Sarandi



Alunos e estudantes ganham acesso ao jornal em sala de aula

Olá pessoal! A nossa página de terça-feira tem notícia fresquinha! Recomeçou a distribuição de exemplares de O Diário para alunos e professores da rede municipal de Sarandi. Serão 1.360 jornais para atividades pedagógicas em sala de aula. Quase três mil crianças serão beneficiadas. Ação transformadora Pedagoga há mais de 20 anos, a diretora de ensino da […]

Comente aqui


A escrita por emoção

O Concurso promovido pelo Diário na Escola “Notícias em Versos” – no qual os participantes deveriam escrever poesias a partir das notícias publicadas no jornal O Diário do Norte do Paraná – resultou em mais do que prêmios, professores descobriram verdadeiros poetas dentro das salas de aula. E uma dessas boas surpresas foi a aluna Vanessa Aparecida Ferreira, que estuda na Escola Municipal Yoshio Hayashi, em Sarandi, e que com a criação de um texto cheio de sentimento foi escolhida uma das vencedoras do Concurso.

Foto AbreVanessa teve a orientação da professora Amanda Manha para a criação da poesia, mas Amanda garante que o mérito é todo da estudante. “Foram várias aulas trabalhando a estrutura desse gênero textual que as crianças teriam que produzir para enviar ao Diário na Escola. Mas a parte de conteúdo, ficou a escolha de cada aluno. Lemos a matéria do jornal juntos, sensibilizei eles sobre as informações da notícia, e na sequência cada um criou seu poema de forma independente. E os resultados foram os melhores possíveis”, conta a professora.

A matéria com a manchete “Tem coisas que só vidas dão sentido”, retratava o abandono de uma casa. A partir da leitura desse texto Amanda ajudou os alunos a se inspirarem para as criações. Vanessa destaca que foi muito prazerosa a produção da poesia, “no meu texto falei um pouco da realidade que vivo, coloquei tudo aquilo que se passa dentro do meu coração no papel. Não tenho uma casa de luxo, mas a que moro é bastante acolhedora e para mim ela é linda não pela estrutura, mas pelas pessoas que moram lá dentro e me fazem uma menina muito feliz”.

A professora comenta que a estudante é merecedora do prêmio do Concurso. “A Vanessa é uma aluna bastante tímida e se revelou nesse trabalho, descobri um talento nela que só precisava ser motivado para florescer. Tenho certeza que essa premiação despertará em toda a classe o prazer em ler e escrever, pois eles viram que com o esforço vem o reconhecimento”, diz Amanda.

A secretária da educação de Sarandi, Adriana Palmieri comemorou com a aluna vencedora e com toda a equipe pedagógica que trabalha diariamente para que o ensino melhore e consiga bons resultados como este. “Estou muito feliz pela educação de Sarandi, a cada dia vemos novos avanços. Esta é a segunda edição do Concurso Notícias em Versos e é a segunda vez que algum aluno do município é premiado, é muito orgulho! Como secretária e professora acredito que estas propostas tendem a incentivar o trabalho dos educadores que são os mediadores do ensino e consequentemente o interesse das crianças pelo aprendizado.”

Adriana ressalta que a parceira com o Diário na Escola rende bons frutos, e que para 2017 pretende expandir ainda mais o atendimento incluindo todas as séries do ensino fundamental no Programa para que mais estudantes tenham acesso a informação e à leitura de textos de circulação social, como também para que os professores possam receber uma formação contínua.

Comente aqui


Todos contra a dengue!

Apesar de muitos acreditarem que a dengue é uma doença que se dissemina apenas durante o verão, a ameaça de contaminação pelo Aedes aegypti é real também no inverno.  Quando chega a estação mais fria, os casos de dengue começam a diminuir e parte da população deixa de tomar os cuidados necessários para prevenir o mosquito. Com isso, os criadouros de dengue continuam se proliferando e à medida que o calor e as chuvas de verão se aproximam, propiciam condições ideais que provocam surtos epidêmicos por toda a cidade.

