Jogos Escolares da Juventude



Paraná é bicampeão dos Jogos Escolares da Juventude para alunos-atletas de 12 a 14 anos

Foto: Vinicius Xavier/SEET

O esporte paranaense conseguiu um feito histórico: com as últimas medalhas conquistadas por seus representantes nas modalidades coletivas, o Paraná se isolou na liderança do quadro de medalhas dos Jogos Escolares da Juventude, disputados em Curitiba entre os dias 12 e 21 de setembro. Com o resultado o Estado pode se considerar bicampeão do evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil, para alunos-atletas de 12 a 14 anos, afinal já havia liderado o quadro de medalhas na edição 2016 da competição, realizada em João Pessoa, Paraíba.

Das 13 modalidades em disputa na capital paranaense, a delegação do Estado do Paraná conquistou medalhas em 11, sendo 8 individuais e 3 coletivas. Já o total de medalhas foi um show dos meninos e meninas da delegação paranaense. Com um total de 32 medalhas de ouro, o Paraná obteve cinco a mais que o segundo colocado, São Paulo. Para ter uma ideia do domínio da delegação em 2017, os paranaenses conseguiram mais medalhas douradas do que o 3º, 4º e 5º colocados juntos, respectivamente, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

 

O número também representa um aumento de 60% de medalhas de ouro, se comparado ao título obtido pelos paranaenses na edição de 2016, em João Pessoa (PB). Na ocasião, foram 20 medalhas que garantiram a liderança do quadro. Mas não foi apenas esta estatística que cresceu: se no ano passado o Paraná conquistou um total de 50 medalhas, incluindo as de ouro, prata e bronze, desta vez foram 64, quase 30% a mais do que na edição anterior dos Jogos Escolares da Juventude.

A campanha paranaense confirma a excelência do trabalho realizado no esporte escolar, unindo a formação de alunos nas esferas esportiva e educacional, no que se reflete os Jogos Escolares do Paraná (JEPs), nada mais do que a maior competição esportiva a nível estadual em todo o Brasil.

 

O evento, que neste ano completou sua 64ª edição, é promovido pelo Governo do Paraná por meio da Secretaria do Esporte e Turismo, da Secretaria da Educação e com o apoio de diversos municípios que sediam as fases regionais, macrorregionais e finais, reunindo milhares de participantes em todos os cantos do Estado. A relevância dos JEPs se torna ainda maior quando se nota que os alunos-atletas paranaenses foram, em sua maioria, os campeões estaduais da atual temporada, chegando para competir em altíssimo nível nos Jogos Escolares da Juventude, e é claro, conquistando pódios e medalhas!

Uma vitória maiúscula da fortíssima equipe moldada e desenvolvida nas competições escolares do Paraná, um sinal que a nova safra de talentos paranaenses tem tudo para continuar se destacando no esporte nos próximos anos. O Estado do Paraná já pode ser considerado uma potência na formação de alunos-atletas, e esta condição tende a crescer ainda mais nos próximos anos.

O próximo desafio serão os Jogos Escolares da Juventude, mas dessa vez, para alunos-atletas de 15 a 17 anos. A competição vai acontecer em Brasília, entre os dias 16 e 25 de Novembro, e a meta é continuar a busca pelo pódio na Capital Federal, e se possível, repetir o feito obtido em casa, com um aumento exponencial no número de medalhas conquistadas.

Comente aqui


Encerrada a maior edição dos Jogos Escolares da Juventude, com 4 mil alunos de 1.400 escolas de todo o Brasil

Foto: SEET

A maior competição estudantil já realizada no país chega ao fim nesta quinta-feira. Organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), a etapa de 12 a 14 anos dos Jogos Escolares da Juventude movimentou Curitiba (PR), levando esporte e cidadania para 4 mil atletas/alunos de todos os estados do Brasil. Após as disputas em 13 modalidades (atletismo, handebol, badminton, basquete, ciclismo, futsal, judô, ginástica rítmica, luta olímpica, natação, tênis de mesa, xadrez e vôlei), nesta quinta foram realizadas as finais e premiações dos torneios coletivos. Momentos que se tornarão inesquecíveis na vida dos futuros astros do esporte brasileiro.

 

Os números alcançados na capital paranaense bateram todos os recordes em 13 anos de realização dos Jogos Escolares. No total, 3.983 alunos-atletas de 1.401 escolas de todo o Brasil (515 escolas estaduais, 334 municipais e 552 escolas privadas) participaram do evento. Ao todo, 475 cidades brasileiras tiveram representantes em Curitiba, o que corresponde a cerca de 10% dos municípios brasileiros.

