monteiro lobato

Marialva lança projeto “Sítio da Leitura”

A Secretaria Municipal de Educação de Marialva, os gestores e os alunos das escolas do município estão motivados para o desenvolvimento do “Sítio da Leitura – 2013”, que foi lançado em abril na Câmara Municipal.

A assessora pedagógica de Marialva, Dalva Linda Vicentini destaca que todos que apóiam o projeto de leitura proporcionam às crianças, a oportunidade de ler muitos livros, promovendo assim, o desenvolvimento para o gosto literário e a curiosidade cultural.

O Sítio da Leitura está composto por várias atividades para alunos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos. Entre as atividades oferecidas estão: Concurso Literário, amostra de vídeos, contação de histórias, teatros, trabalho com músicas, entre outras.

Como parte integrante deste trabalho a Secretaria de Educação conta com o apoio e a parceria da Cooperativa Integrada através do Projeto Encontro Literário sobre a Vida e as obras de Monteiro Lobato. Por meio desta ideia os alunos do terceiro ano do fundamental terão a oportunidade de ler várias obras de Monteiro Lobato e desenvolverão atividades específicas que serão encaminhadas pelos professores para o Concurso.

“O foco é que as crianças leiam e compreendam as histórias de Lobato, e que por meio da leitura se formem alunos com uma visão mais crítica de mundo, com novas atitudes”, afirma Dalva.

A Cooperativa Integrada iniciou o trabalho com um espaço para formação dos educadores, uma vez que, primeiro se faz necessário uma ampliação dos conhecimentos do autor e de suas obras pelos professores, para que posteriormente, este trabalho possa ser desenvolvido e apropriado pelos alunos. A Integrada fez também a doação de 120 obras de literatura de Monteiro Lobato para as escolas da rede municipal.

No dia do lançamento do projeto, as discussões foram mediadas por Leo Pires Ferreira, professor que é cidadão honorário de Londrina. Um grande entusiasta e divulgador das obras de Monteiro Lobato, é também doutor em fitopatologia e pesquisador aposentado da Embrapa Soja.

Conhecedor da vida e da obra de Monteiro Lobato, um dos mais respeitados nomes da literatura infanto-juvenil do país, Léo Pires leu o primeiro livro do escritor aos oito anos de idade e desde então se tornou um multiplicador das obras de Lobato como instrumento para melhorar a qualidade da educação brasileira. Ele acredita que a leitura induz a criança e o jovem a pensar, combate a preguiça de raciocinar e valoriza a criatividade. Segundo o professor a riqueza do escritor é fantástica. “Quem lê Lobato na infância irá se tornar um cidadão mais preparado para a vida”, destaca.

Desta maneira, a parceria entre a Cooperativa Integrada e a Secretaria Municipal da Educação viabiliza um trabalho em sintonia com as escolas da rede municipal. O objetivo é dinamizar a literatura infantil como produção cultural e instrumento de iniciação da criança no mundo da cultura escrita, além de proporcionar o hábito da leitura.

Comente aqui

Dia Nacional do Livro Infantil

Os livros são grandes formadores na infância, contribuindo para a aprendizagem de modo divertido e encantador. Mesmo com tanta tecnologia e a era da informática, as histórias infantis ainda encantam e fazem as crianças “viajarem” num mundo de fantasias.

Aquilo que lemos quando criança é o que mais nos marca, é o que fica na memória, tanto que as fábulas e contos acabam passando de geração para geração nas famílias.

E tem como não se apaixonar pelas princesas e príncipes? Bonecas de pano e bichos falantes? Fadas e magos? Um mundo a parte da realidade, cheio de cores e alegria. Nesta fase da vida criamos sonhos, transformamos o mundo num lugar do bem e sempre com um final feliz.

Data escolhida em 2002, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, o Dia Nacional do Livro Infantil foi criado em homenagem ao escritor brasileiro José Bento Monteiro Lobato que nasceu em 18 de Abril de 1822 e que foi o autor da literatura infantil no Brasil.

A leitura no Brasil

A última pesquisa realizada pelo Instituto Pró-Livro, em 2009, apontou que o índice de leitura entre crianças acima de cinco anos cresceu. A taxa de leitura por pessoa subiu de 1,8 livro (índice de 2000) para 4,7 livros lidos por ano.

O levantamento também mostrou que a maioria das obras lidas pelas crianças foi indicada pela escola, incluindo os didáticos. Entre os gêneros preferidos deste público estão a literatura infantil e a história em quadrinhos.

Mesmo com a boa notícia do aumento no hábito da leitura entre as crianças brasileiras, o índice ainda é baixo se comparado com outros países. No Japão, por exemplo, o Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia afirmou que as crianças retiraram em média 35,9 livros por ano das bibliotecas públicas em 2008.

