Mês: fevereiro 2017



Carnaval e felicidade

Por que ser feliz apenas no carnaval?

Carnaval: tempo de diversão, de folia, e para muitos, dias de extravasar e de colocar todas suas energias nestes 4 ou 5 dias de comemorações. Muitos preparam-se o ano todo para o Carnaval. Roupas, viagens, blocos carnavalescos e todo o aparato do marketing que leva o consumo para esta época do ano.

É uma festa tradicional, que movimenta milhões em recursos para a economia do Brasil. Para tantos outros, tempo apenas para descansar e de buscar totalmente o contrário do que muitos desejam: a tranquilidade.

Vivemos um tempo onde tudo sugere uma urgência e uma necessidade de exposição e intensidade. As redes sociais estão aí e como uma vitrine, expõe tudo e todos que nela se colocam, ou mesmo aqueles que não se colocaram e são alvos daqueles que tudo fotografam ou filmam.

A reflexão para este tempo é: será que a felicidade só mora nestes 5 dias do ano? Será que ao final de tanta intensidade e entrega, você se sente completo, ou acaba estes dias com a sensação de ter exagerado na dose? Claro que a liberdade e a capacidade de reflexão pertence a cada um. Porém, é importante pensar quais são as consequências no pós-carnaval.

As fantasias assumidas nesta época podem envolver as pessoas com o evento. É como se fosse um tempo de liberdade e de rituais como forma encontrada pela sociedade de esquecer o mundo real e fixar-se num local onde a imaginação impera. É como se uma necessidade seja imposta e mergulhada nas brincadeiras, na sensualidade, no prazer, e num estado de alegria.

Mas, por estarmos em sociedade, um dos aspectos a serem avaliados é a pressão que se faz sobre aqueles que não gostam destas comemorações e para eles é sugerido que precisem estar ali, felizes e foliões, com máscaras ou vestimentas típicas, bebendo muito ou fazendo tudo o que é possível em 5 dias.

A atenção que se deve dar então é: por que agir assim? Por que preciso ir ao encontro do que a massa quer e me envolver indiscriminadamente com Carnaval? Se pudéssemos olhar a fundo o que a festa representa, ela vai muito além dos 5 dias de folia.

Comportamentos tipicamente privados, são expressos através das fantasias, máscaras e festa. Aquilo que é vergonhoso, que nos causa medo ou desconforto, pelo contexto, e pela situação, é favorecido no Carnaval.

Vale uma reflexão para que aquilo que é momentâneo não provoque depois o sofrimento e o arrependimento. Para que estejamos atentos àquilo que não condiz com o que somos ou ainda possa ser uma pressão desnecessária do grupo sobre o nosso comportamento. Não deixe de ser quem você é para ser conduzido pela “levada do bloco”.

Elaine Ribeiroé psicóloga clínica e organizacional da Fundação João Paulo II / Canção Nova.
Fonte: Catholicus

 

3 Comentários


Quando os filhos começam a namorar…

O que fazer quando um filho adolescente quer começar a namorar

Uma conversa sincera sobre o assunto precisa envolver temas como sexualidade e os valores morais cultivados pela família

O que fazer quando um filho adolescente quer começar a namorar

CREATISTA

E aquele momento, que parecia tão distante, chegou. Quando os filhos se apaixonam e querem namorar, muitos pais não sabem como agir. Considerado um momento delicado, pode mexer com todos na família, mas precisa ser encarado de frente e pode ser uma experiência tranquila, se o diálogo e o respeito estiverem acima de outros sentimentos e atitudes. Mas, existe um momento certo para o namoro acontecer?

Para a psicóloga Cintia Becker, os pais sempre acharão que é cedo demais. “Independentemente disso o importante é observar a maturidade do adolescente, quais suas motivações, interesses e expectativas ao buscar um relacionamento.  A abertura dos pais ao diálogo é fundamental para auxiliar o filho nesta reflexão, para que ele se sinta seguro e apoiado para decidir quando é o momento certo”, afirma Cintia. Ela explica que a iniciação amorosa marca uma fase na qual o filho demonstra outros vínculos e interesses afetivos além dos que possui pelos pais, se afasta da vida infantil e caminha para a vida adulta.