 

“Esta é a maior edição dos Jogos desde quando iniciamos o projeto, em 2005, superando todos os números de inscritos com a participação de todo o país. Isso significa que estamos alcançando mais cidades e escolas do país. Outro ponto importante é que mais da metade das escolas participantes vieram da rede pública, escolas municipais, estaduais ou federais”, disse Edgar Hubner, gerente de Juventude do COB e diretor geral do evento. “Além disso, notamos claramente da evolução das equipes nesta edição. Todos os estados estão se preparando melhor para o evento, aumentando o nível do esporte de base do país a cada ano”, completou Edgar.

 

Os Jogos Escolares da Juventude revelam, a cada ano, novos talentos para o esporte brasileiro. Da delegação composta por 465 atletas do Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, um total de 52 já haviam participado dos Jogos Escolares, entre eles Mayra Aguiar e Sarah Menezes, do judô, e Hugo Calderano, do tênis de mesa. Até uma medalhista em Jogos Paralímpicos – Bruna Alexandre, também do tênis de mesa – já passou pelos Jogos Escolares da Juventude.

 

“Essa já é uma tradição dos Jogos Escolares. Por aqui tem já passaram medalhistas olímpicos e pan-americanos como Sarah Menezes, bicampeã dos Jogos Escolares. Tivemos a satisfação de identificar um crescimento considerável na participação dos atletas que disputaram os Jogos Olímpicos da Juventude. Em Nanquim 2014, 72% dos atletas que participaram da competição passaram pelos Jogos Escolares. No mundial de judô sub-18 desse ano, por exemplo, todos os participantes competiram nos Escolares”, lembrou Hubner.

 

A fábrica de talentos segue aberta. Em Curitiba foram batidos 16 recordes de campeonato, incluindo um recorde nacional. No total, foram 12 recordes na natação e quatro no atletismo. Destaque para a nadadora Fernanda Celidônio, do Colégio La Salle, de Brasília, que marcou o seu nome na história do evento com três novas marcas. No atletismo foram batidos quatro novos recordes de campeonato, um deles que já durava 12 anos. A paulista Taimara Pereira de Melo, da Escola Estadual Professora Graziela Malheiro, de São Joaquim da Barra (SP), venceu os 250m rasos feminino com o tempo de 32s87. A marca anterior era de Bianca Santos, com 33s05, obtida nos Jogos Escolares de Brasília 2005.

 

Além da disputa por medalhas e recordes, o Programa Educativo e Cultural ofereceu ações para os alunos atletas e para alunos das escolas da cidade sede. Os objetivos do programa são: promover a integração entre os atletas participantes, envolver os alunos das escolas da cidade sede no evento e promover os Valores Olímpicos: amizade, excelência e respeito.

 

“O principal objetivo dos Jogos desde o início é criar oportunidades para essas crianças de conhecerem novas cidades e culturas, contribuindo para a inserção social e o fortalecimento da cidadania de todos eles”, explicou Edgar Hubner.

 

No Centro de Convivência montado no ginásio do Tarumã, os jovens contaram com uma programação recreativa especial. Antes e depois das refeições, interagiram num espaço criado só pra eles. O espaço contou com: lan house, biblioteca, exposição de medalhas, troféus, Tocha Olímpica e uniforme do Time Brasil, uma atração interativa denominada “Formando campeões”, clínica de dança, um painel interativo de LED, estandes da Agência Brasileira de  Controle de Dopagem (ABCD), com ações sobre o jogo limpo, da ONU mulher, da Rede Globo, e um espaço com mesas de totó e uma mesa de tênis de mesa.

 

A programação incluiu também duas clínicas esportivas, de modalidades fora do programa dos Jogos Escolares da Juventude: o basquete 3 x 3 e a esgrima. Sempre com o apoio de profissionais e ex-atletas indicados pelas próprias confederações olímpicas brasileiras.