Professor, promova visitas a livrarias e bibliotecas que existam em sua cidade ou na região. Oriente os alunos a se cadastrarem para realizar empréstimos de livros. O conhecimento de livrarias e bibliotecas deve se iniciar o mais cedo possível, dessa forma, as crianças criam hábito de frequência a esses lugares.

1 Comentário

Quem foi Monteiro Lobato?

Responsável pela criação de inesquecíveis histórias, começou o seu trabalho literário na área de contos infantis em 1917. A primeira história que escreveu foi “A menina do Narizinho Arrebitado”, lançada no natal de 1920 que fez o maior sucesso. Depois disso nasceram outros episódios, o principal deles é “O Sítio do Pica-pau Amarelo”, cujos personagens Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho, Tia Anastácia e Emília são conhecidos culturalmente até hoje.

Lobato estava insatisfeito com as traduções feitas dos livros europeus para crianças, por isso começou a criar personagens bem brasileiros, dando destaque aos costumes e às lendas do folclore nacional, como exemplo podemos citar o famoso Saci-Pererê. Em suas obras o autor ainda misturava a mitologia grega, os quadrinhos e o cinema.

O escritor é considerado pioneiro na literatura paradidática, aquela que se aprende brincando, por transmitir ideias e conhecimento em livros que falam de história, geografia e matemática.

Além da herança literária que nos deixou, Monteiro Lobato marcou na vida intelectual do país com importantes frases, tais como: “Um país se faz com homens e livros”, “Quem mal lê, mal ouve, mal fala, mal vê”, “Assim como é de cedo que se torce o pepino, também é trabalhando a criança que se consegue boa safra de adultos”, quanta sabedoria!

Principais Obras Infantis de Monteiro Lobato:

  •   Reinações de Narizinho;
  •   Viagem ao céu e O Saci;
  •   Caçadas de Pedrinho e Hans Staden;
  •   História do mundo para as crianças;
  •   Memórias da Emília e Peter Pan;
  •   Emília no país da gramática e Aritmética da Emília;
  •   Dom Quixote das crianças;
  •   O poço do Visconde;
  •   Histórias de tia Nastácia;
  •   O Pica-pau Amarelo e A reforma da natureza;
  •   O Minotauro;
  •   Os doze trabalhos de Hércules. 
44 Comentários

Hoje é o Dia Nacional do Livro Infantil!

Ler é emancipar-se! É sair do lugar-comum e conseguir, através das palavras, adentrar a um novo mundo, repleto de imaginação, conhecimento e atitude.

 

BRASIL>> Para mais de 45 milhões de pessoas, ler é sinônimo de conhecimento. Infelizmente sabemos que a leitura ainda não é a maior prioridade no nosso país.

 

A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, de 2008, veio confirmar o que já sabíamos: que a população prefere assistir Tv, ouvir música, descansar e ouvir rádio a ler um bom livro.

 

O estudo revelou ainda que existem leitores sim, a maioria é mulher (55%) e o autor preferido é Monteiro Lobato, seguido de Paulo Coelho e Jorge Amado. Não por acaso, a data de hoje tem tudo a ver com o escritor preferido dos brasileiros: hoje é o Dia Nacional do Livro Infantil e aniversário de Monteiro Lobato.

 

O escritor faleceu em julho de 1948, mas somente em 2002  foi criada a Lei 10.402/02 instituindo dia 18 de abril como o Dia Nacional da literatura infanto-juvenil.

 

“Um país se faz com homens e livros’, a célebre frase de Monteiro Lobato explica como ele via a importância da leitura para a evolução humana. Emília, Cuca, Tia Nastácia, personagens que compuseram o imaginário coletivo de milhões de crianças, demonstrando que a leitura pode ser algo muito divertido!!!

 

Para você, leitor, qual o seu livro preferido?

6 Comentários

Censurar é a solução?

Primeiro foi o ministro da educação, Fernando Haddad, que discordou da ideia de que o livro ‘Caçadas de Pedrinho’, clássico de Monteiro Lobato, continha indícios de preconceito racial.

Agora a Academia Brasileira de Letras (ABL) também entrou em cena e contraria o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE), responsável por afirmar que frases como ‘tem carne preta’ ou ‘que trepou que nem uma macaca de carvão pelo mastro’ são demonstrações de racismo. A ABL defende que os professores podem propor a leitura crítica da obra com os estudantes, abordando estas questões e promovendo a reflexão sobre elas, em sala de aula.

A literatura trata das aventuras dos personagens do Sítio do Pica Pau Amarelo e o suposto racismo ocorre quando o autor menciona a Tia Nastácia, a empregada da família. Convenhamos que apenas censurar o livro não é a mais sensata solução, pelo contrário, só demonstra que a melhor forma de tratar as questões problematizadoras é jogando-as para debaixo do tapete, excluindo-as e, com o passar do tempo, esquecendo-as. E vc, o que acha?

Livro publicado pela primeira vez na década de 30

Comente aqui