Pensando nisso, a professora da Escola Municipal Padre José de Anchieta, de Sarandi, Arealba Garbelini de Souza desenvolveu uma série de atividades com seus alunos, para que eles não de descuidassem da prevenção ao mosquito o ano todo.

Foto AbreA ideia do projeto escolar surgiu a partir da leitura de diversas notícias no jornal O Diário do Norte do Paraná sobre o aumento das epidemias na região de Sarandi. Fato que a professora viveu de perto, pois parte dos estudantes e familiares já sofreram com a doença.

Para começar o trabalho, após a leitura das matérias no impresso, Arealba sugeriu que os alunos do 5º ano A explanassem seus conhecimentos sobre o Aedes aegypti. Neste momento a sala entra em euforia e a professora constata que eles estão bastante informados sobre o assunto e que gostam de falar a respeito do que sabem, algo que torna a aula um momento de partilha.

“Nesta etapa, não tive dúvidas, precisávamos aprofundar nossas atividades sobre a dengue e expandir todo esse conhecimento das crianças, para toda a comunidade. E assim começamos a produção de ilustrações, pesquisas, textos, frases, fotos, entrevistas e cartazes”, conta Arealba.

A cada aula, um novo trabalho surgia. Frases de efeito e dicas de prevenção foram expostas nas paredes da escola ao lado de ilustrações bastante criativas para despertar a atenção de todos. O que teve início com pesquisas resultou em uma ação que ultrapassou os muros escolares. Após ir às ruas e entrevistar a comunidade para saber a carência de informação da população, as crianças produziram cartazes com dados esclarecedores sobre o aumento dos casos de dengue em Sarandi. Estes foram distribuídos e colados nos comércios da cidade, para que se evite a proliferação do mosquito e, assim, mais pessoas possam combater o Aedes aegypti.

O estudante Lucas da Silva Dias conta que foi maravilhoso fazer parte deste projeto, “trabalhar com os amigos é bastante prazeroso, torna o aprendizado mais fácil e assim conseguimos bons resultados”, a colega de classe Letícia Fernanda Lochetti da Silva completa, “já tive dengue e não quero passar por isso de novo, todas as atividades que realizamos em sala e nossa passeata nas ruas vão contribuir para que o Aedes seja exterminado em Sarandi.”

 

Comente aqui


Sarandi investe em formação

Desde o início do ano letivo professores e equipes pedagógicas da rede municipal de Sarandi estão participando de uma série de formações com mestres e doutores da área da educação. “Quando iniciei minhas atividades no município, em setembro de 2013, observei que os profissionais não tinham uma rotina de formação continuada, enquanto secretária institui um cronograma mensal de capacitação”, destaca Adriana Palmieri.

Foto AbreNas últimas semanas, professores dos quartos e quintos anos participaram do curso “Contextualizando a matemática por meio do jornal: Tratamento da informação. Que bicho é esse?” ministrado pela professora mestre em educação matemática, Solange D’ Antonio. “Após a formação os profissionais irão conseguir fazer com que os alunos entendam a importância do tratamento da informação para a sua vida, compreendam como se elabora um gráfico e uma tabela, quais os passos que devemos seguir até sua constituição, o que significa fazer uma pesquisa e como a realizamos, qual a melhor maneira de representá-la matematicamente, além de fazerem com que os estudantes realizem interpretações matemáticas de situações que envolvem não somente a leitura das imagens, mas o pensamento da comparação entre dados, as operações matemáticas, o valor posicional dos números, as diferentes sequências numéricas que podem ser constituídas e comparem medidas em situações significativas e prazerosas”, aponta Solange.

“A matemática em si é uma disciplina que causam certo medo nos alunos por acharem que ela é complicada e difícil de aprender, mas quando se trabalha com fatos reais do nosso dia a dia, quando usamos recursos diversificados e materiais de apoio que despertam o interesse pelas propostas, tem se um desempenho melhor e mais eficiente no processo de ensino e aprendizagem. Quando a atividade deixar de ser só lousa, giz e caderno, os resultados são outros e geralmente vão além do esperado”, ressalta a professora do quinto ano, Jucelene Marques de Freitas.