 

O evento reuniu 11 ídolos do esporte nacional, os Embaixadores dos Jogos.  Além da presença nas competições, eles entraram em contato com a garotada, passando dicas e conselhos para a vida, dentro e fora do esporte. Entre os embaixadores para a etapa de Curitiba, quase todos tiveram passagens pelos Jogos Olímpicos ou Pan-americanos. Destaque para Emanuel Rego, maior jogador de vôlei de praia da história; Sheilla Castro, bicampeã olímpica de vôlei; o judoca Tiago Camilo, medalhista de prata nos Jogos Olímpicos Sydney 2000 e bronze em Pequim 2008 e presidente da atual Comissão de Atletas do COB. Fabiana Murer, medalhista pan-americana e campeã mundial indoor do salto com vara; Etiene Medeiros, melhor nadadora brasileira da atualidade. Também foram embaixadores na capital paranaense: Gideoni Monteiro (ciclismo), Jéssica Maier (ginástica rítmica), Aline Silva (lutas), Ligia Silva (tênis de mesa), Iziane Marques (basquete) e Silvia Helena Pereira (handebol).

 

“Disputei os Jogos Escolares de 2005 a 2008, competições muito importantes na minha carreira. Foram experiências incríveis que ajudaram muito a me tornar uma atleta de alto rendimento. Esse contato com a garotada, olhar nos olhos deles e ver a paixão que eles têm pelo esporte é muito bom”, disse Etiene Medeiros, que representou os colégios CPI e Boa Viagem, de Recife, nos Jogos Escolares.

 

“Eu também comecei na escola, mas na minha época era bem diferente do que é hoje. As disputas eram entre seleções estaduais e não equipes e representantes de cada escola. Isso fez com que a competição crescesse e se tornasse esse evento grandioso que é hoje”, disse Emanuel Rego, três vezes medalhista olímpico de vôlei de praia (ouro em Atenas 2004, prata em Londres 2012 e bronze em Pequim 2008).

 

O melhor de um evento tão importante como esse é saber que daqui a pouco tem mais. Entre os dias 16 e 25 de novembro, será a vez de Brasília (DF) receber a etapa dos Jogos Escolares da Juventude para atletas de 15 a 17 anos.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado do Paraná.

 

Comente aqui


Paranaense Eloisa Fryder conquista primeira medalha dos Jogos Escolares com a polaina da sorte

Foto: Arquivo pessoal

O Paraná fez a dobradinha na prova feminina de 500m contrarrelógio, primeira final dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017. Atleta de Guarapuava, Eloisa Fryder, da Escola Aldeia do Sol, conquistou a medalha de ouro com o tempo de 43s615, enquanto Ana Julia Alves, do Colégio Estadual Francisco Villanueva, de Rolândia, ficou com a prata, com 43s693. A gaúcha Julia Lauffer Schuler, da Escola Estadual Willy Oscar Konrath, completou o pódio. A prova foi realizada no velódromo de Curitiba.

 

Primeira campeã da edição 2017 dos Jogos Escolares, Eloisa pedala com um sorriso marcante de orelha a orelha no rosto, sinal da sua paixão pelo esporte. “Tem que ser feliz né?”, disparou a jovem de 14 anos. “As provas de velocidade não são a minha especialidade, por isso acredito que amanhã (quinta-feira), na prova de Estrada, eu tenho boas chances de voltar ao pódio. Eu ficava muito tensa nas provas, mas deixei o nervosismo de lado, corri bem solta e conquistei a vitória. Estou muito feliz”.

 

Supersticiosa, Eloisa usa uma polaina de competição, branca com bolinhas vermelhas, semelhante à camisa usada pelo ciclista escalador líder da Volta da França. “Quando a competição começa, eu só tiro a polaina para tomar banho”, disse.

 

Medalhista de prata, Ana Julia tem 13 anos e começou a pedalar há apenas seis meses. “Comecei no atletismo e na escola sempre fui a mais rápida, sempre tive esse jeito esportivo. Eu acompanhava a minha mãe (Simone) na academia e o professor disse que eu tinha aptidão pro ciclismo. Iniciei no esporte no início desse ano. Aí conquistei o título na minha primeira competição, que foi o Estadual e cheguei aqui para disputar os Jogos Escolares”, disse Ana Julia.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado do Paraná. (COB)

Comente aqui


Exemplo para os mais jovens, atletas de ponta falam da importância dos Jogos Escolares da Juventude

Ícones do esporte brasileiro, Emanuel Rego, Etiene Medeiros, Fabiana Murer e Tiago Camilo voltaram no tempo e lembraram com carinho da época em que eram estudantes. Embaixadores dos Jogos Escolares da Juventude, eles vão acompanhar de perto a etapa de 12 a 14 anos que começa efetivamente, nesta quarta-feira, em Curitiba. Todos garantiram que vão se empenhar ao máximo para incentivar a garotada a continuar perseguindo o sonho de representar o Brasil no esporte internacional.