Além do estímulo às conversas e a abertura para que os filhos compartilhem sentimentos, é importante os pais tratarem de questões práticas que fazem parte de um relacionamento como sexo, gravidez e doenças sexualmente transmissíveis. Uma boa forma de abordar esse assunto é questionar o quanto o jovem conhece sobre cada tema e se há alguma dúvida.

Nessa conversa, não se pode esquecer dos limites no relacionamento, próprios de cada idade ou estado de vida, e dos valores morais ensinados pela família e aos quais se deve ser fiel. Vale também lembrar que, para um adolescente, essa experiência é totalmente nova, com situações desconhecidas, cheia de inseguranças, expectativas e medos. Neste cenário os pais são a referência mais próxima que um filho pode ter de segurança e guia para enfrentar este caminho.

Confie em você

Passadas as preocupações iniciais, os pais devem encarar a nova fase como algo natural ao crescimento e amadurecimento dos filhos e até como uma nova fase do seu relacionamento com eles, pois a medida que crescem, seus interesses vão mudando e a forma de se relacionarem com o mundo e com os pais também.

Por isso é tão importante construir uma relação desde a infância. “Uma criança com limites bem definidos torna-se uma pessoa segura de si e dos seus pais, pois os têm como referência. Logo, na adolescência, por mais que se revoltem com a falta de autonomia, acatam a autoridade paterna, baseada na relação de amor e confiança anteriormente construída”, avalia Cintia que faz uma recomendação: “lembre-se que construir uma relação é algo que leva tempo, exige planejamento e atos concretos para execução. Para que neste momento especifico da vida do adolescente os pais sejam ouvidos e respeitados dentro de suas considerações, é necessário que ao longo do relacionamento esta autoridade tenha sido construída com base no diálogo, trocas e regras bem definidas.”

 

 

Fonte: Sempre Família
Comente aqui


Confiar na Providência Divina

EVANGELHO: Mt 6,24-34

8ºDOMINGO TEMPO COMUM – ANO A

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 24“Ninguém pode servir a dois senhores; pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.Resultado de imagem para CONFIAR NA PROVIDENCIA DIVINA

25Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com o vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal, a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa? Resultado de imagem para CONFIAR NA PROVIDENCIA DIVINA

26Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros? 27Quem de vós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso?

28E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. 29Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé?

31Portanto, não vos preocupeis, dizendo: ‘O que vamos comer? O que vamos beber? Como vamos nos vestir? 32Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso.

33Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo.

34Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia bastam seus próprios problemas”.

ORAÇÃO PARA O 8º DOMINGO TEMPO COMUM

 Como é infinito, oh Deus, Teu amor por nós. Tu, meu Pai, amas sem medidas e reservas. Jamais esquece das Tuas promessas de graça e salvação feitas a todo aquele que crê em Ti, acolhe Tua Palavra. Sim meu Deus, eu Te louvo neste momento pelo amor com o qual tens me salvado, guiado, protegido, dado Vida à minha vida. Teu amor é gratuito, obrigado meu Deus. É tanto amor que se torna necessariamente perdão de tudo, especialmente das minhas infidelidades. Meu Deus, grande és Tu, rico em misericórdia. Louvado sejas Tu, meu Pai do Céu, que não se cansa de me amar e me salvar todos os dias da minha vida, pela ação poderosa da Tua providência. Tu és a rocha da minha fé e salvação. Amém.

Diante da Tua Palavra de hoje, meu amado Jesus, meu coração se enche de fé e esperança. Mostra-nos como Deus quer que vivamos o amor que recebemos tão generosamente, o perdão que nos alcança todos os dias. Peço-Te a graça de confiar sempre no amor de Deus, mesmo nos tempos de provações e tentações. Desejo seguir-Te com toda a minha fé e esperança no Teu amor e no Teu poder. Jesus Cristo, ajude-me a ser fiel cada dia mais ao Teu Reino, que eu possa fazer as decisões radicais na minha vida para estar sempre Contigo, guardar Teu amor, testemunhar com muita alegria e força as bênçãos e maravilhas de Deus na minha história de fé. Dá-me, oh Jesus, uma liberdade interior madura e sadia, para me livrar de toda idolatria, do culto ao dinheiro.

