”.

Durante a ação, funcionários da prefeitura saíram para as ruas da cidade e também zona rural, indo de porta em porta para conscientizar a população e fazer a limpeza necessária de lugares que abrigavam larvas do mosquito Aedes Aegypti. Neste dia os alunos também foram dispensados das aulas e junto com os professores estiveram no arrastão que mobilizou a todos.

Uma moto com caixa de som passou por toda a cidade avisando aos moradores o início do “Dia Municipal de Combate à Dengue”, em seguida, as equipes começaram a se deslocar para as ruas da cidade e vistoriar casas e terrenos baldios à procura de possíveis criadouros do mosquito.

Foram retirados dos imóveis; pneus, latas, baldes, potes plásticos e diversos recipientes que podem acumular água. Todo o material recolhido durante a ação foi levado para uma empresa de reciclagem que dará o destino adequado para o lixo.

Os quase 80 funcionários que participaram do arrastão, também fizeram panfletagem alertando sobre os perigos da dengue.

“O mais importante dessa ação foi alertar os moradores para que mantenham os seus quintais sempre limpos, livres de resíduos que possam acumular água e posteriormente se tornarem criadouros do mosquito, afinal a dengue mata”, alerta o prefeito, Robson Ramos.

O trabalho conjunto de municípios e comunidades já traz resultados positivos em outras localidades. De acordo com a Secretaria de Saúde do Paraná, Peabiru é uma das cidades com mais casos de dengue no Estado, uma média de 912, e após ações de conscientização apresentou tendência de queda nos casos confirmados. Em janeiro o município registrou 130 casos em sete dias. Na primeira semana de fevereiro foram apenas 13.

Outro aliado no combate à dengue é o UBV pesado (fumacê), que atua no enfrentamento do mosquito adulto. A orientação é que a população abra janelas e portas quando o carro do fumacê passar. O Estado já enviou equipes e caminhonetes para realizar a aplicação do veneno em todas as cidades consideradas epidêmicas.

Aproximadamente 20 toneladas de lixo foram retiradas das casas e terrenos de Ivatuba

Comente aqui


Mural do Participante

As melhores produções da oficina sobre Cidadania realizada na Escola Municipal Afrânio Peixoto, em Ivatuba, merecem destaque e publicação na íntegra. Confira:

 

 

 

 

  Para receber o planejamento desta oficina, entre em contato com a equipe de “O Diário na Escola” pelo telefone: (44) 3221-6050 ou pelo email: [email protected]

 

Comente aqui


Escola dá exemplo de consciência ambiental

O Brasil começou a ser desmatado logo após a chegada dos descobridores em 1500. No Século XVI, um ano após a chegada dos portugueses, já teve início a exploração do pau-brasil, árvore com até 40 metros de altura, cujo miolo do caule é de cor avermelhada, tom utilizado para a fabricação de corante vermelho. A exploração que começou com o pau-brasil há mais de 500 anos, hoje traduz as consequências da falta de um código florestal e da extração predatória.

Os números são assustadores, de toda a extração de madeira na Floresta Amazônica, estima-se que 80% ocorra de forma ilegal. De 1,3 milhão de quilômetros quadrados de floresta nativa, encontrados na época de colonização, existem atualmente 102 mil quilômetros quadrados. Mais do que chocante, a situação do meio ambiente é um assunto para ser (re) pensando sempre.

A equipe pedagógica e a diretoria da Escola Municipal Afrânio Peixoto, de Ivatuba, tem usado o assunto durante todo o ano letivo para conscientizar os alunos de primeira a 4ª série sobre a importância da preservação ambiental. A fim de integrar a escola e a família a respeito do assunto, professores e alunos organizaram uma passeata pelas ruas da cidade, em que os alunos declamaram poesia e fixaram cartazes em estabelecimentos privados, com a autorização dos proprietários, sobre a imediata mudança de comportamento.

Sendo histórica ou recente, a falta de cuidado com o verde pode trazer grandes problemas aos seres vivos, como a destruição da biodiversidade, o empobrecimento do solo, a elevação de temperaturas e a desertificação. A mobilização ecológica é o ponto de partida.  Pense com os alunos sobre o assunto, desenvolva atividades e relate ao Diário na Escola. Se a sua escola tem tido atitude como a de Ivatuba, conte sua experiência aqui!

 

Comente aqui


Alunos interagem com contexto midiático

Os alunos da Escola Municipal Afrânio Peixoto, de Ivatuba, visitaram O Diário e a Cultura AM. Os 24 estudantes já leem, semanalmente, o jornal O Diário em sala de aula. As professoras orientam as práticas educativas aliando produção artística e textual ao conteúdo do jornal.

Ao  ter acesso às notícias, as crianças identificam qual texto estão lendo e sabem diferenciar as chamadas de capa, as legendas, as notas e os títulos. De acordo com a professora Heliana Ferreira, que estava presente na visita, “eles se interessam mais pela página do Diário na Escola, onde verificam produções e notícias de outras escolas”.

A aproximação com os meios de comunicação colabora com a vida escolar e social do aluno, afinal ele deixa de imaginar/cogitar e passa a vivenciar o conhecimento.

“(…) na comunicação educativa, o conhecimento construído pelo sujeito resulta, antes de tudo, das suas interações com os outros atores humanos, assim como com todos os componentes do contexto de aprendizagem, inclusive do contexto midiático”.

Ismar de Oliveira Soares

Comente aqui


Ivatuba forma através do Proerd

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência formou, neste mês, 42 alunos de 4ª Série da Escola Municipal Afrânio Peixoto, de Ivatuba. Para a diretora Maria Luiza Macedo da Silva, as discussões e as aulas são uma oportunidade para que os alunos sejam orientados a ficarem longe dos problemas sociais. “Acreditamos que através da reflexão da realidade, os estudantes vão dizer não às drogas e à violência”, explica. 

2 Comentários