A secretária municipal da educação, Adriana enfatiza que o jornal é um instrumento didático que traz de maneira multidisciplinar vários suportes para o trabalho em sala de aula. “O tratamento da informação é um dos descritores da Prova Brasil, por meio da capacitação na matemática utilizando o impresso como suporte encontramos a maneira ideal para auxiliar os professores no trabalho em sala de aula. Temos certeza que será mais uma possibilidade de avanço na rede, estamos sempre na busca incessante de melhorar o ensino e a aprendizagem.”

“Pensamos que o jornal é uma ferramenta importante para o trabalho com a matemática, pois este material vem auxiliar a prática docente na preparação das atividades. Além de fornecer subsídios como gráficos, porcentagem, coleta de dados e informações que contribuem para a elaboração das aulas e a formação global de nossos alunos”, comentam as coordenadoras pedagógicas da educação de Sarandi, Fátima da Costa, Sulei Mesquita, Lucilene Amarante e Nelcy Polito.

A professora, Marilene Vieira Cardoso diz que os conteúdos abordados na formação são fundamentais na base do ensino, pois se trata de algo ligado diretamente à realidade e vivência dos estudantes. “A geometria muitas vezes é levada superficialmente, porém vimos que a abordagem dos conteúdos com os termos corretos e o aprofundamento são necessários para a consolidação da aprendizagem das crianças. Essa percepção influí diretamente em como o professor aborda os assuntos na sala de aula.”

“É importante formar alunos mais eficientes na interpretação de problemas e dados matemáticos,  capazes de avaliar o que respondem,  elaborarem melhor seu pensamento, saber como descrevê-lo com palavras, que sejam também observadores de pesquisas e leitores de informações matemáticas apresentadas em textos jornalísticos, bem como crianças e adolescentes capazes de fazer previsões por meio da leitura dessas informações se tornando agentes críticos no mundo e na realidade em que vivemos”, conclui a ministrante, Solange.

Comente aqui


Os quadrinhos de Isac

A linguagem visual e características lúdicas fazem das histórias em quadrinhos bons instrumentos para a alfabetização, além de contribuírem para o interesse pela leitura e pela escrita nas crianças. Com o estudante da Escola Municipal Tisuro Tsuji Barros Cunha em Sarandi, não foi diferente. Isac de Araújo Capeline tem 11 anos e é um destaque dentro da instituição por conta dos desenhos que reproduz.

Foto Abre“Ele é um aluno bastante tímido, mas quando coloca no papel tudo o que sente e tem de conhecimento, é um verdadeiro artista. Desde o primeiro dia deste ano letivo percebi que ele tinha algo a mais para mostrar, e com as aulas vieram os resultados”, destaca a professora de Isac, Maria Aparecida Landim.

Landim conta que na maioria das propostas de atividades Isac pede a autorização para incluir os quadrinhos na produção. “Muitas vezes solicito a escrita de um texto, algo simples, e ele me vem com muito mais. Além do texto divido em balões – algo que tem que ser pensado, medido e organizado – a ilustração vem a complementar e torna o trabalho fantástico”, diz.

Isac é apaixonado pelas histórias em quadrinhos (HQs) desde os três anos. “Meus primeiros desenhos são bem feios, confesso. Mas desde muito cedo já comecei a ilustrar. Lembro que o primeiro trabalho que fiz foi um tipo de revistinha com personagens dinossauros contando o filme Jurassic Park”, ressalta.

Como as HQs em geral unem palavra e imagem, elas contemplam tanto alunos que já leem fluentemente quanto os que estão iniciando, pois conseguem deduzir o significado da história observando os desenhos. A curiosidade em saber o que está escrito dentro dos balões cria o gosto pela leitura.

A professora de Isac aponta a facilidade do aluno em desenhar sobre qualquer tema, desde assuntos interdisciplinares até questões de cunho social. “O último trabalho que me chamou a atenção foi sobre a matéria publicada no jornal O Diário em que se noticiou a respeito dos cadáveres dos cães encontrados numa estrada rural. Esse fato comoveu o Isac, casou indignação e ele conseguiu reproduzir não só o conteúdo da notícia, como também os sentimentos dele, em quadrinhos.”