Senhor Jesus, envia-me novamente uma nova unção do Espírito Santo, para curar meu coração, sarar todas feridas, restaurar minha fé. Vem sobre mim Espírito Santo, vem com todo o Teu poder força, graça e ternura, vem renovar minha vida, minha história, meu ser. Clamo com toda força da minha boca que sejam desfeitas todas as divisões, medos, incertezas, inseguranças deste mundo, que ainda me confundem e me impedem de crer e esperar com confiança na Providência de Deus. Equilibra, eu Te peço, Espírito Santo, minha meus afetos e desejos, tira de mim toda sentimento de ansiedade, correria, que ofuscam o olhar e o sentir da Fé na Fidelidade do Pai, que não deixa nada faltar nem perecer os filhos Seus. Vem me libertar de toda ilusão da riqueza e poder deste mundo, da pecado da hipocrisia, da divisão entre as coisas da terra e das realidades do Céu. Eu quero amar com o coração indiviso, servir com todo meu ser, ao Senhor Deus, meu Deus e Pai. Vem, vem, vem oh doce Espírito Santo, renova a minha fidelidade a Deus.

Tua fidelidade a Deus nos inspira, oh Virgem Santíssima. Foste fiel ao Projeto de Salvação que o Pai tinha e tem para toda a humanidade. Teu sim ecoa firme, sereno, em todos os tempos e lugares e hoje atinge a mim também, porque posso crer e confiar em Jesus, meu Salvador. Horando seja o teu nome, oh mãe amada. Rogo-te que me ensines também a viver e experimentar a fidelidade imutável, a Verdade da Palavra e firmeza das promessas que o Pai tem para todos nós.  Maria, ajude-me a confiar sempre que Deus vela sobre o mundo. Que eu possa, por tua intercessão, oh minha mãe, fazer tudo que está ao meu alcance para gerar riqueza, progresso, desenvolvimento cultural, social e econômico, como se tudo dependesse só das minhas forças e meios. Mãe do Céu, peço também o equilíbrio de crer, esperar e confiar totalmente na providência de Deus, como se tudo dependesse somente Deus. Afasta de mim, Nossa Senhora da Providencia, a tentação de esperar passivamente em Deus, desprezando os bens materiais. Dá-me o graça de edificar com meu trabalho o Reino Deus, de colaborar com Deus na história da Salvação, tornando a humanidade mais justa e fraterna, solidária e santa, como tu fizeste.  Amém. Amém. Salve-rainha…

2 Comentários


Trabalho e estresse

Esgotamento no trabalho: como gostar do seu trabalho novamente

Cerca de 40% dos trabalhadores americanos dizem que estão estressados. Veja o que você pode fazer sobre isso

Esgotamento no trabalho: como gostar do seu trabalho novamente

focuslight

Marta completou 40 anos recentemente e, no seu aniversário, ela deixou o emprego. “Foi a melhor coisa que eu fiz na minha vida”, diz ela. Ela estudou economia, tem um MBA, e trabalhou na gestão de uma loja de eletrodomésticos. Por muitos anos ela apreciou seu trabalho, com um salário bom e desenvolvimento de carreira. Ela enfrentou desafios em sua mente e sempre venceu. Há alguns anos, por causa de uma reestruturação, tudo mudou. “Primeiro meu chefe mudou, então meus deveres mudaram. Todas as decisões foram tomadas pelo escritório central, e recebi objetivos irrealistas sem qualquer contribuição da minha parte”, disse ela. Ela ressalva que, enquanto ela se deu bem com seu chefe, ela estava chateada com sua falta de confiança, falta de habilidades e competência geral para liderar sua divisão.

