Mês: setembro 2016



Como identificar suicidas potenciais…

6 dicas para identificar o comportamento suicida – antes que seja tarde

Saiba como ajudar e ser ajudado – a necessidade pode estar embaixo do seu nariz

Depression Among College Students Linked to Hook-up Culture - pt

CC Tollie Schmidt

O Mapa da Violência, um levantamento de dados sobre mortes não naturais, aponta que, entre 2004 e 2014, os casos de suicídio aumentaram 40% entre os adolescentes brasileiros de 10 a 14 anos e 33% entre os de 15 a 19 anos. Por dia, são em média 32 pessoasque tiram a própria vida no Brasil. Também na média, os suicidas cometem de 10 a 20 tentativas antes de conseguirem efetivamente se matar.

O suicídio já é uma das causas de morte mais comuns do mundo.

Durante muito tempo, por tabu e preconceito, esse tema gravíssimo foi muito pouco discutido pela opinião pública. A Organização Mundial de Saúde (OMS) está agora incentivando os países a investirem mais em políticas públicas voltadas a conscientizar a população sobre os indícios de que alguém pode tentar se matar.

Estes 6 sinais podem identificar um possível suicida – e ajudar a salvá-lo:

 

1. Comportamentos que denotam sofrimento intenso

Pensamentos obsessivos, lamentos de que a vida não tem sentido, desesperança, incapacidade de mudar, falta de energia para tarefas básicas, muito tempo na cama, dificuldades para tomar decisões que antes eram tomadas normalmente, perda de interesse por atividades antes prazerosas. Diante de uma pessoa com estes sinais, converse em tom acolhedor, mostrando-se próximo e solidário, e ajude na busca de ajuda profissional. Estes sinais coincidem com os da depressão, uma doença cada vez mais comum e que exige atenção séria. Não significam necessariamente uma tendência ao suicídio, mas são um sinal de alerta que não deve ser desconsiderado.

 

2. Mudanças drásticas de humor

É natural ter variações de humor durante o dia: você pode se sentir ótimo e de repente ficar muito raivoso ou triste, como reação a certos acontecimentos. Mas há pessoas cujas alterações de humor são extremas, impulsivas e frequentes. Preste atenção às variações repentinas e exageradas – em casos de emergência, não hesite em ligar para o número 190 e solicitar ajuda.

Essas mudanças devem ser observadas com atenção também nos adolescentes. A adolescência é um período em que as alterações comportamentais são comuns e, precisamente por isso, a sua gravidade corre o risco passar despercebida. Se o adolescente se tranca no quarto sem querer conversa com ninguém e não sabe manifestar seu sofrimento com clareza, tente ouvi-lo sem julgamentos e se mostre compreensivo e amigo. Se a comunicação for complicada demais, procure ajuda especializada.

 

3. Acontecimentos chocantes ou traumáticos

Fatos muito dolorosos, principalmente quando inesperados, podem causar grande impacto negativo: a morte de uma pessoa querida, a perda de trabalho importante e bem remunerado, uma doença grave, casos de bullying intenso, tudo isso pode ser estopim para o suicídio. Quando esses acontecimentos provocam mudanças bruscas de rotina e comportamento, deixam a pessoa sem saber como reagir e a levam a deixar de fazer coisas que antes ela considerava importantes, esteja bem próximo e a leve a um bom psiquiatra.

 

4. Avisos verbais

A pessoa desesperada que pensa em acabar com a própria vida costuma dar sinais de que está interiormente gritando por socorro – ela chega a dizer frases como “Não aguento mais”, “Quero morrer”, “A vida não vale a pena”, “Vai ser melhor para todos sem mim”, “Era melhor nem ter nascido” etc. Pode ser apenas drama e exagero? Pode. Mas, na dúvida, fique bem atento a esses sinais e aos outros indícios que acompanham um comportamento depressivo suicida. Essas frases nunca devem ser ignoradas. Há quem ache que “uma pessoa que quer mesmo se matar não fica avisando”. Esta ideia é falsa. Quem quer se matar sempre dá uma série de indícios, verbais ou não. Lembre-se das estatísticas: para cada suicídio consumado, houve cerca de 10 a 20 tentativas prévias. Não ignore.

 

5. Transtornos psicológicos e de dependência

Os riscos aumentam quando a pessoa sofre doenças psicológicas como depressão grave, transtorno bipolar, personalidadeborderline, esquizofrenia, estresse pós-traumático, assim como o trauma decorrente de abusos físicos e sexuais. Mais de 50% dos suicídios são cometidos por pessoas com depressão ou transtornos de humor, inclusive os ligados à dependência de drogas e de álcool. Remédios associados com bebida também formam um quadro bastante perigoso.

Fique atento a comportamentos irresponsáveis recorrentes, como o próprio abuso de álcool e drogas, a direção imprudente, a prática sexual inconsequente. Nem todo mundo que apresenta esses comportamentos tem pensamentos suicidas, mas, de qualquer forma, esses indícios requerem especial atenção, orientação e tratamento: eles indicam um grau bastante considerável de insatisfação interior que não pode ser ignorada.

 

6. Melhoras repentinas

Isso mesmo: quando uma pessoa muito triste e deprimida se mostra subitamente alegre, existe o risco de que ela esteja planejando o suicídio. A aparente melhora pode ser uma simulação. Observe, adicionalmente, se ela também parece estar resolvendo pendências, se despedindo de amigos e familiares, doando posses. Tais mudanças súbitas em alguém que estava há pouco tempo no fundo do poço devem ser encaradas com muita prudência. Informe ao médico e recorra também a serviços de orientação como os do Centro de Valorização da Vida (acesse aqui o site ou ligue para o 141).

 

Em todos esses cenários:

– Observe e, principalmente, ESCUTE a pessoa.

– Saiba ter paciência e acolher a angústia dela.

– Acompanhe-a nas consultas médicas.

– Mantenha os familiares mais próximos também atentos.