 

Os Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017 são a maior competição estudantil já realizada no Brasil. No total, 4.043 alunos-atletas de 1.401 escolas de todo o Brasil (515 escolas estaduais, 334 municipais e 552 escolas privadas representadas) confirmaram presença no evento. São 523 técnicos/professores de educação física, 166 dirigentes, 412 árbitros, 100 pessoas no Comitê Organizador, 360 voluntários e 150 no apoio; 475 cidades brasileiras com representantes no evento, o que corresponde a cerca de 10% dos municípios brasileiros. Todos os participantes estão em 22 hotéis da cidade, totalizando 29 mil diárias e cerca de 60 mil refeições.

 

“Disputei os Jogos Escolares de 2004 a 2008, competições muito importantes na minha carreira. Foram experiências incríveis que ajudaram muito a me tornar uma atleta de alto rendimento. Hoje estou super feliz porque adoro esse contato com a garotada, olhar nos olhos deles e ver a paixão que eles têm pelo esporte. Ser atleta de ponta não é fácil, é um sonho que aos poucos vai se tornando realidade”, disse Etiene Medeiros, que representou os colégios CPI e Boa Viagem, de Recife, nos Jogos Escolares.

 

Primeira brasileira a ganhar uma medalha em um Mundial Júnior, primeira a ganhar uma medalha em Mundial adulto, primeira a bater um recorde mundial em piscina curta e primeira mulher medalha de ouro em Jogos Pan-americanos, Etiene Medeiros se tornou recentemente a primeira mulher brasileira campeã mundial. Em julho, ela venceu os 50m costas no Mundial de Budapeste de piscina curta e mais uma vez fez história.

 

Fabiana Murer, campeã mundial de salto com vara em Daegu 2011, vice-campeã em Pequim 2015 e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos Rio 2007, abre um largo sorriso no rosto ao falar sobre os Jogos Escolares. “Um prazer estar mais uma vez aqui. Acho importante participar, incentivar a garotada. Vejo as carinhas de felicidade por ver de perto seus ídolos. Sei que nem todos irão bem nessa competição, mas temos que saber conviver vitórias e derrotas, que fazem parte do nosso dia a dia”, ensinou.

 

Campeão mundial de judô e duas vezes medalhista olímpico (prata em Sydney 2000 e bronze em Pequim 2008), Tiago Camilo venceu a sua primeira competição nacional em 1998, nos antigos Jogos da Juventude e conquistou assim a vaga para representar o Brasil no Mundial da Juventude, que naquele ano foi na Rússia e de lá trouxe a sua primeira medalha dourada.

 

“Quando eu era jovem me inspirei bastante nos judocas que faziam sucesso na época por isso eu sei da importância dos ídolos na carreira de qualquer atleta. Sempre acreditei que o esporte tem que estar em sintonia com a escola e a educação e é uma honra participar como Embaixador dos Jogos Escolares e poder ajudar um pouco nesse processo”, afirmou Tiago.

 

“Eu também comecei na escola, mas na minha época era bem diferente do que é hoje. As disputas eram entre seleções estaduais e não equipes e representantes de cada escola. Isso fez com que a competição crescesse e se tornasse esse evento grandioso que é hoje. Como Embaixador eu quero passar o exemplo que os esportistas devem ser, com muita ética e igualdade”, disse Emanuel Rego, três vezes medalhista olímpico de vôlei de praia (ouro em Atenas 2004, prata em Londres 2012 e bronze em Pequim 2008).

 

Os quatro atletas participaram de uma entrevista coletiva sobre os Jogos, que contou ainda com o gerente geral de Juventude do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e diretor geral dos Jogos Escolares da Juventude, Edgar Hubner; o secretário municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Marcello Richa; e o secretário de Esporte e Turismo do Estado do Paraná, Douglas Fabrício.

 

“Recebemos todos com muito carinho. Essa competição é muito importante para o Paraná, ajuda a gerar emprego, renda. O esporte movimenta o turismo e tem muito valor na vida de todos, sempre trazendo muito orgulho para nós brasileiros”, disse Douglas. “O esporte é uma importante ferramenta de inclusão. É uma honra, um orgulho enorme receber jovens de todo o Brasil”, afirmou Marcello.

 

Todos os atletas que disputam os Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017 já podem ser considerados campeões, afinal, para disputar a competição eles venceram as seletivas municipais e estaduais e conquistaram a vaga para a etapa nacional. Os 13 esportes que compõem o cronograma dos Jogos Escolares são: atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei e xadrez.