Primeiro ela teve insônia, depois perdeu a confiança. “Comecei a duvidar de minhas habilidades e tomar decisões eram estressantes e difíceis, mesmo que nunca tivesse sido um problema no passado”. Ela tinha medo de atender o telefone no trabalho. “Um simples telefonema de um empregado dizendo que estava doente fazia minhas mãos tremerem. Eu chorei e pensei que não poderia lidar com isso. E foi um problema muito pequeno”, diz ela. Depois de um ano com estresse, Marta deixou seu emprego.

Para Martyna, levou um ano também. “Foi meu primeiro emprego depois da formatura, e eu não percebi que algo estava errado até que eu fui parar em um hospital”, diz ela. “Os sintomas apareciam todos os domingos, dores no peito como se alguém tivesse colocado uma espada em meu coração e pulmões. Doía até segunda-feira”, diz ela. “Melhorava quando estava ocupada com o trabalho, até domingo, quando começava de novo”. Um dia, a dor foi tão intensa que Martyna foi para a sala de emergência. Os testes revelaram que ela tinha pressão arterial muito alta, mas todos os outros resultados deram normais. Ela recebeu medicação para dor e passou a noite no hospital. A dor desapareceu. “Ninguém descobriu o que causou a dor, apenas uma conversa com um psiquiatra me fez perceber a causa, eu estava estressada e poderia ser devido ao esgotamento”. Os médicos decidiram mantê-la no hospital. “Pela manhã liguei para meu chefe e disse-lhe que não iria trabalhar porque estava no hospital. Ele me ouviu, mas mais tarde ligou de volta perguntando se eu poderia fugir por algumas horas porque ele precisava de algumas faturas enviadas. Eu disse que realmente não poderia porque estava com medicamentos na veia”.

Total desperdício de energia

Poucos anos depois de abandonar seus empregos, Marta e Martyna descobriram exatamente o que tinha causado seus sintomas – esgotamento. Nos EUA, cerca de 40 por cento dos trabalhadores queixam-se de condições de estresse no trabalho, com várias consequências. Eles podem ser bastante variados, começando com os físicos: dores de cabeça, distúrbios do sono e picos de pressão arterial, bem como os psicológicos como depressão, sentindo-se desamparado e desencorajado, e baixa autoestima. Um empregado frequentemente esgotado falta mais ao trabalho, é menos eficiente e tem conflitos tanto no trabalho como em casa. “Minha má condição, inicialmente causada pelo trabalho, depois de um tempo teve um impacto destrutivo na minha vida privada também”, lembra Marta. “Eu levava minhas frustrações para a família e amigos. Eu estava nervosa, tinha conflitos com minha família. Nos últimos meses antes de eu parar, eu não desfrutava de nada. Mesmo durante as férias, eu estava sempre estressando, achando que algo aconteceria durante minha ausência”, acrescenta.

Agnieszka Karłowicz, mãe de quatro, conhece esses sentimentos. Ela experimentou várias vezes por mais de 15 anos de trabalho em posições corporativas de alto nível. “Eu queria deixar a empresa e encontrar um emprego onde me sentisse mais significativa. Apesar das crianças e da dívida, eu decidi ir embora. Tornei-me diretora do departamento de estratégia e serviços aos investidores da cidade. Eu durei 30 dias. É inacreditável o quão terrivelmente esgotante é o setor financeiro”, diz ela. Ela atualmente está trabalhando para uma organização de advocacia para ajudar a reduzir o esgotamento profissional e sente que seu trabalho agora tem finalidade. Em sua opinião, esgotamento profissional é um sentimento de desprezo e abuso da energia do empregado.