 

E se quem está pensando em suicídio é você mesmo:

Por favor, se dê uma chance e procure ajuda profissional agora mesmo. Abra-se! O que você está sentindo é uma doença perfeitamente tratável, que pode e vai ser curada. Mas você precisa de ajuda.

Fonte: Aleteia

 

Comente aqui


Ano Mariano para celebrar Nossa Senhora Aparecida

Brasil terá Ano Jubilar mariano a partir de outubro

Aumenta a expectativa pela possibilidade de o Papa Francisco retornar ao Brasil para participar das celebrações dos 300 anos do achado da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Santuário Nacional, em 2017.

Em exclusiva à RV, Dom Raymundo reafirma que a devoção a Nossa Senhora faz parte da história do Brasil. “Maria sempre foi uma porta aberta ao conhecimento de Jesus; é o modelo de seguimento de Cristo, dos valores humanos que marcam a identidade religiosa do povo”:

Em Aparecida, o novo Campanário do Santuário Nacional, obra que foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, será inaugurado no próximo dia 12 de outubro, abrindo o Ano Jubilar mariano em comemoração aos 300 anos da aparição.

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – revela o cardeal – vai decretar um ano Jubilar mariano a partir de outubro. Será um ano de graça, de modo especial para o Brasil: um momento de louvor e agradecimento especial a Deus por tudo aquilo que Ele tem feito por nós, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nossa padroeira e nossa Rainha”.

Fonte: Rádio Vaticano
1 Comentário


Assembleia do Povo de Deus no Paraná

37ª Assembleia do Povo de Deus reflete sobre “Igreja em saída na cidade”

Encontro reuniu bispos, coordenadores e representantes das dioceses do regional Sul 2 da CNBBO regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reuniu o episcopado do Paraná, coordenadores de pastorais, movimentos e organismos e representantes das dioceses para a 37ª Assembleia do Povo de Deus, realizada entre os dias 23 e 25 de setembro, em Curitiba (PR). O tema estudado na ocasião foi “A Igreja em saída na cidade”, com assessoria do padre Joel Portella, da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ). Ao final do encontro, os bispos divulgaram uma carta a respeito do Dízimo.

A assembleia reuniu cerca de 120 pessoas em torno das reflexões sobre a “Igreja em saída na cidade”. O arcebispo de Cascavel (PR) e presidente do regional Sul 2 da CNBB, dom Mauro Aparecido dos Santos, falou da motivação dos participantes a partir da temática estudada. “Muitas vezes nos questionávamos o que significava ser uma Igreja em saída e como fazer, mas o assessor soube expor muito bem e nos trouxe luzes. Também os participantes da Assembleia tiveram oportunidade de questionar e explicitar como realizar esse trabalho”, contou.

Em saída na cidade

O assessor do encontro, padre Joel Portella, da arquidiocese do Rio de Janeiro, explicou sobre a Pastoral Urbana e alertou que só é possível ser presença da Igreja na grande cidade se for “uma Igreja em saída”. Para o palestrante, “é necessário sair daquilo que se está acostumado a fazer para contemplar os novos jeitos de ser. Sair dos espaços onde ela está para ir onde as pessoas estão; sair das acomodações”, indicou, recordando o papa Francisco quando cita a ida às “periferias”. “É uma igreja que tem a coragem de se despojar para encontrar este mundo novo muito presente nas cidades”, caracterizou.

Segundo padre Joel, na Ação Evangelizadora deve se ter cuidado “para não repetir fórmulas velhas diante de situações novas”. Ele explicou que é preciso contemplar e compreender a mentalidade urbana das grandes cidades e, principalmente, não perder a identidade do Evangelho. “Nós nos fazemos presentes em qualquer cultura, inclusive na urbana, mas com a força à luz do Evangelho. Devemos estar no mundo urbano sem se identificar plenamente com o mundo urbano, anunciando-lhe a boa nova, fortalecendo aquilo que faz parte do reino de Deus, mas questionando aquilo que não faz”, disse.

O padre também refletiu sobre a influência dos acontecimentos e dos meios de comunicação na vida das pequenas cidades, onde a “mentalidade que marca de modo muito forte as grandes cidades, está sendo exportada e muitas vezes assumida” nos municípios menores.

Neste sentido, é urgente para a Igreja despertar para a importância da comunicação. “É preciso estar presente nos meios de comunicação, mas deve-se levar em conta que eles não substituem o contato humano ou direto, porém podem ajudar a aproximar e dialogar”, disse Portella. “Precisamos estar presentes com conteúdo efetivamente cristão e uma qualidade de serviço que também seja atrativa. É preciso encontrar o equilíbrio entre a atratividade técnica e a fidelidade ao conteúdo do Evangelho”, ressaltou.

Dízimo

Durante a Assembleia, os bispos do regional Sul 2 emitiram uma carta para os fiéis das comunidades católicas do Paraná sobre o dízimo como aspecto importante da conversão pastoral, pessoal e comunitária.

Com a carta, os bispos desejam impulsionar a Pastoral e fazem votos que o dízimo seja implantando nas comunidades onde ainda não há e que seja estudado o Documento 106 da CNBB “O dízimo na comunidade de fé: orientações e propostas” em todos os Conselhos de Pastoral”.

Leia o texto na íntegra. 

Decisões

Durante a Assembleia, foi tomada a decisão de que, a partir de 2017, nos anos ímpares o encontro será realizado por províncias – são quatro no Paraná: Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel. Nos anos pares haverá uma única Assembleia reunindo todo o regional.