O jovem ilustrador dá algumas dicas para a criançada que assim como ele adora desenhar. “As HQs são muito divertidas, tanto para ler quanto para produzir. O importante é a gente gostar do que está fazendo, assim a missão fica fácil. Antes de começar o trabalho sempre vejo bem o espaço de papel que tenho disponível, meço os quadrinhos e o segredo é começar escrevendo as falas nos balões, a parte divertida de desenhar, deve ficar para o final.”

Sempre com o objetivo de motivar o aluno, Landim tem conciliado as propostas didáticas do currículo escolar com o talento de Isac. “Ele precisa aprender e desenvolver todo o tipo de conteúdo, mas sempre é possível aliar com o que ele sabe fazer de melhor. Quero incentivá-lo a continuar produzindo para que um dia ele seja um artista reconhecido”, ressalva.

Comente aqui


Sarandi realiza Congresso de Educação

Imagem Abre

A Secretaria Municipal de Educação de Sarandi estará promovendo o II Congresso de Educação entre os dias 18, 19 e 20 de novembro, um evento que teve ótimos resultados em sua primeira edição e que este ano volta com novidades e convidados de renome.

O diretor de ensino Erick Bucioli ressalta que no ano de 2014 a Secretaria de Educação entendendo que formação continuada não se constitui somente por cursos, palestras e eventos, mas com a produção escrita oriunda de professores e equipes pedagógicas das unidades escolares, organizou o I Congresso de Educação de Sarandi. O intuito era ofertar palestras e abrir um espaço para a apresentação de trabalhos produzidos por profissionais da educação. “Por meio dos artigos científicos produzidos, podemos verificar o quão a pesquisa e a reflexão estão presentes no dia-a-dia dos educadores. Tivemos muitos trabalhos que contribuíram com o nosso fazer pedagógico”, conta.

A proposta do Congresso é reunir professores, coordenadores, diretores, alunos e demais profissionais da educação, juntamente com a comunidade de municípios vizinhos, para debater e apresentar as práticas quem vêm sendo realizadas nas escolas municipais, centros infantis e instituições educacionais privadas.

“As expectativas para este ano são as melhores. Esperamos que as discussões auxiliem professores e demais profissionais da educação no entendimento de novas demandas que surgem nas escolas. Estamos tendo adesão de várias pessoas, pois muitas inscrições já foram realizadas”, explica Erick.

Além de palestras, o evento contará com a apresentação de artigos científicos, previamente aprovados pela comissão composta por pós-doutores, doutores e mestres das mais vareadas áreas. Os trabalhos serão distribuídos em: práticas escolares reflexivas; gestão escolar; ações da coordenação pedagógica escolar; relação aluno/professor; relação equipe diretiva/professor e diversidade e escola.

“Para este ano, temos a honra de receber a Professora Doutora Lizia Nagel, que abordará a Educação na Contemporaneidade como palestra de abertura. No segundo dia de trabalho, contaremos com as Professoras Doutoras Lucinéia Lazaretti e Jani Moreira – ambas lecionam na UEM, que farão uma mesa redonda sobre a Educação Infantil, no âmbito de Políticas Educacionais e Práticas Pedagógicas. E no terceiro dia teremos a apresentação dos trabalhos inscritos e a entrega dos certificados”, afirma Erick.

Nos três dias de evento o início das programações é às 19h30. Dias 18 e 19 será no Salão Paroquial da Igreja Santa Terezinha e no dia 20 na Escola Municipal São Francisco de Assis.

A publicação da lista dos artigos aprovados será dia 06 de novembro. O diretor de ensino do município ressalta que o Congresso de Educação de Sarandi realiza a publicação dos artigos em forma de Anais, valorizando ainda mais as produções.