 

“A meta é continuar crescendo e para isso temos que disseminar o projeto através da valorização do profissional de Educação Física. Eles têm uma função primordial na inserção dos jovens no esporte e devem ter todas as condições para educar seus alunos. O esporte como ferramenta de transformação social é o principal pilar dos Jogos Escolares”, declarou Edgar Hubner, gerente geral dos Jogos.

 

Técnicos de seleções de base, olheiros das confederações e de clubes também marcam presença no evento. Para enriquecer ainda mais a experiência dos atletas nos Jogos Escolares da Juventude 2017, estão previstas atividades sociais e de entretenimento, que serão realizadas durante todo o período do evento, nos horários de almoço e jantar. O Centro de Convivência, localizado no ginásio do Tarumã, funciona como uma verdadeira Vila Olímpica.

 

O Programa Educativo e Cultural oferece ações para os alunos atletas e para alunos das escolas da cidade sede. Os objetivos do programa são: promover a integração entre os atletas participantes, envolver os alunos das escolas da cidade sede no evento e promover os Valores Olímpicos: amizade, excelência e respeito. Ações de Sustentabilidade também estão presentes nos Jogos Escolares da Juventude.

 

Os Embaixadores dos Jogos Escolares já estão com a agenda cheia. Além da presença nas competições, eles também farão suas refeições no Centro de Convivência, entregarão as medalhas no pódio e muito mais. Jéssica Maier, da ginástica rítmica, por exemplo, fará uma apresentação especial no ginásio 2 da SEET, no dia 15, a partir das 17 horas, após a ginástica de gala. Momentos eu se tornarão inesquecíveis na vida dos futuros astros do esporte brasileiro.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado do Paraná.

Comente aqui


Engajamento marca os 360 voluntários dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017

Antes dos mais de 4 mil alunos-atletas de todo o Brasil entrarem em cena, profissionais e estudantes de diversas áreas de formação iniciam o trabalho como voluntários dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017 – etapa para jovens entre 12 e 14 anos -, que acontecem na capital paranaense, de 12 a 21 de setembro. No total, 360 voluntários participarão do maior evento esportivo escolar nacional em diversas áreas, como credenciamento, premiação, competição, transporte, secretaria, operacional, almoxarifado, imprensa, web, imagens, atividades culturais e centro de convivência.

 

Fundamentais em eventos esportivos de grande porte, os voluntários participam de edições dos Jogos Escolares desde 2005. Em Curitiba, dos 360 voluntários selecionados, 80 são da área médica, entre enfermeiros e fisioterapeutas. A parceria com o Exército Brasileiro (EB) permanece e 80 militares vão trabalhar no setor de transportes. No grupo, também há estudantes de educação física, turismo, comunicação social, entre outros, escolhidos através de parcerias com as principais universidades locais – Universidade Federal do Paraná, Unicentro, UniBrasil, Tuiuti e Dom Bosco  – ou inscrição no site do COB.

 

O Programa de Voluntários dos Jogos Escolares da Juventude é coordenado pela gerente de Atividades Complementares do evento, Paula Hernandez. “O sucesso da competição depende muito do trabalho de cada um dos envolvidos e a participação do voluntário é fundamental. O mais interessante é que ao mesmo tempo em que eles contribuem para a realização do evento, recebem em troca uma experiência fantástica que vai ser muito útil para suas carreiras e vidas”, disse Paula, que participou dos Jogos Olímpicos Moscou 1980, quando a seleção brasileira feminina de vôlei estreou no maior evento esportivo do mundo.

 

Vale lembrar que, apesar de não serem remunerados, os voluntários recebem alimentação, uniforme, credencial, certificado com declaração de horas de atividades e auxílio transporte. Além, é claro, da experiência, amizade e muitas histórias para contar.

 

Os Jogos – Entre os dias 12 e 21 de setembro, mais de 4 mil jovens atletas entre 12 a 14 anos se reunirão na capital paranaense para a disputa de 13 modalidades: atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, xadrez, basquete, futsal, handebol e vôlei. Organizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), os Jogos Escolares da Juventude são o maior celeiro de atletas olímpicos do país, revelando, a cada ano, novos talentos para o esporte brasileiro.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado do Paraná. (COB)

Comente aqui


Curitiba está pronta para receber o futuro do esporte brasileiro

A Cerimônia de Abertura dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017 será realizada na terça-feira, dia 12, mas a capital paranaense já está pronta para receber os 4.069 alunos-atletas de 1.396 escolas públicas e privadas de todo o Brasil. Os jovens de 12 a 14 anos, que começam a desembarcar na cidade nesta segunda-feira, não vão apenas competir, mas também aprender com as diversas atividades sócio-culturais e educativas que fazem parte do evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).