O encontro da Igreja no Paraná também escolheu novos bispos referenciais para Pastorais e organismos:

· Pastoral Familiar – Dom Antônio Braz Benevente – bispo de Jacarezinho (PR)

· Pastoral da Liturgia – Dom Edmar Peron – bispo de Paranaguá (PR)

· Pastoral dos Migrantes – Dom Orlando Brandes – arcebispo de Londrina (PR)

· Pastoral da Educação – Dom Edgar Xavier Ertl – bispo de Palmas-Francisco Beltrão (PR)

· Grupos de Reflexão – Dom Orlando Brandes – arcebispo de Londrina (PR)

· Conselho de Leigos – Dom Laurindo Guizzardi – bispo Emérito de Foz do Iguaçu (PR)

· Comissão Pastoral da Terra (CPT) – Dom Geremias Steinmetz – bispo de Paranavaí (PR)

 

Com informações e fotos do regional Sul 2 da CNBB
Comente aqui


Pra ser feliz

10 dicas eficazes para começar a ser feliz hoje

happy-woman

Ei, quer ser feliz? Então anote aí:

1. Jogue fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência. Isso inclui idade, peso e altura. Deixe seu médico se preocupar com eles. Para isso ele é pago.

2. Frequente, de preferência, seus amigos alegres. Os “baixo-astrais” puxam você para baixo.

3. Continue aprendendo. Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa. Não deixe seu cérebro desocupado. Uma mente sem uso é a oficina do diabo. E o nome desse diabo é Alzheimer.

4. Curta coisas simples.

5. Ria sempre, muito e alto. Ria até perder o fôlego; ria para você mesma no espelho, ao acordar e que o sorriso seja sua última ‘atitude’ antes de dormir.

6. Lágrimas acontecem. Aguente, sofra e siga em frente. A única pessoa que acompanha você a vida toda é você mesmo. Esteja vivo enquanto você viver e seja uma boa companhia para si mesmo.

7. Esteja sempre rodeado daquilo de que você gosta: pode ser família, animais, lembranças, música, plantas, um hobby, o que for. Seu lar é o seu refúgio, sua mente, seu paraíso.

8. Aproveite sua saúde. Se for boa, preserve-a. Se está instável, melhore-a da maneira mais simples: caminhe, sorria, beba água, ore, veja comédias, leia piadas ou histórias de aventuras, romances e comédias.

9. Não faça viagens de remorsos. Viaje para o shopping, para cidade vizinha, para um país estrangeiro, pega carona numa cauda de cometa, imagine os mais diversos objetos formados pelas nuvens no céu, mas evite as viagens ao passado, pois você pode ficar retido na estação errada. Escolha as lembranças que quer ter; não se deixe dominar por elas ou perderá o direito à escolha.

10. Diga a quem você ama que você realmente o ama, e diga isso em todas as oportunidades, através do olhar, do toque, das palavras, das ações diárias e do carinho. Seja feliz com seu próprio sentimento e não exija retribuição; você terá, de graça, o que o outro sentir; nada mais, nada menos.

 

 

(Autor desconhecido)
Comente aqui


CNBB repudia aborto de fetos com microencefalia

Nota da CNBB sobre ação no STF que inclui a questão do aborto

Consep aprovou mensagem em defesa da integridade da vidaO Conselho Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu nesta quarta-feira, 21 de setembro de 2016, Nota Oficial para manifestar a posição do episcopado com relação a Ação Direta de Inconstitucionalidade-ADI 5581 que tramita no Supremo Tribunal Federal-STF. Essa ADI questiona a lei 13.301/2016 que trata da adoção de medidas de vigilância em saúde, relativas ao vírus da dengue, chikungunya e zika.Os bispos concordam que é urgente “que o Governo implemente políticas públicas para enfrentar efetivamente o vírus da zika, como, por exemplo, um eficiente diagnóstico e acompanhamento na rede pública de saúde”. No entanto, consideram estranho e indigno que se introduza nesse contexto da ADI a questão do aborto: “É uma incoerência que ela defenda os direitos da criança afetada pela síndrome congênita e, ao mesmo tempo, elimine seu direito de nascer”.

Intitulada “Em defesa da integridade da vida”, a Nota da CNBB destaca a posição tradicional da Igreja sobre o aborto e traz uma denúncia sobre os interesses de grupos que que se aproveitam para colocar a questão do aborto no contexto do debate da ADI: “Repudiamos o aborto e quaisquer iniciativas que atentam contra a vida, particularmente, as que se aproveitam das situações de fragilidade que atingem as famílias. São atitudes que utilizam os mais vulneráveis para colocar em prática interesses de grupos que mostram desprezo pela integridade da vida humana”.

Os membros do Conselho apontaram para o exemplo das paralimpíadas: “As paralimpíadas trouxeram uma lição a ser assimilada por todos. O sentimento humano que brota da realidade dos atletas paralímpicos, particularmente das crianças que participaram das cerimônias festivas, nasce da certeza de que a humanidade se revela ainda mais na fragilidade”.  E os bispos concluem pedindo para que as comunidades cristãs ofereçam acolhimento e apoio às vítimas da microcefalia: “Solidarizamo-nos com as famílias que convivem com a realidade da microcefalia e pedimos às nossas comunidades que lhes ofereçam acolhida e apoio”.

 

Leia a nota na íntegra:

 

NOTA DA CNBB EM DEFESA DA INTEGRIDADE DA VIDA

“ Escolhe, pois, a vida, para que vivas. ” (Dt 30,19b)

 

O Conselho Episcopal Pastoral – CONSEP, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, nos dias 20 e 21 de setembro de 2016, vem manifestar sua posição com relação a Ação Direta de Inconstitucionalidade-ADI 5581 que tramita no Supremo Tribunal Federal-STF. Essa ADI questiona a lei 13.301/2016 que trata da adoção de medidas de vigilância em saúde, relativas ao vírus da dengue, chikungunya e zika.

Urge, de fato, como pede a ADI, que o Governo implemente políticas públicas para enfrentar efetivamente o vírus da zika, como, por exemplo, um eficiente diagnóstico e acompanhamento na rede pública de saúde. Além disso, seja estendido por toda a vida o benefício para criança com microcefalia e não por apenas três anos, como estabelece o artigo 18 da lei 13.301/2016. Ao contrário do que prevê o parágrafo segundo desse artigo, o benefício seja concedido imediatamente ao nascimento da criança e não após a cessação do salário maternidade.