Quem tiver o interesse em participar do Congresso como ouvinte ainda pode se inscrever até o dia 13 pelo site: www.sarandi.pr.gov.br/edu/congresso

 

Comente aqui


Prova Brasil é tema de capacitação pedagógica

A Prova Brasil é uma avaliação do sistema público de ensino do país. Realizada por amostragem com alunos de 5° e 9° ano do Ensino Fundamental, o teste aplicado avalia os conhecimentos dos estudantes em leitura e resolução de problemas. O intuito, porém, não é avaliar apenas o estudante e sim utilizar os resultados obtidos para promover um diagnóstico da situação do ensino no país, já que os dados coletados na prova são usados para calcular o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Preocupados em oferecer um bom ensino aos alunos, a coordenação da secretaria de educação de Sarandi solicitou ao Diário na Escola uma formação para auxiliar o professor a preparar a criança que irá realizar a Prova Brasil no ano que vem.

Foto Submanchete“A formação continuada é essencial para a melhoria da qualidade de ensino e na valorização dos profissionais. Buscamos constantemente parcerias e mecanismos para potencializar essas orientações pedagógicas na perspectiva de um trabalho de qualidade”, destaca a secretária da educação do município, Adriana Palmieri.

Ministrada pela professora doutorando em linguística pela UEM, Adélli Bazza a capacitação “Prova Brasil: descritores de leitura a partir de gêneros presentes no jornal” apresentou discussão teóricas, estudo dos níveis de leitura e o desenvolvimento de exercícios.

“O objetivo foi demonstrar aos professores que os descritores sugeridos pela Prova Brasil são uma sistematização para avaliação de habilidades que já são, ou deveriam ser, desenvolvidas nas aulas de Língua Portuguesa. Estes, portanto, não constituem um conteúdo a mais para ser trabalhado. Bem como, as habilidades avaliadas na prova não são desenvolvidas apenas quando a criança chega ao quinto ano, mas ao longo de toda a formação do aluno”, ressalta Adélli.

Adriana Palmieri fala sobre a importância do Diário no processo de ensino-aprendizagem. “Os meios de comunicação estão presentes no discurso da sala de aula, geralmente são mais lúdicos e envolventes, dessa forma modificam a forma de relação das crianças com a informação e o conhecimento, permitindo assim novas formas de ver o mundo, de pensar e de agir”.

A secretária comenta que o papel dos professores nesse processo é essencial, pois eles contribuem de forma qualitativa, e assim, ao formar um aluno crítico e pensante também ampliam as ações para melhorar a avaliação da Educação Básica por meio da Prova Brasil.

Comente aqui


Educação de Sarandi realiza Congresso e Feira Cultural

congressodiarioO I Congresso de Educação de Sarandi (CES) acontecerá nos próximos dias 15, 16 e 17 de outubro e busca mobilizar os profissionais da área. O evento é uma iniciativa da coordenação da Secretaria Municipal de Educação de Sarandi (SMED) e tem como objetivo socializar os trabalhos que vêm sendo realizados dentro dos espaços escolares.

“Desde que assumi a secretaria, há um ano, tenho pensado em valorizar o educador da rede municipal. O Congresso é fruto de um trabalho em equipe, de parcerias com doutores e mestres e que irá mostrar as boas ações que são desenvolvidas nas escolas. Aproveitamos o mês em que se comemora o Dia do Professor para lembrar a importância diária deste profissional”, destaca a secretária da educação de Sarandi, Adriana Palmieri.

A proposta é reunir professores, coordenadores, diretores, alunos e demais profissionais da SMED, juntamente com a comunidade de outros municípios para debater e apresentar as práticas que vêm sendo realizadas nas Escolas Municipais e nos Centros Municipais de Educação Infantil, bem como o trabalho das instituições educacionais privadas.

O evento contará com apresentação de artigos científicos – previamente aprovados pela Comissão Científica composta por Pós-Doutores, Doutores, Doutorandos e Mestres das mais variadas áreas – em forma de Comunicação Oral ou Pôster (Painel). “Tivemos um grande número de trabalhos inscritos e isso me deixa muito feliz, pois a produção do artigo exige leituras, horas de estudo e também representa a opinião do profissional. Acredito que, assim, estamos formando professores pesquisadores e o reflexo disso pode ser visto nas boas práticas escolares e na melhora da formação do estudante”, ressalta o diretor de ensino de Sarandi, Erick Bucioli.

Haverá também uma Feira Cultural sobre “diversidade”, tema de estudo das escolas de Sarandi durante este ano. Os trabalhos realizados pelas crianças irão ficar em exposição no local do Congresso para que os participantes possam conhecer e até compartilhar os bons resultados.