Como um hamster em uma roda

Pode parecer que mais mulheres do que homens experimentam o esgotamento profissional, mas isso pode ser porque as mulheres não têm medo de falar sobre isso. “As mulheres sofrem mais porque estão inclinadas a encontrar sentido na sua vida, e isso inclui as suas carreiras”, enfatiza Karłowicz. Sophie, trabalhando para uma empresa que ela sente como se fosse “para sempre”, reflete perfeitamente sobre essa situação: “Minha versão do esgotamento é o doloroso conhecimento de como é inútil, desnecessário e vazio meu trabalho. Parece estúpido ser obrigado a ir todos os dias para o escritório, para que eu possa fingir que estou fazendo algo importante e algo significativo. E não tem nenhum significado”, diz ela. “Saber que trabalhar duro não ajuda a melhorar o mundo ou a melhorar você. Os resultados parecem tão intangíveis…”, afirma. Ela é muito infeliz, mas não tem força para deixar seu trabalho. “Eu tenho um emprego, uma hipoteca, crianças. Uma depressão maior virá quando eu deixar tudo o que eu odeio por nada mais”, ela explica. Sophie salienta que nem sempre foi assim. “Houve um tempo em que pensei estar salvando o mundo e estar fazendo grandes coisas”, ela diz. “O primeiro sinal de que algo não estava certo foi ficar acordada à noite. Quando eu gostava do meu trabalho, ia para a cama cedo, para que eu pudesse dormir o suficiente e estar mentalmente afiada para os desafios do dia seguinte. Hoje, fico acordada até tarde porque sinto falta do meu tempo depois do trabalho”.

Um bom empregador

Como lidar com o esgotamento? É melhor começar diretamente em sua busca pelo trabalho. Escolha uma empresa que tem um bom histórico de respeitar seus funcionários. E não é apenas sobre os benefícios de saúde, mas sobre uma empresa que recompensa o compromisso. Por exemplo, um empregador que respeita as pessoas normalmente oferece feedback durante o processo de recrutamento. Muitas empresas não fornecem qualquer feedback, mesmo para posições de alto nível que estão recrutando. Se você for entrevistado no local onde irá trabalhar, preste atenção em quem já trabalha lá. A sala fica em silêncio quando o patrão entra? Pode ser muito óbvio e revelador em escritórios abertos.

Como lidar?

Se você notar um sentimento de falta de sentido ou qualquer um dos sintomas fisiológicos associados com esgotamento, é importante sentar e ter uma conversa de imediato. Não tente se convencer que você está fazendo muito barulho por nada; todo mundo tem um dia ruim, mas ter dias ruins por várias semanas significa que há um problema que pode levar à depressão ou uma série de outros sintomas físicos de estresse de longo prazo. Uma mudança de carreira pode ajudar, mas obviamente não é tão fácil ou sempre uma solução. Pergunte a si mesmo, eu realmente odeio meu trabalho ou estou apenas procurando mais? Talvez um pouco mais de férias e algum tempo para reavaliar sua mentalidade é tudo que você precisa; ainda é possível se adaptar e ir para o trabalho todos os dias em um trabalho que não necessariamente tem um sentido concreto de propósito. Você pode canalizar esses desejos de diferentes maneiras, como voluntariado para uma instituição de caridade, por exemplo. E não se esqueça de falar com seus amigos, no escritório ou fora dele, para arejar seus problemas – não para fofocar, mas para compartilhar o que te machuca e aceitar a sua simpatia. Isso ajuda.

Fonte: Aleteia
Comente aqui


Escola de Doutrina Social de Londrina

A Arquidiocese de Londrina está com as inscrições abertas para a ESCOLA DE DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA até o dia 08 de Março de 2017.

Comente aqui


20 anos da Campanha da Fraternidade sobre prisões

 CF de 1997 sobre prisões no país completa 20

CF 1997

Este ano de 2017 demarca duas décadas da realização da Campanha da Fraternidade de 1997, que teve como tema “A Fraternidade e os Encarcerados” e lema “Cristo liberta de todas as prisões”.

O propósito daquela edição da CF foi despertar a sensibilidade e a solidariedade dos cristãos, e de todos os homens e mulheres de boa vontade, para com as vítimas e para com os encarcerados, fazendo com que toda a sociedade percebesse a realidade das mazelas carcerárias no Brasil.

Em 1997, de acordo com o texto-base daquela campanha, a população prisional do Brasil era de 129.169 presos, sendo 96,31% homens e 3,69% mulheres, em sua maioria, 95%, pertencente às camadas mais pobres da sociedade.