Causa-nos estranheza e indignação a introdução do aborto na ADI. É uma incoerência que ela defenda os direitos da criança afetada pela síndrome congênita e, ao mesmo tempo, elimine seu direito de nascer. Nenhuma deficiência, por mais grave que seja, diminui o valor e a dignidade da vida humana e justifica o aborto. “Merecem grande admiração as famílias que enfrentam com amor a difícil prova de um filho com deficiência. Elas dão à Igreja e à sociedade um precioso testemunho de fidelidade ao dom da vida” (Papa Francisco, Amoris Laetitia, 47).

Repudiamos o aborto e quaisquer iniciativas que atentam contra a vida, particularmente, as que se aproveitam das situações de fragilidade que atingem as famílias. São atitudes que utilizam os mais vulneráveis para colocar em prática interesses de grupos que mostram desprezo pela integridade da vida humana.

As paralimpíadas trouxeram uma lição a ser assimilada por todos. O sentimento humano que brota da realidade dos atletas paralímpicos, particularmente das crianças que participaram das cerimônias festivas, nasce da certeza de que a humanidade se revela ainda mais na fragilidade.

Solidarizamo-nos com as famílias que convivem com a realidade da microcefalia e pedimos às nossas comunidades que lhes ofereçam acolhida e apoio. Rogamos a proteção de Nossa Senhora, Mãe de Jesus, para todos os brasileiros e brasileiras.

 

Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

 

Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

 

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

Fonte: CNBB

/

Comente aqui


Tecnologia a favor da meditação

Como a tecnologia pode te ajudar a meditar

Smartphones têm a reputação de fazer o seu dia ainda mais estressante e distraído, mas você pode mudar isso

An elderly nun speaks on the phone

© Antoine Mekary / ALETEIA

Por Emily Gregor*

A maioria das pessoas está colada em suas telas brilhantes, grandes e pequenas, dia e noite. Na verdade, uma pesquisa feita pela Gallupem 2015 diz que a maioria dos usuários de smartphones verifica seus telefones pelo menos uma vez a cada hora e deixa seu celular próximo de sua cama enquanto dorme – zumbindo e piscando constantemente com e-mails de trabalho, anúncios, lembretes de reuniões, telefonemas e coisas para fazer. Estamos tão super-conectados que não nos importamos com o barulho perturbador e estressante. De acordo com um estudo feito em 2015 pelaFlashGap, 87% das pessoas admitiram não prestar atenção em uma conversa na vida real porque estavam olhando para o telefone.

Toda esta pesquisa levanta a mesma pergunta: como você pode ganhar paz de espírito e se concentrar totalmente no aqui e agora, quando seu cérebro está constantemente distraído no seu telefone?

Bem, um estudo surpreendente, conduzido por Yuan Wang, da Universidade de Alabama, pode indicar que o seu telefone também tem o potencial para ser uma ferramenta positiva (se usado da maneira correta). Em seu estudo, Wang discute principalmente como as mídias sociais e uso de smartphones podem levar ao envolvimento social positivo, sugerindo que se conectar poderia ajudar as pessoas a se envolver com os outros de uma maneira mais consciente e presente.

Para muitos de nós, viciados em smartphones, essa ideia parece paradoxal, mas talvez não seja totalmente impossível. Recentemente, mais e mais aplicativos de smartphones estão sendo desenvolvidos com o objetivo de aumentar aconsciência e atenção dos usuários, ao invés de tirá-las. Estasferramentas de meditação visam a ajudar os usuários a descontrair, relaxar e respirar profundamente através da meditação guiada, trilhas sonoras pacíficas e muito mais.

Em um dia agitado todos nós sabemos o quão difícil pode ser ter um momento de reflexão, mas esses aplicativos podem ajudá-lo. O smartphone está sempre com você, o que significa uma forma conveniente de meditação há apenas um clique de distância. Basta baixar um dos aplicativos abaixo.

  1. Calm

Gratuito, disponível no iTunes e Google Play

Este aplicativo possui sons que acalmam, combinados com uma voz misteriosa que o leva através de uma série de meditações profundas. O estado mental de meditação, neste caso, é conseguido através da concentração em relaxar todo o seu corpo fisicamente, e não apenas pensando em relaxar mentalmente. A ideia é que, quando seu corpo relaxa, sua mente irá segui-lo.

Perfeito para iniciantes em meditação, este aplicativo oferece um programa introdutório gratuito de sete dias, com programas adicionais disponíveis se você gostar (o que é provável). Quer mais? É fácil de encaixar na sua agenda agitada, porque a primeira sessão é de apenas três minutos de duração, mas ainda promete iniciar rapidamente o caminho para o realinhamento e relaxamento… assim você pode continuar com o resto do seu dia agitado.

  1. Headspace

Gratuito, disponível no iTunes e Google Play

Andy se tornará seu guru de relaxamento neste divertido, interativo app de meditação. Ele explica como a meditação funciona usando vídeos de animação rápidos antes de cada sessão começar. Então, você pode completar cada uma das 10 sessões gratuitas no seu próprio tempo. Uma vantagem deste aplicativo é que cada sessão é progressiva, permitindo a você se aprofundar no processo de meditação e, ao mesmo tempo, aprender sobre o que você está fazendo para o seu corpo e mente, e por isso é benéfico para você.

  1. Relax Melodies

Gratuito, disponível no iTunes e Google Play 

Às vezes, a solução mais simples também pode ser a melhor. A solução elegante que este aplicativo fornece é simplesmente terapia do som. As sessões não são guiadas e não há limite de tempo definido, tudo que você tem a fazer é escolher o tipo de música ou som que queira, variando de rios a chuva, ajustar o volume e estará tudo definido. Feche os olhos e respire fundo quando começar sua meditação. Se você tem medo de não ter autocontrole de apenas sentar-se em silêncio e ouvir, você pode ter mais sorte com um aplicativo que te ajude através das etapas de meditação (como os números um e dois acima), mas se você é um praticante experiente e só precisa de um sinal para libertar sua mente, este é o aplicativo para você.