 

No Centro de Convivência, montado no ginásio do Tarumã, os jovens contarão com uma programação recreativa especial. Antes e depois das refeições, vão interagir num espaço criado só pra eles. Um espaço que conta com: lan house, biblioteca, exposição de medalhas, troféus, Tocha Olímpica e uniformes do Time Brasil, uma atração interativa denominada “Formando campeões”, clínica de dança, um painel interativo de LED, estandes da Agência Brasileira de  Controle de Dopagem (ABCD), com ações sobre o jogo limpo, da ONU mulher, da Rede Globo, e um espaço com mesas de totó e uma mesa de tênis de mesa.

 

“Os jovens poderão experimentar novos esportes, participar de desafios no palco como quiz sobre os nossos Embaixadores, sobre sustentabilidade, sobre os Jogos Olímpicos, assistirão apresentações culturais e folclóricas, terão a oportunidade de interagir com atletas olímpicos e pan-americanos de destaque internacional. A programação é realmente intensa”, afirmou Paula Hernandez, gerente de atividades complementares dos Jogos Escolares da Juventude.

 

Denominado “Esporte em movimento”, a programação inclui duas clínicas esportivas, de modalidades que não estão entre os 13 esportes que compõem o cronograma dos Jogos Escolares da Juventude. Entre os dias 11 a 15 de setembro, os jovens conhecerão mais sobre o basquete 3 x 3, e entre os dias 16 e 20, a esgrima. Sempre com o apoio de profissionais e ex-atletas indicados pelas próprias confederações esportivas.

 

O Centro de Convivência fica ao lado da praça de alimentação. Parte extremamente importante na vida de um atleta, a alimentação dos jovens participantes dos Jogos Escolares da Juventude também é tratada com muito carinho pelo COB.

 

A nutricionista Osana Campos será a responsável por orientar a alimentação dos jovens atletas. E os números impressionam. “Serviremos até 3.000 pessoas por refeição. São atletas, então teremos dois tipos de proteínas. Eles precisam de muita energia também e uma guarnição como purê de batata pra acompanhar é sempre bem vinda, além do arroz, feijão e salada. De sobremesa, teremos frutas, mas como também são crianças, todos os dias faremos um doce especial. Por dia serão cerca de 500 kg de arroz, 180 kg de feijão, 1.200 kg de carne e por aí vai”, disse Osana.

 

Como as quantidades são enormes e os resíduos são descartados, o Comitê Organizador dos Jogos Escolares trabalha intensamente a parte de sustentabilidade com os jovens atletas. Responsável pelo programa de sustentabilidade, Beatriz Yu Marins afirmou que evitar o desperdício de comida será tratado como prioridade pela organização dos Jogos.

 

“O programa de sustentabilidade dos Jogos Escolares cresce a cada edição. As crianças recebem squeezes do evento diminuindo muito o uso de copos plásticos e fazemos ações constantes. Entre 2015 e 2016, as famílias das cooperativas de reciclagem contratadas aumentaram em cerca de 20% a sua renda durante os nossos eventos. No total, 42,2 toneladas de lixo foram evitados. Além disso, cerca de 500 litros de óleo de cozinha virou sabão ecológico e biodiesel em vez de ir para aterros sanitários”, disse Yu Marins.

 

Se os participantes dos Jogos Escolares ainda conseguirem tempo em suas agendas, locais turísticos de Curitiba como o Museu do Olho, de Oscar Niemeyer, a Torre da Telepar, com uma visão total da cidade, o Jardim Botânico e a sua estufa internacionalmente conhecida, são boas opções de passeios. Inclusive, quem for ao velódromo acompanhar as provas de ciclismo (todos os eventos dos Jogos Escolares tem entrada gratuita) poderão tirar fotos com a estufa ao fundo. Os parques Tingui e Tanguá, o memorial ucraniano e o bosque alemão também são opções.

 

A competição – Entre os dias 12 e 21 de setembro, mais de 4 mil jovens atletas entre 12 a 14 anos se reunirão na capital paranaense para a disputa de 13 modalidades: atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, xadrez, basquete, futsal, handebol e vôlei.

 

Organizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), os Jogos Escolares da Juventude são o maior celeiro de atletas olímpicos do país, revelando, a cada ano, novos talentos para o esporte brasileiro.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio da Estácio, da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado do Paraná. (COB)

Comente aqui