Passados 20 anos, a situação só piorou: atualmente, mais de 650 mil pessoas estão presas no Brasil (quantidade cinco vezes maior que em 1997) e o percentual de mulheres encarceradas saltou para 6,5% do total de presos. O que não mudou foi o alvo preferencial das prisões: os jovens, os pretos e os pobres. A propósito, como já constatava a o texto-base da CF 1997, “a punição parece ter privilégio de classe. Os pobres são os suspeitos de sempre e os criminosos de ‘colarinho branco’ quase sempre ficam impunes e continuam delinquindo”.

As bandeiras levantadas pela Campanha da Fraternidade de 1997 seguem mais atuais do que nunca: mudança e melhoria na política penal – uma vez que o sistema de justiça segue moroso e seletivo; criação de conselhos da comunidade – estes não existem em todos os lugares e onde já estão instalados, por vezes funcionam com estruturas precárias; capacitação dos funcionários das prisões e da polícia para uma atuação educativa e humana – demanda ainda urgente, pois os presos e as pessoas mais pobres seguem tendo seus direitos violados pelos que agem em nome do Estado.

Duas décadas após a realização da CF 1997, a Pastoral Carcerária Nacional, que acompanha o sofrimento dos presos nas masmorras medievais que são as prisões brasileiras, chegou à conclusão de que nenhum modelo de encarceramento é capaz de ressocializar alguém ou ajudar na diminuição da violência na sociedade, por isso tem difundido e proposto em todo o país a Agenda Nacional pelo Desencarceramento.

Ao longo deste ano, a Pastoral Carcerária Nacional promoverá ações para recordar os 20 anos da Campanha da Fraternidade de 1997.

Fonte: Boletim da Pastoral Carcerária Nacional

Comente aqui


Pastorinhos de Fátima serão canonizados em 13 de maio

Papa Francisco confirma que canonizará pastorinhos de Fátima em 13 de maio

Por Miguel Pérez Pichel

Os pastorinhos de Fátima, Francisco e Jacinta Marto

Comente aqui


Quando filhos desejam ser celular

Oração dos filhos que desejam ser um celular

Uma oração para os nossos tempos? “Papai do céu, eu quero ser um celular”

Oração dos filhos que desejam ser um celular

Creative Commons

Papai do céu, eu quero ser um celular.

Por causa dos meus pais.

O Senhor precisa ver como eles têm paciência com ele, mesmo quando chegam em casa cansados do trabalho.

Mas comigo, não. Vão logo dando bronca.

Os olhinhos da minha mãe até brilham quando ela está olhando para o celular. É lindo de ver.

Eu quero que ela olhe assim pra mim também.

Quando estamos conversando e o celular toca, meu pai corta a nossa conversa no meio. Mas nunca, nunca mesmo, ele para de olhar o celular para conversar comigo.

Eles nunca têm tempo pra brincar comigo, mas gastam horas vendo coisas no celular.

Por favor, Papai do céu, me transforme num celular.

Daí todo mundo vai ficar feliz aqui em casa.

Muito obrigado.

Amém!

_____________

Texto que circula pela internet; autor desconhecido.

Comente aqui


Como melhorar sua vida de oração

11 hábitos que irão transformar a sua vida de oração

Desenvolver hábitos saudáveis de oração pode fazer toda a diferença

11 hábitos que irão transformar a sua vida de oração

Gustavo Frazao
Sua vida de oração caiu na rotina? É hora de reconsiderar os seus hábitos. Desenvolver hábitos saudáveis de oração pode fazer toda a diferença. Aqui estão algumas práticas importantes e hábitos que aprendi nos últimos anos — teria gostado muito se alguém os tivesse me ensinado quando eu ainda era um menino. Mas nunca é tarde para aprender ou desenvolver bons hábitos.

Estes são os 11 itens essenciais que transformaram a minha vida de oração — e poderiam fazer o mesmo com a sua.

1.- Vá para a cama na hora certa na noite anterior.

A manhã é o melhor momento para rezar. Uns bons 15 a 30 minutos de oração mental pela manhã colocam Deus em primeiro lugar, ajudam a evitar o pecado, fortalecem-nos para a prática das virtudes durante todo o dia, e estabelecem as bases para rezar sem cessar ao longo do dia.

Há também uma chance de que sua casa esteja efetivamente tranquila no período da manhã, e isso irá ajudar.