  1. 5 Minute Meditation

Gratuito, disponível no iTunes e Google Play

Sob estresse? Baixe o 5 Minute Meditation. Adicionar uma meditação diária pode parecer assustador, mas este aplicativo facilita oferecendo 20 meditações super-rápidas (todas com menos de cinco minutos) que você pode fazer sempre que possível. Não importa quantas reuniões ou telefonemas você tenha em um dia, este aplicativo é tão fácil de ligar e relaxar, que você realmente não tem desculpa para não tentar.

*Emily Gregor é jornalista, designer, planejadora de eventos e viajante do mundo. É apaixonada por beleza e cuidados com a pele.
Fonte: Aleteia
Comente aqui


A realidade do Suícidio

Brasil: 32 suicídios por dia

9 em cada 10 casos de suicídio poderiam ser prevenidos. E isso também depende de você.

suicide

Chinnapong

Um problema de saúde pública que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas é o suicídio. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.

A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário a pessoa buscar ajuda e atenção de quem está à sua volta.

Já pensou em suicídio ou conhece alguém que corre este risco? Ligue 141.

Mas como buscar ajuda se sequer a pessoa sabe que ela pode ser ajudada e que o que ela passa naquele momento é mais comum do que se divulga? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou parente se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?

O primeiro passo é informar-se sobre a realidade do suicídio e sobre os mitos com relação ao tema.

O suicídio pode ser definido como um ato deliberado executado pelo próprio indivíduo, cuja intenção seja a morte, de forma consciente e intencional, mesmo que ambivalente, usando um meio que ele acredita ser letal.

Também fazem parte do que habitualmente chamamos de “comportamento suicida“: os pensamentos, os planos e a tentativa de suicídio.

Uma pequena proporção do comportamento suicida chega ao nosso conhecimento. Só no Brasil, 17% das pessoas já pensaram, em algum momento, em tirar a própria vida.

O suicídio é um fenômeno presente ao longo de toda a história da humanidade, em todas as culturas. É um comportamento com determinantes multifatoriais e resultado de uma complexa interação de fatores psicológicos e biológicos, inclusive genéticos, culturais e socioambientais.

Dessa forma, deve ser considerado como o desfecho de uma série de fatores que se acumulam na história do indivíduo, não podendo ser considerado de forma causal e simplista apenas a determinados acontecimentos pontuais da vida do sujeito. É a consequência final de um processo.

Mitos sobre o comportamento suicida

Erros e preconceitos vêm sendo historicamente repetidos, contribuindo para a formação de um estigma em torno da doença mental e do comportamento suicida. O estigma resulta de um processo em que pessoas são levadas a se sentirem envergonhadas, excluídas e discriminadas. O resumo a seguir ilustra os mitos sobre o comportamento suicida. O conhecimento pode contribuir para a desconstrução deste estigma em torno do comportamento suicida.

1. O suicídio é uma decisão individual, já que cada um tem pleno direito a exercitar o seu livre arbítrio. 

FALSO.

Os suicidas estão passando quase invariavelmente por uma doença mental que altera, de forma radical, a sua percepção da realidade e interfere em seu livre arbítrio. O tratamento eficaz da doença mental é o pilar mais importante da prevenção do suicídio. Após o tratamento da doença mental, o desejo de se matar desaparece.

2. Quando uma pessoa pensa em se suicidar, terá risco de suicídio para o resto da vida. 

FALSO.

O risco de suicídio pode ser eficazmente tratado e, após isso, a pessoa não estará mais em risco.

3. As pessoas que ameaçam se matar não farão isso, querem apenas chamar a atenção. 

FALSO.

A maioria dos suicidas fala ou dá sinais sobre suas ideias de morte. Boa parte dos suicidas expressou, em dias ou semanas anteriores, frequentemente aos profissionais de saúde, seu desejo de se matar.

4. Se uma pessoa que se sentia deprimida e pensava em suicidar-se, em um momento seguinte passa a se sentir melhor, normalmente significa que o problema já passou. 

FALSO.

Se alguém que pensava em suicidar-se e, de repente, parece tranquilo, aliviado, não significa que o problema já passou.  Uma pessoa que decidiu suicidar-se pode sentir-se “melhor” ou sentir-se aliviado simplesmente por ter tomado a decisão de se matar.

5. Quando um indivíduo mostra sinais de melhora ou sobrevive à uma tentativa de suicídio, está fora de perigo. 

FALSO.

Um dos períodos mais perigosos é quando se está melhorando da crise que motivou a tentativa, ou quando a pessoa ainda está no hospital, na sequência de uma tentativa. A semana que se segue à alta do hospital é um período durante o qual a pessoa está particularmente fragilizada. Como um preditor do comportamento futuro é o comportamento passado, a pessoa suicida muitas vezes continua em alto risco.

6. Não devemos falar sobre suicídio, pois isso pode aumentar o risco. 

FALSO.

Falar sobre suicídio não aumenta o risco. Muito pelo contrário, falar com alguém sobre o assunto pode aliviar a angústia e a tensão que esses pensamentos trazem.

7. É proibido que a mídia aborde o tema suicídio. 

FALSO.

A mídia tem obrigação social de tratar desse importante assunto de saúde pública e abordar esse tema de forma adequada. Isto não aumenta o risco de uma pessoa se matar; ao contrário, é fundamental dar informações à população sobre o problema, onde buscar ajuda etc.

Os números do suicídio

A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, e a cada três segundos uma pessoa atenta contra a própria vida. As taxas de suicídio vêm aumentando globalmente. Estima-se que até 2020 poderá ocorrer um incremento de 50% na incidência anual de mortes por suicídio em todo o mundo, sendo que o número de vidas perdidas desta forma, a cada ano, ultrapassa o número de mortes decorrentes de homicídio e guerra combinados. Além disso, cada suicídio tem um sério impacto na vida de pelo menos outras seis pessoas.