Comente aqui


I CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DE SARANDI

Acontecerá nos dias 15, 16 e 17 de outubro o I Congresso de Educação de Sarandi.

O evento tem por objetivo mobilizar os diferentes profissionais da Educação, socializando trabalhos que vêm sendo realizados nesta área.

A organização é da Secretaria Municipal de Educação de Sarandi, oferecendo palestras e apresentação de artigos científicos.

O congresso tem como público alvo professores (em exercício e em formação) e profissionais ligados à Educação.

A inscrição é gratuita e precisa ser realizada pelo site do evento: www.sarandi.pr.gov.br/edu/congresso

Cronograma:

DATA LOCAL ATIVIDADE
15/10 Avenida Londrina, 1700 – Jardim Independência/Sarandi Palestra de abertura: A sala de aula reflexiva – o papel do professor frente aos novos desafios (Jamar Monteiro).
16/10 Avenida Londrina, 1700 – Jardim Independência/Sarandi Apresentação de trabalhos científicos
17/10 Avenida Londrina, 1700 – Jardim Independência/Sarandi Palestra de encerramento: Sou feliz por ser professor (Jairo de Paula)

 

Comente aqui


Jornal ensina matemática

SAM_3670Os alunos do quinto ano da Escola Municipal Machado de Assis, de Sarandi, foram desafiados a uma atividade inusitada na disciplina de matemática. Com o objetivo de trabalhar a análise de gráficos, a professora Ângela Maria Scalabrini utilizou os dados de uma pesquisa publicada em O Diário como suporte de proposta didática.

A partir da manchete “Cesta básica recua 5,8% em um mês nas redes de Maringá”, Ângela preparou uma aula que foi além da interpretação textual. “Como de costume solicitei que cada estudante fizesse a leitura da notícia e em seguida conversamos sobre o assunto abordado. Até aí eles acharam que era apenas mais uma aula de leitura. A surpresa veio quando aliado ao texto começamos a desenvolver o estudo do gráfico – que complementava a matéria – observando o preço de cada produto citado.”

A professora explica que durante a atividade contou com a empolgação dos alunos que folhearam as páginas do jornal, recortaram a tabela e identificaram os itens matemáticos, como: número e numeral – que expressam quantidade – representações de porcentagem, dinheiro, entre outros.

Os estudantes ainda responderam a 13 questões de situação problema. A exemplo: Compare o valor do produto mais caro entre os supermercados e ache a diferença do preço entre eles; e escreva a variação da cesta básica em (%) entre os estabelecimentos pesquisados.

“Foi um trabalho longo, durou a aula toda, eu estava preocupada da atividade se tornar cansativa. Mas aconteceu justamente o contrário, as crianças adoraram aquele momento diferente de produção e até acharam que o tempo passou mais rápido naquele dia”, conta Ângela.

Além dos dados matemáticas, um box na mesma página chamou a atenção. O texto relatava que as cestas básicas compradas pelo Diário em parceria com a empresa que realizou a pesquisa de preços foram doadas para um abrigo de famílias carentes de Maringá. “Neste momento percebi que era possível extrair algo novo dos alunos, mais do que a matemática eu poderia trabalhar a conscientização com eles.”

Ângela finalizou a tarefa do dia propondo aos estudantes que escrevessem frases a respeito da iniciativa de empresas que ajudam o próximo. “Esta questão gerou interesse na produção e até debate sobre o assunto. Fiquei muito satisfeita com os resultados!”, comemora.

“A atitude de doar os mantimentos foi ótima. É um bom exemplo a ser seguido por nós e por outras empresas”, observa o aluno Vitor Nascimento.

A professora ressalta que o trabalho semanal com o impresso é de grande valia, pois muitas crianças abriram o jornal pela primeira vez em sala de aula. “Com o Programa O Diário na Escola os estudantes tem a oportunidade não só de manusear, mas também de realizar atividades nas quais estarão expandindo conhecimento e refletindo sobre notícias da sociedade em que estão inseridos.”

Comente aqui