Mas, para rezar bem na parte da manhã, você também precisa estar bem descansado. E isso significa ir para a cama na hora certa na noite anterior. (Ou você ficará sonolento como aqueles Apóstolos.)

Ore2

2.- Levante-se cedo.

Defina o seu despertador/alarme cedo o suficiente para que você possa ter 15 a 30 minutos de oração silenciosa pela manhã. E no momento em que o alarme soar, levante-se. Sem desculpas. Nada de mais um cochilinho.

Faça desta a sua primeira oração do dia: a oferta espiritual a Deus do sacrifício do seu sono.

Levante-se cada dia dessa maneira durante um mês e isto se tornará um hábito.

3.- Então, fique de joelhos e reze o oferecimento da manhã

Assim que acordou, ajoelhe-se… de joelhos reze seu oferecimento da manhã. Existem muitas versões. Leva apenas alguns segundos, mas consagrando o seu dia inteiro a Deus é uma forma importante e fácil de começar cada dia. Aqui está o que eu rezo:

“Ó meu Jesus, através do Coração Imaculado de Maria, eu vos ofereço todas as minhas orações, trabalhos, alegrias e sofrimentos deste dia, para todas as intenções do Vosso Sagrado Coração, em união com o Santo Sacrifício da Missa oferecidos em todo o mundo, em reparação pelos meus pecados, e por todas as intenções do Santo Padre. Tudo pelo Sagrado e Coração Eucarístico de Jesus, tudo para o Imaculado Coração de Maria, em união com São José. Amém.”

4.- Oração Mental da Manhã durante 15 minutos.

Você precisa decidir o melhor momento para fazer isso, mas para mim, é depois que me banho e me visto, de maneira que esteja bem acordado.

Encontre um lugar em sua casa que seja tranquilo e reze todas as manhãs. Outra possibilidade é parar em uma igreja ou capela de adoração eucarística no caminho do trabalho, ou depois de deixar as crianças na escola.

Passe 15 a 30 minutos em oração silenciosa. Em oração, medite sobre as Escrituras (minha série de Série de Arte Sacra dos Santos Evangelhos, na foto abaixo, é perfeita para isso) ou um escrito espiritual de algum Santo, como São Francisco de Sales, Introdução à Vida Devota.

Ore3

Série Arte Sacra dos Evangelhos

Uma modelo de oração fácil de lembrar, há sempre A.C.A.S.: Adoração, Contrição, Ação de Graças, Súplica (petição). E se você é novo para a oração mental, não tenha medo. Aqui estão algumas sugestões para começar:

5.- Ore pelo menos uma vez a cada hora do dia

Para muitos de nós, partes inteiras do dia — ou mesmo dias inteiros! — passam sem que ao menos lancemos um olhar em direção a Deus. Li recentemente esta sugestão e fiquei surpreendido tanto pela sua simplicidade quanto pelo fato de que nunca ouvira isso antes.

Formar o hábito de voltar-se a Deus pelo menos uma vez a cada hora do dia. Isso pode ser tão simples como olhar para um crucifixo ou a imagem de um Santo, dizendo: “Seja feita a Vossa vontade” ou “Jesus, tende piedade de mim que sou um pecador”, ou “Vinde Espírito Santo”, ou reverentemente dizendo o nome de Jesus.

6.- Memorize alguns salmos. Reze-os em pontos específicos ao longo do dia

Até recentemente, eu nunca tinha memorizado nenhum dos salmos. Agora que memorizei quatro ou cinco, descobri que é muito fácil recitar cada um em pontos específicos durante o dia.

Por exemplo, recitar um determinado salmo cada vez que você entrar em seu carro. Recitar outro quando caminha pelo estacionamento ou até o seu escritório. Outro quando você se dirige para o banheiro ou lava suas mãos. Você começa a entender a ideia.

E uma vez que você tem esses salmos memorizados, eles também fornecem excelente material para meditação durante todo o dia.

Para começar, aqui estão alguns dos salmos que uso.