No Brasil

O Brasil é o oitavo país em número absoluto de suicídios. Em 2012 foram registradas 11.821 mortes, cerca de 30 por dia, sendo 9.198 homens e 2.623 mulheres. Entre 2000 e 2012, houve um aumento de 10,4% na quantidade de mortes, sendo observado um aumento de mais de 30% em jovens. Os números brasileiros devem, entretanto, ser analisados com cautela.

Em primeiro lugar porque pode haver uma subnotificação do número de suicídios, em segundo lugar porque há uma grande variabilidade regional nas taxas.

Fatores de risco

Os dois principais fatores de risco são:

1. Tentativa prévia de suicídio

É o fator preditivo isolado mais importante. Pacientes que tentaram suicídio previamente têm de cinco a seis vezes mais chances de tentar suicídio novamente. Estima-se que 50% daqueles que se suicidaram já haviam tentado previamente.

2. Doença mental

Sabemos que quase todos os suicidas tinham uma doença mental, muitas vezes não diagnosticada, frequentemente não tratada ou não tratada de forma adequada. Os transtornos psiquiátricos mais comuns incluem depressão, transtorno bipolar, alcoolismo e abuso/dependência de outras drogas e transtornos de personalidade e esquizofrenia. Pacientes com múltiplas comorbidades psiquiátricas têm um risco aumentado, ou seja, quanto mais diagnósticos, maior o risco.

O manual sobre o suicídio foi especialmente elaborado para os profissionais de saúde, mas há informações úteis para toda a sociedade. Para ler a versão completa, clique aqui.

 

 

Fontes: Setembro Amarelo e Associação Brasileira de Psiquiatria
Comente aqui


Trabalho em casa

20 ideias de trabalho em casa

Seja você casada, solteira, com ou sem filhos, todas essas 20 profissões podem ser usadas para trabalhar no conforto do lar. Seja seu próprio chefe.

Muita gente sonha em trabalhar no conforto do seu lar, o que traz muitas vantagens como fazer o próprio horário, ficar perto dos filhos, economizar com transporte, roupas e outros gastos. Alguns cuidados também são necessários como disciplina e organização e, acima de tudo, espírito de iniciativa.

* Decida o que você quer fazer.
* Liste as coisas que gosta de fazer ou tem experiência.
* Defina quanto tempo tem disponível para desenvolver a atividade.
* Aprender o básico em informática é imprescindível nos dias de hoje. Procure uma escola de computação registrada e séria que ofereça cursos rápidos sobre como navegar na internet. Algumas oferecem cursos de online commerce e ensinam como fazer a divulgação do produto ou marca, seja nas redes sociais ou usando outras ferramentas, bem como criar uma extensa network, que facilitará o desenvolvimento de seu negócio. Talvez você desenvolva uma tarefa que não precise sequer usar o computador, mas é bom entender de recibos, contratos, orçamentos, contabilidade para organizar e tocar seu negócio de forma que saiba se virar quando precisar.
* Ter um espaço de trabalho em casa é obrigatório, seja um escritório, um quarto, uma mesa, um pequeno estoque com prateleira, enfim, um canto onde possa se concentrar e que consiga manter organizado. Neste artigo demos algumas ideias sobre como organizar seu escritório em casa.
* Consultar órgãos públicos sobre os trâmites legais de como abrir um negócio em casa, as licenças que você precisará tirar, os impostos a pagar, notas fiscais a emitir. A melhor coisa é fazer tudo certo, e começar direito para não ter dor de cabeça no futuro.

Veja abaixo 20 ideias de trabalho que podem ser feitos a partir de casa, dependendo dos talentos e experiência de cada um:

1. Marketing e Propaganda

Muitos blogueiros ganham dinheiro colocando anúncios em seus blogs e desenvolvendo uma atividade e atraindo consumidores para algumas marcas. Pode ser através do Google Adsense ou construindo seus próprios pacotes, onde se faz um contrato com aqueles que querem anunciar.

2. Artistas

Se você é bom em pintar, desenhar ou esculpir, use seus talentos criativos para ganhar dinheiro em casa, seja através do Mercado Livre, eBay, Etsy, ou fazendo sua própria clientela. De repente você pode ir atrás de editoras também que precisem dos seus talentos para ilustração de livros infantis ou outros.

3. Loja online

Se você faz artesanato, cria algo a partir de algum material, representa ou revende produtos, você pode criar um site ou blog para revender, além de oferecer aos parentes e conhecidos. Algumas ideias são bijouterias, roupas e peças de tricô, crochê, bordados, costura e consertos, roupas importadas, chinelos decorados, bolos, doces, cestas de café da manhã, etc.

Uma profissão que precisa estudar para entender os programas de produção gráfica, meios de comunicação, marketing semiótica, tipografia. Um designer gráfico pode trabalhar em várias áreas montando logotipos, marcas, livros, revistas, folhetos, catálogos, jornais, embalagens, websites, softwares, jogos, eventos, anúncios, enfim, uma boa profissão que vem crescendo a cada dia.

5. Autor e escritor

Se você ama escrever e/ou escreve bem, tem vários sites na internet que pagam pelo seu trabalho freelance. As oportunidades são bem abrangentes desde sites técnicos a revistas online. Você também pode desenvolver essa atividade paralela escrevendo blogs, sites, livros, e procurando uma editora para publicação e divulgar o seu trabalho.

6. Consultor

Se você tem experiência em uma determinada área e pode trabalhar como consultor para uma pessoa física ou mesmo uma empresa, pode oferecer seus serviços online. Conheço consultores em administração, culinária, informática, finanças, e muitos outros.

7. Secretária ou assistente virtual

Já temos várias no Brasil e mesmo empresas que estão surgindo onde terceirizam profissionais para companhias pequenas e grandes, profissionais liberais, suporte administrativo e que prestam serviços de controle de agenda, contabilidade, compromissos, reuniões, call center, e mesmo motoboy, compras, garçom para festas corporativas e eventos diversos.

8. Decorador de festas

Existem muitos decoradores de festas infantis, casamentos, confraternizações, festas de família, etc. Eles cuidam da decoração, desde arranjos de flores a etiqueta das mesas, e muitas vezes são associados a bufês e outros profissionais que podem prestar serviço completo para festas diversas.

9. Bufê (bolos, salgados e docinhos para festas)

Se você ama fazer bolos você pode se especializar em decoração de bolos. Existem cursos e você pode tornar a sua paixão em uma profissão rentável, bem como desenvolver o feitio de salgadinhos e docinhos para festas diversas.

10. Babá / Escolinha infantil

Você pode providenciar cuidados para crianças menores como babá profissional em casa. Aprenda primeiros socorros, providenciar uma área própria e segura para crianças, e verifique a legislação específica sobre o que você precisa para desenvolver essa tarefa em casa.

11. Professor particular/ tutor/tradutor

Você pode, por exemplo, trabalhar como tradutor, professor particular, ajudando crianças e adolescentes a obter entendimento e sucesso escolar e também com escritórios e consulados traduzindo documentos. Você pode ensinar matérias escolares e também esportes como basquete, natação, futebol, música, línguas, etc.

12. Editor/revisor de textos

Para pessoas que têm facilidade em notar detalhes e possuem formação na área. Você precisa estar em dia com as atualizações de ortografia e começar a oferecer seus serviços a editoras, websites, autores.

13. Coordenador de eventos

Você pode ajudar a promover um casamento, aniversário, festas, confraternizações, fazer parceria com decoradores, floristas, boleiras, grupos musicais e providenciar serviços completos para festas em geral.

14. Cabeleireira/ esteticista/ manicure

Esse pode soar comum, mas há bastante campo e está crescendo a cada dia a procura de pessoas que atendam a domicílio ou mesmo em casa com essas atividades.

15. Limpeza e organização

Hoje em dia a maioria das pessoas já não conta com as antigas “empregadas domésticas”, e é crescente o estabelecimento de empresas de limpeza e profissionais em organização, onde você pode contratar para um projeto, organização de uma área.

16. Fotografia

Muitos são os campos como casamentos, fotos de família, aniversários, eventos diversos.

17. Personal Trainer/coach

Assistir outras pessoas a conseguirem alcançar seus ideais de saúde e fitness pode render bons resultados.

18. Costureira

Aprender a costurar e trabalhar com empresas fazendo peças em casa e ganhando por peça pode ser uma boa atividade, e também desenvolver uma linha de roupas e peças originais. Se você estudar moda e criar sua própria marca, pode crescer bastante.

19. Entrega expressa

Serviços de entrega podem fazer a diferença para qualquer negócio, e também para pessoas físicas, seja usando moto ou carro.

20. Cuidar de idosos

Os mais modernos acompanhantes tem curso de auxiliar de enfermagem e visitam vários idosos por dia para supervisionar sua alimentação e medicação e orientá-los em suas próprias casas.

E muitas outras ideias. O trabalho em casa não é fácil, e exige determinação e esforço.

O segredo do trabalho em casa exige duas atitudes indispensáveis:

1. Trabalho árduo

É como assar um bolo. Há diversas receitas, umas melhores que outras. Diversos ingredientes, uns caros e extravagantes e outros baratos. Algumas pessoas ficam pesquisando por um longo tempo quais as melhores formas de fazer o bolo. Mas enquanto não misturam os ingredientes e os assam, não terão o produto final para vender. Ou seja, planejar é importante, mas o que fará seu negócio em casa obter sucesso é colocar as mãos na massa e trabalhar.

Quando você quer arranjar um emprego, você envia um currículo, prepara-se para a entrevista e mostra serviço depois de contratado. Para trabalhar em casa, você consegue uma licença, distribui cartões de visita, faz parcerias montando sua network e coloca as mãos na massa, assa o bolo, e tem que fazer a coisa funcionar trabalhando com afinco.

2. Amar o que se faz

Quando você ama o que faz, sua experiência e especialidade crescem e você tem mais facilidade em fazer o trabalho. Confúcio já dizia: “Trabalhe em algo que você realmente goste, e você nunca precisará trabalhar na vida”.Se agir dessa forma, com certeza o sucesso virá.

Fonte: Familia.com

 

1 Comentário


Escutemos os profetas

EVANGELHO Lc 16,19-31
26º DOMINGO COMUM – ANO C


Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus: 19“Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e fazia festas esplêndidas todos os dias. 

20Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão, à porta do rico. 21Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico. E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas.

22Quando o pobre morreu, os anjos levaram-no para junto de Abraão. Morreu também o rico e foi enterrado.

23Na região dos mortos, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão, com Lázaro ao seu lado.Resultado de imagem para lazaro e rico

24Então gritou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas’.

25Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. 26E, além disso, há um grande abismo entre nós; por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós’.

27O rico insistiu: ‘Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai, 28porque eu tenho cinco irmãos. Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento’.

29Mas Abraão respondeu: ‘Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!’

30O rico insistiu: ‘Não, Pai Abraão, mas se um dos mortos for até eles, certamente vão se converter’.

31Mas Abraão lhe disse: ‘Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas, eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos’”.

ORAÇÃO PARA O 26º DOMINGO TEMPO COMUM

 

Amado e bondoso Deus, és justo e misericordioso. Tua providência e justiça jamais falham na minha vida. Sei e experimento, contemplo e sinto que sou muito amado por Ti. Não permite que Teus filhos queridos padecem dos males desse mundo, das injustiças, fraudes e manipulações do mundo. Me vejo alcançado por Ti, quando levanta homens e mulheres, Teus profetas, para defender e promover os mais fracos, vítimas das exclusões e desníveis sociais gerados pelo mal uso das riquezas e dos bens. És Pai, que cuida e não deixa ninguém perecer. Louvado seja, meu Deus, Protetor e Guardador.  Eu quero a Tua presença, meu Pai, espero que a Tua salvação se realize na minha vida. Levanta Teus profetas que nos conduza, leve a Ti. Aleluia.