Salmo 1: “Bem-aventurado é aquele que não anda segundo o conselho dos ímpios. . . “
Salmo 23: “O Senhor é meu pastor. . . “
Salmo 24: “A terra é do Senhor e toda a sua plenitude. . . “
Salmo 27: “O Senhor é minha luz e minha salvação, a quem temerei. . . “
Salmo 42: “Julgai-me ó Deus e defendei a minha causa contra os ímpios. . . “

7.- Abrace a cruz

Todos os dias trazem sofrimentos e aborrecimentos. Alguns são grandes; outros, pequenos. Não os deixe ir para o lixo! Una-os à morte sacrificial de Jesus na cruz e amorosamente ofereça-os a Deus. Esta é outra maneira de orar sem cessar.

8.- Abrace o silêncio

Não ligue o rádio em seu carro. Desligue a música e a TV e qualquer outro ruído de fundo em casa. Abrace o silêncio. Se queremos ouvir Deus, primeiro devemos ouvir.

9.- Quando você está inquieto, volte-se para Deus

Santo Agostinho disse a famosa frase que nosso coração está inquieto enquanto não repousar em Ti.

Quantas vezes por dia checamos nossos telefones? E se, em vez disso, nós nos voltamos para Deus nesses momentos?

Ou talvez, quando você está inquieto, volte-se para algo mais do que conforto: Shopping. Notícias. Televisão. Comida. Bebida.

Será que buscamos o prazer nas coisas? Ou em Deus?

Em vez de nos voltarmos para as coisas, voltemos para Deus. Durante todo o dia, se você se sente inquieto, volte-se para Deus. Peça a Sua graça. Peça o Seu amor. Peça a Sua paz. “Só em Deus a minha alma encontra repouso.” Salmo 62: 1.

Ore4

Santo Agostinho de Hipona por Philippe de Champaigne

10.- Exame de consciência noturno

Cada noite, antes de se preparar para dormir, coloque-se na presença de Deus, e examine calmamente a sua consciência. Em sua mente, percorra os Dez Mandamentos e os Sete Pecados Capitais e considere onde ficou aquém. Faça um ato de contrição. Se algum dos seus pecados foi grave, resolva-se a ir para a Confissão.

Melhor ainda, fazer este exame noturno de consciência com o seu cônjuge (e crianças), como parte das Completas, Oração da Noite da Igreja a partir da Liturgia das Horas.

11.- Diga três Ave-Marias ao pousar sua cabeça no travesseiro

Esta é uma prática católica tradicional e é uma boa maneira de terminar o seu dia. Assim como o seu primeiro ato do dia foi uma oração, então, será também o seu último.

E, no caso de que seja esta a sua última noite, através de suas Ave Marias, a Santíssima Virgem haverá de protegê-lo: “Rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.”

Ore5

Comente aqui


Processo de canonização de Irmã Lúcia

Processo de canonização de Lúcia segue a caminho do Vaticano

O processo de canonização da irmã Lúcia de Jesus só amanhã viaja rumo ao Vaticano, para a Congregação para a Causa dos Santos, que irá analisar sete pastas, num total de mais de 15 mil páginas.

A cerimônia de clausura do processo diocesano realiza-se às 17h00 de hoje,13/02, data em que se completa 12 anos da morte da vidente de Fátima. A sessão, realizada na igreja do Carmelo de Santa Teresa de Coimbra, será presidida pelo bispo D. Virgílio Antunes.

O postulador, padre carmelita Romano Gambalunga, e a vice-postuladora, Ângela Coelho, também estarão presentes, tal como dezenas de irmãs carmelitas, leigos e religiosos. No final da sessão é lavrada a ata da cerimônia, que será depois colocada e selada na última pasta.

Nas mais de 15 mil páginas estão cerca de 11 mil cartas escritas pela irmã Lúcia, diários e testemunhos das virtudes da vidente. Os promotores da causa não esperam uma decisão antes de 2019. Todo o processo terá de ser analisado pela Congregação para a Causa dos Santos, que vai aprovar a heroicidade das virtudes da candidata. É o passo determinante para que a vidente possa ser beatificada.

Fonte: CM Jornal
Comente aqui