Minha fé em Ti, Jesus, é uma graça e benção em vida. Como é maravilhoso ouvir e seguir Tua Palavra. Meu encontro de fé Contigo, Oh Jesus, mudou meu viver, melhorou minha Vida. Por Ti me vem toda a paz, tenho tudo que preciso. Eu confio em Ti, espero em Ti. Suplico que me ajude a conservar e guardar tudo que de Ti Tenho recebido, a ser vigilante e empenhado na prática da fé, com um belo e profundo, simples e honesto testemunho. Pela Tua graça e poder, torna-me uma pessoa melhor, com coração mais amoroso, misericordioso, desapegado, humilde e solidário. Eu desejo usar das riquezas e bens que Deus me dá para distribuí-los abundantemente aos pobres, Senhor Jesus. Eles são meus irmãos, Teus amados queridos. Faz que minha fé tenha impacto moral na sociedade, na vida política, social, cultural e econômica. Senhor, permita-me que meu seguimento de Ti seja luz, ajude a abrir outros olhos para Te contemplarem também.  

Nosso mundo, Jesus, nossa sociedade está muito doente, precisa ser curada e libertada do egoísmo, da ilusão dos bens materiais. Envia-me Teu Espírito, fortalece minha fé e a de todos que creem e esperam em Ti. Creio que transformarem as relações sociais egoístas e excludentes, de exploração e acúmulo, pela fé, pelo amor, pela prática da caridade. Ensina-me a confiar mais no Teu amor e providência. Dá-me um novo entendimento e unção do Teu Espírito, para que eu me torne, pela prática da caridade com profusão, testemunha profética da Tua presença no mundo, do Teu caminho de vida e salvação. Que eu seja justo com meus irmãos, livre, para que a Tua ressurreição tenha força de conversão neste mundo tão cheio de dor e sofrimento, desesperançado. Pelo Teu Espírito Santo, enche-me de nova promessa da fé, da ressurreição de Cristo, que renova tudo, muda, transforma, tudo. Torna-me Teu Profeta, Senhor, contra toda ordem injusta. Amém.

 Virgem Santíssima, mãe de Jesus e nossa, de todos os filhos diletos de Deus, os pobres. Pobre como os pobres, oh mãe querida, pedimos a sua intercessão pela nossa vida fraternidade e de caridade entre nós. Inspire-nos ações e atividades que nos façam experimentar a força transformadora do Palavra de Deus.  Que possamos aliviar pela graça da fé a dor e o sofrimento de tantos irmãos que padecem com as desordens morais e sociais entre as pessoas pela posse de bens. Desejamos o céu, miramos o paraíso, que vivamos de tal modo neste mundo, em paz e harmonia, em caridade com todos, para que a vida eterna seja alcançada por nós. Nossa Senhora, ajude-nos a não sermos passivos, conformistas, preconceituosos, diante da pobreza que mata e violenta muitos de teus filhos, os mais frágeis e pequenos.  Dá-nos cantar também pela esperança e empenho profético de nossa fé, como tu fizeste, o teu Magnificat, quando Deus realizará o novo nas relações humanas, onde não haverá mais injustiças entre nós. Ave-Maria….

Comente aqui


Não fique sem dormir

7 consequências da falta de sono para nosso organismo

Nos dias de hoje, não é fácil ter uma boa noite de sono. O acúmulo de tarefas e as várias funções que as pessoas exercem ao mesmo tempo levam ao estresse, insônia e outros distúrbios do sono, que podem causar problemas sérios para o corpo.

O cérebro se comporta de formas diferentes de acordo com o estágio do sono. A princípio, o organismo passa por cinco fases, sendo a última delas o sono R.E.M. (sigla para ‘Rapid Eve Movement’, ou movimento rápido dos olhos), que é quando sonhamos.

Nas primeiras horas, o metabolismo se recupera da exaustão daquele dia, mas o desenvolvimento cerebral só ocorre nas etapas mais profundas. Ou seja, dormir pouco significa pular esse estágio, pois o organismo não tem tempo para relaxar como se deve.

#1 Perda de memórias. A fixação de memórias em nosso cérebro ocorre durante o sono R.E.M., ou seja, a fase mais profunda de relaxamento do corpo. Caso a pessoa tenha menos horas de sono, ela não vai atingir esse estágio, e a chance de não guardar algumas lembranças aumenta.

#2 Perda de imunidade. Quem dorme pouco está mais propenso a pegar doenças, pois a imunidade do organismo diminui. Um estudo da Universidade de Chicago (EUA) comprovou que os leucócitos, células de proteção do corpo, são produzidos durante o sono, e a quantidade diminui em quem dorme menos que oito horas por noite.

#3 Envelhecimento precoce. Os hormônios que conservam a saúde da nossa pele, como a melatonina e o hormônio do crescimento, também são produzidos durante o sono, cuja falta acaba causando olheiras e rugas.

#4 Alteração na pressão arterial. A falta de sono age como um pico de estresse no organismo, que libera maior quantidade de adrenalina e, consequentemente, a pressão sanguínea durante a noite. Com o passar do tempo, é possível desenvolver hipertensão.

#6 Descontrole emocional. Também provocado pelo estresse, o excesso de impulsividade bagunça nosso aspecto psicológico, prejudicando o processo de comunicação e socialização.

#7 Alteração da insulina. A falta de sono provoca maior resistência à insulina, necessária em portadores de diabetes para sintetizar o açúcar do organismo. Segundo um estudo da Northwestern University (EUA), os portadores de diabetes que dormem pouco desenvolvem 82% mais resistência ao hormônio, e a chance de desenvolver a diabetes tipo 2 aumenta em quem não possui a doença.

Fonte: Vix
Comente aqui